Baías e Baronis – FCP vs Nacional

Primeira edição da rubrica que pretendo escrever depois de um jogo do FCP. Podia chamar-lhe “Positivo e Negativo” ou “Em Alta e em Baixa” ou até “O Melhor e o Pior”. Optei pela última, só que em vez da frugalidade das palavras tradicionais, preferi escolher um dos melhores jogadores que já passou por este clube…contra um dos piores. Porquê, perguntarão? Porque soa melhor. E porque o Baroni tem um espaço especial aqui no meu coração. Ah…as saudades…

Se não concordarem, são livres de comentar, obviamente!

BAÍAS
(+) Vontade de vencer, de criar o resultado necessário para ser campeão nessa noite
(+) Garra de Rodriguez e Mariano que terminaram o jogo de rastos, bem como Fucile e Meireles que saíram lesionados antes do jogo acabar
(+) Público entusiasmado e estádio repleto
(+) Cissokho evolui muito rápido para um jogador com tão pouca experiência, faz bem a linha, apoia o ataque e recupera bem para a defesa
BARONIS
(-) Muito nervosismo que apesar de expectável, não pode continuar a desnortear a equipa
(-) Fucile muito inseguro a lateral-direito, provavelmente ainda não a 100% fisicamente
(-) Muito espaço dado ao meio-campo do Nacional, jogando com 3 médios contra 4 do adversário (antes de alterar para o aparentemente 4-2-2-1-1)
(-) Tomás Costa continua a jogar com algum nervosismo, tem de parar mais para pensar no que vai fazer a seguir

3 comentários

  1. em termos estéticos não comento, mas no que diz respeito ao talento para o futebol, não haja dúvida. fui o autor do primeiro site não-oficial dele em 1999 e fui lá falar com ele na altura, foi um tipo porreiro. grande jogador, grande homem e quem sabe grande futuro presidente ;)

Deixar uma resposta