FCP – (L+L) = ?


Depois de várias semanas de especulações, dois dos melhores jogadores do FCP do século XXI acabam de sair do clube em direcção à Liga Francesa. Lucho arranca para uma nova experiência no Olympique de Marselha, onde deverá ser o patrão do meio-campo de uma equipa jovem e que pratica bom futebol. Lisandro zarpa para Lyon, onde no Olympique local terá de fazer esquecer Benzema que saiu para o Real Madrid, e será um dos rostos de um Lyon que precisa de se renovar após o primeiro campeonato perdido em muitos anos, e que com a avançada idade do plantel e a saída de elementos fulcrais como o referido Benzema e Juninho Pernambucano, terá no Licha uma das apostas fortes para o futuro.

Depois de 4 épocas brilhantes dos dois argentinos (como todas as épocas, umas mais geniais que outras), 7 títulos (4 campeonatos, 2 taças e uma supertaça), muitos golos e grandes alegrias, o FC Porto acaba por valorizar os jogadores e vendê-los por 42 milhões de euros, que poderão atingir os 52 milhões dependendo da performance das duas equipas (18M + 6M no caso de Lucho, 24M + 4M no que diz respeito a Lisandro), o que é a todos os níveis um negócio excelente.
Agora que saem os anéis e ficam os dedos, com que batatas podemos contar? Certamente as opções que adquirimos ainda antes da época terminar não oferecerão as garantias que gostávamos de contar para suprimir a falta dos argentinos. A compra recente de Belluschi, um médio mais volante que Lucho e com um estilo um pouco diferente, não será propriamente uma troca directa com “El Comandante”, pelo que poderá ter de haver alguma alteração táctica por parte de Jesualdo para acomodar a nova realidade.
Para o ataque, o problema parece menos incómodo. Apesar da garra e agressividade positiva de Lisandro, pode ser desta que se vê Hulk no local onde creio que pode render mais, que será no centro do terreno. Com Cristián Rodríguez e talvez Varela ou outro que ainda possa vir, podemos ter um tipo de jogo um pouco diferente, até concebendo uma alteração para um 4-4-2 um pouco diferente do habitual 4-3-3 dos últimos anos.
Quanto ao interesse em Falcão, concordo com o que tem sido dito nos blogs portistas. Pelo que já tive hipótese de ver, o rapaz parece-me muito similar ao Farías, e sinceramente não tenho fé no que já temos, por isso a chegada de outro parecido por um camião de dinheiro não vai ajudar.
Lisandro era Lisandro e Lucho era Lucho. Os tempos mudam e já não temos Deco nem Jardel nem Drulovic. Por isso venham daí os próximos jogadores, as alegrias estão à nossa espera no Dragão.

1 comentário

  1. Em termos financeiros é já mais um defeso milionário para os cofres do Dragão.

    A venda dos dois argentinos acabam por ser previsíveis, a de Lucho menos do que a de Lisandro. O primeiro, ditada pela necessidade de vender, quiçá para influenciar o exercício fiscal, face à renúncia do Milan na contratação do Cissokho e à indefinição da hipotética venda de Bruno Alves ao Barcelona, o outro pela sua vontade de sair.

    Creio que nestas circunstâncias a SAD fez o que competia.

    Acredito na capacidade habitual para arranjar as soluções que nos mantenham na rota do Pentacampeonato. Com A, B ou C, havemos de o conseguir.

    Um abraço

Deixar uma resposta