Baías e Baronis – FCP vs Belenenses


(foto retirada do MaisFutebol)


Se o Belenenses jogasse de preto, tinha sido uma repetição do jogo do passado Domingo. Foi muito mau, muito muito mau. Optei por fazer a análise do jogo apenas hoje já que ontem não tive tempo e ainda bem, porque teria sido mais agressivo. Enfim, um B&B que hoje é um pouco diferente, com apenas um de cada, ainda que com dimensões consideravelmente diferentes. Vamos a isso:

BAÍAS
(+) Não choveu.
BARONIS
(-) Uma primeira parte desastrosa, um arranque de 2ª parte ainda pior e uma gritante falta de ideias e discernimento colectivo que está a assolar a equipa fez-nos perder os primeiros pontos no Dragão esta época. Desde os laterais, com cruzamentos quase infelizes de Álvaro, passando pelo inexistente meio-campo, chegando a uma frente de ataque de elevada qualidade mas com dificuldades evidentes em colocar essa qualidade no terreno. Sente-se uma sportinguização da equipa, parece que estão desde o primeiro minuto a aguardar que o apito final chegue para poderem ir descansar. Escapelizando um pouco mais, o meio-campo está a jogar muito preso de movimentos, muito perto uns dos outros, sem rasgos individuais minimamente produtivos, com Meireles um pouco acima da média desta época mas sem causar problemas e Belluschi em clara falta de ritmo; a frente de ataque é ineficaz e não causa embaraço aos adversários, com Hulk a rematar quando não deve e a tentar fintar quando deve pontapear para a baliza, Falcao a falhar golos e Mariano a ser coerentemente Mariano. Rodríguez não ajudou, está com pouco ritmo e vai demorar a chegar à forma de ano passado. Farías marcou mas pouco mais fez durante o jogo para voltar a ser titular.
O grande problema que se tem vindo a verificar é o facto do FC Porto já não conseguir impôr respeito aos adversários. Qualquer equipinha vem ao Dragão e não passa por grandes dificuldades defensivas porque os 11 gajos de azul-e-branco não conseguem um ritmo ofensivo decente para uma equipa do nosso gabarito. É frustrante ver a apatia com que a equipa entra em campo e a quantidade absurda de passes falhados e erros de julgamento que ocorrem em todos os jogos. Quem está na bancada fica compreensivelmente chateado. Pensei que pudesse ser das ausências para a Selecção ou da intensidade dos jogos e das lesões. Não creio que seja só isso. Há uma inércia que se está a apoderar dos jogadores e que só há uma forma de combater: com sangue novo. Não do treinador, mas através dele, é necessário convocar outros jogadores e descansar alguns dos actuais titulares que estão a precisar de tempo fora do jogo para acalmar e melhorar índices de confiança. Estamos a atravessar um mau momento e tenho confiança que o vamos ultrapassar, mas é preciso fazer algo, e rápido! Não chega dizer que não podemos jogar assim ou assado, que não se podem falhar tantos golos, já que o problema não é apenas esse. Estamos a depender das falhas nas 5 ou 6 oportunidades sérias criadas por jogo, onde se nota muito mais as falhas, do que deveríamos fazer, que era falhar algumas das 20 chances de golo. Os jogos estão a ser uma seca de início a fim (ou quase) e assim os adeptos começam a não aparecer ao estádio. Ninguém merece.

5 comentários

  1. O Porto já andava a prometer uma escorregadela. As últimas exibições deixavam perceber que tal seria apenas uma questão de tempo.

    Quando não se aprende com os erros passados o falhanço torna-se inevitável.

    Foi o que aconteceu ontem no Dragão. A reincidência de um jogo abúlico, de uma atitude displicente e da falta de inspiração da primeira parte deram lugar a um segundo tempo de ansiedade, atrapalhação, sofreguidão, precipitação e ineficácia.

    Esta é, desgraçadamente, a última imagem de marca de uma equipa, reduzida ao seu expoente mais baixo dos últimos meses.

    Reconhecer a situação não é mais do que um puro exercício de lucidez que a paixão não deverá escamotear.

    Não está aqui em causa encontrar bodes expiatórios para explicar tais falhanços. Interessa isso sim, apontar os erros e corrigi-los sem teimosias ou fetiches.

    Nada ainda está perdido. Temos é de ser rigorosos para que não seja demasiado tarde.

    Um abraço

  2. Não entendo como é que uma equipa com um orçamento de 80M€ consegue ser tão medíocre e sem soluções… para quando a aposta nos nossos miúdos? Não era melhor do quem Benitezs, Guarins, Marianos e afins?

    De qualquer maneira responsabilizo a 100% o treinador. Fisicamente os jogadores estão mal, tacticamente já não há paciência. Gostava eu de ter Paciência, gostava ;)

    Resta espera que a equipa se atine… no ano passado tb estavamos atras dos lampiões e aos poucos lá chegamos.

    Abraço

  3. Apenas uma nota, para reforçar o que eu acho que foi o inicio do declínio das exibiçoes do FCP. Muito se tem dito sobre o Mariano. Aliás este blog nao é excepcção em premiar o rapaz com palmas pelo esforço e vaiá-lo ao mesmo tempo pela sua inegável falta de jeito com os pés. Mas o FCP já andava fraco por causa de Marianos, Meireles e Hulks cansados…quando uma das surpresas da época desapareceu das 4 linhas…e fez com que o Porto a boiar à tona da água, começasse a engolir pirulitos de cada vez que alguem agita o lago!
    Pergunto eu…para quando uma análise sobre esse jogador q tem feito tanta falta : Fucile ?
    Um abraço

Deixar uma resposta