Seleccionações

Numa semana em que (quase) nada se passa no reino do Dragão, há que analisar a prestação dos nossos jogadores nas diversas selecções em que estão envolvidos. Porquê, poderão perguntar? Porque no Verão de 2010 realiza-se mais um Campeonato do Mundo, que tradicionalmente serve de plataforma de salto até outras paragens para muitos dos intervenientes, o que acaba por ser de vital importância para a saúde económica dos clubes, para não falar das vantagens para os próprios jogadores.
Ora nestas andanças temos os seguintes rapazolas, tendo em conta que ainda haverá hipóteses, ainda que remotas, de outros serem convocados para as respectivas selecções, que não menciono:
PORTUGAL
  • Bruno Alves
  • Raul Meireles
  • Rolando
  • Beto
URUGUAI
  • Fucile
  • Álvaro Pereira
  • Cristián Rodríguez
BRASIL
  • Helton
COLÔMBIA
  • Falcao (sem hipótese de qualificação)
  • Guarín (sem hipótese de qualificação)

ROMÉNIA
  • Sapunaru (sem hipótese de qualificação)
Sapunaru, Falcao e Guarín não valorizam absolutamente nada…mas não me parece que o pudessem fazer. Guarín depende apenas dele para sair do fosso em que entrou na primeira temporada, e Falcao está a crescer no futebol europeu, e apesar de falhar o Mundial, pode fazer o suficiente na Liga dos Campeões para subir a cotação. Sapunaru tem sofrido com lesões e com a boa forma de Fucile, por isso só um milagre faria com que o rapaz entrasse na equipa nesta altura. A Roménia fez uma campanha deplorável e por isso quase nem chegou a pensar na hipótese de fazer as malas para terras africanas. Ponto, parágrafo.
Considerando que Helton ainda não participou em nenhum jogo (apesar de ser um seleccionável), temos 7 jogadores nas rampas de lançamento para o Mundial, e qualquer um deles parece destinado a ter de participar ainda em mais um play-off de acesso para poderem lá chegar. Portugal, considerando que vence Malta amanhã em Guimarães, terá de disputar mais dois jogos de bota-fora frente a um adversário que pode ser bem complicado, ao passo que o Uruguai tem tudo ao seu alcance para se qualificar directamente (basta vencer a Argentina), ou então, caso não vença, tem de conseguir um resultado melhor que o Equador para ter acess
o ao play-off frente ao 4º classificado da CONCACAF…uff, e dizem que só os portugueses é que sofrem com as matemáticas da qualificação!
Vamos então saltar para um futuro próximo, em que ambas as selecções se qualificam. Helton, a ser convocado só muito dificilmente tiraria o lugar ao seu colega do Inter, Júlio César. Não é melhor, é mais experiente mas não ao mesmo nível e teria um lugar quiçá como 3º guarda-redes. Seria bom para valorização pessoal mas não creio que ajudaria o nosso keeper a subir a sua quota de mercado. Dava para umas guitarradas em Joanesburgo e pouco mais.
No campo dos lusos, Bruno Alves e Meireles têm lugar garantido nas escolhas de Queiroz. Ambos têm sido titulares, apesar da forma menos positiva neste início de temporada, e deverão continuar nessa situação. Tanto um como outro poderão lucrar consideravelmente com um torneio que corra bem, ou então podem ver o seu passe desvalorizado se as coisas saírem tão mal como na Coreia. Bruno Alves esteve na boca do mundo este defeso e poderá ver o seu nome envolvido na imprensa novamente no próximo Verão. Já Meireles teve o suposto interesse do Sevilha e do Valência, que poderá ser reactivado (ou aceso noutros burgos) caso tenha um bom desempenho. Já Rolando e Beto não parecem figurar nas primeiras escolhas, apesar de integrarem igualmente o lote dos convocáveis como segundas opções. Dependeriam de lesões, castigos ou graves abaixamentos de forma por parte dos titulares para passarem a ser primeiras escolhas, mas em nada prejudicaria uma presença na África do Sul. Não são nomes conhecidos do mundo do futebol, por isso era uma boa maneira de lá se colocarem.

Mudando antenas para a selecção Celeste, temos três potenciais titulares, com Álvaro, Fucile e Rodríguez a figurarem regularmente nas convocatórias e nas equipas titulares do Uruguai. Chegando ao Mundial seriam mais uma das típicas selecções sul-americanas de quem nunca se sabe o que esperar. Ou caem sem apelo nem agravo na primeira ronda e os seus jogadores são considerados flops permanentes e os valores caem a pique, ou então fazem o proverbial brilharete, ganham ao Gana e empatam com a Itália para perder num jogo rijo e a roçar a violência frente ao Brasil. Ou qualquer coisa do género.
Aí começar-se-iam a notar os melhores, os mais agressivos e empenhados jogadores, e talvez Fucile ou Álvaro teriam mais mercado, dada a falta de laterais decentes que continua a existir no futebol europeu.
Ainda falta muito tempo para lá chegarmos, mas algumas decisões para o mercado 2010/2011 começam a ser feitas amanhã. Eu vou estar em frente à televisão às 19h45 para ver a nossa Selecção…e depois às 23h00 novamente para ver aquele que vai ser, na minha opinião, um dos jogos do ano, o Uruguai – Argentina.
Maradona, se me estás a ler, e sei que tal é bem provável, esquece lá isso e deixa o Uruguai ir ao Mundial!!!

Deixar uma resposta