Baías e Baronis – Bordéus vs FC Porto

Foto retirada de Desporto.Sapo.pt

Foi mais um mau jogo, muito embora haja claras atenuantes: a equipa foi um conjunto claramente alternativo tendo em conta o que vai ser a equipa titular no próximo sábado frente ao Benfica, foi o segundo jogo em dois dias e parece-me que houve claras indicações para “não meter o pé”. Ainda assim, creio que podíamos ter esperado um pouco mais a nível da clarividência no momento da criação de lances ofensivos, que hoje à excepção de Varela foram quase a cem por cento delegados em Belluschi, que mais uma vez tentou mas não conseguiu. Continuo a dizer o mesmo que disse depois do jogo de ontem, vamos ter de ter paciência, muita paciência, porque se vê que os rapazes estão a tentar mas ainda não sai nada do que virá a sair num futuro mais ou menos próximo. Vamos a notas:

(+) Souza. Jogou a trinco e mostrou que finalmente vamos poder ter uma alternativa credível a Fernando, especialmente porque ainda não se sabe se Castro fica no plantel. Controlou bem a zona defensiva e tentou sempre avançar quando podia. Tem força, tem garra e faz-me lembrar o Patrick Vieira…mas comparações param aqui porque disse o mesmo do Guarín no primeiro jogo que o vi a fazer. No entanto, tenho mais esperanças neste rapaz que no colombiano e espero vê-lo a jogar muitas vezes.

(+) Varela. Com a velocidade que mostrou pelo flanco, mostrou que está recuperado da lesão e se dependesse de mim era titular indiscutível. Pode ser trapalhão e às vezes parecer que não sabe o que fazer quando chegar à linha, mas arrasta o jogo para a frente e na fase em que estamos é bastante útil, pelo menos enquanto o meio-campo não carburar ao ritmo que se quer.

(+) Belluschi. Não fez um jogo muito bom, admito, mas tentou. Mostrou-se menos preguiçoso que o costume e continuo a achar que esta nova filosofia do meio-campo se adapta mais à sua forma de jogar…mas as coisas tem de lhe sair bem senão é trabalho em seco.

(+) Maicon. Está a ficar melhor o gigante. Passa bem a bola e parece saber o que faz, mas a lentidão continua a ser um handicap grande.

(-) Sereno. Está a conseguir enervar-me enquanto está em estado de graça por ser novo no grupo, o que é raro. Hoje dei comigo a pensar que se calhar não era mau ter cá o Stepanov e despachar já Sereno. É absurdo o que faz no lance que dá origem ao segundo golo do Bordéus e não foi caso único no jogo. Vou atribuir as falhas ao nervosismo de jogar num clube a sério. É, deve ser disso.

(-) Sapunaru. Ao contrário da opinião de um amigo com quem troquei algumas mensagens depois do jogo, não gostei do romeno, mais uma vez. É indeciso demais e acima de tudo displicente na defesa. Até gosto de o ver a subir no terreno para apoiar o ataque, mas a principal função de um defesa é defender. E Sapunaru não defende bem.

(-) James Rodríguez e Walter. Não é bem um Baroni de-facto, será antes um Baroni preventivo. Têm de perder rapidamente os maus hábitos do futebol da América Latina, a lentidão com que se fazem aos lances, pensando que não virá nenhum adversário atrás deles para lhes tirarem a bola durante uns largos minutos. Walter é/está gordo e depois de perder peso falamos, já James tem de ganhar força para aguentar os choques habituais do futebol europeu.

(-) Bolas paradas defensivas. Não preciso de dizer muito. Basta comparar com o ano passado para ver que é preciso trabalhar muito nesses lances.

Ora então daqui a 6 dias jogamos contra o Benfica, dizem? Pois…vai ser um jogo complicado, se compararmos as duas equipas pela forma física e pela capacidade táctica. A nossa equipa está a ser construída quase de raíz, com poucas referências do ano passado e com treinador novo, ao passo que os senhores vermelhors tem uma base sólida do ano passado, com um treinador matreiro e parecem estar fisicamente mais em forma. É muito arriscado atirar um prognóstico e não quero ser derrotista, mas se me permitem, cá vai:

Aham, aham.

Ai.

4 comentários

  1. Eu estou calmíssima…medo do papão é na idade infantil, em que acreditamos em tudo o que ouvimos. Agora que somos adultos é tempo de pensar nas razões apontadas para a derrota com o Bordéus e perceber que são falhas não fatais. Tenho-o como pessoa de poucos ahm ahm…

  2. e normalmente sou :)
    estamos em construção, por isso não me incomoda perder a Supertaça, sinceramente. agora isso não quer dizer que não entremos para vencer, até porque temos todas as condições para o fazer! mas lá que vai ser tramado, lá isso vai…

Deixar uma resposta