Baías e Baronis – KRC Genk vs FC Porto

foto retirada do MaisFutebol

Não foi um jogo fácil, claramente. A ausência de Hulk teve um peso grande na performance da equipa que se começa a habituar em demasia a jogar com ele e especialmente a depender dele, e quando não o tem as coisas complicam-se. Felizmente conseguimos dar a volta por cima e com a ajuda dos rapazes do Genk, com vontade e empenho mas pouco mais, lá chegamos a um resultado que só uma catástrofe superior ao jogo contra o Artmedia é que nos punha fora da fase de grupos. Vá lá, rentabiliza-se o Dragon Seat. Vamos a notas:

(+) Helton. Não tem havido pai para este rapaz desde o início da época. Esteve brilhante, defendeu tudo o que lhe apareceu à frente, com saídas destemidas aos pés dos adversários, deixando os desgraçados dos Belgas a pensar que estaria um super-herói na baliza dos tipos de amarelo. Evitou, acima de tudo, a chatice de sofrermos um ou mais golos e termos de facto de trabalhar para passar a eliminatória. Resto dos meninos do plantel, ponham os olhos no vosso capitão. Foi o único, a par dos rapazes aqui nos próximos dois parágrafos, que não dormiu em sentido.

(+) Fernando. Para ter sido um jogo perfeito só faltou um golo. Roubou pelo menos 10 bolas aos adversários, com cortes perfeitos, passes perfeitos, posicionamento perfeito e empenho perfeito. Parecia, a dada altura, que os dois colegas do meio-campo é que eram os toscos e que ele era o talentoso, o Fernando, o nosso Fernando, o gajo que não consegue passar uma bola a 20 metros sem rezar à santa para não acertar no treinador com muita força. Já disse que foi perfeito?

(+) Souza. É como se tivessem clonado o Guarín com as devidas alterações genéticas para lhe dar mais uns milhões de neurónios a funcionar. Sai muito bem do meio-campo com força e bom domínio de bola e parece que joga sempre com a cabeça levantada. E aquele golo é um portento, se descontarmos o entusiasmo do José Manuel Marques, que relatou um “grande golo” e o “momento da noite” com toda a euforia de quem está a cortar as unhas antes de ir para a cama. Gostei, quero ver mais.

(-) Permissividade defensiva. Foi algo que ainda não se tinha visto este ano. Vercauteren viu bem que Maicon tem a velocidade de uma tartaruga manca e aproveitou para colocar os avançados a fazerem-no correr pelo ordenado. Pois o nosso rapaz lixou-se e depois de uma primeira parte razoável acabou por ser quase sempre papado por quem quer que lhe aparecesse à frente. Álvaro também não cobriu a zona defensiva como devia, a somar à pouca força do meio-campo Moutinho-Belluschi, que só começou a ganhar bolas e a sair para o ataque quando ficamos a jogar contra 10. Villas-Boas esteve bem (talvez tenha experimentado demais quando ainda estava 1-0, mas compreendo dado o ritmo quase de treino) e “tapou” a zona com Souza. Melhorou mas não muito, então toca de inventar um 4-5-1 só mesmo para ver se colava. E colou, Ruben ajudou a bloquear qualquer hipótese de ataque decente do adversário a não ser pelas laterais. Ficou-me no entanto a impressão que contra 11 rapazes que saibam jogar à bola, podemos ter aí alguma chatice.

(-) Varela. Falei cedo demais depois do jogo contra o Benfica. Ainda está com ritmo lento e nota-se perfeitamente que não tem discernimento para ajudar na defesa, sabendo que não vai conseguir recuperar para pressionar no ataque. Mais uma vez muito trapalhão.

(-) 4-3-3 sem Hulk. Não vou falar de “Hulkodependência” ou qualquer chavão absurdo que a imprensa gosta de inventar. O que é certo é que a equipa perde sem Hulk em campo, e o 4-3-3 não é tão explosivo e dinâmico, especialmente com um meio-campo ainda sem ritmo. Ukra esteve nervoso todo o jogo e Varela, como disse acima, ainda não rende o que pode. Se calhar o 4-4-2 não está assim tão longe de ser uma realidade, pelo menos nestes próximos tempos…

(-) Genk. Juro que pensei que o Genk desse mais luta. É verdade que o penalty (onde não percebo que dúvidas haverá, palavra que não) não ajudou e a expulsão também não (mais uma vez, justíssima), mas estava à espera de mais da equipa que lidera o campeonato na Bélgica. Se estes estão em primeiro…como serão os que vão atrás?!…

Não estava à espera de um jogo fácil e houve alturas em que me enervou a displicência nalguns lances, mas estivemos bem. Uma vitória por 3-0 num jogo europeu é sempre positivo e retira pressão para a segunda mão. Lá estarei a bater palmas, mas antes…venha Domingo e o Beira-Mar!

12 comentários

  1. Deixa-me em primeiro lugar dar os pêsames ao Hulk e à família.Perdeu a sobrinha de apenas 1 aninho…afogada na piscina de casa… :x

    Quanto ao jogo,não gostei,quase nada.Resultado muito lisonjeiro para aquilo que fizemos.

    Não me posso é esquecer também que ainda estamos em construção e não era o jogo da Supertaça que me ia fazer pensar de maneira diferente.
    Ainda há muito para melhorar,principalmente lá atrás.Ou foi só falta de "pica" ??

    Agrada-me o facto de AVB não ter problemas em mexer no jogo e alterar o sistema táctico(temos N opções diferentes).Por falar nisso,pq não começar já com 4 homens no meio-campo?É que com 3 e,ainda por cima,sem Hulk…

    Espero melhorias no Domingo e,principalmente,mais uma vitória.

  2. Boas Jorge,
    Este jogo podia ser uma autentico massacre ao Genk, bastava o meio campo acelerar mais um pouco que eles tremiam por todos os lados, apenas bastou apelar á criatividade pessoal e também colectiva da equipa, que os jogadores do Genk ficaram sem capacidade de resposta, acho que ainda falta alguma confiança neles próprios mas com o tempo vai lá, afinal estamos a começar. Agora aquela defesa não me convence falta ali uma voz de comando.

    Cumprimentos,
    ultrasfcportomatosinhos

  3. não estava a depreciar a atitude, até me pareceu bastante bem. acredito plenamente que estava nos planos de Villas-Boas usar um 4-5-1 (ou 4-2-3-1, como quiseres) algures no jogo, só que não pensei que fosse a seguir à mudança para 4-4-2 :)

  4. Uma exibição fraca, abaixo do exigível a um candidato a vencer a Liga Europa.

    Lenta, trapalhona, previsível, irritante, a primeira-parte do F.C.Porto, que apesar de ter controlado o jogo e um adversário só preocupado em defender, nunca foi capaz de ser contundente, encostar o Genk às cordas, marcar uma superioridade que se nota a olho nú.
    Culpa de um meio-campo, que, com a excepção de um excelente Fernando, nunca encontrou as melhores soluções e de um ataque onde Ukra esteve muito mal, Varela abaixo das suas possibilidades e um Falcao desamparado e complicativo, não dando seguimento às jogadas em que se pedia mais rapidez de execução, junto a maior objectividade na decisão.
    O 0-1 de alguma forma era injusto. Fizemos pouco para estar a ganhar.

    A segunda-parte pode-se dividir em duas: antes e depois da expulsão do jogador do Genk. Antes, um Porto sem acertar, incapaz de controlar o jogo, mal posicionado e a dar várias abébias na defesa, que só não tiveram graves consequências, porque Helton está em grande e por duas vezes evitou aquilo que parecia certo, o golo dos belgas. Depois da expulsão, mais facilidades, mais controlo, mais acerto, mas mesmo assim, alguns deslizes na rectaguarda, que mostraram, sem margem para dúvidas, que temos de contratar um central de qualidade – espero que Otamendi não falhe!
    Na parte final e já com os belgas rendidos, dos belíssimos golos, a darem ao marcador uma ideia de facilidades e de uma qualidade de jogo, que nunca existiu.

    Resumindo: ganhamos claramente e com isso cumprimos o nosso objectivo de passar à Fase de Grupos. Temos gente, temos treinador, mas e contrário do que a exibição frente ao Benfica prometeu, ainda estamos longe de sermos uma equipa forte, equilibrada, contundente.

    Até esse momento chegar, três jogos, três vitórias, seis golos marcados e nenhum sofrido, ajudam a manter a moral em alta e a dar a tranquilidade necessária para trabalhar à vontade.

    Um abraço

  5. Tenho pena que o Ukra não tenha sabido aproveitar a oportunidade. É dos jogadores que mais gosto, mas parece que nos ultimos tempos os extremos portugueses da casa não agarram o lugar (Vieirinha, Helder Barbosa, etc, etc).
    Abraço.

  6. Este jogo deixou-me preocupado… Fraco, mt fraco! Valeram os 3 golos para encararmos a 2ª parte da eliminatória sem stress. E deixou-me preocupado pois acho que neste momento não temos equipa (apesar do grande jogo da supertaça, mas pelo que tenho visto os vermelhos tb não dão mta luta) para ombrear com adversários mais fortes. E então a defesa… é um ai jesus quando a jambulani se aproxima, vai valendo um Helton brilhante! Urge reforçar a defesa (lateral direito e central) e avisar o Moutinho que já não tá na lagartagem ou joga (não chega só correr) ou encosta.
    Abraços

  7. Bom dia,

    Ontem fizemos um jogo "quanto baste" para levar de vencida uma equipa jovem, com jogadores de alguma qualidade. E demos uma passo rumo à fase de grupos da liga Europa.

    Na primeira parte, entramos calculistas, a controlar e dominar o jogo. O adversário não teve bola, e apenas em fugazes contra-ataques tentava chegar à nossa baliza. Estivemos claramente à espera do erro do adversário, que se foi enervando com o decorrer da primeira parte, e acabou por cometer um penalti que nos deu a vantagem no marcador.

    Na segunda parte, o Genk depois das alterações do seu treinador, começou a criar-nos problemas e não fosse Helton, teriam naquela altura empatado o jogo.

    Mas Villas Boas, tem uma de muitas qualidades … não perde tempo e mexe na equipa. Meteu mais gente no nosso meio campo, e voltamos a controlar e dominar o jogo. Com um futebol de troca e posse de bola, constantes tabelinhas, com naturalidade marcamos mais dois excelentes golos.
    O de Souza foi fantástico.

    Nos jogadores realce para os nossos 3 médios.
    O Belluschi com o Fernando e o Moutinho ao lado parece outro. Fica mais solto para o ataque.
    Também os Fernando e o Moutinho varrem o meio campo todo. Impressionante o Moutinho … não tem medo de fazer carrinhos, leva porrada que se farta,… e parece aqueles copos teimosos … cai e levanta logo!
    Grande exibição do Helton.
    Maicon ontem foi capaz do melhor e do pior. Na nossa defesa, nota-se que falta ali agressividade no ataque à bola, antes mesmo de nos encostarem às cordas. Rolando esteve bem melhor.
    Varela esteve outra vez abaixo das expectativas.
    Ukra esteve bem, lutador, podia mesmo ter marcado.
    Sapunaru e Alvaro cumpriram o seu papel, mas sem atacar muito.

    Abraço a todos e bom fim de semana

    Paulo

    Bom dia,

    Ontem fizemos um jogo "quanto baste" para levar de vencida uma equipa jovem, com jogadores de alguma qualidade.

    Na primeira parte, entramos calculistas, a controlar e dominar o jogo. O adversário não teve bola, e apenas em fugazes contra-ataques tentava chegar à nossa baliza. Estivemos claramente à espera do erro do adversário, que se foi enervando com o decorrer da primeira parte, e acabou por cometer um penalti que nos deu a vantagem no marcador.

    Na segunda parte, o Genk depois das alterações do seu treinador, começou a criar-nos problemas e não fosse Helton, teriam naquela altura empatado o jogo.

    Mas Villas Boas, tem uma de muitas qualidades … não perde tempo e mexe na equipa. Meteu mais gente no nosso meio campo, e voltamos a controlar e dominar o jogo. Com um futebol de troca e posse de bola, constantes tabelinhas, com naturalidade marcamos mais dois excelentes golos.
    O de Souza foi fantástico.

    Nos jogadores realce para os nossos 3 médios.
    O Belluschi com o Fernando e o Moutinho ao lado parece outro. Fica mais solto para o ataque.
    Também os Fernando e o Moutinho varrem o meio campo todo. Impressionante o Moutinho … não tem medo de fazer carrinhos, leva porrada que se farta,… e parece aqueles copos teimosos … cai e levanta logo!
    Grande exibição do Helton.
    Maicon ontem foi capaz do melhor e do pior. Na nossa defesa, nota-se que falta ali agressividade no ataque à bola, antes mesmo de nos encostarem às cordas. Rolando esteve bem melhor.
    Varela esteve outra vez abaixo das expectativas.
    Ukra esteve bem, lutador, podia mesmo ter marcado.
    Sapunaru e Alvaro cumpriram o seu papel, mas sem atacar muito.

    Abraço a todos e bom fim de semana

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com

  8. @Mário: rapaz, esqueci-me de responder à sms! não acho que tenha sido assim tão mau, acima de tudo nestes jogos o que conta é o resultado…vamos continuar a ter paciência e esperar que a equipa se entrose melhor :)

  9. No problem Jorge
    A minha preocupação não é só relativamente a este jogo. Já no passado sábado só também gostei do resultado. Exibição muito pobre. Bem sei que ainda estamos a começar a época e há que ter paciência… Mas começo a ficar sem paciência é para a não resolução de 2 casos: Fucile e Raul Meireles (2 jogadores fundamentais), mas como quaisquer outros, só fazem falta se cá estiverem. Mas estão ou não estão cá?! Aguardo resposta da SAD…

  10. Três golos sul-americanos que nos colocam com um (ou dois…) pés na fase de Grupos da Liga Europa.
    Bonito o gesto de Falcao, ao dedicar o golo a Hulk.
    Notam-se alguns erros na equipa (esteve muito mal Maicon; venha o Otamendi pois Maicon ainda não está preparado) mas ainda não está nada fechado visto que, até dia 31 de Agosto, alguém pode sair ou mesmo entrar.
    Uma grande vénia para André Villas Boas que mais uma vez sobe o que fazer.
    No Dragão é para marcar mais golos!

    Um abraço
    http://odragaozinho.blogspot.com

  11. Jogo aparentemente fácil que o FC Porto tratou de complicar, recorrendo a um ritmo de treino e pouco engodo pela baliza.

    Sem Hulk, a quem presto as minhas homenagens pelo momento difícil que atravessa, os Dragões apresentaram-se lentos, previsíveis e sem imaginação. Dominaram na primeira parte mas sem criar grande perigo.

    Já na segunda metade tiveram que aguentar a maior determinação belga e aí Helton respondeu com bravura e classe.

    AVB acordou a tempo alterando o sistema de jogo. A inclusão de Souza e Rúben Micael foram fundamentais para a clarividência que o meio campo ganhou, com reflexos no resultado.

    Grandes exibições de Helton e Fernando, dois gigantes em campo. Souza voltou a confirmar as boas indicações que já dera nos poucos minutos que jogou.

    Muito trabalho espera a esta equipa para se assumir candidata ao triunfo deste troféu.

    Um abraço

Deixar uma resposta