Baías e Baronis – FC Porto vs Olhanense

Foto retirada do MaisFutebol

Um jogo fácil que a equipa soube tornear com simplicidade de processos e com uma primeira parte que arrasou a equipa do Olhanense. O Daúto gosta muito destas estratégias de fechar o meio-campo com uma barreira de 11 jogadores em 30 metros (entre a área e o meio-campo) e apesar de se terem notado algumas dificuldades na transição entre a defesa e os médios volantes, tal era a quantidade de gajos de vermelho e preto nessa zona, o FC Porto conseguiu criar várias oportunidades de perigo e chegou ao(s) golo(s) sem problema. A segunda parte…bem, é só olhar para o último Baroni. Vamos a notas:

(+) Fernando Todo o estádio ficou a segurar a respiração quando o viu deitado agarrado à coxa. Uma lesão nesta altura pode ser prejudicial à estrutura do meio-campo que tem em Fernando a garantia de segurança no controlo do jogo e da posse de bola. Quase perfeito na rotação entre os dois colegas mais volantes, o que mais surpreende a quem tem acompanhado a evolução deste puto, é a capacidade de subir com a bola controlada que tem vindo a mostrar. Podia aprender a rematar melhor e tornava-se num jogador ainda mais completo. É imprescindível e está em grande forma.

(+) João Moutinho Continua a falhar poucos passes e a jogar com uma inteligência acima da média. Vê na perfeição o posicionamento dos colegas em campo e está a trocar muito bem a bola e a posição com Belluschi. Como Helton e Fernando, é imprescindível no actual esquema de Villas-Boas porque joga e faz jogar, sempre com segurança e calma.

(+) Otamendi Para primeiro jogo, não esteve mal. O Baía é acima de tudo pelo golo marcado e pela união que a equipa mostrou à sua volta nos festejos. No resto do jogo não esteve mal mas teve algumas hesitações que podem custar caro à equipa. Não é alto mas é rijo e pareceu-me bom e seguro no 1×1. Acima de tudo .

(+) Hulk É quase impossível de parar quando arranca em velocidade e usa o corpo para ir ao choque. Na primeira parte teve quatro ou cinco acelerações que lixou a vida aos algarvios, que tentavam de tudo para impedir o avanço do brasileiro. O golo foi merecido mas um remate alguns minutos antes foi extraordinário na força que levava. Se fosse à baliza, Moretto não teria hipótese. Porra, acho que quatro Morettos não tinham hipótese.

(+) Moretto Um Baía, perguntarão?! Sim, um Baía. Um Baía porque Moretto é uma anedota e põe a malta na bancada a rir, o que é sempre bom. A hesitação, a falta de controlo na baliza, o mau posicionamento e a forma como não sabe pontapear uma bola são tudo componentes da inépcia deste rapaz. Moretto faz o Kralj parecer o Yashin e não entendo como é que alguma vez estivemos interessados nele…

(-) Álvaro Pereira Hoje, ao vê-lo a jogar, só me vinha à cabeça um nome: Rubens Júnior. Quem se lembra de ver esse rapaz a vestir a nossa camisola, recorda-se da incapacidade de colocação defensiva decente, dos cruzamentos sem grande pontaria e de inconsequentes correrias pelo flanco esquerdo. Era daqueles rapazes que não se sabia muito bem se era defesa-esquerdo, extremo-esquerdo ou burro. Não estou a gostar nada de Álvaro esta temporada, apesar dos elogios que vai recebendo da imprensa, que não entendo. Está muito longe da forma do ano passado e começo a pensar que precisa de parar um pouco. Aposto que os produtos que usa nos 47 penteados diferentes que já mostrou este ano (que não critico, que faça o que quiser com a trunfa) estão a ser absorvidos e a entrar na corrente sanguínea. Enfim, tem de melhorar muito.

(-) Falcao Continua a falhar golos a mais. Hoje teve pelo menos 3 oportunidades de golo quase feito que não conseguiu empurrar lá para dentro e está, muito à imagem de Cardozo, a perder muito em relação à época passada. Se em 2009/2010 não seria preciso apoiá-lo com muitos jogadores porque apesar de surgir muitas vezes sozinho no meio dos centrais, Falcao normalmente resolvia. Este ano ainda não o faz e a equipa sente. Se Hulk não estivesse em tão boa forma…

(-) Relaxar cedo demais Mourinho costumava dizer que uma equipa controlava o jogo quando, mesmo que não tivesse a bola, impedia o adversário de fazer qualquer coisa de produtivo com ela nos pés. Foi no fundo o que aconteceu durante a segunda parte, quando o Olhanense começava a subir no terreno e o FC Porto ia recuando mas não os deixava chegar muito perto da área. Assim sendo, o jogo tornou-se mais chato e menos corrido como na primeira parte e os adeptos não gostam, como é normal. Se na grande maioria dos jogos este factor de diferenciação tinha ocorrido ao contrário, onde as primeiras-partes tinham sido menos afoitas e eficientes que as segundas, hoje foi ao contrário. Fez lembrar alguns jogos de Jesualdo, com a diferença que não entrou nenhum golo na nossa baliza. E a única diferença foi essa.

Mais uma voltinha, mais uma vitória, mais uma exibição segura. O adversário não metia medo (se acabarem em lugar europeu prometo que bebo uma jarra de vodka de penalty) mas podíamos ter vencido com uma margem mais confortável se não houvesse preocupação excessiva com o descanso. Parámos cedo demais e apesar do jogo estar contr
olado, a malta gosta de ver mais ataques, mais golos e melhores jogadas. Não é que seja merecido, mas um 4-0 sabe muito melhor do que um 2-0. Siga para a Bulgária!

10 comentários

  1. Se tivesse acabado ao intervalo…

    Tinha sido óptimo. Gostei muito da primeira-parte do F.C.Porto.
    Frente a um adversário fechado, com todos a trás da linha da bola, apenas apostado em não sofrer golos e que raramente saiu para o ataque, o conjunto de Villas-Boas, jogou bem, às vezes muito bem, chegando ao intervalo a vencer por 2-0, resultado que até podia, sem que fosse injusto para a equipa de Olhão, ser mais dilatado. Foi um Porto de qualidade, intenso, jogando um futebol bonito, de toque, envolvente, de movimentação constante, de controlo absoluto do jogo, que atacava bem, ora pelo meio, em tabelas, ora pelos flancos, com Hulk e Varela sempre perigosos, os médios próximos dos avançados, enfim, um turbilhão, que entusiasmou os cerca de 35.000 espectadores que se deslocaram ao Dragão. Se a equipa de Daúto Faquirá, era a sensação do campeonato, essa equipa, hoje, por culpa do F.C.Porto, não se viu.

    Mas o jogo não acabou ao intervalo e na segunda-parte não apareceu o mesmo Porto. Ou porque o resultado era confortável, ou porque o efeito Liga Europa caiu no sub-consciente dos jogadores, ou porque o adversário não dava mostras de ser capaz de criar embaraços, a equipa portista ligou o complicador, desligou-se, baixou o ritmo, deixou de jogar em conjunto e a qualidadee baixou bastante, o que foi pena, já que na etapa inicial a exibição tinha sido de grande qualidade. Não que o controlo e o domínio de jogo se perdessem, não que não houvesse algumas oportunidades de aumentar a contagem, sem que isso fosse injusto para os algarvios, mas porque depois daquela primeira-parte, não se esperaria tão pouco…

    Resumindo: no dia de estreia de Otamendi, um Dragão de duas caras, venceu com toda a justiça e segue líder destacado, com 6 jogos e 6 vitórias.

    Um abraço

  2. Jorge, a cada vitória, o nosso FC Porto re-consolida um prestígio nacional e internacional que ninguém deveria pôr em causa após uma época baça como a anterior.

    O espírito ali é novo. Existe liberdade na mais absoluta organização. Há a perfeita noção de que caminho seguir para chegar ao sucesso.

    Venha a Bulgária!

    Abraço!

  3. Olá boa tarde,

    Ontem entramos muito bem no jogo, a pressionar alto, a circular rapidamente a bola, e foi com naturalidade que chegamos ao primeiro golo e depois ao segundo a fechar a primeira parte.
    Hulk e Varela foram sempre uma seta apontada à baliza de Moretto.
    A Olhanense não conseguia sair de trás por força da nossa capacidade de pressão.
    Moutinho e Fernando fizeram um excelente jogo.
    Na segunda parte com o resultado feito e tirámos o pé do acelerador, e controlamos sempre a Olhanense mentalizada com a derrota, que apenas fez um remate ao minuto 90.
    Destaque para as excelentes exibições de Moutinho e Fernando, para Hulk que é um portento de força.
    Nota ainda para Otamendi, que ontem demonstrou que tem capacidade de liderança da defesa. Muitas vezes o vimos a falar com os colegas na coordenação defensiva. O facto de ter capitão no clube anterior dá-lhe essa experiência de liderança.
    É nitidamente um central de marcação, bem mais agressivo que Maicon ou Rolando.
    Agora temos a liga Europa, e depois é importante vencer o Guimarães antes da paragem do campeonato.
    Se ganharmos em Guimarães teremos a possibilidade de quando recebermos o Benfica ampliar a distância pontual.

    Abraço e bom domingo

    Paulo

    pronunciadodragao.blogspot.com

  4. Caro Jorge, gostei da 1ª parte do Porto e gostava que eles continuassem assim para a segunda.
    Ja agora, no meu blog tava a falar do fernando…belluschi.xD

    Obrigado pelo comentario.

    Abraço

  5. Caro portista,
    Uma excelente 1ª parte, na 2ª parte foi para gerir o resultado. Valeu por a estreia do central Otamendi e não poderia ser da melhor maneira, marcando um golo.

    Cumprimentos,
    ultrafcporto

  6. Eu nao ia comentar, até porque hoje sinto-me lento e lerdo (deve ser da febre) mas foi quando vi um Baía atribuido ao Moretto mencionando também que fazia o Kralj parecer o Yashin.
    Ora o Moretto é mau, sim..mas comparar qualquer perneta ao Kralj é pura maldade e injustiça.
    O senhor Kralj merece um lugar de destaque, à parte vá, da restante plebe. Nao ousarei comparar nenhum redes a esta besta magnífica que passou pelo meu clube, pois ele está de facto para o futebol como o Yashin está para a cozinha.
    Tenho dito.

  7. @ultra: o Colectivo tem andado pouco interventivo, ainda estão de férias? ;)

    @Sá: as melhoras para a febre. quanto ao Kralj…até tens razão, mas quando vires o Moretto ao vivo, acredita que te vais rir :)

    @PM_FCP: eu percebi ;)

  8. Boa crónica.

    Mas agora fiquei confuso, porque tu deste um Baroni ao Álvaro e este jogo deve ser o primeiro em que eu acho que ele não comprometeu… :P

  9. Durante o jogo até se ouve o Jorge Gonçalves a dizer um grande FODASSE, acho que foi depois de olhar bem para o penteado do Pereira.Realmente o senhor anda ali armado em Nelson que andou no SLB.Ainda continuo a achar que está a expremer-se demasiado o homem,fez uma época inteira,o mundial onde chegou às meias e apenas falou a um jogo, e voltou a jogar no campeonato desde o inicio.Um dia acaba-se o gás

Deixar uma resposta