E pachacha? Pachacha também perturbava?

Para quem não teve o prazer de ler um ou dois parágrafos da decisão da ADOP, fica o link para o PDF:

Decisão da ADOP (pdf)

Acho que é a primeira vez que no mesmo documento leio as palavras “cona” e “jurisprudência”. É de louvar.

PS: Os meus sentimentos à família do José Torres e aos adeptos do Benfica. Ao contrário do Simão, Torres sempre defendeu a Selecção e lutou por ela, mesmo no Mundial do México quando tudo parecia desabar em cima dele. E quando morre uma figura deste tamanho, tanto real como metafórico, é sempre altura de deitar fora as clubites.

6 comentários

  1. Quanto à 1ª parte do post, ainda abri o link, mas ao ver que o documento constava de 31 páginas, fechei-o imediatamente. Por isso, pelo que dizes, só há que invocar (não, não é sinónimo de avocar…) o Grande Batista Bastos e parafraseá-lo: "Há que dizê-lo e dizê-lo com toda a frontalidade!".

    P.S.: Caro Jorge, pá, deixa-me que te diga que em minha opinião não deverias ter misturado nem a 1ª parte do blog com o Post Scriptum, nem muito menos o Malogrado, que nos merece todo o respeito, tanto como homem grande como grande homem e pessoa de grande dignidade, com aquela personagem com que o contrastas, que nem uma coisas nem outra. Desculpa que te diga, mas acho que este P.S. poderia ter sido evitado, ou pelo menos aberto num post à parte. ;-)

    Um abraço!

  2. Jorge inteiramente de acordo em relação ao José Torres. Uma figura ímpar de um homem simples que gostava muito de futebol não pelo dinheiro – que nunca ganhou – mas pelo facto de jogar e marcar golos.

    Quanto a pachacha – agora é que disse tudo; acho que ele deveria ter dito "à pachacha da senhora mãe dele"! e pronto, nada disto teria acontecido.

  3. tens razão, Zé, devia ter ficado num post aparte, mas estava com alguma pressa e não iria dizer muito mais que aquilo por isso ficou. até serve como contraste entre as duas figuras, que achas?

  4. @ Jorge

    Estás aperdoado! Do contraste gritante já eu falava no meu post, é verdade.

    Compreendo que manter um blog com a qualidade, diversidade e quantidade de informação que este tem, rouba muito tempo e não é fácil. Por isso, é fácil por vezes surgirem pequenos lapsos.

    Keep the good work!

    Um abraço,

    ZL

Deixar uma resposta