Baías e Baronis – Besiktas vs FC Porto

Foto retirada do MaisFutebol

Estes jogos às seis da tarde são uma bela duma borrada, devo dizer. Um gajo tem de sair mais cedo do emprego sem grande plausibilidade para desculpas, arrisca-se a ver o jogo num ambiente fora do normal onde por vezes (hoje não foi o caso) tem de aturar gajos que não percebem nada de bola a mandar postas e a única grande vantagem é que nos livramos do trânsito. Mas hoje…hoje valeu a pena. Para além de estar com boa malta ao lado (o excelente cronista do Dragão Crónico) e mais alguns amigos, o jogo foi emocionante, bem jogado, com lances bem pensados e uma constante incerteza no resultado. Vencemos muito bem num estádio difícil, contra 11 turcos mais um espanhol (ver abaixo o último Baroni), lutámos e houve esforço e sacrifício do individual em favor do colectivo. Ah, e houve Hulk. E depois outra vez Hulk. Vamos a notas:

(+) Hulk Marcar dois golos fora numa competição europeia é obra. Dois golos repletos de oportunismo e de inteligência, ainda mais. Atento no primeiro golo, não desistiu e aproveitou o AVC pontual do defesa, avançando certeiro para a baliza. No segundo foi mais uma vez rápido a aproveitar o excelente passe rasgado de Belluschi e desfez o rapaz que lhe apareceu à frente. Além dos importantíssimos golos, passou a segunda parte toda a correr atrás dos defesas, sendo a peça mais avançada da equipa e sempre que pegava na bola obrigava os turcos a descer 20 metros para aguentar os arranques…e acabou o jogo a cair para o lado. Mas feliz, só pode.

(+) Helton E o nosso capitão mais uma vez a fazer jus à escolha. Deu segurança à defesa e esteve impecável durante quase todo o jogo, sem ter culpa no golo. Fez uma defesa incrivelmente importante no final da primeira parte, depois de um livre directo que resultou da falta feita por Maicon e que o fez ser expulso. Tocou na bola para canto e todo o mundo portista soltou um pequeno sopro de alívio. Impecável também quando veio em correria louca da baliza no final da primeira parte, usando o seu estatuto de capitão para afastar os jogadores do FC Porto que tentavam rodear o árbitro para protestar contra as decisões absurdas do espanhol. É isto que um capitão tem de fazer.

(+) Falcao Marcou dois golos e sofreu um penalty. Não teve culpa de encontrar um atrasado mental de amarelo que se lembrou de lhe marcar uma falta inexistente no segundo golo e de não marcar o abalroamento que sofreu no lance que devia ter dado penalty a nosso favor. Não fez muito mais no jogo mas o primeiro golo acabou por ser exactamente o que precisávamos na altura certa.

(+) Sapunaru Foi o costume, pouco inventivo e interventivo, sem subir muito no terreno e a jogar simples e prático. Hoje, era exactamente o que precisávamos e cumpriu bem o papel, especialmente na segunda parte. Pecou no golo do Besiktas porque estava aparentemente a tentar marcar a linha lateral quando Bobô se meteu entre ele e Rolando, mas perdoo-lhe devido à solidez da exibição.

(+) Espírito de sacrifício Villas-Boas salientou bem o espírito da equipa e a determinação de chegar à vitória. Se o arranque foi tremido, com o Besiktas a pressionar bem, cedo nos soltámos e conseguimos chegar com perigo ao ataque. Depois da primeira expulsão conseguimos cerrar fileiras e defender com garra uma vantagem importante até ao final do jogo, com uma segunda parte sofrida, esforçada, de luta e entrega, com as linhas a recuarem o suficiente para travar o ataque que os turcos queriam avassalador mas que raramente pôs a equipa nervosa. É verdade que o Besiktas não é uma equipa do topo europeu mas a jogar com mais um (e depois mais dois) e com a velocidade de troca de bola podiam ter causado mais perigo caso o FC Porto começasse a ceder. Estiveram muito bem hoje os nossos rapazes.

(-) Fernando Não foi um bom jogo para o Nandinho. Em parte porque cometeu muitos erros de posicionamento perante o adversário, caindo nas fintas em carrinho como fazia em 2008 quando cá chegou e causando desiquilíbrios que ninguém conseguia colmatar. Acabou por ser o jogador que mais sofreu com a fraca prestação tanto de Moutinho como de Belluschi na cobertura defensiva e fez muitas faltas desnecessárias. O lance do segundo amarelo é ridículo para um rapaz da sua experiência, o que me leva a pensar se não terá sido premeditado para o fazer cumprir um jogo de castigo no próximo confronto…mas como é contra este mesmo Besiktas, a minha teoria pode cair por terra. Ainda assim foi um jogo abaixo da média e exige-se mais a um dos elementos pivotais do onze.

(-) Meio-campo macio Fernando não fez um bom jogo mas os outros dois rapazes que jogam mais perto dele não fizeram melhor. Este jogo, aliás, expôs uma fraqueza da nossa equipa que ainda não tinha sido colocada à prova até agora: a capacidade defensiva do meio-campo sem bola. Quando o adversário, como o de hoje, troca a bola com velocidade e com agressividade nos confrontos directos, o FC Porto treme. Quando as bolas são rapidamente despachadas de uma forma directa para os flancos e se encontram rapazes como Nihat, que continua a ser um perigo quando deixado sozinho, o FC Porto não consegue dinamizar o meio-campo por forma a tapar os espaços que são criados pela movimentação adversária. Moutinho e Belluschi têm sido muito bons a trocar a bola e a rodá-la entre eles e fazendo a equipa bascular para onde é preciso…mas para isso é preciso terem a bola nos pés. Sem ela, contra equipas portuguesas que “mastigam” mais o jogo, não costuma haver problema. Os extremos recuam um pouco, os laterais sobem e fecham o flanco e a bola é recuperada com maior ou menor facilidade. Quando apanhamos equipas como o Besiktas, que não têm problema de ir ao choque, que aceleram com a bola controlada e se desmarcam rapidamente, sentimos dificuldades. A rever.

(-) Arbitragem Como sabem não é hábito falar de arbitragens. Mas hoje enervei-me com o fulano de amarelo que arbitrou o jogo. A expulsão de Maicon é merecida e não é passíve
l de crítica, mas um golo perfeitamente limpo foi anulado e um penalty que me pareceu evidente não foi marcado. Como se não fosse suficiente, a complacência perante o choque excessivo dos turcos esteve patente durante toda a primeira parte e questiono-me se o árbitro não terá ficado acagaçado com o barulho que vinha das bancadas. Este tipo de actuações coloca sempre os nossos árbitros em perspectiva, porque este rapaz não era melhor nem pior que um Paixão ou um Olegário.

Não foi fácil mas vencemos com todo o mérito. Nove pontos em três jogos, 7 golos marcados e um sofrido. São bons números que nos dão todas as hipóteses de passar à próxima fase sem que seja preciso precupações com resultados de terceiros nem fazer contas aos golos que temos de marcar para ganhar vantagem. Acho até que o pleno não está fora de alcance, basta alguma sorte e um jogo estruturado para jogos europeus, com um ritmo diferente dos caseiros…

21 comentários

  1. Boas,
    Excelente jogo, espectacular, espero bem que o quaresma tenha visto este jogo.
    Espectacular.
    Somos Porto!
    Rumo há final da liga europa!
    abraço

  2. Heróis sim!

    Heróis porque frente a bom e surpreendente adversário, com um grande coração e empurrado por um público fantástico – é um exemplo… – e tendo que aguentar com uma arbitragem caseira, que já não se usa – o golo de Falcao, que o árbitro invalidou, foi um escândalo que não se admite. J.Rita, na Antena 1, ao dizer que foi por fora-de-jogo, devia ser obrigado a pedir desculpas públicas ao F.C.Porto – foi capaz, mesmo sem ser brilhante, de conseguir os seus objectivos, conquistar uma vitória e dar um passo quase decisivo para a fase seguinte. Foi um Porto unido, solidário, organizado, com alma e espírito do Dragão, o espírito que fez de nós grandes entre os grandes e nos levou ao topo do Mundo. Um Porto que não se refugia em lamechisses, desculpas esfarrapadas ou de mau pagador. Um Porto que em várias fases da primeira-parte esteve mal, na organização, no controlo do jogo, na cobertura das laterais, deu muito espaço e por isso teve problemas, mas nunca foi banal. Um Porto que soube sofrer, ser unido, solidário e esperar o tempo certo e o momento oportuno, para na segunda, ganhar e de uma forma que até aos turcos convenceu. Um Porto bem dirigido, táctica e mentalmente, por um jovem treinador, que a cada dia que passa, mostra que tem um grande talento e é um verdadeiro líder.

    Em resumo, um Porto que está bem, que se recomenda, que tem estofo.

    Não devemos embandeirar em arco, mas depois do que vimos hoje, no inferno de Inonu, temos todas as razões para ter confiança neste Porto, que a cada dia que passa está mais consistente, mais forte, mais equipa.
    Temos todas as razões para encarar o futuro com grande tranquilidade, na certeza, que temos gente que merece todo o crédito.

    Um abraço

  3. Caros Portistas todos os árbitros nos roubam escandaloso e não são só os Portugueses, contra tudo e contra todos. Que bom jogo do nosso FCP uma boa resistência á pressão imposta por o Besiktas, e a equipa a saber unir-se quando mais precisava, claro que nem tudo foi perfeito, mas verdade se diga mediante ás circunstancias melhor não se pode exigir.
    Cumprimentos,
    ultrasfcporto

  4. Grande vitória perante o semblante turco, qual turbas infiéis de antanho e dos que aparecem em capitais de império… mas, desta vez, diante de adeptos rendidos à classe Portista e contra arbitragem comprometida com algo afim de mourama… em terra da mesquita e olho azul!
    – conf.:
    http://longara.blogspot.com/

    Abraço

  5. Não pude ver o jogo porque tinha mesmo que acabar um trabalho para enviar ainda hoje.
    Fui acompanhando a evolução do resultado e depois percebi que perdi um grande jogo,mas enfim,o que interessa é que ganhamos de uma maneira soberba!

    Contra tudo e contra todos,foi mesmo à Porto,carago!

  6. Vitória importante frente a um adversário aguerrido e por vezes excessivamente agressivo.

    O ambiente infernal que os turcos sabem proporcionar, funcionou em pleno em termos de pressão… para a equipa de arbitragem que estava «borrada» de medo.

    Só assim se explica a dualidade de critérios e a cegueira. Um golo mal invalidado e um penalty não assinalado sobre Falcao, foram «apenas» duas das muitas bacoradas da arbitragem caseira.

    Nas expulsões esteve bem. Fernando já com amarelo, forçou a sua expulsão ao agarrar, inadvertida e incompreensivelmente, a bola.

    Vitória da classe e da inteligência.

    Helton e Hulk sobressaíram num conjunto de boas exibições.

    Um abraço

  7. Jorge a hora não é de todo grande coisa…mas se não tivéssemos uma hora atrasados em relação ao resto da Europa o jogo começava às 19h !Ainda estou para perceber a vantagem de estarmos desfasados 1hora dos outros…

    Sendo assim ,e como o nosso (ironic mode=ON) extraordinário, competente e maravilhoso (ironic mode=OFF) 1º ministro Sapo Socas decidiu enterrar as SCUT’s, a viagem lenta e tormentosa pela EN até casa da namorada, permitiu-me ouvir quase o relato do jogo todo !!!

    Grande espírito de sacrifício e um ataque em boa forma disfarçaram algo que me preocupa um bocado e que felizmente não se tem traduzido em grandes dissabores…Talvez porque no nosso campeonato não abundam grandes finalizadores e nesta fase da Liga Europa os adversários são assim pró fracote…E o que me preocupa ? Algumas desconcentrações defensivas que vão permitindo aos adversários criar bastantes oportunidades de golo…ontem por exemplo, se tivesse sido contra uma equipa mais experiente poderíamos ter sofrido um amargo de boca grande pois o santo Helton foi defendendo quase tudo…É certo que ele está lá para isso, mas a mim parecem-me demasiados brindes na defesa…O que achas Jorge? Partilhas desta minha preocupação? Não a vejo ser muito discutida no universo azul e branco e pode ser apenas uma deficiente interpretação minha dos diversos jogos…

    Mas o que quero mesmo é realçar o espírito à Porto desta equipa e deste treinador!!! Assim podemos jogar sempre contra 14 ou 16, mas podemos ter a certeza que sairemos sempre de cabeça erguida, mesmo que o resultado possa não ser o mais satisfatório!!!

    Quanto à arbitragem, sempre defendi que maus árbitros existem em todo o lado…Ontem foi mais um exemplo disso…Mas também foi um exemplo que quando uma equipa é boa, é difícil ser derrubada :-)

    Off-topic: Ouviste as declarações do Baía ? Se sim, e se me permitires o abuso, gostaria de ler um post teu sobre o comentado pelo nosso eterno 99…

    abraço

    http://saboraporto.blogspot.com

  8. @Portuense: partilho das tuas preocupações mas acho que as coisas vão entrar nos eixos. este jogo foi diferente a vários níveis, tanto pelo estilo dos adversários como pelas condições do estádio e do árbitro. é verdade que o Helton tem estado muito bem mas a defesa não está habituada a jogar junta (não são 15 jogos que fazem uma defesa coesa e segura) e com alguma indecisão quanto à utilização do Otamendi acaba por abanar um bocado. tenho confiança em todos (menos no Sereno, lamento dizê-lo, a não ser que mude muito) e fé que as coisas vão melhorar :)

    quanto ao Baía…vamos com calma, primeiro tenho de ler as coisas com calma e hoje não vou ter muito tempo :|

  9. Bom dia,

    Sair do Estádio Inonu aplaudidos de pé pelos fervorosos adeptos do Besiktas, diz tudo acerca da nossa fantástica exibição.

    Foi uma arbitragem vergonhosa, que nos prejudicou, e que só a nossa brilhante exibição, e capacidade de controlo emocional de uma equipa do FC Porto, cada vez mais madura e consistente, nos permitiu levar de vencida este difícil adversário.

    Os turcos entraram pressionantes na partida, mas Helton foi um muralha e transmitiu a tranquilidade necessária para segurar o ímpeto turco.

    Moutinho e Fernando estiveram brilhantes no nosso meio campo. Controlamos o jogo, e na segunda parte dominamo-lo mesmo com um homem a menos.

    Falcao com o seu faro goleador apontou um excelente golo de cabeça na sequência de um canto. Sofreu um penalti e viu-lhe anulado um golo.

    Com a expulsão de Maicon, as coisas poderiam ter-se complicado, mas o nosso meio campo conseguiu segurar os turcos, e com um Hulk poderoso na frente de ataque, conseguimos chegar aos 3 a 0 com uma classe só ao alcance de grandes equipas europeias.

    Este FC Porto é claramente uma equipa de topo do futebol europeu e deveria estar a lutar na Liga dos Campeões. Tem sido vergonhosa e lastimável a imagem que Benfica e Braga tem passado do nosso futebol.

    Espero nunca mais ver este árbitro espanhol a apitar nas competições europeias. Passaram em claro pisadelas, puxões, um penalti, um golo mal anulado…enfim foi deplorável esta arbitragem.

    Na minha opinião, apesar de Hulk ter apontado 2 golos e de Moutinho e Fernando terem sido enormes, Helton foi o melhor em campo.
    No início do jogo transmitiu uma segurança à equipa que só está ao alcance dos grandes guarda-redes. Saiu da baliza para evitar o golo de Nihat logo nos minutos iniciais, e ao longo da partida, transmitiu confiança e segurança aos seus companheiros de sector.

    Grande noite europeia do FC Porto, da qual todos nós nos podemos orgulhar. Fomos bravos, valentes e inteligentes. Contra tudo e contra os jogadores venceram esta difícil batalha, e saíram justamente debaixo de uma grande ovação do Inonu de Istambul.

    Abraço

    Paulo

    http://pronunciadodragao.blogspot.com/

  10. Sem querer meter-me em conversa alheia, acho que as palavras do Baía quando retiradas do discurso dele no global, soam pior do que parece. Mas a nossa Imprensa é mesmo assim….

    Se lhes interessar, são capazes de pegar na frase "Até parece que matei alguém" e colocam em letras garrafais "Matei alguém"

  11. Oh Jorge há momentos para tudo!
    Na terça fui para as aulas de directa,ontem não saí da frente do PC,é como tudo,há fases e fases ehehehe x) e sim,no 1º ano trabalha-se :p

  12. Sou antes de mais obrigado a concordar (como já vai sendo costume) com o Jorge, que esta treta dos jogos ás 6 da tarde é uma valente trampa. Sim, que um gajo andar a ouvir relatos e a ver feeds manhosos.

    Bem, mas o jogo valeu a pena. Foi o primeiro teste a sério ao FCP de André Villas-Boas e até correu com sucesso. Jogámos com alguma dificuldade contra os 11 turcos e 5 espanhóis (sim, Jorge, os fiscais de linha e auxiliares eram tão ladrões como o principal) e mesmo só com 10 e depois com 9 fomos capazes de demonstrar o nosso futebol.

    Entrámos com alguma cautela e algo passivos, compreensivel face ao ambiente hostil e á necessidade de não cometer nenhuma infantilidade que custasse mais tarde o jogo. Após os primeiros minutos mais calmos fomos crescendo e fizemos um golo que acalmou imediatamente aqueles adeptos que não se calavam. Se o segundo tivesse sido validado (já disse que fomos roubados?) então nunca mais piavam.

    Veio a expulsão de Maicon (raio do gaiato) e mais um penalti que ficou por marcar (já disse que fomos roubados?) e os gajos empolgaram-se outra vez.

    Nota positiva para AVB. Substituir imediatamente o avançado pelo central poderia dar ainda mais força animica ao adversário e destabilizar os jogadores em campo. Bem pensado pelo treinador.

    Segunda parte e demonstrámos a classe do futebol do FCP. Sem desculpas, sacrifica-se um avançado e entra um central para repôr (para mim o Otamendi já era titular com Rolando, mas pronto) e adapta-se á forma de jogo do adversário.

    Chegou depois Hulk e resolveu… Ainda deu para toques de classe e aplausos num dos estádios mais dificeis do mundo.

    Resultado final apenas manchado por mais uma expulsão. O golo do Besiktas acabava por ser natural pelo andamento do jogo.

  13. Caro Jorge,
    Depois das declarações de Vítor Baía, se calhar, os MAIS deste blog deixam de ser ' os Baías '…

    Saudações desportivas

  14. Esta vitória foi uma fonte de consolo para mim. E nem sequer pude ver o jogo por motivos de trabalho.

    Passei, como passo todos os dias, duas vezes pela Tasca Portista de Vilar do Paraíso. Estava a porta fechada e tudo silencioso, às 21h. Estava confiante e confirmei a fé que tinha mal cheguei a casa e soube o resultado.

    Foi um grande jogo dos rapazes!

    Aquele abraço, Jorge!

  15. Fica em S. Martinho d'Além, Vilar do Paraíso, Gaia. Serve belíssimos petiscos.

    Quando souber mais pormenores posicionais (é tão natural passar por lá que nem se repara neles!), deixo-te aqui os respectivos informes (que não parecem constar do Google, após uma pesquisa rápida, ou então pesquisei pouco e mal). Se não consta, é injusto, diga-se.

Deixar uma resposta