Não podemos esquecer as referências

O FC Porto sempre foi um clube que apregoava a sua história e a firmeza das suas posições, preservando a unidade e privilegiando o que vinha de dentro. Lembro-me de ir até ao Estádio das Antas ver os treinos e depois, salivando, assistir aos jogos em solarengas tardes de Domingo, onde via “os do costume”. Sentia a força de João Pinto, a classe de Aloísio, a precisão de Timofte ou a leveza de Domingos.

Ao longo dos anos, as referências iam mudando mas havia sempre pontos em comum. João Pinto e André cederam o lugar a Vítor Baía, Rui Barros, Domingos e Aloísio, que passaram o facho a Capucho, Paulinho Santos e Jorge Costa, movendo-se a cúpula para Pedro Emanuel, Raul Meireles e Bruno Alves nos tempos mais recentes. Nem todos são jogadores formados no FC Porto, nem todos são Portugueses. As nossas figuras de proa eram reconhecidos pelos sócios e adeptos como líderes, como influentes elementos do balneário e da cultura social portista, que eram os primeiros a enfrentar as dificuldades de frente e a dar o corpo às balas quando as coisas não correm bem. Eram grandes, eram nossos, eram deuses de azul-e-branco!

Hoje em dia, onde estão essas referências? No actual plantel há alguns jogadores marcantes no presente do clube como Helton, Falcao ou Hulk. Mas haverá tantos sócios que se identifiquem com algum deles como fizeram num passado ainda recente com Deco ou Lucho? Não creio. Nenhum me parece mau rapaz, mas para subir a um patamar de um Rodolfo ou um Gomes é preciso tempo para solidificar a empatia para que se possam perdoar os erros quando fôr preciso, aplaudir os méritos e evitar endeusamentos prematuros que resultam normalmente em más memórias.

Vejo Moutinho ou Otamendi com essa capacidade. Espero estar cá daqui a alguns anos e olhando para um dos dois com a braçadeira de capitão bem apertada e dizer: “Ah, dragão, és cá dos nossos, carago!!!”.

4 comentários

  1. há milénios que ando a dizer a mesma coisa. Se o projecto 611 não conseguiu descobrir o próximo Cristiano Rónaldo, pelo menos deviam ter produzido uns quantos rapazes valentes para assumirem o manto de capitães no FC Porto, mancebos portugueses, de preferência do Norte, carago!

    Eu tinha grandes esperanças que o Paulo Machado tivesse sido o nosso futuro capitão, rapaz da cidade do Porto, com amor ao clube e cultura portista.

    E nunca, repito, nunca na vida, jamais em tempo algum imaginei que pudessemos ver um Mariano Gonzalez com a braçadeira (sem desprimor para as boas exibições que produziu quando jogou como capitão).

    É verdadeiramente rídiculo nos últimos 6 anos o único jovem da formação azul-e-branca que tenha singrado tenha sido o Bruno Alves e que ainda assim tenha andado os últimos 2 anos mortinho para ir para um clube que lhe pagasse mais.

    Se há caminho que temos de desbravar nesta década de novas condicionantes financeiras e económicas é a da formação caseira. Se o Barcelona consegue, nós, salvaguardando as respectivas realidades, também podemos tentar. Ou não?

  2. Sem dúvida…coberto de razão.Mas…

    …nos dias que correm é complicado. Temos o Hélton há 5 ou 6 anos no plantel e os outros?? Desde a Lei Bosman que isto deu pro torto. Assim é impossível segurar jogadores, portugueses ou não, que venham a ser “referências”. Com os salários astronómicos que acenam lá de fora só por muito amor ao clube é que eles cá ficavam. E mesmo assim….já não íamos encontrar muitos…

    Óbvio que para ser referência não é preciso ser um Messi…atente-se no João Pinto…mas nem isso. De facto andamos com o Projecto 611 e não se vê nada…Castro, Ventura, Tengarrinha, Candeias? Emprestados ou “emprestadados”…Alguém falou no Paulo Machado. Mais um triste exemplo do que andamos a fazer à nossa formação. Andarão lá outros mas que por este andar vão ter o mesmo “sucesso” dos antecessores….pra apostar em Kasmierzacks, Benitez ou Marianos venham os putos!!!

    Quanto a Otamendi…tem potencial tem…mas daqui a 2 anos tá na Inglaterra! Então a ver se fazemos de Moutinho a nossa mais recente referência!!! Mas com o nosso jeitinho pra potenciar jogadores ainda temos gajos a oferecer 20 milhões e lá vai ele!

    http://odiabodeazul.blogspot.com/

Deixar uma resposta