Littlewood's law

A Lei de Littlewood afirma que um indivíduo tem boas hipóteses que lhe aconteça um milagre por mês.

Vencer na Luz por mais de dois golos, para a grande maioria dos Portistas conscientes da dificuldade da tarefa, será pouco menos que isso.

Mas não será um milagre. Muito menos um evento cósmico.

Vai ser difícil. Vai ser muito difícil. Vai ser um confronto de vontades, de garra e de fibra.

Não temos nada a perder. Eles têm vantagem, e das boas, e nós temos de lutar para sairmos de lá com o bilhete para o Jamor.

Rapazes…estou convosco. Estamos todos convosco. Se vencerem, estamos convosco. Se não conseguirem, estamos convosco na mesma.

Força.

7 comentários

  1. Ganhar é possível, passar de eliminatória é muito complicado, todos sabemos isso.

    Mais ainda quando sabemos que nunca será um 11 contra 11. O ambiente será devidamente condicionado.

    Mesmo assim temos hipóteses. Nada temos a perder nem a temer.

    Se ganharmos, é histórico, se perdermos estamos bem na mesma.

    O não pode acontecer é deixar de tentar.

    Vamos lá!!!

    http://thebluefactoryofdreams.blogspot.com/2011/04/futre-besiktas-fc-porto-money-money-its.html

  2. Certo.
    “Se vencerem, estamos convosco. Se não conseguirem, estamos convosco na mesma.” Mais nada.
    Guarín, tenho um pedido para ti rapaz!
    Quando tivermos a ganhar por 3 zero, faz um daqueles remates cheios de potência, como só tu sabes, mas que em vez de ir à baliza, tem que ir direitinho ao focinho do rui gomes da silva!! Pode ser?? Vou gritar golo como quando marcaste o primeiro na luz há 15 dias…
    Força Porto!

  3. Caro Jorge, conforme prometido aqui estou para o congratular, enquanto adepto do FCP por uma vitória inquestionavelmente justa neste campeonato. O Porto jogou mais, jogou melhor, e é de longe líder em todos os indicadores que possam ser analisados. Nenhuma equipa é campeã sem mérito próprio e/ou demérito dos outros. Tudo o resto é ruído de fundo e folclore de quem procura tecer uma “Verdade Desportiva” à sua medida, camuflando com ela as falhas que tem dentro de casa.

    Enquanto benfiquista não me é fácil escrever estas palavras, mas exige a paixão que nutro pelo meu clube que analise o cenário actual com o máximo de frieza e isencão que me possa ser possível (enquanto adepto de futebol, se calhar não muita). Teria muito a dizer sobre Benfica e Porto, mas não quero encher um espaco dedicado ao FCP com uma opinião demorada que poderá inclusivamente não ser do agrado da maior parte dos seus leitores. Como tal, e porque não gosto de ser espalha-brasas numa casa onde sou convidado, por aqui me fico. Acho no entanto que era uma “conversa” interessante, que encaixa no espírito de tolerância e inteligência que aqui vim encontrar, e pelos quais não me canso de o felicitar.

    Até breve (desta vez não lhe desejo derrotas para amanhã…a ultima deu azar!).

    1. como disse no passado, é de adeptos como tu que o nosso futebol precisa. tal como no ano passado o Benfica foi o melhor (de longe) e mereceu ser campeão, este ano tocou-nos a “fava”. obrigado e só espero não ter de devolver a parabenização no próximo ano, como compreendes :)

      quanto ao jogo de amanhã, vai ser muito difícil vencer o jogo, quanto mais por 3 golos. só quero que tentemos ganhar e que seja um bom jogo. se não conseguirmos, parabéns ao Benfica e siga a rusga, pode ser que nos consiguemos vingar na Óroliga!!!

      um abraço,
      Jorge

  4. Não queria boicotar o seu post, apenas o artigo de opinião do Jorge Maia está excelente (mais uma vez!) e creio que merece, mesmo assim enviado pela porta dos fundos, ser partilhado…

    “Jorge Maia: São trocas baldrocas
    Mesmo por detrás dos maiores disparates, há quase sempre uma surpreendente centelha de genialidade. Tome-se a proposta de José Couceiro para mudar o lado dos bancos das equipas anfitriãs com o das visitantes nos jogos dos campeonatos nacionais de futebol. Assim à primeira vista parece apenas um disparate, mas se se tomar o FC Porto-Sporting de domingo como exemplo, percebe-se que há ali uma semente de génio a querer germinar. Afinal, talvez a forma mais fácil de o Sporting garantir uma vitória no Dragão fosse mesmo trocar os bancos de suplentes, mais os respectivos médicos, massagistas, delegados e, inevitavelmente, treinadores, um pelo outro. Aposto que pelo menos os adeptos sportinguistas assinariam de cruz uma proposta nesse sentido. Mais a sério, contudo, é óbvio que se o problema do Sporting fosse a posição do banco nos jogos fora de casa, certamente a equipa leonina não contaria cinco empates e três derrotas em Alvalade, nem teria mais pontos conquistados (22 contra 20) nos jogos realizados longe do seu estádio.”

    1. um dia que venha a conhecer o Jorge Maia, vou-lhe dar os parabéns por ser mais um dos “Jorges” portistas que tem uma eloquência e uma inteligência bem acima da média :)

  5. É isso tudo Jorge!

    O Porto deverá entrar com:

    -a tranquilidade de quem sabe que não tem nada a provar e já conquistou o seu principal objectivo;

    -a consciência de que tem pela frente uma tarefa muito complicada mas que está ao seu alcance;

    -a garra e a vontade de dar mais uma grande alegria aos seus adeptos e dar mais um grande passo para a conquista de mais um título,bem como de calar todos aqueles que,por ora,riem à boca cheia.

    FORÇA PORTO!

Deixar uma resposta