Baías e Baronis 2010/2011 – Belluschi

 

Época: Fez uma trajectória contrária à de Ruben Micael esta temporada, invertendo-se os papéis desde muito cedo. Belluschi mostrou todo o talento que tem a jogar ao lado de um elemento que o equilibrava (João Moutinho) mas não se limitou ao jogo ofensivo, porque, meus amigos, Belluschi era sempre dos primeiros a pressionar à frente e a vir recuperar bolas atrás. Mexido, dinâmico e positivamente agressivo, começou a baixar de rendimento com uma ou outra lesão e…apareceu Guarín. A luta que protagonizou com o colombiano foi a mais interessante de várias agradáveis lutas a dois que houve por um lugar no onze, como Maicon/Otamendi, Sapunaru/Fucile ou Varela/James, que começou por ser ganha por Belluschi e depois terminou com a vitória de Guarín aos pontos. Ainda assim foi uma época muito positiva para o argentino que acabou por lhe valer o regresso à selecção. Bem merecido!

Momento: O jogo contra o Spartak em casa. Podia falar do jogo de futebol aquático em Coimbra onde foi dos poucos que soube jogar naquela piscina, ou o 5-0 contra o Benfica com as brilhantes assistências para Falcao, mas escolho este jogo porque apesar de apenas ter jogado 21 minutos, o impacto que teve numa equipa que começava a mostrar algum cansaço e porque foi render Guarín, que dava a força que o meio-campo necessitava. Belluschi, à imagem do que tinha feito na primeira metade da época, brincou com o adversário, rematou à baliza, rasgou a defesa e desfez toda a estrutura pressionante dos russos. Foi digno de aplauso e de homenagem, porque são estes jogadores que fazem a diferença nas alturas em que mais precisamos deles.

Nota final 2010/2011:

BAÍA

5 comentários

  1. Nesse jogo contra o Spartak fez realmente 20 minutos de outro planeta. Foi a cereja em cima do bolo que foi o jogo com o Spartak, mas esse jogo estava resolvido na altura em que entrou.

    Para mim, o momento Belluschi é o golo que desbloqueia o jogo Olhanense – Porto, que depois finaliza com 0 – 3. Foi determinante para o Porto manter o Benfica a uma distância minimamente confortável numa altura em que este se encontrava perigosamente, e virtualmente, a 5 pontos (se não estou em erro) e na reta final da sequência de 19 vitórias. Foi um passo de gigante para lhes quebrar a motivação e manter o nosso fôlego.

  2. Belluschi foi um Jogador que nos tempos de Jesualdo foi muito mal trabalhado e aproveitado. O Professor nunca gostou deste Argentino pelo facto de este ser baixinho e adiantar-se muito no terreno.

    AVB chegou, e com o seu Futebol Ofensivo e de Posse, fez renascer das cinzas um Jogador que Jesualdo se fartou de enterrar.

    Merece sem sombra de dúvida o Caía. Só tenho pena que depois da lesão na fase terminal da Temporada o Belluschi não tenha regressado á excelente forma que o caracterizou em quase toda a Temporada.

    Grande abraço Jorge.

Deixar uma resposta