Na estante da Porta19 – Nº4

É até agora o melhor livro sobre futebol que já li e que me motivou ainda mais a procurar outros livros que estejam escritos com a mesma narrativa atraente, interessante e cheia de pequenos nuggets de criatividade e pequenas histórias do jogo dentro do jogo. “Inverting the Pyramid: A History of Football Tactics” é da autoria de Jonathan Wilson, um dos mais reputados jornalistas e cronistas desportivos da actualidade, uma espécie de Luís Freitas Lobo britânico com mais nome no mercado e bastante mais lirismo na prosa. Sim, eu disse “mais”, não me enganei. Ao longo de quase 400 agradáveis páginas o leitor é arrastado para o maravilhoso mundo das tácticas de futebol e da sua evolução ao longo dos tempos, desde o famoso W-M passando pela introdução do quarto defesa por Chapman, olhando para os quadros tácticos e pessoais de Herrera, Michels, Lobanovsky, Sacchi e de todos os grandes treinadores que através da sua visão estratégica ajudaram a moldar o que é actualmente o futebol moderno. Para amantes da modalidade, principalmente, mas acaba por ser material adequado a qualquer pessoa pela qualidade da escrita e pela facilidade com que se absorvem as histórias das personagens que todos conhecemos ou devíamos conhecer.

Sugestões de locais para compra:

 

6 comentários

  1. Jorge,

    Que saibas que me deixas a minha coluna de livros em stand-by porque estás a escolher la creme de la creme antes que eu possa dizer de minha justiça. A vingança será terrivel!

    É sem duvida o melhor livro de futebol alguma vez escrito, o J. Wilson provavelmente o mais certeiro dos pensadores contemporâneos e os seus outros livros verdadeiras pérolas.

    um abraço

    1. nada mais certo. as crónicas dele no Guardian são tratados perfeitos sobre o beautiul game.
      mas olha que, sem ser graxista, há um Miguel qualquer coisa que se está a aproximar, o talento e a cultura futebolística está lá, só lhe falta mais exposição…;)

      um abraço,
      Jorge

        1. já tenho mais três livros para apresentar, mas é preciso dar tempo, não pode ser tudo de uma vez senão o povo nem tem tempo para ler os outros. quando sair o “Em Jogo – The book” avisa, carago, vou-te pedir para o autografares!

          Abraço,
          Jorge

          PS: custou-te escrever o último artigo sobre o Barça, aposto :P

          1. Ehehe, é o que eu digo, já tenho a secção boicotada ;-)

            Não me custou muito escrever o artigo, as evidências custam muito menos do que se possa imaginar. O que este Barça está a fazer é absolutamente histórico e épico e só daqui a alguns anos, quando este 4-6-0 se tornar moda corrente (com quem o saiba interpretar) é que as pessoas terão a verdadeira noção do imenso salto que esta equipa deu.

            Se o Xavi é o meu jogador preferido, se a camisola do Pep foi a segunda que eu quis quando era puto, como é que me ia custar ;-)

            um abraço

          2. a primeira coisa que me passou pela cabeça quando li o título foi a Roma de Totti e concordo contigo quando dizes que foram tentativas tímidas. Guardiola conseguiu em três anos o que outros tentaram várias vezes mas nunca tiveram a persistência (e o talento individual dos jogadores) para chegar a tirar os frutos.
            para quem gosta de futebol, para além da “manha” que usam, é um deleite.

            abraço,
            Jorge

Deixar uma resposta