Ui, partiu-lhe as pernas!

Onde estão os gajos duros da bola? No actual plantel do FC Porto não consigo vislumbrar um único jogador que me meta medo se fosse jogar contra ele. Sempre tivemos uma tradição de alinhar pelo menos com um ou dois gajos que assustam só de olhar para eles, como um Fernando Couto, um Jorge Costa ou um Paulinho Santos nos anos 90 e o Costinha ou o Bruno Alves (menos que os outros, já que este era mais bruto porque saltava muito mais que os outros. Não era nenhum menino mas não se comparava aos primeiros da lista, por muito que a imprensa e os adeptos adversários adorem dizer que sim e abanem todos com a cabecinha). O FC Porto que joga no futebol moderno, está cheio de gajos como o Materazzi, o Essien ou o Witsel (sim, porque o rapaz para além de saber jogar, sabe acertar e bem), parece ter abdicado deste tipo de jogadores em função de homens mais colectivos, mais pontualmente agressivos em vez de passarem o jogo todo a pensar na melhor forma de romper os gémeos do qualquer infeliz que se atravesse à sua frente. É verdade que qualquer equipa deve ter pelo menos um elemento que faz tremer o mais virtuoso dos avançados quando pensa no que será um simples treino confrontado com o que só pode ser visto como pura e inconfundível maldade. Hoje em dia, não o temos. E não vale a pena falar de algumas entradas rijas do Fernando ou do jogo de braços do Guarín, porque nenhum deles é um Roy Keane ou um Vinnie Jones. Nem perto.

É verdade que se torna um risco enorme ter um jogador deste calibre no onze, pela fácil constatação que esse mesmo onze se pode transformar num dez numa questão de segundos. Mas gajos como Souness, Gentile, Stiles, Montero ou Goikoetchea (“O carniceiro de Bilbau” não é uma alcunha derivada, estranhamente, do talento para desmanchar carnes verdes) foram vitais na ascensão das suas equipas ao zénite do futebol europeu noutros tempos. Hoje em dia é quase impensável assumir que há a necessidade de manter uma besta deste nível numa equipa de profissionais, mas admito com as bochechas ruborizadas que sinto algumas saudades de ver o medo nos olhos do jogador adversário que se vê envolvido numa entrada dividida contra o Paulinho Santos e que o faz pensar numa fracção de segundo em telefonar à seguradora e mandar uma carta aos pais a dizer que se calhar já não volta.

Gostava de rever algum tipo de jogador à imagem do que Bill Shankly, esse eminente poço de citações futebolísticas, disse uma vez de Tommy Smith, defesa do Liverpool nos anos 60/70: “Tommy Smith wasn’t born; he was quarried.”, que se traduz toscamente para qualquer coisa como: “Tommy Smith não nasceu: foi extraído de uma pedreira.”. E acho que não estava a falar do estádio do Braga.

6 comentários

  1. Boas, em 1º lugar eu sou um grande admiador dos teus textos e este é o site (há mais 1 ou 2) que “basicamente” serve de inspiração ao meu blog.

    De facto falta cá um jogador desses o que é pena… mas temos de lutar com os que cá esão…

  2. O Sportém tem um gajo desses!!! O Rinaudo.
    Os coisinhos têm o Javi Garcia, que se fosse jogador do FCP e da maneira que joga, não terminaria um unico jogo cá na liga! Porque razão este “enorme jogador” consecutivamente eleito melhor jogador com notas de 7 e 8 para o pasquim ABolha nestes jogos dos coisinhos não é convocado para la “Roja”?…

  3. Gattuso… Faltou esse à lista. Naquele trabalho de intimidar é mestre e tem cara de italiano mau!

    Falta de facto alguém assim, mas se o tivéssemos não posso deixar de temer o que aconteceria por até concordar com o Traficante.

  4. Nem de propósito…não é que o Mangala mandou uma ‘pantufada’ no David Simulão (pelo menos teve a sensatez de esolher bem o alvo!) e foi expulso?! Não era o Jorge que queria um jogador durinho? Aí está ele!

    Curiosamente o árbitro era o lampião do Duarte ‘Eu assumo que sou adepto do 5LB’ Gomes…por acaso não reparei mas ele deve ter levado as mãos à cabeça quando viu quem tinha sido ‘abatido’.

    Já agora, apesar do erro que acabou por resultar no golo de Portugal e no lance (escusado) que ditou a sua expulsão, gostei bastante do que vi. No ar é tudo dele e sabe sair a jogar. Para além disso tem um físico (e uma cara) que assustam. Temos central!

Deixar uma resposta