Baías e Baronis – FC Porto 1 vs 0 Estoril

foto retirada de desporto.sapo.pt

Um pouco à imagem do que se passou no Sábado à noite nesta mesma cidade e neste mesmo estádio, o jogo de hoje será facilmente esquecido pelos adeptos e pelos próprios jogadores. Valeu pela vitória, numa noite fria onde pouco mais de quinze mil decidiram deslocar-se ao Dragão para ver um jogo que…e estou a entediar-me sozinho enquanto escrevo estas palavras, ainda mais do que aconteceu durante o jogo, onde passei noventa minutos a olhar para a televisão enquanto discutia a forma como os jovens jogadores de futebol são diferentes do que eram aqui há uns anos porque o mundo é diferente, as solicitações são diferentes e a forma de encarar a vida também parece ser…diferente. Ganhámos o segundo jogo e falta empatar em casa com o Setúbal para conseguir passar à próxima fase. Não é mau. Notas abaixo:

 

(+) Álvaro Pereira O que ele correu, minha gente. Para quem não viu o jogo, basta saber que Álvaro andou por todo o campo (até apareceu a extremo direito depois de uma diagonal “à Palito”…) e esteve mais vezes em destaque na área que Kleber. Não chega? Furou consecutivamente a defesa do Estoril, rematou à baliza, cruzou montes de vezes para os ineptos centro-avançados do FC Porto, tanto o autêntico como os improvisados, e foi o principal impulsionador das jogadas de ataque da equipa. Está em boa forma e volta a ser um dos jogadores essenciais do FC Porto nesta época.

(+) Varela Depois de uma primeira parte fraquin…ao seu nível para este ano, esteve muito bem na segunda parte e não só por ter marcado o golo da vitória. Andou muito mexido, sempre dinâmico e interventivo, vinha buscar bolas atrás, surgia no meio para as tabelas, aparecia no flanco a apoiar Álvaro e…preparem-se…correu! Sim, o Silvestre correu muito hoje! Não pode ser bom sinal salientar isto num jogador, mas a verdade é que este Varela que hoje vi a jogar era o Varela que devia ter aparecido desde o início da época em vez do trambolho com o 17 nas costas que se auto-excluía dos planos do treinador porque a produtividade era tão baixa que palavra que cheguei a pensar que tínhamos ido buscar o avô do N’tsunda para dar uma perninha. Ou quatro, porque o andarilho também conta. Enfim, o tempo dirá se temos o moço de volta…

(+) Maicon Fez o que pôde e nada mais lhe é pedido tendo em conta alguma pressão que estará a sofrer. Vendo a saída de Fucile, a consistente ausência de Sapunaru e a presença/não-presença de Danilo, Maicon continua a aguentar a posição de defesa-direito com as limitações que lhe são reconhecidas mas sempre a tentar o possível para fazer um pouco melhor do que todos estão à espera que consiga. Sobe no terreno, tenta o cruzamento, procura o remate quando está enquadrado, corta fácil e joga simples. Não lhe exijo mais porque sei que não sabe mais. Se alguém tem “culpa” do fraco rendimento do nosso flanco direito, é Vitor Pereira. Mas até agora não temos estado piores do que estávamos aqui há uns meses, por isso o treinador tem os números do seu lado…

 

(-) Kleber A culpa do fraco rendimento de Kleber divide-se em três vias: direcção, adeptos e ele próprio. A primeira porque apostou quase tudo num jogador que não mostra maturidade (ou qualidade prática, bem diferente da teórica) para ser opção natural numa equipa como o FC Porto; os adeptos, porque o pressionam e o deixam nervoso; ele, porque se deixa enervar. E hoje foi mais um exemplo da incapacidade de Kleber dar a volta a uma situação complicada para ele e ainda mais para a equipa (em último caso para o clube), que depende dele para fazer com que a estratégia de jogo funcione na sua forma mais eficiente. Kleber esteve quase sempre mal, com remates fracos, lentidão no arranque a ataque à bola, pouca intensidade no contacto e uma enervante falta de discernimento táctico que me pôs a pensar: “O que será que este rapaz conseguiu mostrar no início de época e que levou a que não houvesse qualquer avanço no mercado para evitar que ele fosse a nossa opção mais valiosa no centro do ataque?!”. Não sei, mas neste momento não tenho confiança em ver Kleber na frente sem ter um Hulk ao lado. E se houvesse dois Hulks ou até Hulk e meio…bem, aí haveria mesmo zero Klebers.

 

A competição é tão desprovida de interesse que a ânsia de a vencer parece ter, no meu caso, ficado nas outras calças. Não me consigo empolgar com esta prova e ainda me diz menos que a Taça de Portugal que já de si não serve minimamente como prémio de consolação para uma não-vitória no campeonato. Não sou gajo de gostos caros, mas depois da Liga ou de uma qualquer competição europeia (Champions primeiro, o resto depois) estas Taças lusas vêm bastante atrás. Só não vem atrás de um Real-Barça porque jogou o FC Porto. E isso é que ninguém me tira, porque os outros posso ver quando eu quiser. O FC Porto vejo quando me deixam e já acontece poucas vezes, por muito que joguem bem ou mal. Fica o meu sincero reconhecimento aos quinze mil que lá estiveram.

12 comentários

  1. Olha, Jorge, não quiseste comentar as ideias que expendi sobre não vir nenhum pdl, nem por eu afiançar, como VP, que só temos Hulk e ainda bem. Pois acabas de fazer o retrato do Kléber que já fiz no início da época e não fui de paninhos quentes. Quando o vires dominar uma bola e ela não fugir 10 metros avisa-me. Mas não vou confiar em ti. Embora já comeces a perceber algumas coisas, pois basta juntar umas peças e a nossa lucidez faz o resto sem paixões assolapadas.

    Eu preferi ver quase sempre o Madrid-Barça e perdi a 2ª parte do Dragão, salvo o golo e já só pela net…

    1. padeço sempre da mesma doença: acredito nas pessoas desde o início e mantenho-me ostensivamente ingénuo até que mo provem do contrário. carago, eu fui um daqueles que disse na altura: “Este Vinha vai ser o nosso maior jogador de sempre!”. e acho que acertei, mas não foi no talento…

  2. Sou um fanático Portista, mas nenhuma taça da Liga me tiraria um Barça-Real dos dias de hoje.

    Foi a minha namorada (Benfiquista) a me dizer como ficou o Porto e ver o Maicon com o Baia tenho a certeza que fiz a escolha certa.

    :D

  3. Pronto, ao contrario do que tinha dito, foi mais forte q eu. Vi a primeira parte do Real (grande golo do CR, btw) e na segunda o nosso Porto.

    O jogo foi mais uma vez pessimo. Para alem de este jogo ser despromovido de grande interesse, podia servir para experimentar. Ao contrario disso, o VP trocou poucos jogadores e mostrou-nos que nao temos solucoes.

    Grande jogo do Palito. Esta em forma! De resto, fraco. O Varela meteu um golo, fez uma finta fantastica ate levar porrada e pco mais (so vi a segunda parte).

    Vou continuar a gritar pela nossa equipa, mas a minha opiniao sincera e q este ano n ganhamos nada. Esta equipa nao epolga, nao massacra, faz os servicos minimos e mal. Para mim o problema e apenas um, VP.

    Abraco
    Joao

  4. Bom dia,

    De ontem podem-se retirar mais algumas ilações.

    Kléber não é jogador para o Porto. Joga sob pressão, e tem debilidades técnicas/tácticas enquanto ponta de lança.

    Vítor Pereira não é definitivamente treinador para o Porto. O Porto não tem fio de jogo, e vive somente da qualidade individual de alguns jogadores, que tem permitido vencer os jogos.
    O que distingue os bons dos maus treinadores é a sua capacidade de gerir homens, e VP tem demonstrado ser um péssimo gestor de balneário. Está a delapidar uma equipa. Será que Varela, Guarin e Sapunaru, titulares na maior parte da época passada, perderam a qualidade patenteada?! Não me parece!
    VP nem teve a inteligência quando assumiu o comando da equipa, de dar continuidade ao trabalho da época passada…sem inventar.
    A constante mudança dos jogadores do miolo só prejudica a equipa, e não permite a criação de automatismos. Quantas vezes vimos em épocas transactas jogadores como Deco e Lucho em baixo forma que mantinham ainda assim a titularidade…muitas! Um atleta necessita de continuidade na equipa para se poder afirmar.
    O pêndulo/coração/motor de uma equipa não pode ser constantemente trocado.
    Varela foi o melhor em campo, a ver vamos se não vai ao mocho novamente!
    VP até na gestão do discurso pós jogos tem demonstrado prepotência ou estupidez. Ontem afirmou “Assobios das bancadas? Não ouvi nada…”, bem isto é brincar com os sócios e adeptos que apoiam a equipa, alguns com muitas dificuldades.
    Esperemos que as coisas mudem quando contratarmos um ponta de lança, pois caso contrário este será um ano decepcionante.

    Abraço e boa semana

    Paulo

  5. Vítor Pereira encara a competição “como uma forma de dar tempo de jogo a quem não tem tido muitas oportunidades para se mostrar e para lançar alguns jovens”.

    2 jogos, 180 minutos, lista de jogadores sub21 que jogaram até agora:

    Iturbe, 15 minutos.

    E mais não vale a pena dizer sobre o nosso treinador interino ou sobre esta competição.

      1. Porque gosto bater nele espero que este seja mais interino que o “all” de que falas :D.

        Em relação ao resto, atenção que eu não disse que devíamos ter jogado com alguns juniores, foi o treinador que disse que o ia fazer, aquilo é uma citação, não é afirmação minha.

  6. Gostei do último parágrafo; o “ao vivo” é uma coisa diferente do “não deixar de ver”. A sua atitude é a minha. Primeiro, o que vem primeiro.
    Depois há sempre dois tipos de pessoas na vida: as que só querem ver o que está mal, e as que vêm primeiro o que está bem. Parece que este ano há cada vez mais adeptos que só querem mesmo ver o que está mal.Eventualmente os mesmos que no ano passado só viam o que estava bem… – Estes jogos foram, são e serão sempre diferentes. Quem diz que no ano passado viu outro empenhamento quer na taça quer na taça da liga, está a esquecer-se do que viu. Aconteceu até o impossível, perdeu-se com o benfas em pleno estádio do dragão!… claro que houve um happy end, e mais ninguém se lembra se não disso…
    não estou a dizer que está tudo bem, apenas a ressalvar que de todos os que mandam bocas, quem sabe o que verdadeiramente se passa?
    o treinador tem o falcao ?
    nesta história toda do danilo e da aparente partida do fucile, o clube não se prenunciou ainda…alguma razão haverá. Como também haverá para não ter ainda dito nada sobre o aparente não pagamento do Falcao.
    E, de tudo isto se fazem as equipes e a motivação dos jogadores. Não só de trigo limpo, farinha amparo!

  7. Por muito que Kleber seja um pau de vassoura, por muito que VP me faça dizer palavrões, por muito que Alvaro Pereira me fatigue só de o ver correr, por muito que Otamendi me faça arrepiar e por muito que o adversário se chame Estoril, jamais troco ou trocarei um jogo do meu FC PORTO por uma espanholada qualquer…

Deixar uma resposta