Ouve lá ó Mister – Manchester City


Amigo Vítor,

Não me importo que vás a Manchester contestado, insultado, apedrejado, criticado e molestado. Não me custa nada que entres em campo com onze jogadores prontos para se desfazerem de minuências cerebrais e fardos mentais de pouca confiança. Não me assola a possibilidade de levar no focinho dos locais ao ponto de ficarmos a sangrar e a chorar em campo. Não me preocupa saber que do outro lado está uma das melhores equipas da Europa.

O que me pode pôr chateado é ver o FC Porto a entrar em campo sem ter um fogo nas vistinhas que lhes alimente a esperança, minuto após minuto, de passar a eliminatória. Juro-te, Vitor, pelo que há de mais sagrado na minha vida, que nada do que disse acima me apoquenta se hoje à tarde vir os nossos moços a jogar para ganhar.

Lembra-te do que fizemos nessa mesma cidade aqui há oito anos. É certo que o resultado que levamos do Dragão era substancialmente mais positivo que o que hoje vai aparecer no “aggregate score” esparramado no placard electrónico aos zero minutos de jogo. Mas quero ver aqueles meninos, alguns dos quais aplaudi de pé em Dublin em Maio do ano passado, quero vê-los a jogar para ganhar, mesmo que no fim acabem por perder. Quero-os a desbravar relva, a passar com gosto, a chutar com força e a marcar como homens. Não quero voltar a ver aquela exibição da segunda parte na passada quinta-feira, que foi mais maricas que o Castelo Branco a beber batida de côco de um copo alto por uma palhinha torcida. Quero ver alma, força, bravura, coragem. Quero que ganhes ou percas a puta da paciência se não conseguires.

Este é daqueles jogos que não ficarei triste se sair de lá com 3 ou 4 golos no saco. Desde que joguem para ganhar. Não te exijo mais nada.

Sou quem sabes,
Jorge

 

APOSTAS PARA HOJE NA DHOZE:

4 comentários

  1. Bom dia,

    Temos de ser realistas. Vai ser muito difícil a reviravolta na eliminatória.
    Para conseguir a reviravolta teríamos de ser manhosos, inteligentes, concentrados, algo que nesta época tem faltado nos momentos decisivos.
    Teria de existir uma má noite do City, e nós termos a sorte do jogo.

    Todavia os nossos jogadores devem honrar a camisola, e estou ciente de que o farão.
    Temos de lutar pelo resultado e mostrar uma imagem positiva na competição.
    A razão diz-me que não conseguiremos, o coração quer acreditar que sim.

    Abraço e boa semana

    Paulo

  2. A reviravolta e dificil, mas se eu nao receber nenhum telefonema das minhas colegas inglesas a dizer que nos so defendemos e somos ums mansos ja me dou por contente. Aonde e que anda a alma, porra?

  3. Boas,

    Relativamente ao jogo tenho duas sensações … a cerebral e a visceral … quanto a cerebral tenho consequência que será um jogo extremamente dificil e só um porto a “Top” poderá marcar dois ou três golos sem sofrer nenhum … quanto a visceral acredito que é possivel como sempre … para isso a defesa tem que estar concentradissima, Fernando tem que ser o nosso polvo, Lucho e Moutinho ao seu melhor nivel, Hulk tem que fazer o que melhor sabe e o treinador não pode inventar … com estes argumentos aí sim podemos levar de vencido o M. City …

    Um abraço

    http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.com/

  4. Depois desta eliminatoria com o Manchester City nao posso deixar de culpar os jogadores pela qualidade de jogo do Porto.
    Se tecnicamente ha lacunas (o Varela nao parece saber rematar) ha pouca intensidade e sobretudo pouca qualidade de decisao. O caso mai evidente e o do Otamendi no inicio mas o mais persistente e o de jogadores como o do Hulk. Tecnicamente e fisicamente pode ser muito bom mas a sua capacidade de decisao e muito ma, diria mesmo que e burro ja que insiste nos mesmos erros jogo apos jogo.

Deixar uma resposta