Baías e Baronis – Benfica 3 vs 2 FC Porto

foto retirada de maisfutebol.pt

Ponto prévio: o Benfica ganhou bem. Fez por merecê-lo num bom jogo, sem chatices, sem grandes casos (se bem que aqueles puxões do Luisão na nossa área me incomodam sempre) e criou melhores senão mais oportunidades de golo. O jogo podia ter sido resolvido a nosso favor com um bocadinho mais de inteligência na posse de bola e no desdobramento do contra-ataque, mas concordo que foi justo. É evidente que o joguinho mediático do “isto não nos interessa, o que conta é o campeonato” funciona perfeitamente porque perdemos. Se tivéssemos ganho o discurso seria o mesmo mas o papo era sem dúvida diferente, como se compreende. Ainda assim não fiquei triste, não estou furioso por perder o jogo, não me lamento, não me dói muito. Custa perder contra o Benfica, claro, mas admito, como sempre o fiz, que a Taça da Liga é para ganhar se conseguirmos chegar à final sem sacrificar o resto das competições. Não conseguimos. Meh. Notas abaixo:

 

(+) João Moutinho Mais uma vez a mostrar porque é que é indispensável no FC Porto. Já o era no ano passado mas este ano ainda mais, porque faz o que Defour não consegue na sua posição e ajuda Lucho quando o argentino já se agarra às gâmbeas como hoje a meio da segunda parte. Moutinho correu novamente o jogo todo, sempre a pegar no jogo e disposto a tentar sempre ser o principal impulsionador das jogadas ofensivas e coordenador das defensivas. Se Lucho é uma mais-valia pela experiência e inteligência, Moutinho fá-lo em contínuo movimento com olhos levantados, noção perfeita de espaço e capacidade criativa. É único no plantel. Ah, e aquelas duas jogadas consecutivas “triângulo+R2” à Zidane foram um deleite…

(+) Hulk na primeira parte O FC Porto com Hulk é totalmente diferente do FC Porto sem Hulk. Goste-se ou não do estilo (sou um desculpador do rapaz na maioria dos casos, admito-o), admire-se a técnica ou o egoísmo, a verdade é que é imensamente útil para romper pelo espaço de defesas mais lentos, como hoje no caso de Capdevila ou mesmo com bisontes como Luisão ou anormais como Maxi Pereira (que está para o futebol como o Álvaro está para a economia portuguesa. É bom mas abusa da sorte…) pela capacidade física e velocidade de arranque. Faltou marcar um golo mas deu um a marcar a Lucho e sofreu a falta que deu origem ao segundo. Na segunda parte desapareceu do jogo, cansado e com poucas oportunidades de jogar como gosta porque a opção pelo jogo directo para Janko afastou-o mais do jogo. Merecia mais.

(+) A força e agressividade de Mangala Um central que consiga subir acima de Cardozo e roubar-lhe bolas de cabeça é sempre um jogador útil. E Mangala fá-lo com naturalidade, para além do facto de conseguir subir com a bola controlada como um Pepe mais escuro mas (ainda) sem a loucura do Kepler. Vinte anos tem este rapaz e ainda pode vir a melhorar bastante, porque talento tem ele que chegue e a forma como se antecipa aos avançados e usa o corpo como protecção já é a prova de um rapaz que sabe o que fazer em campo. Só precisa de aprender a passar a bola em boas condições. Ah, e o golo é muito bom, rapaz, continua a saltar assim que ainda te prendem por voares sem comunicar o trajecto às torres de controlo.

(+) Sapunaru ou a vantagem de ter um lateral que sabe subir Entre Sapunaru e Maicon na lateral direita, dêem-me um bêbado romeno em vez de uma bola de bilhar brasileira todos os dias. Gosto de Maicon no meio e gosto de Sapunaru na direita, como gosto de whiskey num copo e caril num prato e não ao contrário. Ia marcando por duas vezes. Anda doente para ver se marca um golo ao Benfica antes de se reformar, o rapaz, mas joga com garra, com fibra, às vezes com pouca cabeça mas sempre com vontade. Vamos ver se assenta no lugar até ao final da época…

 

(-) Kleber Começa a meter pena ver o nosso substituto de Falcao a jogar no FC Porto e admito que foi das apostas mais falhadas dos últimos anos, bem acima de Fabianos e Bolattis. A forma como se atira para os lances sem hipótese de conseguir chegar à bola, atabalhoado, fraco, incapaz de fazer algo de produtivo ou de remotamente ameaçador para a baliza contrária é o suficiente para não poder ser opção principal na equipa. Enerva-me com os lances em que permanentemente reclama falta do adversário só porque usa o corpo para proteger a bola e insiste em arremessar-se para o terreno com os braços esticados e a cara de anjo a olhar para o árbitro como um bébé a pedir leite. Não tem, neste momento, argumentos para ser titular no FC Porto.

(-) A ingenuidade de Mangala O primeiro golo é culpa dele. Ponto. Quando um defesa tem uma bola na sua posse e está numa situação de 2×4 contra si, não pode…repito, NÃO PODE passar a bola para o colega que está rodeado de adversários. O que acontece? Quando a equipa está a começar a subir para receber o passe ou pressionar a zona mais recuada do adversário e tentar ganhar a segunda bola…qualquer perda de bola resulta num desiquilíbrio enorme e em falhas de marcação. Os absurdos comentadores da SIC culparam Álvaro. Não, Álvaro não teve culpa. A culpa é de Mangala. E sê-lo-á mais vezes, como por vezes acontece a Maicon e no passado a Bruno Alves ou Ricardo Carvalho ou Aloísio. As pessoas falham. Têm é de aprender com os erros e Mangala, que cometeu vários desta índole durante todo o jogo, ainda vai bem a tempo para os corrigir.

(-) A soberba de Jesus É raro, como sabem, comentar declarações de técnicos adversários. Mas quando colocaram o meu homónimo em frente ao rapaz da SIC (o “go home, now”, sim, esse mesmo), fiquei a ouvir, ainda a picar uma fatia de presunto com o meu pai. E ouço o treinador do Benfica a dizer que este jogo é que comprova quem é a melhor equipa. Cada cabeça, sua sentença, mas aquela farta cabeleira estará talvez lentamente a pingar tinta para o cérebro. Então o homem que perde quatro dos cinco últimos clássicos antes deste jogo (se somarmos 0-5 no Dragão e 1-2 na Luz para a Liga, 1-3 na Luz na Taça, 2-3 na Luz há umas semanas…comparando com o 2-0 no Dragão para a Taça no ano passado e o 2-2 também no Dragão este ano para a Liga) acha que este é que decide tudo? É como dizer: “Eu faço dieta rigorosa há dois anos!!! Sem contar com as feijoadas que como todas as quartas e umas noitadas de rodízio às terças e sábados, claro!”. A arrogância de Jesus, principalmente nas conferências de imprensa, é insuportável. Se o jornalista que lá estava em frente não fosse aquela bestinha (que depois de Jesus lhe dizer que o Benfica está em três frentes e que a prioridade é a Liga em primeiro e a Champions em segundo…vai-lhe perguntar qual é a terceira…) mas um homem de tomates, tinha-lhe citado estes exemplos. Levava um arroto nos dentes, mas ficava feliz.

 

E agora, pergunto eu? Os rapazes ficaram em condições para jogar no Domingo na Mata Real? Lucho, Moutinho, Álvaro, esses rapazes todos estão aptos fisica e moralmente para serem o que precisamos que sejam? Não faço ideia. Mas sei que não atirámos o metafórico toalhete à relva antes do jogo e fico satisfeito por ver que mais um vez conseguimos dar a volta a um resultado negativo naquele estádio. É de louvar a capacidade de esforço dos jogadores e dou-lhes os meus parabéns por isso. Não gostam de vitórias morais? Esperem até ao final do campeonato e vamos ver se valeu a pena ou não.

44 comentários

  1. O Mangala esteve tão bem e tão mal. Quantas vezes não estava ele a ganhar bolas e a fazer grandes cortes na defesa? Para depois, pelo menos na minha opinião, ter culpa em todos os golos. No primeiro, com disseste. No segundo, é vê-lo levitar dois centímetros do chão para ver se chega à bola e a deixa passar pó gajo de vermelho (quando bem vimos no golo que o rapaz sabe saltar). E no terceiro não só falha completamente a antecipação como ainda perde em corrida para o Cardozo. Para o Cardozo, porra!

    E o Kléber é uma nulidade. Já tive esperança para ele, a sério. Cheguei a pensar que alguma competição vinda do Janko o espevitasse. Talvez com um bocado menos de pressão em cima. Mas a sério que não me lembro de o ver tocar na bola uma vez que fosse. Ele chegou a rematar?

    De resto a equipa até esteve bem, gostei das investidas do Alex Sandro, que entrou na área deles uma três ou quatro vezes e só precisava de mais confiança para espetar um balázio nas trombas do Eduardo em vez de passar a bola. Já o Palito acho que perde um bocado por começar a jogar tão à frente, não pode ganhar velocidade vindo de trás…

  2. Folgo em saber que não foi só no Salão de Festas que houve duelo de Vitor x Jorge, pelos vistos também no prato do presunto ambos tentaram ganhar o jogo… um abraço para teu pai!

    E sendo o presunto carne de porco, a ligação óbvia é que o FCP deu umas pérolas a porcos, mas servidas com champanhe francês, como dizes e bem do Mangala… o que se passa com os centrais? Aprenderam todos pela mesma cartilha?

    E já agora, não costumo criticar o Vitor Pereira, mas acho que tudo tem um limite, há coisas que não se percebem: continua a dar oportunidades ao Kléber quando já se viu que esta época não vale à pena, e ao Iturbe, mete-o aos 85 min? Mais valia nem sequer o ter metido, a essa altura já não havia pernas…

  3. FCP: Resumo de uma época:

    Conquistas:
    • Supertaça (à rasca… )

    Derrotas:
    • Humilhados pela Académica na taça de Portugal
    • Arrumados da champions onde era cabeça de série e onde tinha obrigação de ficar pelo menos em 2º lugar (pelo Zénit e Apoel, esses colossos do futebol mundial!)
    • Repescados para a Liga Europa onde saiu com um 6-1 por um clube que depois foi arrumado pelo Sporting (!)
    • Arrumados pelo Benfica na Taça da Liga

    Agora o campeonato com 1 ponto de avanço e a jogar com o nível que se vê!

        1. Não me contento com o mal dos outros, agora por vezes parece que é apenas bater no VP por bater. Este ano alguém ganhou mais que nós? Não. No fim ajustem contas com ele, mas neste momento ainda não o podem fazer. E se VP for campeão, como assim o espero e os maiores nada ganharem? Aposto que será bestial.

          1. Ainda não acabou nenhuma competição sem ser a supertaça como é que alguem poderia ter mais trofeus que nós?

            Pelo seu raciocinio vamos com 100% de trofeus conquistados até agora.

  4. Mais uma vez perdemos por culpa própria, não se podem dar aquelas abébias daquelas em alta competição, juro que não percebo como é possível um profissional falhar daquela maneira.( nem vale a pena falar da arbitragem que marca tudo a favor dos vermelhos basta atirarem-se para o chão, para além do fora de jogo aos 87m mal tirado ao Hulk, isto são desculpas de mau perdedor, aí se fosse ao contrário meu Deus … como é a favor isso não interessa para nada está claro!)
    O VP mais uma vez inventou, tinha-mos o jogo controlado e quando mete Janko manda o Hulk para 2º avançado e tira o James do meio para encostar à direita, foi mais uma invenção que deu no que deu.
    Bom, agora já perdemos tudo menos o campeonato é esperar para ver o desfecho final e por mais que queira não vejo, nem auguro nada de bom, se tivesse-mos mandado o treinador embora quando perdemos no chipre… se calhar ainda estava-mos em todas as provas e com larga vantagem no campeonato, mas é assim burro velho não aprende línguas e quanto mais velho se é mais teimoso se fica, que tristeza, com uma equipa que ganhou tudo ano passado arriscamos a ficar com a super taça, que loucura…

  5. Bom jogo de futebol. Da outra vez ganharam vocês, desta vez ganhámos nós. Com justiça, na minha opinião.

    Só uma aparte para as declarações deprimentes do vosso presidente e do vosso treinador… Se o nosso é arrogante e por vezes um pouco parvo, o vosso é definitivamente ridículo! Enfim…

    1. Se o Vítor Pereira é “definitivamente ridículo” por ter dito, com razão, que o árbitro prejudicou o FC Porto, imagine-se o que seria se acenasse com quatro dedos para o treinador adversário, se agredisse e insultasse jogadores, treinadores e dirigentes adversários ou se, depois, do roubo apaixonado de Barcelos, dissesse que estava a apenas dois pontos do Benfica porque o jogo em Lisboa já estava ganho! “Um pouco parvo” é que não seria…

  6. Bom dia,
    pela primeira vez esta época tive a oportunidade de ver um jogo do nosso clube ao vivo, pois moro perto de Lisboa e ofereceram-me o bilhete, pois por questão de principio não vou dar dinheiro para o milho do galinheiro, bem posto isto de parte, venho aqui comentar as incidências do jogo, se o hulk tá fora de jogo ou não, não faço ideia pois estou do outro lado do campo, mas a falta que o sapunaru sofre no 2º golo deles dá para ver dos 70 metros de distância a que me encontro do lance…. Tirando isso, vi duas equipas na 1ª parte muito estendidas no campo onde tínhamos possibilidade de fazer mais e melhor, não entendo como existem jogadores de futebol, que têm claramente uma má relação com a bola, que lhes viram as costas e que metem tão pouca intensidade nuns lances, e noutros a intensidade exigida(excluo o Moutinho desta análise)… No 3º golo, onde andava o rolando? quase de braço dado com o sapunaru, a minha pergunta é porquê? eu joguei uns 15 anos no distrital e a cultura táctica destes “meninos” é pouca, ou então não existe vontade, brio, genica, fel, como lhe queiram chamar pois aquele 3º golo é uma aberração do nosso processo defensivo.
    Gostava de saber umas coisas, se alguém me puder ajudar que me responda:
    – O que dirá o treinador aos nossos jogadores?
    – O que fazemos nos treinos para que isso se repercuta nos jogos?
    – O que pensam eles? Parecem-vos solidários do ponto de vista futebolístico?
    – Porque jogam eles a velocidades diferentes?
    – Porque quando estamos a ganhar não seguramos a bola? Se a
    tivermos, é difícil sofrer-mos golos.

    Ps: Mal o menos é a taça da liga, mas perder é mau em qualquer altura e só espero que aguentemos até ao fim em 1º lugar.

    Um abraço.

  7. Bom bom, é a supertaça!… eh eh! Acho que só vão falar bem da taça da liga quando a ganharem.

    Já agora, Miguel, já que esteve na Luz, uma pergunta em relação aos portistas que lá foram: é geral, ou ainda há portistas que têm a decência de respeitar um minuto de silêncio?

    Quanto ao tal lance do segundo golo, eu estava no lado em que ocorreu, e na minha opinião, é penalti, pois quem agarra o Luisão é o Sapunaru… Mas enfim, você a 70m viu certamente melhor que eu! :-)

    1. Meu caro, afinal à mais portistas do que eu pensava, eu estava na bancada meo das borlas dos patrocinadores, e no raio de 2 metros quadrados éramos 4 portistas, no resto do estádio não sei. Mas sei que a falta de educação reinou por ali, não fosse eu uma pessoa pacífica e certamente havia ali assunto para muito mais, assim sendo a falta de respeito não se mede só nos minutos de silêncio mas em todas as atitudes que as pessoas têm, eu sei que em momento algum, faltei ao respeito a quem quer que fosse naquele estádio, como em redor de mim estão as provas vivas que os adeptos a que se refere não foram os únicos a faltar ao respeito, ao espectáculo, tal como e ainda em relação ao minuto de silêncio, foi difícil descortinar quem não tenha passado esse minuto de silêncio na conversa… Portanto e já que falou em decência, então parece que pelos lados da luz ela também não abunda meu caro. Quanto a esse possível penalty que fala, tem a sua opinião, eu a minha… vale o que vale, pois quem decide, decidiu e foi quem devia ter decidido, nós apenas comentamos da forma que interpretamos o lance, e é óbvio que estamos em desacordo, daí sermos meros espectadores e não árbitros:)

      Um abraço.

      1. Quanto ao tal lance, concordo com o que disse sobre o nosso desacordo! eh eh

        Quanto ao minuto de silêncio, em ambos os jogos aconteceu o mesmo, e onde eu estava, ninguém conversava ou desrespeitava esse minuto, bem pelo contrário. Mas que é uma má atitude, é!… Mas não quero com isto dizer que os outros também não o façam. Nunca assisti a um Porto-Benfica nas Antas, e por isso não sei, se em idênticas situações, uma claque inteira benfiquista assobiou um minuto de silêncio dedicado a homenagear alguém.

        cumps

        1. Boas

          Meu caro se for a medir o grau de educação e de civismo de um clube pelas suas claques acho que não ficam a ganhar. antes pelo contrário.

          Quanto a faltas de respeito ainda não vi ninguém no Porto Canal a desejar a morte do presidente de um clube rival. Até hoje :)

          Abraços

      2. Como todos sabemos, a malta brumelha para além dos paladinos da verdade, agora também o são da moral e bons costumes. Tá lindo, isto. Loool. O ditado é velho, aguardemos pelo fim para ver quem se ri.

        1. Tou a ver que você é desses energúmenos que não se importa com a situação, tal como daqueles que acham graça e cantam juntamente com o cântico mais conhecido de apoio ao Porto: Slb, Slb, filhos da… Slb. Ah… Tem razão, isso não é de apoio!… Pois, mas é o que mais cantam…

          Paladino da moral? Leia novamente o meu post, e se quiser perceberá o que disse. Mas espere… Ah, já me lembro de si de outras histórias… Tem alguma dificuldade de ler bem o que um benfiquista escreve. Deixe lá, não tem cura…

          1. Educação é matar um adepto adversário numa final da taça de Portugal; educação é incendiar o autocarro da equipa adversária; educação é deixar em coma um jogador de hóquei de uma equipa adversária, depois de o agredir selvaticamente; educação é insultar e ameaçar um delegado ao jogo da liga e não ser punido por isso. Antes de atirar pedras aos outros não se esqueça que tem telhados de vidro. Quanto ao minuto de silêncio alegadamente não ter sido respeitado, só posso dizer que energúmenos há-os em todos os clubes. Mas deve ser boa educação apontar o dedo só a alguns…

          2. Grilo falante, queres mesmo entrar nesse tipo de conversa? É que saíamos daqui…

            Mas registo o facto de ninguém até agora ter dito algo tão simples como, “tem razão, aquele tipo de atitudes, seja em que clube for, não é admissível.”

            E como poderá ter (ou não) lido, não me armei em arauto da moralidade, pois parti do ponto prévio que não estava a afirmar ser uma atitude exclusiva dos portistas.

          3. Ponto 1: Como é evidente, a sua opinião sobre mim nem me aquece nem me arrefece. Fosse eu agora reger as minhas opiniões pela sua.
            Ponto 2: Fala do SLB, SLB…mas esquece-se do Pinto da Costa, vai pro car…, muitas das vezes ouvido no galinheiro. Mas isso são modos civilizados e cavalheirescos. E poderia dizer que se calhar você também é um daqueles que acha piada”.
            Ponto 3: “uma pergunta em relação aos portistas que lá foram: é geral, ou ainda há portistas que têm a decência de respeitar um minuto de silêncio?”, foste tu que o disseste, certo. Os portistas sabem respeitar quem nos respeita.

          4. Meu amigo, quem lá esteve ouviu bem os assobios durante o tal minuto, assim como no jogo anterior. Apenas perguntei se havia alguém aqui que se importasse com o assunto. Aliás, a pergunta foi para um adepto portista que lá esteve…

            Quanto aos cânticos, imagino que você ouça aquilo que quer ouvir. Comparar os dois “cânticos” é comparar o 1 com o 80. Não somos nós que em jogos europeus cantamos cânticos ofensivos contra o SLB. Aliás, na vossa final em 2003 estive com amigos portistas a torcer pela vossa vitória, e no fim, como gratidão, ouviram-se os milhares de adeptos em Sevilha a cantar esse lindo cântico. Se eram todos? Claro que não, mas era uma imensa maioria. Comparar esse cântico com um ocasional PC vai para o car…, é, como disse atrás, comparar o 1 com o 80.

            Quanto ao energúmeno, peço desculpa. Se realmente você apoia este tipo de atitudes, é com você. O Jorge já respondeu bem ao meu comentário.

            cumps

    2. Sim, porque os benfiquistas nem piavam durante o minuto de silêncio, nem uma agulha bulia que não estivesse pintada de azul e branco… Ah virgenzinhas ofendidas…

  8. Esta derrota castiga sobretudo os erros defensivos, muito bem aproveitados pelo adversário.

    A exibição portista foi aceitável e o resultado mais justo seria o empate.

    Gostei da forma como os atletas se bateram, demonstrando querer vencer o encontro.

    Não gosto de ouvir os nossos responsáveis e atletas dizerem que o troféu não era prioritário. Acho de uma infelicidade atroz e de pouco desportivismo. Afinal, goste-se ou não do modelo, este também conta para o ranking de títulos que nós ainda lideramos.

    Não podemos nem devemos ser tão benevolentes.

    Um abraço

  9. Boas Jorge,

    Primeiro de tudo: não se pode ganhar sempre…

    De facto, o “Jasus” já vestiu bem a camisola daquele clube. Humilhação atrás de humilhação e basta ganhar uma vez ao Porto que já são os maiores do mundo…arrogância em excesso, num joguito que apesar de ninguém gostar de perder, se esquece rapidamente.

    Na primeira parte, podíamos ter arrumado com o jogo, não aconteceu e na segunda parte foi bola prá frente e pouca mais. Com maior sentido de responsabilidade pela competição, ganhávamos tranquilamente.
    Aliás, se tivessemos um plantel equilibrado (a partir de Janeiro, pelo menos) e um treinador respeitado, este ano era mais uma passeio de vitórias a nível nacional:
    Supostamente, o clube do Eusébio tem – este ano – uma grande equipa, com grandes jogadores e um grande treinador (dizem eles e a CS), mas mesmo um Porto inferiorizado (pelas razões, Paixões e “irmões” que todos conhecem) vai em primeiro na liga, dá festival no Salão de Festas da Luz, humilha uma vez mais os da terra dos “chorinhas” e da arrogância, podendo juntar nesta época esquisita, uma supertaça e o (bi)campeonato.
    Ok, que isto acabe rápido….mas de consciência tranquila que o melhor ainda veste de azul e branco.

    1. Fui só eu a ver 3 bolas nos nossos ferros na primeira parte?

      Podiamos ter arrumado o jogo logo aí?

      Gostava de ter visto o mesmo jogo do que alguns aqui.

      1. Eu só não acredito na equação:
        (3 bolas ao ferro)/(verruga do Maxi)=3 golos”

        Foda-se! os gajos não jogam nada de especial.
        O Sapu falhou um golo (apesar da boa defesa) e o Alex Sandro tem 2 ou 3 entradas na area do clube do regime, que podiam dar em golo facilmente.

        Por isso digo: com um treinador respeitado e um plantel qeuilibrado, o que é nacional é nosso…mas de caras!

        1. Não percebi isso da equação, quanto ao resto só me vieste dar razão, não acho que os mouros joguem alguma coisa de especial, mas que podiam ter marcado 6 ontem podiam, dizer que podiamsi ter resolvido na primeira parte é ver tudo a azul e isso tento não fazer.

          Quanto a isto:
          “Por isso digo: com um treinador respeitado e um plantel qeuilibrado, o que é nacional é nosso…mas de caras!”

          Não podia estar mais de acordo, mas onde está esse tal mister e esse tal plantel?

          Já viste bem o nosso meio campo?

          Em todo o plantel temos 4 jogadores para 3 lugares no 11…

          Fernando, Moutinho, Lucho e Defour.

          Danilo não sabemos quando volta e James ou C. Rodriguez a 8 não é bem a mesma coisa.

  10. Já agora Jorge, quanto a demonstrar quem é melhor, basta ver que este ano os jogos entre ambos estão muito empatados. Mas se não fosse aquela vitória na Luz há duas semanas atrás com tudo o que aconteceu, a vantagem este ano era nossa…

    Por isso, se quiser buscar outros anos para esta conversa, podemos fazer isso, mas se o ano passado conta, o ano anterior também e por aí fora. O Jorge Jesus é um bocado bronco a falar, mas também só não percebe o que ele diz quem não quer…

    Quanto a Vítor Pereira, exprime-se bem melhor… Tanto o faz, que o ridículo em que cai ainda é mais visível! Bloqueios… LOL

    1. para pôr um bocadinho de água na fervura, my two cents:

      – qual foi o problema com as declarações de Vitor Pereira? não vejo motivo para tal rebaldaria.
      – se Jesus quer ser coerente, não pode usar este jogo como pedra basilar do raciocínio. está no direito dele, como está no direito dele também andar pelo campo fora sem ser advertido, ou insinuar que o bandeirinha falseou o fora-de-jogo do Maicon voluntariamente, ou fazer as declarações que faz semana após semana. e também estaria no direito de ser punido por todas elas. mas não o é. e continua a largar enormes pedaços de estrume por onde passa, com a soberba dos impunes. é fácil.
      – e quanto ao score entre nózes e vózes, é ainda mais fácil: 1 vitória, 1 empate e 1 derrota. esta valeu mais que a do campeonato? porquê? porque foi a vossa vitória. mais nenhum motivo me vem à cabeça.
      – em termos do silêncio, são todos iguais. luz, antas, alvalade. eu respeito. muitos não o fazem. tenho pena.

      só uma pequena adenda: permito os teus comentários, como o faço de muita gente, porque acho que têm sido coerentes e educados. quando deixarem de o ser, não os permito, como faço a muitos outros comentários, sejam portistas, benfiquistas ou do mogadourense. só hoje já recusei publicar doze. doze. espero que não sejas mais um a somar a esse número.

      Jorge

      1. Eu não tenho problemas com as declarações de Vítor Pereira. Pelo contrário, acho sim que vocês é que deviam ter.

        Se andar por muitos blogs benfiquistas, verá que os adeptos muitas vezes não gostam de determinadas declarações de Jorge Jesus, pois não são as ideias de alguém que está a representar o Benfica. As declarações de Vítor Pereira são, no mínimo, hilariantes e ridículas. Não gostaria que tais declarações fossem prestadas por JJ.

        Quanto às vitórias e a mostrar quem é melhor, eu nunca gosto dessas comparações. Apenas estava a mostrar que o teu argumento é muito idêntico ao do próprio JJ…

        Em relação ao minuto de silêncio, foste o primeiro a dar-me uma resposta à altura.

        Quanto à educação, talvez a palavra energúmeno lá atrás fosse forte, mas desculpa, estava bem adequado à situação. Mas também não te preocupes, o máximo de incivilidade que posso trazer a este blog será esse. Não costumo andar com alhos e folhas na ponta da caneta só para me fazer ouvir (ler) melhor.

        Cumps

  11. só para reafirmar que o Mangala tem “apenas” vinte e um anos e com uma enorme margem de progressão. tal como o Kléber – apesar da (aparente) nulidade que evidencia nos últimos jogos em que entrou.

    o que gostava de (pres)sentir era o nosso treinador ser capaz de motivar e de rentabilizar a matéria-prima que tem em mãos. e um jogo como o de ontem tinha todos os condimentos para tal.
    mais um exemplo: que motivação terá o Iturbe para o que resta da presente temporada?

    outra nota:
    esta está a ser a antítese da época transacta.
    preciso de recuar aos tempos do Ivic e do Carlos Alberto Silva para sentir tanta “estranheza” da nossa massa adepta – e minha, também – para com a equipa do nosso coração…
    mesmo assim, ainda «acardito»

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)
    Miguel | Tomo II

  12. @ Jorge

    quem sou eu para te dizer como se gere um blogue; tens mais anos destas andanças do que eu, portanto…

    mesmo assim e pela minha (ainda imberbe) experiência, tenho para mim que uma porta aberta a comentários lampónicos, mais cedo ou mais tarde acaba por descambar – para além de que será sempre um “diálogo de surdos”, pois cada qual torce para o seu lado e não quer “ouvir” os argumentos do outro.
    hoje dá para (pres)sentir que algo ainda vai acabar mal…
    e estamos a “falar” de um jogo para a Taça da Liga…

    1. no worries, estou em cima do assunto. se achar que alguém abusa, não passa no lápis azul.

      obrigado pela preocupação e pela sugestão, como sempre :)

      abraço,
      Jorge

      1. Como é evidente, não estou aqui para insultar ninguém. O blog não é meu e o respeitinho na casa dos outros é muito lindo. Quanto ao facto do rapaz vermelho me chamar de energumero, como é evidente passa me ao lado. Vale o que vale e para mim vale zero. Expresso as minhas opiniões como sempre o fiz até hoje. Claro que as mesmas não irão agradar a todos, mas são as minhas. A mim o que me interessa é o FCP e as opiniões dos seus adeptos. Não tenho de ser imparcial, nem politicamente correcto, apenas educado. Se alguma vez não o fui, as minhas desculpas. Mantenho o que disse anteriormente, se o moço não gosta temos pena.

  13. Boas

    http://i1268.photobucket.com/albums/jj565/TascadePalmeira/Jesusomestredatctica.jpg

    “Jorge Coroado

    Luisão agarrou Sapunaru e, apesar de o portista ter respondido, foi o brasileiro quem começou e acabou. Ao fazê-lo, abriu um buraco, permitindo a jogada que deu golo. Deveria ter sido assinalada falta. Quanto ao resto, a imagem não é esclarecedora, mas o modo como a bola saiu do corpo do jogador indicia ter sido com o peito. Mas, o golo nasce de uma irregularidade. ”

    O Jorge Coroado exprime-se melhor que o Vitor Pereira e ao que parece não é portista :)

    Abraços

  14. Boas

    Para acabar:

    histórico de jogos entre FCP vs 5LB

    jogos totais = 224

    Vitórias FCP = 86

    Empates = 55

    Vitórias 5LB = 83

    Titulos Oficiais (n/ entra a taça do preto, nem o guadiana e a latrina)

    FCP = 70
    5LB = 68

    Despeço-me com elevada estima e consideração

    Abraços

  15. Oh Jorge, então mete a soberba do Jesus nos Baronis? A soberba do Jesus é precisamente a razão pela qual ele merce ser ouvido? Uma pessoa diverte-se. Dizer que o Benfica é a melhor equipa porque derrota o FC Porto numa meia-final da Taça da Liga, até a mim, que sou benfiquista, me fez sorrir.

    Um pouco pela mesma razão gosto muito de ouvir as conferências do Vitor Pereira, apesar deste ter um estilo diferente. Engraçada a historia das faixas (não vou repetir o que jà foi muitas vezes dito). Mas, para tomar um exemplo do jogo de ontem, engraçada igualmente a sua tentativa de ao mesmo tempo afirmar que o meio-campo do FC Porto não estoirou na segunda parte e que não existem alternativas para esse mesmo meio-campo.

    Se o Jorge Jesus é coerente na sua arrogância (jà sabemos o que vai sair dali, mas um gajo diverte-se na mesma), o Vitor Pereira é incoerente na sua convicção (um gajo nunca sabe que alhos e bugalhos ele vai misturar).

    Não leve a sério o Jorge Jesus! Não vale a pena. Nem a maioria dos benfiquistas o faz!

  16. Caro Jorge, passo largas temporadas sem comentar aqui, mas garanto-lhe que não perco um post seu, meta o meu Benfica ao barulho ou não. Em tempos tão conturbados (e extremados) em que as blogosferas vermelha e azul não tendem a ser mais do que um repositório de ódios e frustracões, sabe muito bem vir aqui fazer uma terapia de civismo e ver que afinal ainda há esperanca neste mundo. Muito obrigado, sinceramente.

    Quanto a este caso em particular, parece-me que quer o Jesus quer o VP estavam a falar mais para dentro do que para fora. É uma altura fulcral do campeonato e é muito importante mobilizar as massas e motivar os jogadores. Jorge Jesus tentou puxar a auto-estima para cima depois da derrota para o campeonato e dizer, qual puto no recreio da escola, que esta é que estava a contar. Vitor Pereira sente que o plantel está instável e tenta dizer que não, que o Benfica treina as bolas paradas no pavilhao da Luz com a equipa de basket, e nao fosse isso a historia seria diferente. O problema é que a malta emprenha de ouvido e estas lérias de parte a parte pegam de estaca e acirram os animos. Alias, cada vez mais a comunicacão (propaganda?) faz parte do jogo, mais até do que o jogo jogado. Foi curioso ver a inversao de marcha do VP entre a flash interview e a conferencia de imprensa. Entretanto já Pinto da Costa tinha dado o mote para qual devia ser a mensagem oficial. Do lado do Benfica temos figuras como o xôr Gabriel (ainda lá anda?) e aquele teatro de revista que é a BenficaTV. Qualquer comunicado, qualquer sound bite (aprendi que pelos vistos é mesmo de dentada) é logo fagocitado pela blogosfera, deflagrando em menos de um fosforo. No meio disto (nem me vou alargar muito nesta parte) temos os árbitros…esses cabecudos que apanham de todo o lado, essas bencãos dos perdedores, que tão a jeito estão para desviar as atencões e concentrar os ódios. E no ano seguinte é mais uma ficha, mais uma voltinha…

    Serve isto para dizer duas coisas: 1 – apesar dos apesares, 95% das vezes (parece que 67% das estatisticas sao sempre inventadas) ganham sempre os melhores, ou quanto muito os menos maus, e o resto é pirotecnia. 2 – Quando comeca o foguetório, é bom ter refugios como o seu, onde se pode entrar, beber um copo e ter uma conversa calma ao fim do dia.

  17. 2 pontos a reter, a meu ver:

    – Considero o Mangala um excelente DEFESA… mas quando tem que jogar à bola mete MEDO.
    – Como é possível o Hulk passar 45 min à margem do jogo? É que nem se esforça por ir atrás buscar a bola.

  18. Boa tarde,

    Fomos eliminados de mais uma competição, e resta-nos nesta época o campeonato para vencer.

    Ontem mais uma vez, cometemos erros que a este nível não se podem permitir, refiro-me a Mangala que no primeiro e último golo benfiquistas teve responsabilidades.

    Depois de entrarmos praticamente a perder, demos uma resposta positiva, encostamos o Benfica às cordas, demos a volta ao marcador, mas fomos incapazes de matar o jogo nesse período.

    Tal como no jogo para o campeonato, nos últimos 15 minutos da primeira parte permitimos que o Benfica tivesse posse, e deixamos de pressionar.
    É nestas situações que se denota a falta de manha, astúcia para segurar resultados e enervar um adversário em desvantagem.
    Não sei se é por culpa de VP ou por não possuirmos jogadores com características psicológicas adequadas.

    O Benfica após algumas bolas nos ferros, alcançou o golo do empate de forma irregular. A falta sobre Sapunaru é evidente.

    Na segunda parte foi um jogo lento, em que pressionamos pouco, em que fomos macios demais, e o Benfica acaba por alcançar a vitória fruto de um erro individual de Mangala, sem que o merecesse.

    De salientar o fora de jogo mal assinalado sobre Hulk, que poderia levar o jogo a penalties.

    Agora resta à equipa ser séria, e lutar com unhas e dentes pelo campeonato.

    Abraço e boa semana

    Paulo

  19. Depois de tudo que se vai ouvindo por ai ( e não comento quem tem óculos vermelhos, pois os meus são azuis ) existe um problema grave de balneário! Não existe ali quem mande … Quando for assim estamos feitos. Ainda hoje a falar com o colega (primo do Nelson) o próprio staff interno do FCP já não pode mais com o VP, não existe autoridade, ordem ou comando. Se me falavam que o VP era o homem que percebia da coisa, existia um outro que ponham os pontos nos “i” e essa chama-se AVB. Provavelmente por isso é que este ultimo não teve a arte ou para quem quiser a sorte de se manter no lugar. Se calhar faltava-lhe qq coisa.
    Isto faz-me lembrar um tal de Octávio, que eram muito bom segundo mas para ser primeiro e preciso mais qualquer coisa. O General comanda, se os homens não forem bons não vai a lado nenhum, mas sem um bom general …

Deixar uma resposta