Baías e Baronis – FC Porto 1 vs 1 Académica

foto retirada de desporto.sapo.pt

Saí do Dragão e entrei no metro. Dois homens iam a meu lado na confusão que se gera sempre no sistema de transportes parcialmente subterrâneos da Invicta depois de um jogo da bola. Ingleses, de alguma idade, entretidos numa conversa animada. Vinham do estádio, como eu, e falavam do jogo. Um deles, sósia de um Michael Caine mais jovem, apostaria que era londrino pelo profuso sotaque cockney que marcava cada palavra que pronunciava. Carregando um tabuleiro de xadrez numa mala com pega, dizia ao colega: “How the hell did Porto beat Benfica last week? They play like crap!“. Apeei-me na minha estação de saída e enquanto caminhava pela amena noite nortenha, escutei ao longe um jovem adulto, que como eu envergava uma camisola do FC Porto, a gritar ao telefone: “Oh sôr Silva, não me foda, aquilo não é culpa só do treinador! Não sei se é falta de pernas ou falta de atitude mas os caralhos dos jogadores também têm culpa!“. Concordo com o segundo. Hoje jogamos mal, por falta de pernas ou de atitude, talvez das duas. E só não concordo com os britãnicos porque na semana passada a equipa não jogou como fez hoje. E aí esteve a grande diferença. Notas abaixo:

 

(+) Djalma É difícil encontrar um Baía no jogo de hoje, mas vou apontar o angolano como tendo feito uma exibição positiva. Hulk não esteve mal a espaços e Maicon também não foi dos piores, mas Djalma entrou com garra, esforçou-se, lutou e tentou mudar o jogo, algo que alguns dos seus colegas pareciam não querer ou não conseguir arranjar força para querer. Já aqui disse várias vezes que precisamos mais de Djalmas do que Jameses e reafirmo-o, especialmente neste tipo de jogos. É muito bonito aparecerem situações de jogo pontuais em que o talento resolve problemas que o suor não consegue. Mas se tivermos noventa minutos de esforço…não me digam que as oportunidades de perigo não se tornam menos pontuais e mais recorrentes. É só isso que lhes peço e Djalma, neste momento, é dos poucos que ainda consegue correr com garra durante um jogo inteiro.

 

(-) O regresso da inércia Este FC Porto de 2011/2012 tem uma capacidade kubrickiana de levar os adeptos desde um êxtase de alegria a uma profunda depressão em poucos dias. Depois do jogo da Luz exigia-se que os rapazes conseguissem pegar no jogo pelos cornos, entrar com a fibra e capacidade de circulação de bola que tinha mostrado na semana passada e vencesse a partida com um ou dois golos para depois descansar com ou sem bola. Não o fez. Mais uma vez, numa demonstração ridícula de uma permissividade atroz para com o adversário, entrou devagar, tão devagar que adormeceu os adeptos. O estádio estava estranhamente silencioso, amorfo, inerte, como eles. As lentas trocas de bola contagiaram o público, a incapacidade do meio-campo rodar para a criação de espaços transformou o jogo de futebol num filme de Alexander Payne, onde tudo se passa quando nada acontece. E o apelido do realizador é a fonética certa para o que já aconteceu tantas vezes: o golo dos outros. Rolando, estático, é a imagem da equipa. Parado, a olhar para o oponente que se movimenta sem obstrução, sem oposição, sem problemas, sem barreiras. Marca. Os nossos rapazes entreolham-se e sobem no terreno, mas com poucas pernas e menos cabeça. O FC Porto jogou hoje no Dragão. Mas jogou atabalhoado, sem discernimento e apenas nos últimos 25/30 minutos. É muito pouco para quem quer ser campeão nacional.

(-) As pernas e a falta de alternativas no meio-campo I hate to say I told you so, but I will anyway. Em Fevereiro, aquando da saída de Souza por empréstimo para o Grémio, tinha alertado para este problema. Quando o meio-campo foi de tal maneira depauperado a nível de opções válidas para lá jogarem em partidas que são mais físicas, com menos espaços e com uma necessidade de gente que rompa com a bola e que dê mais luta aos adversários na zona central, o FC Porto vai sofrer. E hoje foi mais um exemplo, com a lesão de Fernando e Moutinho e Lucho a fazerem um jogo horrível, cheios de hesitações, passes falhados e uma completa falta de sentido prático e simplicidade de movimentos, apenas Defour se movimentava um pouco mais no terreno, mas estava a pegar na bola demasiado atrás para ter algum impacto visível. Quando as pernas faltam, a cabeça vai atrás. E é ainda mais penoso quando não há mais ninguém que possa substituir os que temos.

(-) A permissividade da arbitragem A Académica fazia o seu papel. Exagerados nas quedas, muito forçados quando queimavam tempo, foram a definição de anti-jogo durante noventa minutos. Foram provincianos, aqueles montes de esterco. O costume. E nada que nós próprios não façamos em situações semelhantes, com a ressalva que estes moços foram tão ostensivos no papel do coitadinho que podiam figurar em qualquer novela portuguesa tal era a intensidade da actuação forçada em cada cena que protagonizavam. E o obtuso do árbitro, complacente para tudo que vinha de Coimbra, deixava-os fazer o que queriam. Não questiono o árbitro quanto aos lances de perigo na área ou no fora-de-jogo a Hulk que poderá ter sido mal tirado, nem sequer no penalty que marcou a nosso favor. Isso são situações de jogo que acontecem, que tantas vezes beneficiam gregos numa semana e troianos na outra. Mas esta permissividade, quando era claro aos olhos de todos que a fita era premeditada e falsa (várias vezes o jovem academista deitava-se no relvado agarrado a qualquer parte do corpo como se tivesse pisado uma mina pessoal para dois segundos depois dos dois minutos desperdiçados com a entrada da equipa médica e dos maqueiros…se levantar e correr alegremente por campos metaforicamente floridos), enervou toda a gente. Foi um facilitador da mentira. E este tipo de árbitro só estraga o futebol. Estou convencido que não conseguimos vencer por culpa própria. Mas o facto de só termos empatado deve-se em grande parte a Marco Ferreira.

 

E depois do jogo da Luz…o regresso ao Dragão e às exibições que nos fazem duvidar que podemos chegar ao final da época com um triunfo no campeonato. Já por tantas vezes vi este filme onde depois dos guerreiros lutarem a desbravar caminho por terras sarracenas, voltam a casa com uma infeliz representação da futilidade da euforia depois de uma grande vitória. Eram nove finais. Passam a ser oito. E desperdiçámos o jogo que tínhamos na mão e que nos podia ser tão útil daqui a umas semanas. Não ouso dizer que sei o que passa na cabeça dos jogadores ou do treinador, mas se fosse eu com aquelas camisolas no lombo sentia-me muito descontente com o que tinha acabado de fazer. Enfim, vamos à Madeira para tentar mudar outra vez o rumo do nosso optimismo. Ou pessimismo. Já não sei qual deles vinga, sinceramente.

37 comentários

  1. Boa noite Jorge.Isto é um copy/paste do que escrevi ontem à tarde aqui no “oube lá, mister”…

    “RBN diz:
    10 de Março de 2012 às 13:28
    Bom dia Jorge, o FCP não pode dar 45 minutos de avanço à Briosa, como andou a fazer noutros jogos que não no galinheiro.

    Temos que matar logo o jogo ainda na 1ª parte, porque nós sabemos que num único lance ou remate fortuito do adversário, a coisa pode azedar para o nosso lado, tantas vezes já vimos este filme, e perdem-se pontos irrecuperáveis.

    É isso que espero do FCP logo mais, e sabendo de antemão que o Braga joga mais cedo e os galináceos apenas amanhã, uma vitória hoje já colocava o FCP a 6 pontos do clube dos menstruados lisboanos, e teriam eles que entrar amanhã em Paços com toda a pressão em cima deles.”

    Porra, será possível que estes porras não aprendem???

  2. Boa noite Berto,

    o que dizer sobre esta cambada de homens desgovernados que temos na nossa equipa. Confio tanto na regularidade destes jogadores como confio a um arrumador um carro meu destrancado, ou seja, até existe uma possibilidade do carro estar intacto quando regressar, mas o mais certo é já não ter o auto-rádio.

    Acho que este plantel não precisa de um treinador, precisa é de um bom psiquiatra:

    – Existem vários comportamentos “á lá” Fernando Mamede na nossa equipa, era uma homem de capacidade de correr meias distâncias como ninguém e depois, nos momentos chave em que todos exigiam que ele ganhasse, ele ia-se abaixo. E isso acontece ao Porto (a muitos jogadores), se o Porto na semana passada tivesse perdido ou empatado contra o Benfica, ninguém levava a mal, seria algo “compreensível”, agora que o Porto tinha 9 jogos em que qualquer ponto perdido poderia ser fatal, pimba!!! 2 pontos para o lixo
    – A quantidade de 1ªs partes que já oferecidas aos adversários é monstruosa este ano, basta encontrar um defesa forte e organizada e o Porto não lhes consegue dar a volta, temos uma bipolaridade no nosso jogo assustadora

    Vai ser penoso de ver, depois de ter ficado com tanta esperança que o Campeonato iria ser nosso, vejo o Porto a perder pts num dos jogos mais fáceis (pelo menos em teoria).

    Em relação ao meu ódio de estimação, o Sr. VP, falhou no momento em que colocou dois pontas de lança mas recuou o Alvaro Pereira, ou seja, perdeu 40% da capacidade que tínhamos dos cruzamentos (se calhar estou a exagerar, mas desta vez não foi por culpa da estratégia dele que não conseguimos ganhar)

    Agora temos que ir ao Nacional já na próxima jornada, ao Paços, ao Braga e ao Marítimo, vai ser muito difícil não perder pontos nesses jogos…

    P.S.: Em relação ao árbitro, digo o mesmo que tu, nem é tanto pelo lance de penalty não marcado e o fora de jogo inexistente, é o apito demasiado acessível que permite que os últimos 8 minutos do jogo tenha no máximo 2 min. e meio de jogo útil (gostava de ver a repetição do jogo só para te dar uns nºs mais exactos, mas não devam estar longe disto). Espero que a lesão do Fernando não seja muito grave

  3. Permite-me usar a seguinte frase:

    “E depois do jogo da Luz…o regresso ao Dragão e às exibições que nos fazem duvidar que podemos chegar ao final da época com um triunfo no campeonato.”

    Dúvidas? Eu fiquei sem qualquer dúvida, nós não seremos campeões!! Hoje tirei essa ideia da minha cabeça! Quem entra para um jogo da forma que entramos não merece ser campeão, ou melhor, NÃO QUERE SER CAMPEÃO!
    Muito me custa…
    Abraço a todos.

    1. Lima,

      Tou contigo, NOS (FCP) NAO MERECE SER CAMPEAO!!!!

      Infelizmente não sou muito participativo aqui no porta19 ou noutro lado qualquer, as razões são fáceis, não tenho jeito nenhum para escrever, e dai dou méritos ao meu homónimo (aqui o Sr. Jorge), e porque não tenho muito tempo, já ver os jogos é uma luta com as gémeas de 2 anos aqui de casa.
      Mas conheço um tipo que trabalha comigo, dos vermelhos, mas com muito bons relacionamentos “dentro” do staff que me confessou algo que no mínimo fiquei boquiaberto “disseram-me que ainda não sabem se o VP vai continuar no próximo ano, como agora está em primeiro vai ser difícil uma justificação para o tirar de lá”.
      Sem querer levantar polemicas, e depois desta maravilhosa atuação frente a académica, nem sei o que diga, mas uma coisa é certa, o VP outra vez não.
      No jogo dos vermelhos o homem teve bem, muito bem alias mas o resto da temporada uma desgraça. Vale a pena andar um ano com o coração nas mãos ?

      Sobre as culpas se são do VP ou dos jogadores não sei, mas nestas situações o chefe é que se lixa e neste caso este tem nome e rosto

  4. caro Jorge, caríssimas(os),

    ser Porto” é termos um estado de alma capaz de suplantar emoções, como a de esta noite – em que esbanjámos dois pontos por culpa própria (e com uma ajudinha do árbitro) -, de mantermos a nossa cabeça bem erguida, de apresentarmos o nosso melhor sorriso às provocações – que já se (pres)sentem – e de prosseguirmos com o espírito crente (e ciente) de que, no final, venceremos!

    ser Porto” é, nesta altura de aperto e por muitas divergências que tenhamos para com quem lidera o nosso clube do coração, sermos capazes de o apoiar incondicionalmente, remando (com todos) para um mesmo lado, numa mesma direcção e com um fito comum: a conquista do campeonato nacional!

    somos Porto!, car@go!
    «este é o nosso destino»: «a vencer desde 1893»!

    saudações desportivas mas sempre pentacampeãs a todas(os) vós! ;)

    Miguel | Tomo II

  5. Boa noite,
    O meu clube teve o titulo na mao, com 5 pontos de vantagem e deixou o passaro fugir.
    O vosso ficou com o titulo à mercê e hoje fez o que fez e que já todos analisaram.
    Será que é desta que dá Braga? Mais uma vitoria hoje..
    Ja tinha aqui referido que o titulo nao estava entregue, porque o resultado do jogo da Luz espelha uma vantagem do FCP sobre o Benfica que não é uma realidade do ponto de vista exibicional. As 2 equipas sao muito semelhantes e cheira-me que a decisão vai ser feitas na ultima jornada, decisao a qual provavelmente poderá incluir o (outsider?) Braga.
    Cumpts

  6. Como é possivel depois de ganhar na luz jogar desta maneira? uma vergonha estes jogadores, sem alma e sem vontade, meus caros este ano dificilmente o titulo será nosso…. estes jogadores sté perece que estao a gozar comos socios e adeptos.

  7. Um amigo meu ao resumir o jogo de ontem disse:

    F***-se, esse teu Porto conseguiu a coisa mais difícil, que foi tipo conseguir levar a Soraia Chaves p’ra cama, e na hora H, faltou viagra!!!!

  8. Tem uma certa piada ouvir-vos falar de arbitragem… Ainda para mais num jogo onde o árbitro acabou por fazer um bom trabalho. Os mergulhos para a área, teve a coragem de não os transformar em penaltis, como já conteceu bastas vezes esta época, e obviamente, decidiu bem no penalti com que empataram. Falaste do djalma como melhor jogador neste jogo: agora imagina se ele tivesse sido expulso como deveria ter sido na Luz!

    Quanto ao jogo em si, jogaram mal e porcamente, mas com um pouco de sorte, teriam marcado o primeiro mais cedo, e muito provavlmente, teriam acabado por ganhar. Não o conseguiram. Fez-me lembrar o jogo académica-benfica, mas onde em vez de mergulhos, houve penaltis reais, mas que mesmo assim não foram marcados.

    Que tenham ficado desgostosos com o jogo, com a exibição, e com o resultado, tudo bem, tudo normal. Mas por favor, depois do que já conteceu neste campeonato, depois do que aconteceu na Luz, queixarem-se da arbitragem normal e sem casos deste jogo é simplesmente, surreal… (ou não!)

        1. Não te preocupes com o Campeão Nacional, mas sim com o facto de ainda teres de olhar para cima. Em relação a penalties e arbitragens, rapidamente me vem à cabeça o Guimarães penalizado com 3 inexistentes em 12 minutos. Um recorde ao que parece. Infelizmente apanhamos bandeirinhas assim como que para o vesgo, como o de ontem.

          1. falta de argumentos para justificar o quê? o facto de haver umas alturas em que uns são beneficiados e outros são prejudicados e vice-versa?
            é que foi exactamente o que o Rebelo disse…

          2. Falta de argumentos porque foi buscar um jogo em que houve, sim senhor, 3 penaltis, mas não, não foram 3 penaltis inexistentes. No máximo 1. Mas claro, uma mentira repetida muitas vezes torna-se em verdade, certo? Se notaram bem, aceitei como verdadeiro o penalti que vos deu o empate, mas certamente já ouviram opiniões em contrário. Aliás, o problema, por vezes, não são os penaltis marcados. São aqueles iguais a esses que ficam por marcar contra vós.

            E por favor, não me venha com as teorias tipo esponja, que todos são beneficiados da mesma maneira. Ninguém acredita nisso, nem vós…

          3. Sim, muito facilmente, imagino…

            Mas enfim, não vale a pena entrar nesse tipo de discussão, pois não saímos daqui!

            Já agora, e fora do contexto, este é o único blog portista para o qual faço link no meu blog. Apesar da natural parcialidade em relação ao seu clube, tal como eu tenho em relação ao meu, é dos poucos que consigo ler sem ter aversão ao conteúdo. Não concordo com tudo (nem com a maioria), mas se assim fosse, o futebol não teria a mesma piada. Parabéns!

    1. já percebi que não és um habitual leitor do Porta19, senão a atitude seria diferente. ou não, sinceramente não sei. mas não é meu hábito questionar decisões de arbitragem logo depois do jogo porque considero que na maior parte das vezes é muito difícil tomar decisões acertadas a 100% naquele espaço de tempo. só que o que ontem me enervou foram as decisões conscientes em situações absurdamente falsas e deliberadas de anti-jogo que o árbitro permitiu.

      e quanto ao Benfica vs Porto, e “tudo aquilo que aconteceu” no campeonato…amigo, é falacioso. por cada caso que aches teres sido prejudicado, arranjo-te outro em que foste beneficiado. e o mesmo para nós. o facto de alegares exactamente isso só faz de ti uma pessoa que não consegue ver para além da parvoíce das histórias que te enfiam na cabeça. abstrai-te da estupidez e vê os lances pelos lances e não pelo que falam deles. vais ver que ficas a entender melhor o futebol.

      cumprimentos,
      Jorge

      1. Sim, sou um habitual leitor deste espaço, e como tal, leitor, sinto-me no direito de comentar e fazer o contraditório.

        Quanto ao resto do seu comentário, devo dizer que não aprecio que façam juízos de valor em relação a mim sem me conhecerem. Eu vejo futebol, ninguém o vê por mim. Como tal, eu analiso os lances como os vejo, e não como os outros o veem. Por isso, não, não me revejo nesse tal estúpido que ouve o que os dizem e repete. Tento sempre analisar os lances de forma imparcial, sendo no entanto condicionado pela parcialidade natural de um ferveroso adepto do seu clube. Tal como acontece consigo e com muitos, certamente. Mas tento ter a tal imparcialidade. Como sabe, há muitos que não o tentam. Mas mesmo assim, ninguém me pode impedir que ver o que vejo, e muito menos, de analisá-los como os vejo.

        Por isso, e dentro do respeito que tenho por si e pela sua escrita, agradeço o mesmo em relação a mim.

        cumprimentos

        1. Ó Filipe, acho uma piada tremenda vir para um blog Portista mandar postas para o ar só porque é “leitor” e “se sente no direito de..”.
          Arbitragens, como não poderia deixar de ser, é o argumento hipocrita de um vermelho que serve para todas as circunstâncias:

          Provavelmente, você saíu do seu estádio no célebre “jogo do título” com um andar diferente e de lenço na mão, a falar com adeptos do seu clube tentando saber o porquê de o Porto ser melhor e de nos últimos 3 jogos na luz, ter ganho todos. Eu até entendo, que para não haver confusão e dor maior, começem todos a falar dos arbitros…como que para amenizar a dor. Você só não se pode esquecer, que está num blog em que, provavelmente, 98% dos leitores são Portistas que viram o seu clube ser prejudicado nesse jogo que ganhou por 3-2. Viram um jogador chamado Cardozo jogar andebol dentro da area do seu clube, agressões de um baixinho com uma verruga no lábio a tudo o que tinha camisola azul e branca, um golo do seu clube precedido de uma falta inexistente …portanto você quer o quê exactamente? que o pessoal começe a gritar Eusébio e SL “não sei quê”? Aprenda a ver a bola que já é um bom começo, já que para mudar de clube já é tarde.
          Há cada um…

          1. Não sei se o autor deste blog concorda que aqui só devam vir portistas, mas registo a sua ideia de democracia. Apenas mostrei o meu ponto de vista, e se der conta, em nenhuma ocasião fui mal educado. Se é assim a sua forma de estar na vida, força. Não é a minha. Quanto aos meus comentários, são meus e respondo por aquilo que digo.

            Jorge, se quiser, não voltarei a comentar neste blog. É só pedir, ou então, colocar uma tabuleta a dizer “apenas para portistas”. Até lá, copntinuarei a vir com prazer a este blog, onde dou a minha opinião de forma civilizada.

  9. Bom dia,

    Após termos conquistado a liderança isolada do campeonato diante do grande rival,não era de esperar esta atitude deplorável, revoltante, vergonhosa, sem explicação dos profissionais do FC Porto.

    Os adeptos não merecem isto.
    Esta equipa não tem estofo de campeão, e como disse à umas jornadas atrás – se este ano vencermos o título… bem esta equipa será alvo de estudo dos académicos do futebol.

    Basta comparar a atitude no jogo de ontem do Braga e a nossa para chegarmos à conclusão que estes jogadores não merecem o primeiro lugar.

    Revolta-me imenso VP vir à uns jogos para cá dizer que damos a primeira parte ao adversário, algo que todos nós vemos, sem arranjar solução para esta situação.

    Esta equipa é bipolar, e deixa os adeptos de nervos em franja.

    O público no dragão demonstrou paciência e não foi por falta de apoio que empatamos.
    Mesmo havendo um penalti a nosso favor por assinalar, será vergonhoso que nos refugiemos na arbitragem, pois o resultado justo era a vitória da briosa.

    Abraço e bom domingo

    Paulo

  10. Claro que como todos fiquei com os nervos à flor da pele. Primeiro pela forma despropositada como os jogadores da Académica batiam e pisavam os nossos, com a inteira complacência do árbitro – que se apressou a dar um amarelo ao Rolando por nada- depois pela estupidez de muitos jogadores: falaste no Djalma e no Hulk, que marcou numa hora decisiva um penalti fantasticamente executado, e do Maicon. Acrescento um Janko esforçado, um Lucho desgastado, o usual Helton…talvez um Defour… pelo menos esses queriam ir para frente, levar o jogo. mas que dizer do James, do Palito, do Sapunaru ? inúteis. Pareceu-me que lhes interessou (aos dois primeiros) o jogo com o Benfas por causa de quem estava a ver. Vai-lhes interessar o jogo com o Braga por essa razão também. Os restantes jogos, só se lhes parecer que se não o do Braga não será visto… Poderiam estar na ressaca. Finalmente cansados do esforço. Mas o Sapunaru estava cansado de quê?…
    Sim, espero que tenha sido de facto e apenas a tal ressaca…

    Para responder ao PN: tem um ditado nesses países do centro da europa que diz que, quando dois se degladiam, exulta o terceiro!… – Chamar outsider ao Braga, já é sacrilégio….

    1. Meu caro, se nao entendeu que estava a ironizar quando chamei outsider ao braga, e um problema seu em relacao ao qual nada posso fazer.
      Cumpts

  11. Ora bem…

    Tendo em conta que os nosso meninos só sabem jogar 45 min, ou pelos menos só entram em campo depois de metade do jogo ter começado, era bastante justo cortar 50% dos seus salários milionarios e cortar assim no preço dos bilhetes…

    Acho que quando compramos 1 bilhete é para ver 90 minutos de futebol.. Não sei digo eu…

  12. Decididamente O Porto desta época não convence! É uma equipa intermitente, capaz do melhor e do pior. Falta-lhe personalidade e estaleca de campeão.

    Desta forma, vai colocar os adeptos com o coração nas mãos. Foi exactamente o que aconteceu na noite de ontem. Equipa com atitude displicente, sem inspiração e sem raça. Os jogadores nucleares estiveram todos em simultânea ausência e quando assim é, pouco ou nada há a fazer.

    Se os processos ofensivos foram afectados por esse eclipse, os defensivos não dispensaram as abébias habituais, com Rolando como principal responsável pelo golo sofrido.

    Enfim, quem assim joga não pode aspirar a ser campeão.

    Depois de alguma esperança, renascida na semana passada, a desconfiança volta a pairar.

    Esta equipa é imprópria para cardíacos.

    Um abraço

  13. Ja o dizia quando jogava o Kleber ao meio e repito-o agora com a agravante que o gajo que esta la no meio e uma cabeca mais alto que os outros: os alas sao incapazes de fazer cruzamentos de jeito de uma forma consitente. Assim nao ha ponta de lanca que sobreviva.

  14. Bom, faltam 8 jornadas para o final do campeonato e temos três claros candidatos ao titulo (o Braga é-o na pràtica mesmo se continuam a recusar essa hipotese em teoria). O que penso:

    – O Benfica serà campeão graças ao calendàrio muito mais favoràvel que o do Braga ou FC Porto;

    – O Braga serà campeão pelo nivel exibicional superior ao do Benfica e do FC Porto;

    – O FC Porto serà campeão… por que razão o FC Porto poderà ser campeão?

  15. A diferença é que quando temos um treinador, somos campeões sem espinhas e fazemos grandes campanhas Europeias… quando não temos como este ano andamos sofridamente a tentar sermos campeões.

    Esperando que um terço qualquer nos empurre a bola para a baliza…

    Muito muito pouco!!!

    1. Sinceramente acho que não nos devemos perder em polémicas e discussões destas, mas como já cansei um pouco de tantas queixas sempre dirigidas ao mesmo, deixa-me dizer-te que, é evidente que a designação de treinador a que te referes tem muitas hipóteses de interpretação.
      – Consideras um treinador o que no ano passado cá esteve? Olha, os adeptos do Chelsea não concordam minimamente contigo.
      Se me souberes explicar porquê, já compreendeste que o que dizes não é uma verdade. É parte dela. Se vires um iceberg sem saberes a massa que se esconde debaixo do mar, achas que ele é só aquele monte à vista dos olhos. Mas não é verdade.

  16. Sim considero o AVB um excelente treinador. E a campanha que fez no Chelsea foi uma desilusão para mim…

    Sabes reinemargot eu gosto de olhar para um campo e dizer, eu aproveito daqui muita coisa. Vejo dinâmica, vejo organização, vejo transições bem definidas tanto ofensivamente como defensivamente. E por muito que tente, não consigo ver nada neste Porto deste ano…

    Vejo em quase todos os jogos uma equipa sem ideias. Vejo 11 bons jogadores completamente a deriva num relvado, à espera que o talento individual resolva situações que deveriam ser treinadadas durante a semana. Nesta época jogamos sistematicamente numa tripla, qualquer que seja o jogo arriscamos-nos a sair com qualquer resultado, isso chama-se sorte que deveria ser o menos importante para algo tão complexo como uma partida de futebol. Esta época tanto podemos ganhar a qualquer Benfica como podemos ser goleados pela Académica ou Gil Vicente, tanto podemos golear um APOEL como sofrer um golo no ultimo minuto.
    Esta época não consigo sentir um Porto seguro, um Porto capaz…

    Este jogo ultimo vimos um treinador sem ideia, um gajo que faz mete o Djalma as 55 minutos e logo a seguir tira um central para meter um ponta-de-lança é um gajo que acredita que o golo vai surgir por sim… consegues-me explicar porque se mete um ala a lateral e apenas 5 minutos depois se mete mais um gajo na frente?

    Faltavam 30 minutos (1/3 terço de jogo) para acabar e nós já tinhamos arriscado tudo. A partir daí quantas situações de golo creamos? O que fizeram dois pontas-de-lança em campo?

    OK… vais-me dizer mas contra o Benfica fez isto e resultou, e toda a gente disse é pah que grande o gajo é. Sim contra o Benfica resultou, e agora vamos fazer sempre o mesmo. Um treinador não tem de ter ideias, não tem de perceber como penetrar num autocarro?

    Como é que depois de um voltarmos ao primeiro lugar conseguimos em casa fazer um jogo tão fraco como muitos outros esta época?

    E o discurso do gajo? Ele não consegue dizer uma frase, não saí nada dali, como achas que é o discurso no balneareo? Quanto é que vale a motivação no futebol? Eu acho que este gajo não consegue motivar ninguém… ver uma conferencia de imprensa dele é mais ridicula que qualquer uma do JJ.

    Mas se há uma coisa que me faz realmente confusão, e essa eu gostava que alguém me explicasse, como depois de uma época fantastica, com uma dinamica de posse interessantissima como é que invertemos o triangulo do meio-campo? Temos o melhor trinco da Liga que ocupa como ninguém o espaço seis, para quê ter um médio tão perto dele? Temos dois médios fantasticos, porque deixamos de jogar com eles lado a lado, e vemos um Lucho a jogar a 10 tão perto do avançado. Espaço esse que devia tal como no ano passado ser ocupado em espaços pelo James, o melhor gajo a definir naquela zona.
    Explica-me porque perdemos algo que eramos tão bons? Acho que qualquer gajo que fosse para lá, não destruia algo tão bom… e isso faz-me ainda mais confusão vindo de um gajo que tinha sido adjunto o ano passado.

    Enfim, há muita coisa que me custa a perceber… mas que até pode não ser verdade!

    1. Quanto ao que o VP pensa sobre futebol e como acha que deve ser jogado podes ler em longas entrevistas amplamente publicadas nos blogues no início da temporada;
      Quanto ao resto que perguntas deixo-te este excerto do público:
      “A própria imprensa britânica considera que Lampard, Terry, Drogba e Ashley Cole, entre outros, contribuíram de forma decisiva para a saída do técnico português. A propósito, vale a pena atentar na seguinte passagem de um texto publicado pelo The Guardian: “A decisão de os próprios subordinados matarem o comandante acontece em todas as guerras quando os experientes soldados perderam o respeito pelo seu líder e passam a colocar a sua sobrevivência à frente da lealdade.”
      Tanto vale para um, como para o outro.
      Quando os jogadores não querem…

      1. Reinemargot conheço VP desde do tempo da formação do Porto e depois quando foi para o Espinho. Eu sei que não chegou ao Porto por acaso, já nessa altura dizia-se que seria treinador de primeira.
        Mas há sempre factores que vão para além da capacidade e do conhecimento.

        E na minha opinião VP tem duas falhas graves. Liderança e discurso, algo que um bom líder tem obrigatoriamente de ter.

        Ainda ontem me contaram, um adepto que viu o jogo no estádio que Helton a quando da marcação do penalti mandou calar alguém no banco. E que ao que parece havia indicações para ser o Lucho a marcar… são pequenos pormenores que dizem muita coisa.

        Por outro lado, acho que todos os treinadores gostam e devem colocar as suas ideias em prática, mas acho que é muito pouco inteligente destruir algo que estava muito muito bom. E é isso que me custa a perceber neste Porto… e sublinho a ideia que aquele meio-campo assim faz-me demasiada confusão!

Deixar uma resposta