Baías e Baronis – SC Braga 0 vs 1 FC Porto

foto retirada de desporto.sapo.pt

São estes jogos, nas circunstâncias em que são disputados, com a relva nos dentes e os olhos raiados de vermelho-sangue, que fazem ou desfazem campeonatos. É com a força interior, com a capacidade de esforço e dedicação a uma causa conjunta, lutando contra uma equipa de grande valor que sente o mesmo que nós e luta pelo mesmo objectivo, que se consegue chegar ao ponto mais alto da classificação de uma temporada tão atípica e tão cheia de altos muito altos e baixos demasiadamente baixos. E foi esse FC Porto que vimos hoje na pedreira de Braga, um FC Porto que trabalhou em conjunto, que se uniu nos momentos difíceis e encarou este jogo como uma partida de importância vital para um final que se quer perfeito depois de uma época imperfeita. Foi enervante, difícil, cansativo. E foi nosso.

 

(+) Maicon e Otamendi Mais até que Hulk, os dois homens no centro da defesa do FC Porto foram quase perfeitos nas posições que ocupavam. Tanto o brasileiro como o argentino estiveram em grande na cobertura defensiva, no controlo do ataque do Braga que raramente conseguiu criar perigo para Helton porque não conseguiram passar pela parede que foi formada pela nossa dupla de centrais. Parece estranho ver Otamendi a brilhar a tão grande altura em Braga (no ano passado marcou lá dois golos) depois de o termos visto em tantos jogos a fazer tanta borrada, mas a verdade é que talvez tenha feito a melhor exibição da época. Maicon não complicou, mais uma vez, e apesar de alguns passes falhados no desenrolar de jogadas ofensivas, ajudou muito a equipa com a força e a imponência do jogo aéreo em zonas recuadas. Rolando, rapaz, parece que começas a ficar com os dias contados.

(+) Hulk O herói da noite. Só parou de correr quando não conseguiu mais e mesmo assim foi muito útil a tapar as subidas de Elderson e continua a ser o elemento mais profícuo no nosso ataque, por vários motivos. Porque é por ele que obrigatoriamente as jogadas de ataque têm de passar para que os desiquilíbrios o sejam de facto. Reparem nas duas jogadas que na primeira parte deram remates de Lucho para boas defesas de Quim. E o remate quase sem ângulo que daria o golo do ano e que fez com que Quim fizesse uma das melhores defesas que me lembro de ver na minha vida, de puro instinto e perfeita noção de espaço. Hulk, para além do golo, é importante acima de tudo quando joga a este nível, com força, garra e a complicar pouco. Se conseguirmos ser campeões este ano, o título é em grande parte dele.

(+) Defour Tinha as minhas dúvidas acerca da capacidade do meio-campo do FC Porto aguentar o do Braga sem Fernando no onze. Mas o belga esteve em todo o lado, com garra, esforçado, prático, sem inventar. Não tem e nunca terá a disponibilidade física de Fernando mas compensou essa natural inépcia com um excelente posicionamento, intercepções importantes e saídas rápidas para o contra-ataque com passes bem apontados e boa visão de jogo. Soube quando driblar, quando passar, quando correr e quando parar. Gostei.

 

(-) Álvaro Pereira Não dou um Baroni a Álvaro pela reacção à substituição. Falava com um amigo acerca disso enquanto via o jogo e ambos concordávamos que preferimos ver um jogador chateado por sair quando acha que pode e deve continuar em campo e discordar abertamente do treinador. Não me maça minimamente desde que as coisas sejam esclarecidas a posteriori, mais a frio. Mas Álvaro estava a fazer um jogo tão trapalhão, com inúmeras perdas de bola por mau domínio do esférico, cruzamentos para ninguém e mau posicionamento defensivo. Não fosse a ajuda de James e de Moutinho pelo seu lado e Alan teria sido bastante mais produtivo. Saiu bem.

(-) Kleber Compreendo a opção de Vitor Pereira. Um avançado mais móvel, mais mexido, menos posicional e que pudesse recuar para vir buscar jogo, tudo faria sentido…se Kleber conseguisse estar em jogo mais vezes. Mas foi quase impossível porque o brasileiro não parece assentar bem na equipa, produz muito pouco e perdeu até a loucura dos primeiros jogos em que corria mais do que tocava na bola, parecendo desistir com enervante facilidade dos lances. Custa-me olhar para este rapaz e pensar que era a aposta para titular no FC Porto 2011/2012.

(-) A continuação da saga “Porque é que falhamos tantos passes?” É a mesma história semana sim, semana sim. A quantidade de passes falhados e lances que consequentemente se perdem na sequência dessa inépcia técnica é assustadoramente elevada para uma equipa do nosso nível. Não consigo compreender o porquê de tanto falhanço, de não se conseguir ligar o jogo entre sectores de uma forma consistente, porque gostaria de pensar que as nossas sessões de treino incluem algo mais que umas corridas e meia-dúzia de peladinhas. Palavra de honra que os punha a acertar num poste a distâncias variáveis e quem falhasse tinha de limpar o telhado do Dragão preso só por um fio dental. Era só para ver se os gajos começavam a acertar os passes em condições.

 

Cinco pontos à frente do Braga e doze pontos em disputa. Não os afastámos de vez do campeonato, mas demos uma facada nos gémeos da qual não será fácil aos bracarenses recuperar. Já o Benfica…é outra história. Se os rapazes de vermelho decidirem ir vencer a Alvalade, podemos ter campeonato até ao fim. Raios, mesmo que não consigam ganhar na retrete do Lumiar, também vamos ter época até à 30ª jornada, quando muito até à 29ª. De uma coisa não podemos fugir: o FC Porto está na posição mais que primária para poder garantir o bicampeonato. E hoje, depois do jogo, enquanto me acalmava depois da quarta ou quinta cerveja, fiquei a pensar que este podia ter sido o jogo do título. Bastava termos feito mais três ou quatro jogos com esta intensidade. Merda, custa-me tanto reviver Barcelos, Olhão ou Aveiro…só espero que esse tempo tenha ficado para trás.

9 comentários

  1. Antes de mais!
    Baroni

    45 anos

    Avançado

    1994/1995

    feliz aniversario!

    Quanto ao jogo so tenho a dizer qu era esta dupla de centrais que esperava a muito ver reunida acho que se podem complementar muito bem, talvez ainda melhor quando o otamendi decidir correr a todas as bolas e nao abrandar quando ve que nao tem a mesma pedalada.

  2. Foi um jogo muito dificil mais por nossa culpa do que do adversário.

    Entramos bem mas foi sol de pouca dura, depois começamos a respeitar o Braga em demasia. Lucho falhou 2 remates que não se pode falhar (falhou os remates que aquilo foram passes ao Quim… eu só queria remates com potencia daquela posição sem qualquer oposição), e o Quim fez uma defesa do outro mundo.

    Na 2ª parte lá resolvemos entrar com 11 jogadores e quase concedemos um golo, num mau passe de Varela que depois proporcionou um grande trabalho ao Hugo Viana e Helder Barbosa, com o 1º a falhar a baliza de forma escandalosa.

    Depois disso, estabelizamos e marcamos numa falha de transição do Braga, muito parecida ao que o Varela proporcionou.

    A partir desse momento resolvemos defender.

    Em grande destaque estiveram Defour (Fantástico Jogo), Otamendi (grande jogo também), Moutinho (a estrutura defensiva e ofensiva começa sempre nele), Hulk (quando apareceu dequilibrou sempre).

    De negativo tivemos o Alvaro Pereira (jogo muito fraco), Kleber (jogou?), Lucho (além dos maus remates ainda teve muito pouco em jogo, apesar de ter mostrado muita disponibilidade para ajudar a defender), James (que jogo mais mediocre… esteve no passe para o Hulk, mas foi isso e pouco mais… a bola parecia que mordia).

    Vitor Pereira escalonou mal a equipa e logo onde o treinador custuma ser melhor, que é no pré-jogo. Ninguém percebeu o porquê de Kleber jogar em detrimento do Janko. Se era para o Kleber se mexer, todos sabem que ele não se mexe com o resto da equipa… O Janko é essencial para prender os centrais e deixar Hulk e James, com menos vegilância na altura do arranque. O Kleber, nem para isso serve.

    Nas substituições esteve melhor e mostrou um ar de cinismo “à Italiana”, com a opção pelos 3 Centrais nos ultimos 10 minutos, o que secou por completo o Braga. Foram 3 substituições bem feitas.

    P.S.: Aquela velocidade do Lima, num ataque a correr ao lado dos sprints do Hulk, faziam muitos estragos… ataque 2012/2013?

  3. Assim sim!!!!

    A equipa jogou como equipa, suou sangue quando necessário e foi pena ter jogado com 10 jogadores na 1ª parte, já que não há feitiço, bruxaria, macumba, rezadeira, exorcista ou o santo Papa que dê jeito na inutilidade de Kleber.

    Chega a impressionar a incapacidade desse jovem de entrar no jogo, de participar do jogo ou mesmo atrapalhar o adversário.

    Mas, como dizia o poeta:merdas cagadas não voltam ao cu, de modos que, 3 pontinhos preciosos já cá cantam e que a lagartada faça o resto na 2ª feira.

    Sem clubites, que grande equipa o SCBraga.E que elegancia do seu treinador, a analisar o jogo como aconteceu, sem cair nas armadilhas dos “jornalistas” lampiões sobre arbitragem.

    Sem clubite outra vez, por incrível que pareça, o Olarápio Benquerença acertou tudo, teve uma actuação digna do clássico(penso que já podemos chamar os jogos com o Braga assim).

    E para ser sincero, pensei que Defour ia levar o 2º amarelo no fim da 1ª parte(se levasse, ninguém estranhava).

    Excelente jogo de futebol, onde a par de Hulk, Hugo Viana está jogando uma barbaridade.Dá gosto vê-lo jogar, é o maestro e penso que é o melhor camisa 10 a jogar em Portugal.

    Mas, para desespero de todos nós, penso que apenas o “chicoesperto” do paulo bento não consegue enxergar um meio campo da seleção com Moutinho a 8 e Viana a 10.

    É pena, pois com jogadores rapidíssimos como CR7 ou Nani na frente de ataque, os passes precisos de Viana iam cair como uma luva.

    Nota negativa:Palito, tal qual Rolando, ficou com “raivinha” pela substituição, que eu achei perfeita.Alex Sandro entrou bem no jogo e o uruguaio errou muito na 1ª parte, já tinha amarelo, está suspenso do próximo jogo e VP fez muito bem em tirá-lo do jogo.
    A ver vamos o que vai dar a mariquice desnecessária.

    Grandes Defour e Otamendi.Moutinho incansável e como muito bem disse o João Gonçalves acima, Lima e Hulk num mesmo ataque ia ser INCRÍVEL!!!
    Comprem o Lima e emprestem o Kleber ao Braga p’ra ver se o rapaz atina!!!

    Boa Páscoa a todos!!!

  4. Anda tudo doido nas hostes brumelhas…afinal foi o Braga que perdeu de propósito e não o FCP que ganhou e bem o jogo. Ao que parece o Hugo Viana falhou porque vai para o FCP para o ano, assim como o Jardim. Para mim foi o Platini que ordenou isto tudo.

  5. Baroni. peruano. actualmente com 45 anos.
    dizem que foi avançado (também) no FC Porto. um golo marcado (a 13-03-1995, na vitória por 4-1 frente ao “Marít’mo”) e zero assistências em pouco mais de 400′ jogados.

    abr@ço
    Miguel | Tomo II

  6. Foi um jogo stressante!
    Tivémos a sorte do jogo em diversas ocasiões, mas que raio, já tantas vezes não quis nada connosco!

    Aquela defesa do Quim é fantástica, bem como o remate do Hulk!

    Já ganhámos campeonatos sendo constantes com as equipas “fracas” e perdendo com os grandes, pode ser que esta época as coisas se invertam!

  7. Que grande jogo. E não me venham com coisas de o Braga também podia ter ganho ou jogou mal ou assim. Jogaram bem, tiveram as suas oportunidades, mas nós tivemos mais e o nosso meio-campo foi esmagador. Mesmo sem o Fernando.

    Andam para aí a criticar o Lucho, mas várias vezes o vi cair em cima do Viana ou do Custódio para dar cabo da construção de jogo deles. E não o vi desaparecer do jogo aos 60 minutos. Não foi com certeza o melhor jogo dele com a bola nos pés (dois remates que pediam muito, muito mais), mas acho que foi o com mais entrega desde que chegou este ano.

    E secar o meio-campo do Braga que todos vêm elogiando à não sei quantas jornadas sem trinco de raiz é de facto obra. Não vi o Mossoró fazer fosse o que fosse com a bola e o Hugo Viana só nos livres (e o tal passe errado do Varela). Já o Custódio, lembro-me é da grande cotovelada que pregou no Moutinho lá para os 70 minutos quando já tinha amarelo.

  8. Bom dia,

    Foi uma grande vitória do nosso Porto.

    Fomos tudo aquilo que temos de ser para ser campeões.

    O nosso meio campo esteve fantástico quer domínio quer no controlo do jogo.

    Se encararmos todos os desafios até final com igual afinco e vontade, por certo seremos campeões.

    De lamentar a atitude do Palito que está a atravessar uma fase menos boa do ponto de vista psicológico.
    No jogo de Braga tudo lhe correu mal. Não vamos dramatizar uma situação, que já terá sido tratada internamente pelos seus colegas e equipa técnica.

    Abraço e boa semana

    Paulo

Deixar uma resposta