Baías e Baronis 2011/2012 – Os guarda-redes

A partir de hoje vou juntando a minha às milhentas análises que já têm vindo a ser escritas desde que acabou o campeonato, porque interessa sempre olhar para trás a frio, agora que acabou a contenda e o caneco está deste lado. Dividindo para conquistar, como um João Bartolomeu ao serviço das forças do bem, arranco pelos guarda-redes. Vamos a isso:

HELTON

De longe o melhor guarda-redes do plantel e talvez continue a ser o melhor que alinha no nosso campeonato. Dá confiança à defesa, joga muito bem com os pés e tem aquele carisma extra que faz dele um dos preferidos dos adeptos em qualquer circunstância. A época foi boa, com poucas oscilações, começando em grande na Supertaça Europeia contra o Barcelona e com mais alguns excelentes jogos no campeonato, alternando com uma ou outra exibição menos conseguida mas sem falhas absurdamente gritantes. Não foi a sua melhor época mas parece-me evidente que não foi por sua culpa que sofremos a grande maioria dos golos que entraram na nossa baliza. Lidou particularmente bem com a situação da inusitada e acima de tudo inesperada mudança de capitão a meio da época, sem barafustar em público, fazendo com que a transição fosse feita sem grandes polémicas para lá das que foram criadas pelos perenes maldizentes do costume. Helton continua a ser um símbolo e a putativa renovação que ainda requer confirmação pública será bem-vinda.

Momento Baía: A Supertaça Europeia contra o Barcelona, evitando uma goleada de Messi & Cª; o jogo na Ucrânia contra o Shakthar como que a limpar a imagem deixada na partida em casa; a vitória na Madeira frente ao Nacional, onde salvou a equipa numa segunda parte de massacre na nossa área.

Momento Baroni: Poucos, talvez o frangalhaço contra o Shakthar no Dragão.

Nota final 2011/2012: BAÍA

 

BRACALLI

Vir para o FC Porto para ser suplente de Helton é uma espécie de Baiização de um guarda-redes. Bracalli sabia no que se estava a meter e só em caso de lesão ou de um afundamento de forma titaniquiano faria com que o ex-Nacional viesse a ser titular para lá da competição que está reservada para o guarda-redes secundário. Ainda assim Bracalli não comprometeu nos jogos em que participou, apesar da média superior a um golo sofrido por jogo ser sempre um ponto negativo, mas as atenuantes da composição alternativa dos defesas à sua frente, conjugada com alguns jogos em que estivemos particularmente fracos no sector recuado fizeram com que sofresse mais do que merecia e Bracalli não teve culpa disso. É notoriamente fraco com os pés mas é elástico na baliza e coloca-se bem nos remates de longe. Não pode estar desapontado por ser campeão no primeiro ano de azul-e-branco.

Momento Baía: Não houve muitos, mas lembro-me de algumas boas defesas no jogo contra o Setúbal na Taça da Liga.

Momento Baroni: Sem dúvida o jogo da Taça em Coimbra. Não teve culpas nos três golos sofridos mas a verdade é que fica marcado com a derrota. Qualquer altura em que tenha de jogar com os pés é relativamente desconfortável para um adepto portista, admita-se.

Nota final 2011/2012: BAÍA

 

Uma nota também para KADU, que teve ao todo dezassete minutos de competição divididos entre o campeonato e a Taça de Portugal. Esteve bem, sem comprometer. Terá a sua oportunidade mais tarde, com alguma sorte. Não leva nota, como era de esperar.

6 comentários

  1. Apesar de tudo poderia dar um Baía ao Kadu, pela alegria que demonstrou no jogo em que se estreou!.. Valeu muito aquele sorriso de orelha a orelha. Era uma altura meio cinzenta e ver aquele menino a saborear o que os outros viam como uma seca foi muito bom!

    Quanto ao Bracali, acho que , agora visto na baliza do porto, não é aassim aquele guarda-redes …

    e, o Beto?

  2. Gostei da contratação do guarda-redes do Olhanense, na minha opinião, bem melhor e mais seguro que o Bracalli.Se calhar, mandem o Bracalli pro Olhanense e tragam de vez o Fabiano, assim como mandem o Kleber e o Djalma pro Braga e tragam o Lima:-)

    Mudando de assunto, há portugueses mais portugueses que outros, segundo a nossa “isenta e imparcial” mídia.

    Amanhã há a final da champions, e uma das equipas tem 4 portugueses no seu plantel, mas estes 4 portugueses não tem tido o devido destaque na mídia nacional como outros portugueses que ficaram pelas meias-finais da prova, ou mesmo pelos 4ºs.

    A impressão que fica é que a final de amanhã da champions, um dos jogos mais esperados e ansiados em todo o planeta, passa completamente ao lado na mídia portuguesa, tendo inclusive tido menos tempo de antena do que a final da taça de Portugal entre o 4º e o 13º colocados da liga zon-sagres.

    Provavelmente porque os 4 tugas do Chelsea são todos oriundos do FCP, e os 2 ex-lampiões do plantel são brasileiros não são tugas, mas se a equipa dos 4 tugas for a campeã européia, se calhar os 2 brasileiros do Chelsea certamente terão muito mais destaque na nossa isenta e imparcial mídia do que os 4 tugas.

    E será que os mesmos jornalistas(ou serão jornaleiros?) que disseram, afirmaram, juraram e repetiram exaustivamente que, quando o Chelsea chegou à sua 1ª final da champions em 2008 pelas mãos do israelita Avam Grant, e que se fosse campeão, o MÉRITO ERA TODO DE MOURINHO, MOURINHO É QUE ERA O PAI, O MENTOR, O OBREIRO, MOURINHO ISSO, MOURINHO AQUILO E ETC ETC ETC, irão agora repetir à exaustão que Villas-Boas tem algum ou metade do mérito se o Chelsea ganhar a champions?

    Taí uma boa pergunta, caro Jorge:
    se AVB foi o treinador na fase de grupos, que qualificou o Chelsea para os 8ºs de final, inclusive orientou a equipa na 1ª mão em Nápoles, se o Chelsea ganhar a champions, Villas-Boas também será considerado campeão europeu e terá direito à sua medalhinha?

    A nossa mídia nem sequer colocou esta questão em lugar nenhum, nem nunca fez pergunta semelhante.nem mesmo só por curiosidade.

    E veja como o mundo muda:a mídia quando falava de Mourinho quando este era treinador do FCP, usava termos como arrogante, malcriado, sem educação, irritante, petulante e outros “adjetivos simpáticos” deste mesmo quilate.Mourinho saiu do FCP, virou génio, special, o maior, o melhor, o mais tudo, deus!!!

    Quanto aos apanhados e à frase do 1º presidente americano Lincoln, volto ao assunto em breve:-)

    Abraço e amanhã sou Chelsea.Domingo sou briosa:-)

    1. não serei “briosa” no Domingo, mas amanhã serei Chelsea. para todos os efeitos temos lá Meireles, Bosingwa, Paulo Ferreira e Hilário, carago :)

  3. RBN até gosto da maioria das tuas opiniões, mas de vez em quando deixas-te cair em teorias da conspiração/perseguição que não são próprias de adeptos do nosso clube.
    Atenção à vulgaridade, cair nela é muito fácil, não leves a mal, se te digo isto é porque acho que tens potencial para ser bem melhor do que isso.
    Saudações desPortivas.

  4. Olá Dragão Azul, não se trata de teorias, mas sim de constatações.

    O último artigo de Rui Moreira no pasquim do serpa diz exactamente isto

    https://docs.google.com/file/d/0B_O3EE6jptc3eEQxRjVQZ1M1aFE/edit?pli=1

    Vou recordar apenas duas 1ªs páginas do pasquim do serpa em 2004, que MST chamou vergonhosas em sua coluna no próprio pasquim do serpa.

    A 1ª foi na 3ª feira, véspera da final da Champions, onde o destaque total, com foto de página inteira e letras garrafais foi dado ao orelhudo presidente dos vermelhos, que invadiu os estúdios da sic no dia anterior, e o finalista da Champions ficou num cantinho de página quase que escondido.

    A 2ª foi quando o FCP foi campeão do mundo com o Once Caldas em Tóquio no domingo de manhã.
    No mesmo domingo à noite, o belenenses goleou os vermes por 4 x 1
    Pois bem , a 1ª página de 2ª feira veio com Trappatoni em pleno destaque, e o FCP mais abaixo, e sem os dizeres campeões do mundo.

    Não é teoria, é constatação.E o melhor exemplo é mesmo Mourinho.No FCP, era malcriadão, saiu do FCP, é deus.

    Abraço.

    1. Se preferes pensar assim vejo que estava enganado…
      É natural que a imprensa de Lisboa proteja os clubes pra onde vende, tal como o Jogo vende para nós.
      Julgava-te um pouco mais perspicaz…
      Rest my case.

Deixar uma resposta