Futres e Folhas – Portugal 0 vs 0 Espanha (2-4 em penalties)

foto retirada do MaisFutebol

Já percebi uma coisa nos últimos anos que tenho assistido a jogos de Selecções: jogar contra a Espanha é como enfrentar o “boss” no final do último nível de um jogo de computador daqueles tramados, antigos, que punham um gajo a espumar-se todo enquanto esventrava o teclado ao carregar em dezenas de teclas ao mesmo tempo para disparar mais um tiro, para lhe dar mais uma facada, para baixar a energia do animal só mais um pentelhozinho que nos permitisse passar para o próximo nível. Mas não há próximo nível e a Espanha, esta Espanha, é uma merda duma grande equipa. E hoje, mesmo sem fazer um grande jogo, teve a sorte dos campeões que nós também procuramos mas nunca conseguimos. O jogo foi fraco, tanto o nosso como o deles, mas a falta de um ponta-de-lança em condições, associada a uma má noite de Ronaldo e Nani, não conseguiram elevar o jogo dos centrais e de Moutinho, bem ajudados por Coentrão, ao nível que era necessário para mandar abaixo os hermanos. Outra meia-final, outra eliminação. Enfim. Notas abaixo:

 

(+) João Moutinho Se o jogo dos quartos contra a República Checa tinha sido impressionante pela capacidade de esforço, a pressão alta e a movimentação no meio-campo com e sem bola, este único jogo contra a Espanha foi mais importante para a imagem de Moutinho no mundo do futebol que toda a época passada com o FC Porto na Europa. Moutinho esteve em todo o lado, a recuperar bolas perdidas na defesa, a lançar contra-ataques com o timing certo para a pessoa certa, a brincar com a bola ao lado de um Xavi que foi ofuscado pela presença do nosso João. Foi talvez o jogador mais consistentemente positivo da Selecção no Europeu. E é nosso. Por agora. Porque se continuar a exibir-se a este nível, não vai ser nosso durante muito tempo…

(+) Coentrão Excelente na garra, na luta, naqueles pormaiores que o levaram para o Real Madrid e o colocaram como titular na equipa de Mourinho. Acima de tudo, e aqui reside a principal diferença, não usou manhas parvas como já o vi várias vezes a fazer e limitou-se a fazer aquilo que melhor faz e sabe: lutar. Sempre com a vontade de ir mais longe, de tirar a bola ao adversário, de procurar a melhor opção e levar a equipa para a frente, sempre para a vitória. Excelente.

(+) Os centrais É a melhor dupla do Europeu, talvez equiparada apenas pelos dois que hoje encontraram do outro lado. Pepe joga alto, longo, na compensação das lateralizações de Bruno Alves e a tapar as saídas de posição de Miguel Veloso para ajudar num ou outro flanco. Bruno, alto, forte, rijo, sem facilitar. Estiveram em grande nível hoje, mais uma vez.

 

(-) Nani É o oito e o zero-ponto-zero-zero-zero-zero-oito. Raramente o oitenta. Nani esteve mortiço, fraco, desanimado, infeliz. Nunca pareceu conseguir furar o flanco sempre tão aberto de Jordi Alba e insistia sempre nos mesmos erros defensivos ao deixar passar o catalão como se não existisse. Nani tem o talento de poucos mas parece estar progressivamente a Quaresmizar a sua influência em campo e a perder influência na Selecção. Hoje notou-se que ficou em campo apenas porque a alternativa (Varela) não é particularmente credível.

 

Caímos de pé, é verdade. Tentamos pouco contra a Espanha, também é verdade. Nada me garante que depois de conseguirmos parar o soporífero espanhol com uma pressão alta que só podia dar cabo das pernas dos nossos rapazes (o que acabou por levar a que no prolongamento a zona de acção passasse da linha de meio-campo para a da nossa grande-área), não conseguiríamos avançar um pouco no terreno e marcar um golo, ou pelo menos tentar. Foi uma espécie de repetição do primeiro jogo, contra a Alemanha. Mas desta vez nem reactivos fomos, simplesmente porque não havia nada à qual reagir. Foi uma prestação melhor do que esperava e dou-lhes os parabéns por isso, ainda que não aprecie o estilo de jogo nem alguma das opções tomadas, mas os resultados são notáveis. Ainda assim talvez tenhamos de repensar a nossa mentalidade competitiva para podermos sonhar em ganhar um troféu destes. Mas a verdade é que perdemos nas meias-finais do Europeu contra o campeão do Mundo e da Europa. Nada mau, rapazes, nada mau.

22 comentários

  1. Caro Jorge,

    Excelente análise. Concordo a 100%.
    Acabei de fazer postar o meu texto sobre o jogo (não tive coragem para fazer a análise) e vim aqui ver o F&F.
    Bonito teres colocado uma foto quase igual à minha.
    Estava a ver fotos do jogo em vários sites e quando apareceu esta, senti-me em sintonia com eles. Tristeza e desânimo.

    Abraço,
    PeLiFe

  2. Eu acho que mereciamos a vitoria, a Espanha só se mexeu a sério no prolongamento e na grande maioria das vezes fomos capazes de anular o jogo espanhol e sermos superiores … e não discordes :) vá …

    beijocas, Ana

  3. Viva

    Já estou fartinho de ver equipas a jogar o prolongamento para atingir os penalties e sair-lhe tudo ao contrário. De facto não percebo este sentimento de vitória moral, se calhar ainda estamos em fase de negação.

    A verdade é que para além de interromper o carrossel espanhol – o que já de si não é nada fácil e merece nesse aspecto enormes elogios, mesmo estando o Xavi de rastos – Portugal fez pouco mais, em termos atacantes os últimos passes nunca saíram perfeitos ( por ex: Moutinho para Nani e Meireles para CR7).

    Acresce que o guião do Paulo Bento para substituições foi um pouco estranho. Bem sei que é ingrato criticar opções do treinador depois do jogo e por isso raramente o faço. No entanto, no jogo de ontem não consigo encontrar explicações para se guardarem duas substituições para a segunda parte do prolongamento; não percebo porque entrou o Nelson Oliveira para uma das alas e a passagem do CR7 para o centro do ataque; estranho a não utilização do Hugo Viana ou limitação às opções de Custódio, Varela e Nelson Oliveira.

    Espanha é a campeão da Europa, do Mundo e de novo finalista. Por isso perder é natural mas nunca pode ser visto como uma vitória.

    Abraço

    PS: Nunca mais começa o futebol a sério.

  4. ficamos a um bocadinho assim[-] ,e a tres metros de um bom passe do meireles para o ronaldo que nem com o titulo europeu se assumiu como decisivo,mas o penalti do moutinho foi uma dececao porque foi sem balanco para o lance,mas tudo deviamos ter feito para os evitar,nao fizemos o nosso jogo fiquei descontente mais uma vez,achei meia final do nivel da ultima do campeonato do mundo ,so que esta espanha nao esta forte no capitulo finalizador como os a limoes

  5. ja agora se desse para naturalizar o Radamel, e que era dava um jeito, no 4 3 3 mas isso e um sonho,o nelson ainda nao resolve esteve o ano todo a estagiar para estar no euro ,mas mesmo assim e dificil ser lancado cronta os melhores do mundo ,culpas, falta de jogadores ,talvez o treinador ,e tambem ele proprio que nao se informou qual posicao devia ter,tanto que acabou a estorvar no meio campo, retirado pelo Ronaldo

  6. 100% de acordo: conseguimos anula-los, o que é espectacular contra a Espanha, mas nunca fomos superiores. O empate justifica-se a 100%, os porcos dos espanhóis tiveram foi a sorte (e a inteligência?) que nós não tivemos nos penaltis.
    Moutinho é um Monstro! Para mim o teu top3 é o espelho da realidade e uma injustiça que não seja reconhecido por quem tem expressão mediática. Mas se calhar ainda bem… Não foi excesso meu o estado de pita histérica em que andei nos 3 ou 4 dias em que osjornais todos noticiavam a transferência do algarvio para o Porto e a confirmação oficial nunca mais chegava. Sempre o admirei e é sem duvida de azul e branco que ele deveria ter jogado sempre. A jogar assim obviamente que nos arriscamos a ficar sem ele mas, se um dia sair, só espero que seja para o Barcelona. Acho que seria o substituto perfeito para um Xavi, que já vai com 31 anos…

    Agora o Paulinho:
    Sou eu que não encontro, ou não houve um único jornalista que interrogasse o Paulo Bento pq razão o jogador que mais correu o jogo todo – obviamente estava todo rebentado – e que tem historial de falhar mais penaltis do que marcar, tanto pelo SCP como pelo FCP, foi o responsável por marcar o pénalti mais importante (o primeiro)? E o mais melhor bom jogador de todos os universos não marca??? Algo me escapou…

    Cumprimentos Portistas da Caparica! (nunca mais começa a época…)

  7. Acho que o seu desalento nos B&B mostra que ainda não digeriu muito bem a derrota, como aliás todos nós, mesmo os que escrevem que não fizemos nada para ganhar… acho que jogamos bem; a espanha tem muitos jogadores bons (um banco de luxo) que nós não temos, e ainda assim não mostrou muitos mais atributos que nós para ganhar o jogo. Quanto ao Nani – é de salientar que levou imensa porrada (não sancionada na maior parte das vezes) e que teve sempre de dar apoio ao João Pereira… tivéssemos do lado direito um “Concentrão” e talvez não lhe estivesse a dar um Folha …

    No final estou de acordo com o Jorge Araújo nos seus comentários: temos uma equipe (finalmente) que pode progredir para o campeonato do mundo, desde que se comece agora a treinar para aguentar um jogo todo em alta pressão, desde que se continue a treinar nos jogos de apuramento melhorar certos aspetos de rotina, e não se ande a perder tempo nesses jogos…

    1. “pode progredir para o campeonato do mundo, desde que se comece agora a treinar para aguentar um jogo todo em alta pressão”

      foi exactamente isto que tentei dizer, provavelmente mais a quente do que devia :)

  8. Análise perfeita, se bem que eu acrescentaria o nome de João Pereira e Hugo Almeida,nos «Folha». O primeiro, talvez o jogador mais fraco desta Selecção e o segundo porque demonstrou mais uma vez ser um «martelão», que só «engata» de longe a longe um remate para golo. Ontem em três remates, não acertou nenhum na baliza! É obra se tivermos em conta que se trata de um ponta de lança.

    Em todo o caso as expectativas que tinha em relação ao comportamento da equipa foram superadas e perder como se perdeu não belisca minimamente o mérito desta Selecção.

    Um abraço

  9. PS: esqueci-me de dizer que a dar um Folha, daria ao Hugo Almeida (já que a vedeta do benfica que o substituiu nem isso mereceu de tão apagado) . É tosco de mais… É que ele é que é o ponta de lança (dizem).

  10. Arrisco mais uma Folha: a Finalização (para variar). O nosso striker (?) rematou varias vezes mas nem UM so remate (que me lembre) foi enquadrado para a baliza. Nem sequer um remate frouxo ou à figura! O proprio CR “amandou” um balazio pras nuvens perto dos 90′ quando estava com espaço. Mal chegamos a testar o Iker :(

  11. Eu bem que te disse que nem ia comentar para ver se esquecia e se me passava a azia da eliminação de ontem… mas foi mais forte que eu…
    Tenho ouvido falar em “vitoria moral” e “cair de pé”…. hum…. BUUUUUULSSSLSHIIIIIIT!! Perdemos! Fomos de vela e esse é o resultado final!!!
    Qualificamos-nos no grupo “da morte”, passamos os checos e fizemos à Espanha (campeã da Europa e do Mundo, parece estúpido dizer isto assim visto a Europa fazer parte do Mundo mas no futebol tudo é mesmo possível eheheh) o que mais nenhuma selecção conseguiu, jogamos de igual para igual, não os deixamos marcar, não os deixamos jogar como gostam (pelo menos durante 90 minutos…) e mostramos que podiam ter perdido!!! Por tudo isto, está de parabéns a nossa selecção, bom resultado conseguido sem dúvida.. Ainda assim… AZIA!! Queria vê-los a levantar o caneco e acho que só isso me satisfazia em pleno…
    Não vou criticar o PB pelas escolhas nos penaltis… mas “em condições normais” não escolhia como ele… Primeiro penalti para o moutinho?! É porque ele falha poucos (atenção, não deixa de ser e de se ter confirmado um dos melhores médios da Europa e do Mundo!!) a meu ver, 3º e 4º penalti são os mais importantes… Bruno Alves no 4º?! Isto não é FutVoley…
    Vamos lá a começar o caminho para o tri a ver se a azia desaparece!!!
    Parabéns Portugal e venha o Porto!!!
    Abraço

  12. Biba a todos!

    Concordo com a análise, só acrescentaria um Folha ao “rato de corda” do João Pereira: desde o jogo com a Alemanha a fazer asneira, fez muito mais asneiras por jogo do que coisas verdadeiramente úteis, ainda que se possa queixar de um bocadinho de falta de apoio do Nani (outro que mereceu o Folha pelo campeonato abaixo das expectativas)… retenho apenas o passe de morte para o golo do “Nota 10” contra a Holanda. Já ao Hugo Almeida não dou Folha, porque, sejamos realistas, ninguém esperava mais dele do que aquilo que (não) fez, certo??

    O Platinado sempre arranjou um árbitro que marcou não 1, não 2, mas 5 (!) penaltis contra Portugal. E além disso, nem sequer foi equitativo porque Portugal só pode chutar 4 vezes…

    Confirmou-se a velha máxima de que o melhor jogador é o que falha nos penaltis, e realmente para mim o Little John foi o melhor jogador de Portugal, não só contra Espanha, mas na avaliação global dos 5 jogos. Não merecia ter sido ele a falhar o 1º penalti. Things happen, though…

    Mais a sério, grande jogo de Portugal, caíram contra uma grande selecção, estiveram por cima durante uns 60min do jogo, tirando os últimos minutos dos 90 e o prolongamento, dava a sensação que podíamos chegar lá. A diferença é que quando foi preciso mexer, a Espanha rapidamente pôs em marcha um plano B e se tivesse mais alterações para fazer poderia fazer um plano C.

    Fabregas e Pedro no banco, e El Niño nem sequer de lá saiu… nós tivemos o Hugo Almeida, o puto do Benfica (pá, como diriam os Depeche Mode, I don’t want to start any blasphemous rumours, mas o facto é que enquanto a selecção não teve nenhum benfiquista em campo… esteve por cima!).

    Eu teria colocado o Nota 10 no meio e o Varela num dos flancos, ah, e claro trocava o Nani pelo ciganito, foram coisas que eu fui dizendo durante o jogo, bem como fartar-me de reclamar com o rato de corda por estar constantemente a prender a bola em zona proibida e perde-la para gajos que vinham de trás sacá-la…

    E agora, invocando os Soul II Soul, back to life.. back to reality!

    Estamos fora do Euro, mas por enquanto é só deste, no outro a custo vamo-nos mantendo!

  13. A prestação da seleção foi demasiado boa tendo em conta as vertentes (ou as folhas?) que Paulo Bento casmurramente condicionou:
    – a substituição de um jogador mediocre mas esforçado por um puto estranhamente elevado á condição de estrela, mas que nem sequer tocou no esférico e mal se mexe em campo!!!
    – a lotaria dos penalties (quando vi Moutinho encaminhar-se para o local próprio disse ao meu filho: vai falhar!) resguardando o tal pseudo melhor do Mundo!!!! Então CR7 não deveria ser ele o primeiro a marcar como fonte de incentivo á equipa????
    – as vitórias morais! No nosso FC PORTO dos anos 70, dizia ao meu pai que era um andrade dos 7 costados (hoje é o sócio nº 90 e qualquer coisa!!!!)que derrota é derrota nem que a gente jogue o triplo do adversário! A Espanha passou em frente naõ pela sorte mas pela competência! Se assim não for então não percebo os treinadores e os dirigentes que quando perdem vem chorar baba e ranho contra os arbitros que não marcam… penalties!!!!

  14. Os espanhóis a dizerem que demos muita patada. Deve estar ceguinhos para as inumeras patadas e puxoes dadas sempre que os nossos lá iam disparados. E os piores são os catalães. Que gente mais mesquinha e ácida. Não sabem ganhar.

    1. Não foram só os catalães. O Ramos foi o que mais porrada deu.
      Mas, apesar de tudo isso ser verdade, Filipe,atendendo ao desfecho de ontem, domingo vou torcer pela espanha!…
      (bem, quem sabe, talvez por isso eles percam…)

      Para ser mesmo incrível, essa final entre espanhóis e italianos (the end of a game previously known as foot-ball) só falta nomearem o árbitro português!…

  15. Para falar verdade, estou bem farto desta treta do caímos, mas caímos de pé. Jogámos bem? Então não, aquele meio-campo e aquela defesa foram incríveis. Vencemos? Não. Então não chega, ponto final. Irrita-me esta mentalidade de equipa pequena, de termos orgulho numa derrota só porque eles tinham ganho um título à 2 anos.

    Porra parecemos todos adeptos de clubes do sul, contentamo-nos com um mísero segundo lugar. Eu quero a taça, não quero uma palmada no ombro a dizer fica para a próxima. E se corremos tudo o que havia para correr e não deu mais, então é bom que se preparem, porque no próximo é preciso correr muito mais!

Deixar uma resposta