Reconsiderando Kelvin

Aquela crista é de estrela. Logo assim à partida, chega um catraio de 18 anos e pumba, saca de uma trunfa com a confiança dos gigantes, uma espécie de poupa imperial para marcar logo a diferença pelo estilo. Não critico, só invejo a possibilidade.

Vi Kelvin várias vezes ao longo do ano. Quase sempre que tive a oportunidade de o ver a jogar fiquei desiludido. Especialmente pela forma como via o miúdo a encarar cada lance como “só mais um”, em vez daquilo que gosto sempre de ver num jovem que tem talento e que quer mostrar serviço, para quem qualquer cenário tem de ser visto como o último da vida dele. Vi-o muitas vezes a desistir de disputar a bola depois de falhar uma finta, a desanimar e a ficar nitidamente desanimado quando as coisas não corriam bem. Kelvin decepcionou-me porque não o vi a aplicar o talento que tem da melhor forma, como tantos outros antes dele. Não digo que não tenha futuro, longe disso, mas a mentalidade competitiva terá de ser elevada para um nível suficientemente bom por forma a poder ser uma opção válida para jogar no plantel principal. É a diferença entre um Sérgio Conceição e um Alessandro, por exemplo. O primeiro lutava com tudo o que tinha e não tinha. O segundo esperava que a bola viesse parar perto dele. Qual dos dois fez carreira no FC Porto? Pois.

No entanto, Kelvin acabou por ser uma figura importante, talvez não ao nível de Atsu ou João Tomás mas ainda assim teve um papel principal na manutenção do Rio Ave na Liga. Fez 27 jogos, marcou 2 golos e recebeu 5 cartões amarelos.

Se o rapaz aceitasse, mantinha-o por cá, na B. Sei que é novo, que tem vontade de jogar a um nível mais alto, mas com a proibição da proibição dos empréstimos a permitir que vá para um clube como o Rio Ave ou o Olhanense, que está mais próximo e tem garantias de poder jogar mais, torna-se mais arriscado colocá-lo numa equipa estrangeira onde não há garantias que possa vir a jogar de uma forma consistente, para lá do “efeito-distância” que pode ser prejudicial ao desenvolvimento do seu talento. E Kelvin precisa de jogar, precisa de aprender, de evoluir, de se tornar mais jogador.

O puto tem qualidade, não há dúvida. Mas terá maturidade?


Outros posts de retrospectiva dos nossos emprestados em 2011/2012:

6 comentários

  1. Jorge,

    A proibição dos emprestimos foi anulada pelo CJ da federação, portanto voltou tudo á primeira formula e eu como tu, defendo que o Kelvin ainda precisa de rodar mais 1 ano no Rio Ave ou Olhanense por exemplo.

    Assim como também penso, que nos temos de livrar do Varela ou do Djalma (ou dos dois, caso o Hulk fique), para podermos ter Iturbe e Atsu, com espaço para jogarem e não andarem só a fazer numero.

    http://fcpsempredragao.blogspot.pt/

    1. tanto o Varela como o Djalma são elementos válidos do plantel e se no caso do Varela acho que pode ter chegado a altura de o vender, não me importo de ter cá o Djalma mais um ou dois anos. é rápido, prático e pode ser aproveitado a lateral-direito. é tosco mas ainda nos pode ser muito útil no futuro.

      abraço,
      Jorge

      1. Não discordo de ti Jorge… o problema é que só jogam 11 e para esses estarem no plantel os miúdos não podem lá ficar e eu acho muito sinceramente que qualquer dos 3 miúdos pode dar muito mais à equipa que algum desses 2 senão vejamos… Varela e Djalma, são jogadores previsíveis com deficiências técnicas, alguma velocidade e posicionamento táctico defensivo interessantes.

        Isto serve para quando estamos a ganhar e queremos proteger o resultado o que são poucas as vezes que precisamos de o fazer.

        Iturbe, Kelvin e Atsu, são jogadores altamente técnicos, com um dose de imprevisibilidade elevadíssima e velocidade estonteante… tem deficiências tácticas (mais uns que outros), mas devem ser usados para “abre-latas”, que é a maior parte dos nossos jogos.

        Por norma, deve ficar-se somente com 4 jogadores para as alas e lá lá temos Hulk e James + Varela e Djalma, o que básicamante significa que Atsu, Kelvin e Iturbe, mesmo que fiquem vão jogar muito pouco, pois só jogam 11 e nas alas 2 dos 7 que temos no plantel.

        Portanto, eu livrava-me do Varela, emprestava o Kelvin a um equipa da 1ª Divisão (que ele ainda está algo verdinho) e ficava com Atsu e Iturbe como opções principais, e o Djalma como opção secundária.

        Saindo o Hulk, abre-se espaço a mais um jogador para as alas e aì já poderia ficar o Varela.

  2. Boas Jorge,

    Antes de mais, na semana passada transcrevi a noticia sobre o Rubens Junior, e estava a pensar com os meus botões naquela fornada de 3 brasileiros que vieram, ele o Argel e o outro que não me lembrava o nome … e por coincidencia falaste nele … o Alessandro … na minha opinião tudo jogadores razoaveis que poderiam evoluir, mas no entanto gostavam mais de feijão preto e samba do que de futebol.

    Quanto aos miudos, os 3, acho que deviam jogar na equipa B, e não serem emprestados, ja agora juntava o Abdolaye, com o intuito de se tornarem jogadores á Porto, e interiorizarem a cultura do nosso clube. Mais ainda, acho que assim a equipa B se poderia tornar um caso serio na 2ª liga.
    A ver vamos.

    Um abraço

    http://fcportonoticias-dodragao.blogspot.pt

  3. Reconsiderando: Kelvin,Atsu,Castro e Iturbe

    Falando dos putos esperanças,eu sou de opinião que devem jogar entre a equipa B e equipa principal conforme os jogos,porque só assim é que eles deixam de ser esperanças e passam a ser certezas,é a minha opinião,se não jogarem no clube talvez se percam e nunca se saiba se tinham ou não estrutura fisico/psiquica para aguentarem a pressão.
    Abraço
    manuel moutinho

  4. Caro Jorge,

    Também me parece que este miúdo ainda não está ao nível do Atsu.
    Decepcionou-me sempre que o vi.
    Precisa de mais um anito a melhorar.
    E talvez a B possa ser melhor para poder ir entrando na principal aos poucos (Taça e Taça da Liga).

    E concordo com o João Gonçalves, o Varela e o Djalma parecem estar a evitar que Iturbes e Atsus possam entrar na equipa. Percebo a noção de que o Djalma pode dar jeito como lateral mais ofensivo, mas o Danilo pode ser muito ofensivo e o Miguel Lopes também é razoável a subir. Eu gosto do Varela e já o vi fazer jogos muito bons, mas de facto depois da lesão nunca mais atingiu esse nível. Acho que já vai lá.
    Mas com tantas vendas mais prioritárias, não vai ser fácil.
    Abraço,
    PeLiFe

Deixar uma resposta