Ouve lá ó Mister – Gil Vicente


Amigo Vítor,

Há quase oito meses atrás, no dia 29 de Janeiro, perdemos o último jogo no campeonato e o único que acabou com esse inusitado desfecho desde Fevereiro de 2010. Foram quase dois anos sem derrotas que terminaram nessa mesma noite, neste mesmo estádio que hoje visitamos, um dos poucos que foi de facto construído com as necessidades de uma equipa em mente, ao contrário de tantos outros por esta lusa terra fora, produtos da mente de delírios e sonhos utópicos e desfazados da realidade. Na altura dessa derrota, escrevi aqui (e se tivesse falado em voz alta os vizinhos teriam decerto ouvido): “Foi muito mau e há tanta ferida para lamber que nem sei por onde começar“, ou “o FC Porto jogou em Barcelos com uma inércia assustadora“, ou até “Estaria a roçar o inadmissível ver um jogo destes numa pré-época“, terminando com “A ausência de jogadas de combinação com um mínimo de fluidez de jogo criava um vazio que ninguém preenchia e deixava-me ainda mais inerte e preocupado“. Foi um jogo muito mau, como te lembras.

Mas a temporada é nova, o sol brilha e os passarinhos que conseguirem fugir dos caçadores…cantam. E a equipa, apesar de parecida, não o pode ser hoje à noite. Já soube que convocaste Hulk, Danilo e Alex Sandro. Não acho mal. Mas tem cuidado com os outros, os que cá estão desde início e não são tão maus quanto isso. Se o Mangala é uma adaptação e podes tirá-lo do sítio para fazer entrar um gajo que está habituado ao flanco, já os outros dois…se fosse a ti deixava-os no banco para começar. O Atsu e o Miguel Lopes podem dar conta do recado, vais ver.

Para arrancar bem o campeonato, só precisas de ganhar o jogo. Para limpar a imagem do ano passado, só precisas de ganhar o jogo por quatro ou cinco. Pois é, Vitor, quem gosta conta a um amigo, quem não gosta conta a cinco. E este ano, quero gostar.

Sou quem sabes,
Jorge

2 comentários

  1. Bom dia,

    Hoje abrimos a nossa participação no campeonato diante de um adversário complicado no seu reduto.

    O Gil é uma equipa bem orientada, manteve praticamente o mesmo plantel, reforçou-se com os experientes Tiero e Luciano Amaral, e com um conjunto de jovens brasileiros dos quais se destaca Rafael Ramazotti.
    Mas a principal contratação foi o médio luso-brasileiro Bruno Pinheiro, formado no Boavista, e que regressa após passagem pela Polónia.

    Espera-se um grande apoio da família portista, e uma resposta positiva da equipa, para assim começarmos a nova época com uma vitória num terreno onde na época passada, perdemos 3 pts muito à custa da arbitragem habilidosa de Bruno Paixão.

    Espero que Duarte Gomes faça uma arbitragem isenta e sem paneleirices, típicas do seu reportório.

    Abraço e bom fim de semana

    Paulo

  2. Estou e não estou de acordo! ESTOU, se este V.P. tiver 9 anitosm. Idade de colo, miminhos da mamã e papã e prendinhas do Pai Natal. NÃO ESTOU por que este V.P. já é um matulão . Põe-no virado para a parede com as orelhas do orelhudo e vais ver que o “tipo” aprende a não ser tanto…

Deixar uma resposta