Ouve lá ó Mister – Olhanense


Amigo Vítor,

Ainda estamos todos a respirar fundo depois do último dia do mercado e quando percebi que o João e o Givanildo iam ficar no plantel pelo menos até Dezembro, houve um grande peso que se levantou das minhas costas. Tenho pena de ver sair o Sapu, mas um dia destes ainda me hás-de explicar o que se passou para vocês não se entenderem. Ou para alguém não se entender com ele. Ainda por cima deve ser um gajo porreiro para ir prós copos, homem. Mas disso falamos mais tarde, hoje o que importa é que joga o FC Porto, com ou sem mercado.

O Olhanense não me mete medo. Para te falar a verdade, poucas coisas me metem medo para lá de um ou outro cão vadio e o inevitável armagedão que se aproxima. O Otamendi dar barraca também me mete algum medo, ou uma das “cuecas” do Fernando aos adversários, talvez até uma saída em falso do Helton que, não sendo Deus, também tem as suas falhas de vez em quando. Mas estou à espera de um jogo à imagem do último e não do penúltimo. Quero que os nossos rapazes vão para cima do Olhão com tudo o que têm para mostrar que estão aqui, firmes, prontos para serem campeões. Quero ver o João a jogar bem no meio-campo, o Hulk a raspar relva com aquele corpanzil que assusta qualquer defesa. Quero ver a mesma fibra, a mesma vontade, a mesma inspiração do jogo do passado sábado, por muito que o jogo seja longe cá do burgo.

E na ausência do Fernando…eu dava uma hipótese ao Castro. Não quero mal ao Defour, espero que o Steven compreenda, mas apesar do Castro não ser trinco, acho que tínhamos bastante a ganhar em ter um pouco mais de agressividade no meio-campo especialmente porque do outro lado vai estar gente que não tem problema em zurzir em canela alheia. É só uma opinião, tu fazes o que quiseres.

Seja como fôr, entra para ganhar. Mata o jogo e depois vê-se o que é preciso fazer para gerir. Devia ser sempre assim, não é?

Sou quem sabes,
Jorge