Olhando de novo para Mangala

Sinto uma necessidade avassaladora de vir aqui como um qualquer Sá Pinto para esclarecer qualquer exagero que pudesse estar inserido no post de ontem e tenha passado para quem o leu. Não estava a tentar queimar o rapaz, longe disso. É uma piada que depois do jogo contra o Beira-Mar estava aqui atravessada enquanto ia subindo a alameda e esperava que a chuva não começasse até chegar ao carro.

Mas ainda que o tema possa ser engraçado, há sempre algo de verdade por detrás da jocosidade.

Ao ver Maicon e Mangala a alinhar juntos, não evitei fazer o paralelismo com uma outra dupla que brilhou a grande altura na década de 90. Os números eram os mesmos mas os protagonistas estavam visualmente…em negativo. Não no mau sentido, atenção, apenas me refiro à tonalidade da pele do 4 e do 22, que estavam trocadas em relação à dupla original. Aloísio (4) e Jorge Costa (22), foram os pilares da defesa de António Oliveira que concedeu 24 golos mas que foi sempre considerada a melhor do campeonato. Na minha opinião, de muito longe, quando comparado com Marco Aurélio/Beto ou (não se riam) Ronaldo/Bermudez. Mas havia algo de diferente nestes dois. Maicon até pode ser um pouco parecido com Jorge Costa, com a vontade que mostra em pontapear a bola para a bancada para libertar a defesa de situações difíceis, a liderança que já exibe no eixo mais recuado e se jogasse mais com os braços e tínhamos ali um pretendente a sósia. Mas Mangala e Aloísio, eles que jogam nas mesmas posições, não são minimamente parecidos.

Pode parecer cruel comparar Eliaquim a um dos melhores defesas centrais que já passou pelo nosso clube e campeonato. Mas o que Mangala tem de ter em conta é a forma como está progressivamente a criar uma reputação de agressividade acima da média que só o pode prejudicar num futuro próximo, com o inevitável rótulo de “jogador violento” a ser mais fácil de lhe colar do que um cromo com cola em cima de uma caderneta com mais cola. É fácil demais espetar com esse selo em jogadores do FC Porto, porque Pepe era violento ao passo que Mozer era agressivo; Paulinho Santos era bruto ao passo que Petit era lutador; Fernando Couto era a reencarnação de Genghis Khan enquanto que Oceano era rijo e eficiente. Todos nos lembramos desses exemplos e os nossos queridos media estão mais que prontíssimos para chamar nomes ao rapaz sem que ele possa fazer muito acerca disso. A não ser…

A não ser que comece a perceber que não pode acertar em tudo que mexe sem medo das consequências. Tem de moderar os ímpetos, controlar as emoções e treinar muito e afincadamente a forma como faz a aproximação a um lance sem que os adeptos tenham medo que o francês seja expulso. Mangala é novo, tem potencial e pode vir a ser um excelente defesa-central. Ainda não o é. Não quero que deixe de o ser antes de o poder mostrar.

10 comentários

  1. 5 estrelas!
    “É fácil demais espetar com esse selo em jogadores do FC Porto, porque Pepe era violento ao passo que Mozer era agressivo; Paulinho Santos era bruto ao passo que Petit era lutador; Fernando Couto era a reencarnação de Genghis Khan enquanto que Oceano era rijo e eficiente.” priceless!

  2. boas tardes
    Mais uma vez muito obrigado por este post magnifico…
    Leu-me os pensamentos e tudo o que penso sobre esse jogador está descrito…
    Precisa de muito trabalho mental e emocional, pois estamos na presença dum bom central mas com grandes arestas para limar.
    JORGE MAGNIFICO POST, OBRIGADO PELO SEU TRABALHO EM PROL DA NAÇÃO PORTISTA,
    Bem haja

  3. A questão é sempre a mesma os comentadores escalados pela SPORTTV
    Adianta pouco protestar, bem pelo menos no último responderam ao meu mail referenciando que seria encaminhado (para o lixo) para oquem de direito. Mas retomando esse dito expert do Lobo passou o tempo a zurzir no Mangala, coisa que nunca lhe vi fazer com as entradas duras e brutais de alguns jogadores de outos clubes nomeadamente da capital, na próxima vez que o vir no café da minha terra não vou resistir a abordá-lo.
    Quanto a SPORTTV cada vez está pior, felizmente para mim que tenho a MEO corto o serviço quando me apetece e será já na próxima paragem do campeonato.
    Cumprimentos

  4. Quem nos dera que ele faça o caminho de um Pepe ou de um Couto…. os rótulos que lhes pegaram não impedem as carreiras que fazem ou fizeram no Porto e lá fora em grandes clubes.

    Já se sabe que quando for vendido por 20M vai passar a ser um grande central…

  5. respeito a decisão. Mas mantenho a opinião. Um jogador inteligente não faz aquelas entradas em lances de perigo zero. Mas irá aprender e ficar mais inteligente. O Bruno Alves conseguiu por isso qualquer um consegue.

  6. cheguei tarde, mas não quero deixar de comentar: primeiro, o Aloísio não foi só o melhor que passou pelo porto, foi com certeza na sua época o melhor. Ponto.
    Quanto ao Mangala, não vejo as coisas assim. Acho mesmo que exagerou nos adjectivos aos atributos do rapaz.O Mangala já fez jogos muito contidos… Quem está naquela posição ou é o melhor, ou tem de impressionar os adversários. O rapaz, como é novo, achou que tinha que mostrar serviço…não estava inspirado, e, com certeza que já lhe chamaram a atenção. Assim, já sabe, nos jogos da Champions entra o Otamendi. Mas, até por isto , acho importante o tempo de jogo que o Vitinho lhe deu… Nada contra, tudo a favor.
    (Agora que ele se torne num Bruno Alves, tenho tudo contra. – A nossa sorte foi vendê-lo.)

    1. se viste o jogo contra o Beira-Mar…percebeste que o serviço que ele mostrou foi exagerado. não pode fazer aquilo muitas vezes. mas tenho confiança no rapaz, precisa é de se acalmar um bom pedaço…

Deixar uma resposta