Baías e Baronis – SL Benfica 2 vs 2 FC Porto

retirada de desporto.sapo.pt

Pensei em apelar ao sentido lírico e começar com metáforas parvas sobre os incidentes durante o jogo, a arbitragem, a idiotice de Artur, ou as inclementes entradas de Maxi. Mas deixo esse lado mais romantizado para as notas, mais abaixo. Por isso afirmo aqui já à partida: o empate é justo. Ambas as equipas tentaram ganhar, com mais ou menos inteligência emocional e táctica, com jogo mais directo ou mais trabalhado. Lutaram todos na busca de um resultado mais positivo que a partilha dos pontos e conseguiram aguentar as estúpidas emoções de um dos quartos-de-hora mais emocionantes de sempre num clássico. O FC Porto esteve bem, não perfeito, longe disso, mas nunca desistiu do jogo, nunca se desconcentrou tacticamente e conseguiu um empate que nos deixa com uma vantagem teórica mas acima de tudo moral. Notas abaixo:

(+) Mangala. Proponho mudarmos o nome do rapaz de uma vez por todas para Mangalho. Mangalhão, para os mais excitáveis. Ponham na camisola essa palavra para impôr o respeito que o moço faz por merecer quando entra em campo, de maneira a que os adversários possam olhar para ele e verem o nome antes de levarem com ele. Fez um jogo estupendo, com uma segurança impressionante no centro da defesa, ofuscando Otamendi mas acima de tudo quase fazendo desaparecer Cardozo do jogo…literalmente, depois de um choque mais que tardio. Esteve em grande, marcou um golo e foi um patrão impossível de controlar, levando a bola para a frente para ajudar o ataque, arrastando jogo pela relva e pelo ar e mostrando a todos que é um jogador pronto para ser titular a 100%. Maicon, rapaz, não sei que te faça: se o Mangalho continuar a este nível…tens de trabalhar muito para lhe roubar o lugar.

(+) Jackson. Não parou todo o jogo, a roubar bolas ao adversário mas acima de tudo a manter o esférico em posse na zona ofensiva enquanto esperava pelo apoio dos colegas que, devo dizer, apareceu mais frequentemente que noutras alturas. Marcou um golo numa daquelas oportunidades à ponta-de-lança e redimiu-se de um lance quase idêntico que em Zagreb deixou os adeptos loucos depois de o falhar. Continua a ser excelente a funcionar como pivot, a receber de costas e a recuar para rodar a bola para o sítio certo.

(+) Luta, empenho, garra. A moral, depois dos primeiros dezasseis minutos, deveria pender para o lado do Benfica, porque recuperar duas vezes de um resultado negativo é motivo suficiente para elevar o espírito do zombie mais incauto nestas coisas da bola. Mas o FC Porto nunca deixou de se manter controlado, seguro nas transições, capaz na gestão da bola a meio-campo e preocupado em abrir o jogo para os flancos quando era preciso e de controlar a zona central em alturas mais complicadas de pressão alta do Benfica, que apesar de intensa nem sempre foi bem executada. E admito que me surpreendeu o empenho dos jogadores em provar que o campeão está em forma nos grandes jogos, que a capacidade de luta está ali bem viva no coração dos jogadores e que me enganaram num ou noutro jogo em que pensei que a alma se tinha afastado para locais mais tranquilos. Gostei de ver e orgulho-me do trabalho que desempenharam.

(-) A hesitação no alívio em zona perigosa. Critiquei, como tantos outros, as hesitações de Danilo, Maicon, Fucile e tantos antes deles no alívio da bola em zona defensiva, particularmente quando o adversário pressiona sempre com vários elementos à entrada da área. E continuo a não acreditar em sortes e azares, especialmente naquelas estúpidas situações em que se vê a bola ali, tão perto da linha de golo, e o nosso jogador teima em tentar controlar o esférico e dominar as circunstâncias valendo-se apenas da sua valia individual. Mas é muito simples e é algo que se explica a todos os miúdos que começam a jogar e que não façam parte das escolas do Barcelona. Passo a citar as palavras de tantos treinadores de escalões de formação: “Em zona de perigo, manda a bola com as putas!”. Palavras sábias.

(-) O nosso banco e as não-opções. Tozé, Sebá, Kelvin e Izmaylov. Estas eram as opções ofensivas no banco do FC Porto para este jogo. Se as circunstâncias fossem diferentes, e era tão fácil que fossem diferentes tendo em conta a valia do adversário, era este o naipe de jogadores que estavam disponíveis para o treinador conseguir virar o jogo. Contra o Benfica. Na Luz. Não chega, e todos concordamos que não chega, por isso é sinal evidente que teremos que ir ao mercado buscar pelo menos mais um jogador de ataque, especialmente para um dos flancos. Tem de ser um fulano jeitoso, para impacto imediato. E baratinho. Pois.

(-) Maxi, o protegido depois de tantos outros. Não é a primeira vez que acontece e tenho a certeza que não será a última. Já no passado mês de Abril, enquanto assistia à derrota do Benfica em Stamford Bridge, vi Maxi a ser expulso e não resisti a escrever sobre o assunto e a ir remexer o brilhante passado do fulano no nosso campeonato. E continuo a não me surpreender com esta protecção que é estendida a este e tantos outros jogadores do Benfica aqui por terras lusas, com expoentes máximos em jogos contra o FC Porto. Desde as cabeçadas de Luisão às patadas de Javi, passando pelas calcadelas de César Peixoto, os pontapés de David Luíz ou as cotoveladas de Cardozo. É um rol interminável de lances que se sucedem nestes clássicos e que são levados sempre pela ramada, sem problemas, com os jogadores a manterem-se em campo durante o equivalente a centenas de minutos nos jogos em que nos defrontam. E a desonestidade intelectual de tudo que é imprensa, desvalorizando os lances em favor da “atitude”, da “luta intensa”, do “esforço” e do “empenho em todos os lances” que estes animais podem aplicar em campo, não é minimamente surpreendente. Entre os afortunados esteve Matic (que grande jogo fez este rapaz, muito melhor jogador do que pensei), que deveria ter levado o segundo amarelo, mas principalmente Maxi, que com uma entrada a varrer com as pernas à altura da coxa do adversário, acabou por levar um amarelo quando devia ter sido expulso, isto depois de um jogo em que tudo valeu, obstruções, empurrões e rasteiras a serem distribuídas tão facilmente como um pedófilo a atirar rebuçados para os putos à porta de uma escola primária. Maxi, com o sorriso bem cravado no rosto, safa-se. Como sempre. Como tantos outros que usam a mesma camisola. E não falo dos foras-de-jogo, porque são complicados de decidir, rápidos, difíceis sem repetições. Mas estes, os lances que dependem do critério dos Joões Ferreiras…esses tendem sempre para o lado certo.


Um empate é um empate e são dois pontos perdidos…a não ser contra o principal rival, especialmente no campo deles. Acima de tudo há que compreender os problemas que se colocaram perante Vitor Pereira e que lhe podem ser colocados apenas numa perspectiva de ter ou não no banco alternativas credíveis e com experiência necessária para este tipo de jogos que, digam o que disserem, não são iguais aos outros. Se as ausências de Atsu e Iturbe (meh) eram previstas, a falta de Maicon, James e Kleber fizeram com que as opções do treinador fossem bastante limitadas para o ataque e que a convocatória e utilização de Izmaylov não fosse sequer esperada nem suficiente. Um empate é um empate. E um empate a dois na Luz é um bom empate.

27 comentários

  1. Sentimento misto é o que sinto… merecíamos ganhar, contudo aceito o 2-2.
    Contente com a postura digna desta brilhante equipa que mostra o cariz do povo nortenho, que é o de nunca desistir e acreditar sempre, ir sempre na luta pois somos claramente uma equipa solida e bem trabalhada para defrontar qualquer equipa…
    E triste pois penso que tínhamos tudo para sairmos vitoriosos mas este empate só nos fortalece e a ida à luz está feita. agora eles que cá venham pois serão encostados às rédeas…
    Obrigado VÍTOR PEREIRA pelo PORTISMO e pela frontalidade…disseste tudo aquilo que sentia no momento…que revejam tudo e que façam o jornalismo de que tanto gostam.
    É frustrante todos nós Portistas sentirmos lesados, mas o regime impera…as minhas lágrimas de nervos espelham bem o meu sentimento, mas quanto maiores são as dificuldades a vencer, maior será a glória…orgulhoso de ti FC Porto
    abraço

  2. Como eu tenho óculos vermelhos, permite-me adicionar alguns nomes à tua lista de protegidos, perguntando-te antes quantas vezes foram expulsos?

    Paulinho Santos, João Pinto, Bruno Alves… O Maxi é um menino ao pé deles!

    Mas deixo claro o seguinte: Maxi faz falta sim senhor, para amarelo. Matic faz falta para amarelo e devia ter sido expulso. Talvez o árbitro tenha equilibrado as contas por vários amarelos não mostrados a jogadores do Porto e tinha muita curiosidade em saber estatisticamente quantas faltas fez o Moutinho… É que o rapaz passa o jogo TODO a fazer faltas estratégicas… Aliás, o Benfica só vai ameaçar verdadeiramente o Porto quando cada jogador usar a mesma filosofia dos do Porto: posso não chegar à bola, mas tu não fazes nada com ela e pumba, falta estratégica! Digo isto sem complexos, porque se olharmos honestamente para as equipas que jogaram hoje, não tenho dúvidas em afirmar que a equipa do Benfica é muito mais criativa e tecnicista que a do Porto e havia que cortar as possibilidades do Benfica fazer o seu jogo. Cada um joga com as armas que tem…

    Para terminar: pena que num jogo disputado de forma intensa, se fale apenas na arbitragem e num erro de 30 segundos num site…

    Aquele abraço!

    1. não te censuro por analisares com os óculos postos, todos fazemos o mesmo por muito que digamos que não. mas neste caso é factual, Paulo. os nomes que mencionaste, algumas das bestas-negras com os óculos vermelhos postos…já foram expulsos. muitas vezes. não digo vezes demais, talvez estejam até um bocado acima da média no mérito das expulsões porque a maioria das vezes eram de facto exageradamente agressivos. mas foram expulsos. não só contra o Benfica como contra outros clubes também. e o Maxi? e o David Luiz? zero. limpinho. factual, como te disse.

      e as faltas a meio campo, é verdade, houve muitas, para ambos os lados. e é a melhor maneira de quebrar o ritmo de uma equipa dinâmica e agressiva (positivamente) no ataque como o Benfica joga. o Moutinho é mais um, no meio da luta do meio-campo, que faz muitas faltas. e ao fim de 4 ou 5 devia levar um amarelo e se não leva é critério do árbitro. mas se o Matic, que já tinha amarelo, faz a falta para o segundo que é tão limpinha…como explicas? e a entrada do Maxi é para vermelho, homem, às pernas com o remo esticado até à coxa…xissa, já vi vermelhos dados por muito menos.

      enfim, mais um jogo, mais uma não-polémica porque não prejudicou o Benfica. é o que temos.

      abraço,
      Jorge

      1. O Maxi não é expulso porque o que tu viste como falta para vermelho resulta de uma corrida em esforço contínuo para parar um lance. Ele faz isto frequentemente, nunca para agredir o adversário. Quando perceberem isto, vão perceber porque não é expulso. Para ser expulso, teria de ser uma agressão, o que não é! Merece amarelo ponto final.

        Leio os delírios de adeptos do Porto a dizer que foram melhores, tiveram mais posse de bola (50% para cada?!), já li até que deram banho de bola! O que eu vi foi um Porto que não foi capaz sequer de criar uma única oportunidade em 90 minutos, tirando os lances dos golos que resultam de erros claros da defesa do Benfica. Lembras-te de alguma jogada construida desde o meio campo que resultasse num lance de perigo? Quantas defesas fez o Artur? Mas o Benfica também não teve lances de perigo, tirando o do Cardozo. Daí concluir que o empate é sem dúvida o resultado certo. O Porto é uma equipa que controla melhor o jogo, mas o Benfica é mais perigoso. Tudo o resto serve para desviar as atenções de um facto claro: ao contrário do que tem sido habitual nos últimos anos, o Porto não foi superior e isto é que deve estar verdadeiramente a magoar quem é azul e branco… até há bem pouco tempo atrás, o Benfica dificilmente recuperaria das desvantagens… Pena que nunca conseguiu colocar-se na frente do marcador, teria sido interessante ver se o Porto conseguiria fazer o mesmo…

      2. Amoreirinha, 8 minutos de jogo em Setúbal, vermelho directo por uma entrada muito menos violenta que a do Maxi…Já que recordamos rapazes agressivos deixa-me relembrar 3 bons rapazes que vestiam de brumelho: Petit (esse amigo do peito do João Pode Ser João), Javi Garcia (outro rapaz que conseguia passar entre os pingos da chuva) e esse mestre da lenha Carlos Mozer (que nem a ex-companheiros perdoava umas boas mocadas, não é Paneira?)…Maxi é useiro nestas entradas a matar….distribui lenha como se não houvesse amanhã. É um gajo violento, caceteiro e provocador…que o diga Messi que já provou também da meiguice deste moço. De resto, sabemos que fomos prejudicados quando a imprensa, LFV e o Jasus, tecem loas ao jogo e tentam suavizar a arbitragem do João Pode Ser Ferreira,

        1. não comparemos outros jogos com outros árbitros e outros critérios…as decisões podem e devem ser contestadas dentro do mesmo ambiente, no mesmo jogo, tomadas pelo mesmo árbitro…

  3. Falta um Baía para o Vitor Pereira. Por tudo. Pela conferência de lançamento do jogo, pela táctica que utilizou face à escassez do nosso plantel, pela forma como geriu o jogo e os recursos que tinha, pela conferência pós-jogo. Sem dúvida que temos um grande treinador.

  4. Boas Jorge,

    confesso que fiquei surpreendido com a nossa entrega mais uma vez, depois dos ultimos jogos de merda. Mais uma vez nao compreendo pq nao o fazemos em todos os jogos, enfim…

    O Maxi devia ter sido expulso, se nao fosse pelos amarelos que nao levou, pelo menos a castanhada q deu no Moutinho para mim e agressao, logo vermelho directo. O segundo amarelo ao Matic tb for perdoado, assim como nao me admirava se o Fernando ou o Lucho tb tivessem tido expulsos pelas suas castanhadas.

    Falta um Baia para o Alex Sandro. Esta um monstro! Esta a ser ao contrario, o q esperava do Danilo faz o Alex Sandro e o que esperava do Alex Sandro faz o Danilo (fraquinho, fraquinho entao aquelas saidas a tentar fintar merecem um calduco do Lucho). E realmento o Maiconas que se ponha a pau, que com o Mangalho a jogar assim nao tem hipotese!

    Concordo contigo, nao temos banco. Nao temos alas como deve de ser e temos um ponta de lanca. Nao chega.

    Em resumo foi um bom jogo, bem partido e nao vale a pena dizer q foi pelo arbitro que nao ganhamos. Pena foi nao termos ganho.

  5. Boas,

    Meu caro, acho que o Alex Sandro merecia um Baía também. Para mim foi mesmo o MVP. Um jogo do caralho do brazuca. Mangala teve imperial, não perdeu um lance dividido, saiu a jogar como um Beckenbauer de ébano, marcou um golo mas teve uma grande falha ao tentar colocar o cardozo fora de jogo num lance que podia ter decidido o jogo

    Vítor Pereira também esteve bem. Admito que não é fácil gostar do homem. Parece ser boa pessoa, vai à missa semanalmente, vai a Fátima no verão mas deu sempre aquela imagem de uma gajo porreiro mas morcão. Ontem esteve em grande. Sem grandes alternativas no banco manteve a identidade de jogo e poderíamos ter conseguido os três pontos. No final disse o que todos nós, simples adeptos, pensamos e dizemos nas mesas dos cafés. O rei vai nu. Este benfica, pelo menos contra nós, nunca foi o rolo compressor, a máquina trituradora, o exterminador implacável o benfica europeu, etc. etc. que vamos lendo por aí. Bola para frente e fé no cardozo. Esteve em grande a falar do arbitro e do Maxi. Gostei. Ontem Vítor Pereira deve ter conquistado muitos portistas. Toda a comunicação social vai cair em cima dele por resumir um clássico a erros de arbitragem. Quando Mourinho tem estas atitudes é “special”, é corajoso, não é politicamente correcto, está a defender o grupo, etc. etc. Como foi Vítor Pereira é uma vergonha…

    Pela negativa temos que assumir a falta de alternativas. Controlamos o jogo, tirando aqueles primeiros 20 minutos e os últimos 10, tivemos mais posse de bola, fizemos mais passes mas não criamos grandes chances de golo. Faltou ali alguém para o ultimo passe, para fazer desequilíbrios, para partir os rins aos defesas deles. Jackson fez um jogão mas teve sempre muito só. Defour e Varela cumpriram bem do ponto de vista defensivo mas não acrescentaram muito ao ataque. Pode parecer um cliché, mas com James seria diferente. A falta que nos faz um extremo que rasgue, que parta para cima, que crie desequilíbrios

    Conclusão: acaba por ser um resultado interessante, mas com a sensação que mereciamos algo mais. Não ganhámos mais por culpa própria (não fomos capazes de gerir as duas vantagens pelo tempo necessário para enervar o adversário e não temos opções válidas para o ataque. Uma equipa como nós, desenhada em 4-3-3 não pode ter no seu plantel apenas 2 jogadores acima da média, Jackson e James) do que por culpa alheia, sem bem que os 10/15 minutos finais em superioridade numérica davam um jeitinho do caralho.

    Um abraço

    PS: O ano passado por esta altura tinhamos os mesmos jogos, estávamos a 5 pontos deles e tinhamos ainda que ir à luz e à pedreira. A ver vamos.

  6. Meus Caros,

    Ontem assistiu-se a um roubo daqueles do tempo do calabote, só não vê quem não quer, aos 3 minutos volto a repetir aos 3 minutos já nos tinham roubado 2 foras de jogo com jogadores isolados e depois mais a do Varela é vergonhoso. As expulsões até nem foi mau, em Aveiro foram 4 que ficaram por se efectuar, ontem foram só duas, UMA VERGONHA mais um roubo no salão de festas e não me venham com conversas moles que foi um bom espectáculo, porque só foi um bom espectáculo porque os encornados vermelhos não perderam e ficaram todos contentes. Falam bem da arbitragem, se fosse ao contrário teria-mos de levar com esta vergonha em nem sei quantos telejornais, o jornal a bosta na 1ª página, o rascord na 1ª página e por aí fora etc.
    Não nos podemos calar que este ano tem sido um roubo à descarada em todos os jogos, o Cardoso tem 12 golos 7 de penalti isto diz muito é o andor no seu esplendor. O traficante vem no fim dizer que só falam de arbitragens os burros e tem razão mas esqueceu-se que aos burros faltam as orelhas. Vêem no fim dizer que foi uma boa arbitragem é gozar com honestidade intelectual das pessoas, aliás este ano depois de serem beneficiados vêem sempre com esta conversa a dizer que árbitro esteve muito bem, é esta a verdade desportiva deles, desde que ganhem está tudo bem. Quando empataram com o Braga na 1ª jornada eu disse logo este ano vai ser só disto, roubar e mais roubar à descarada e já estamos no fim da 1ª volta mas mesmo assim digo-vos já vamos ter cabeçudos de luxo no Dragão na penúltima jornada porque eles não jogam nem valem nada, coitados são enganados pela cs de merda, que representa bem o país e o estado dele.

    Abraço
    T

    1. Diga lá o que anda a tomar porque eu também quero! Agora a sério, acredita mesmo no que diz? Não acha que se o Benfica andasse sempre a ser beneficiado, teria muito mais títulos do que tem? Tem alguma lógica roubar durante a época toda e chegar ao fim em segundo? Faz sentido ser levado ao colo uma época inteira mas não ter os pontos suficientes para ser campeão? Faz sentido queixar-se do adversário e chegar ao fim sempre em primeiro?

      1. O que ando a tomar chama-se realidade que é aquilo que não existe na vossa cabeça, sabe, o pior cego é aquele que não quer ver.
        Se o 5LB não tem mais títulos é porque é tão fraco que nem com ajudas lá vão, a única coisa que vão ganhando é a taça lucilio baptista e já é muito bom e sempre com muitas ajudas, se não nem isso, ainda este ano já deviam estar fora desta competição quer factos? não vou perder tempo vá ver o que se passou em Moreira de Cónegos e no salão de festas com AAC e interiorize bem. Lembra-se dos túneis?? Faz sentido ser levado ao colo? faz todo o sentido para não haver contestação por parte dos adeptos e faz sentido para chegarem em 2º que dá acesso directo à liga dos campeões, se assim não fosse andavam lá para os lugares que anda o vosso vizinho da 2ª circular. Faz sentido queixar-se do adversário quando chegamos ao fim em 1º? Faz todo sentido porque há de facto razões de queixa e se chegamos ao fim em 1º é porque de facto somos muito mas muito melhores, lembra-se das declarações do Mourinho em condições normais seremos campeão e em condições anormais seremos campeões na mesma, é preciso é ser tão melhor, tão melhor que depois sem nos aperceber-mos ganhamos não só cá mas também na Europa e isto meu caro é a realidade e contra os factos não há argumentos.

        1. oh meu caro, e nomes? é que o Paulo diz quem é e toda a gente sabe que é um habituée aqui do tasco e dos poucos benfiquistas…irritados que tem o meu beneplácito porque, sinceramente, valorizo mais a nossa amizade que o resultado de um qualquer clássico. mas preferia que não te escondesses por detrás do anonimato…não fica bem a nenhum portista ;)

          e vamos manter as coisas calmas e cordatas, senão terei mesmo de censurar comentários e não queria mesmo nada…

          abraço,
          Jorge

  7. Olá a todos e Jorge, Parabéns pelo teu blog! Sinceramente, às vezes parece que me estou a “ouvir” a mim próprio!

    Hoje a tua análise, foi extraordinária! Só acho q o Alex Sandro podia ter sido incluído nos Baías.

    Quanto aos lances polémicos, n há margens e quando esta imprensa “tirar os óculos vermelhos”, não digo que farão o mesmo alarido que habitualmente fazem quando o clube da 2a Circular é prejudicado (estou-me só aqui a lembrar do jogo mítico contra o Vit. Guimarães fora, em que os vermelhinhos tiveram muitas razões de queixa), mas deixarem de fazer do jornalismo desportivo e saloio, de uma crucificação dos árbitros. Aliás, até deviam estar caladinhos porque recentemente crucuficaram o homem que o ano passado viveu o melhor ano como árbitro (Proença).

    Mais uma vez, parabéns e estarei atento ao teu blog como de costume :)

    Abraço

    PS: nesta altura, já estás a pensar q o teu Fucile regressará (ai ai coração sofre) ;)

  8. Jogo de grande intensidade e espectacularidade, durante a primeira parte, com as duas defesas a cometerem alguns erros, bem aproveitados pelos respectivos ataques, o que determinou um louco evoluir do resultado.

    Depois, muito naturalmente, o jogo foi perdendo intensidade e aí, o FC Porto patenteou o seu habitual colectivismo e segurança, impondo toda a sua classe e determinação. Foi sem dúvida mais equipa. Por isso destaco sobretudo o colectivismo da equipa, onde apesar de tudo sobressaíram Mangala, Alex Sandro e Jackson Martinez.

    O trabalho do árbitro merece uma estátua ao lado da do Eusébio, pelos bons serviços prestados à causa benfiquista, não só neste jogo como também à sua carreira, que, para bem do futebol e da verdade desportiva, está perto do seu términos.

    Um abraço

  9. Bom Dia, Jorge.

    Sabe que sou Benfiquista e que gosto de o ler porque faz análises sempre coerentes e justas dos jogos da sua equipa. Vi o jogo no estádio e como tal não tive acesso a todos os lances ao com 12 angulos diferentes, como tal não vou falar de Maxis, Matic`s ou Fernandos e Moutinhos. Queria que me aborda-se do seu ponto de vista a estratégia de comunicação do FCP no final do Jogo e a sua razão?

    1. sabes que nem sempre estou de acordo com explosões do treinador nas entrevistas ou nas flashes, mas não posso censurar o que se passou desta vez. se a indignação não se manifesta na altura certa e no local certo, corre o risco de passar à história e como todos sabemos, a imprensa não vai dar (e não deu) o destaque aos lances em que nos sentimos prejudicados ao contrário do que fez quando o sapato estva no outro pé. por isso admito perfeitamente estas reacções a quente. não sou grande fã da estratégia da cagança que o FC Porto às vezes assume, especialmente em jogos na Luz, como deves já ter percebido se costumas ler o que escrevo, por isso aceito estes outbursts de uma forma pontual.

      um abraço,
      Jorge

      PS: o meu aplauso pelo apelido. afinal, é de gajo com história no seu clube e isso é de saudar :)

  10. …”o empate é justo.”…

    Não , não é !
    Seria justo se os 3 foras-de jogo (Defour, Alexandro , Varela ) não tivessem sido marcados ,
    se as 2 expulsões (Matic e Maxi ) tivessem sido feitas e , no final , o resultado fosse o empate .

    Abraço

  11. Jorge, não achei que a estratégia fosse somente chamar a atenção da arbitragem, porque em termos de casos este foi fraquito, não existiram penaltis, golos mal anulados, quando o caso do jogo é a entrada do Maxi aos 82 minutos, está tudo dito. Já passamos por classicos dos anos 90 onde valia tudo menos tirar olhos. mas isso foi no sec passado. A mim pareceu-me qualquer coisa mais trabalhada e com outro intuito que podemos conversar depois sem clubite, futebol pelo futebol.

  12. Chegueia ao final do jogo e não me senti projudicado pelo resultado.

    Não me entendam mal… foram mal marcados 3 fora de jogos que ficavamlos isolados e 2 jogadores deles deveriam ter sido expulsos, mas a ver pelo jogo que foi, se tivessemos marcado em alguma dessas situações o mais próvável era sofrer o empate 2 minutos depois.

    Tivemos 2 vezes a ventagem na mão e nem a chegamos a saborear quando assim o é, está tudo dito.

    Em relação ao jogo em si, 4 golos sendo que 3 foram erros enormes… Artur, toda a defesa portista no 1º golo que estava tudo dentro dabaliza e ninguem a cobrir os homens que vinham de trás e Helton que falhou clamorosamente no 2º Golo sendo muito mal ajudado por Otamendi.

    Destaque para a nossa falta de opções e espero que Ismailov começe a jogar rápidamente ao ritmo quedemostrou no Sporting (mesmo que seja só a metade do que mostrou vale bem mais que o Varela com o ritmo todo.

    E por amor da Santa, traga O Fucile, despachem o Kleber metam, O walter como opção ou senão despachem-no também e vão buscar um avançado a um clube da 1ª liga portuguesa.

    E já agora arranjem mais um extremo puro para jogar, que o Ismailov também é um interior e com a Saída do Iturbe e ausência de Atsu mais as criacizes do Kelvin, estamos mesmo a precisar… A não ser que o Sebá seja a aposta, mas para isso é mete-lo a jogar pelo menos meia-hora já em setubal

  13. Fiquei com a sensação de que podiamos ter feito mais, mas pronto, não tenho nada de mal a apontar ao VP, até que se querem q vos seja honesto, ele fez um bom trabalho, tendo em conta as limitações que o nosso banco oferece, e ainda por cima a lesão do nosso james e a ausencia do atsu (acho q se tivessemos esses 2 as coisas teriam sido diferentes). Esperar que a nossa equipa suba de rendimento e ver o que eles querem fazer com o mercado de inverno

    Uma coisa para partilhar com voces:

    Benfica-Porto (2009/2010) – 1-0
    Benfica-Porto (2010/2011) – 1-2
    Benfica-Porto (2011/2012) – 2-3
    Benfica-Porto (2012/2013) – 2-2

    Benfica-Porto (Jesus em 4 anos) – 1v, 1e, 2d – 6 gm; 7 gs

    Porto-Benfica (2009/2010) – 3-1
    Porto-Benfica (2010/2011) – 5-0
    Porto-Benfica (2011/2012) – 2-2

    Porto-Benfica (Jesus em 3 anos) – 0v, 1e, 2d – 3gm; 10gs

    BENFICA-PORTO (Jesus em casa e fora – 7 jogos) – 1v, 2e, 4d – 9 gm; 17gs

  14. Sem querer armar-me aos cágados, direi que a arbitragem de João ferreira acaba por ser positiva!!!! Foi mal auxiliado em 3 foras-de-jogo, mas curiosamente o lance do nosso 1º golo que tantas duvidas deixou ao Luis Freitas Lobo e acólitos é precisamente do mesmo lado do gajo que estava armado em ferroviário…
    Quanto aos critérios disciplinares, já joguei á bola e sei que há jogadores com estatuto e outros… coitados!!! João Moutinho, Lucho, Helton por parte do FC PORTO, Maxi, Cardozo, Luisão, Aimar por parte do clube visitado, são jogadores de amarelos na parte final dos jogos…
    Mas o melhor elogio que há sobre a nossa actuação na Luz (impedindo o visitado de ganhar, mesmo desafiando sites oficiais…) é a miseravel capa do jornal “Record”!!!!!
    O discurso de Vitor Pereira foi em tudo identico ao do Jorjasus ano passado…
    A vida é isto… hoje eu, amanhã tu!!!!

  15. @ aos “paulos” que por aqui gravitam
    é preciso ter lata! lata, não: um contentor carregado de bidões para se armarem aos cucos e em virgens ofendidas, em questões de arbitragens.
    é factual que houve três foras-de-jogo mal assinalados; é factual que o maxi é um perna-de-pau (no sentido em que parece que sabe quando acertar quando não tem a bola: ele é ‘pau’, ‘pau’, ‘pau’, não sei se me faç entender) e que aos 26′ já deveria ter visto amarelo por uma falta feia (tackle) sobre o Alex sandro; é factual que o matic deveria ter visto um segundo amarelo por ter feito um tackle ao Otamendi, numa jogada de contra-ataque puro.
    é claro que convém que não se abordem estes factos e fique tudo na paz do senhor – que é como quem escreve, no esquecimento.
    também é óbvio que, durante os noventa minutos, só houve uma equipa que soube o que fazer com a ‘redondinha’ colada nos pés. é certo que essa equipa não foi o 5lb.
    também foi evidente que claudicaram quando não deveriam: o cardozo é bom, mas não tanto. e como ontem não houve penaltys, falhou no único momento que teve (ou seja, não destuou a sua mé(r)dia de golos).
    para estes “paulos”, estar a relembrar-lhes estes factos é “chover no molhado”. curiosamente também foi o que afirmou Vítor Pereira. mas não foi levado a sério pelos “paulos”. é que não convém que lhes seja lembrado que o rolo compressor é um mito urbano idêntico ao dos «oito milhões e meio… por Roberto». ou então, ao lance de vólei que antecedeu o golaço em fora-de-jogo milimétrico que nos deu o bicampeonato

    ps:
    @ Jorge
    desculpa o testamento, mas não me consigo conter quando constato o que mais repudio nos lampiões: essa tendência inata para a memória selectiva…
    abr@ço

    1. Fora de jogo milimétrico a vosso favor, num lance de bola PARADA!!! não há problema, os 3 de que se queixam devem ter sido de 10 metros…

      Quanto ao Pau, pau, pau, até me fez rir!!! A maior escola de pau do país, cujo melhor aluno foi… Bruno Alves… até na lista de caceteiros vermelhos apresentada pelo autor deste blog tem um que aprendeu no dragão… Ou na altura era um anjinho?

      Penaltis do Cardozo? Quantos teve o Hulk no ano passado? Tá a ser um pouco mais difícil para ele na Russia…

      É dificil perceber o rolo compressor? Uma equipa vira resultados e ganha folgado, a outra lá vai ganhando por 1-0.

      Tendência inata para memória selectiva temos todos! Não reconhecer isso é ter… Memória selectiva!

      Curioso, por falar em memória selectiva, é que os benfiquistas até admitem as faltas, como está escrito neste blog. Mas ainda não li nenhum portista a admitir as patadas de João Moutinho, Fernando, aquela entrada do Mangala às costas do Cardozo mesmo a acabar a primeira parte, ou a entrada sobre Gaitan à entrada da grande area. E por faltar em Gaitan, houve aquela outra no meio campo que o deixou KO. Foi mostrado algum amarelo a jogadores do Porto?

  16. @ paulo
    agora é a minha vez de te perguntar se «acredita mesmo» no que escreve?
    vamos lá desmontar os argumentos do seu comentário.
    1) «fora-de-jogo milimétrico a vosso favor, num lance de bola parada»
    só quem nunca praticou futebol é que pode considerar que, por ser um lance de bola parada, o árbitro assistente tinha a obrigação de ter um olho no momento em que a bola vai partir e o outro no enfiamento da linha defensiva portista. mesmo assim, pergunto-lhe: é capaz de afirmar que, no jogo em apreço e no lance em questão, na primeira vez que o viu, gritou “fora-de-jogo”?
    2) «a maior escola de pau do País, cujo melhor aluno foi… Bruno Alves»
    só alguns nomes de jogadores que passaram pela agremiação de Carnide (e que eu os vi “jogar”), para que não caiam no esquecimento: carlos mozer, petit, antónio veloso, hélder, tavares, king, calado, chano, fernando meira, pesaresi, argel fucks, katsouranis, david luíz, javí garcía, binya, marc zoro, cardozo, maxi pereira. fico-me por estes… (já sei que vais contra-argumentar com o Fernando Couto, o Jorge Costa, o José Carlos, eventualmente o Aloísio, o Paulinho santos, o André, o João Pinto, entre outros. o que te quis demonstrar é que vocês também têm (muitos) “anjinhos”)
    3) «é difícil perceber o rolo compressor? Uma equipa vira resultados e ganha folgado, a outra lá vai ganhando por 1-0»
    a que equipa te referes e para que situações? curiosamente, na época em curso, penso que «ambas as duas equipas» estão equiparadas. sei que terás opinião diferente.
    4) «não li nenhum portista a admitir as patadas de João Moutinho, Fernando, aquela entrada do Mangala às costas do Cardozo mesmo a acabar a primeira parte, ou a entrada sobre Gaitan à entrada da grande área»
    não leste, nem lerás, pois só tu é que as viste.
    5) «e por faltar em Gaitan»
    sim, gostei muitos das suas piscinas “a la joão finto” durante todo o jogo. meteu-me cá um nojo…
    sinceramente: recomendo-te a (re)visualização do jogo e com mais atenção.
    quem afirma que «Maxi faz falta sim senhor, para amarelo»… enfim… fosse ao contrário e durante vinte anos continuaríamos a ouvir os vossos lamentos.
    aliás, deixa-me adivinhar: para ti, a entrada do katsouranis sobre o Anderson, em 2006/2007, não mereceria sequer amarelo, certo? pois está muito bem (mal).

Deixar uma resposta