We may need to buy

Estou sentado no sofá na minha sala a ouvir Billie Holiday e a beberricar um copo de vinho. Do Douro, forte, com corpo suficiente para empurrar o Hulk e deixá-lo prostrado no chão. E enquanto sorvo mais um gole do néctar no copo com pé que pouso delicadamente na borda do encosto para o braço que não uso, vou pensando em futebol. Prosaico, não acham? Talvez, mas não dá nada de jeito na caixa e poucas coisas melhoram estes momentos de descanso e puro lazer idílico (para mim, que sou um maldito epicurista wanna-be) que dissertar um pedacinho sobre a bola e acima de tudo sobre a bola dos meus. Não sobre as minhas bolas, descansem, não terão prosa de índole testicular por estes lados nos próximos tempos a não ser que me surja um instinto incontrolável de pontapear alguns e descrever sensações alheias.

Olho para o plantel e concordo com o mister. Parece-me curto. Infelizmente curto. E se tirarmos os que estão de fora da equação porque nunca foram opção (Rafa e Rolando), somarmos os que não serão opção válida pela pressão que têm já em cima deles para apresentarem níveis de performance mínimos para impedirem vaias quando entrarem em campo (Kleber e Iturbe) e adicionarmos os que são segundas-escolhas por demérito próprio (Kelvin ou Castro), ficamos com…pouca gente. Se a baliza Helton não oferece contestação e mesmo com a alternativa Fabiano não estaríamos a arrancar cabelos, na defesa as coisas começam a tremer. Danilo e Alex Sandro estão seguros nas laterais e no centro Otamendi e Maicon estarão na mesma situação, com Mangala sempre pronto a entrar para o lugar de qualquer um dos…quatro. Alternativas? Algumas. Credíveis? Poucas. Miguel Lopes pode render Danilo, tudo bem, com mais coração e muito menos cabeça, mas safa o lugar. Abdoulaye teve alguns bons momentos mas espera mais uma vaga e de Quiñones ainda não vi nada. E nos bês há alguma qualidade mas dificilmente entrarão como opção para os ás. Diogo e Victor Luís são miúdos a defender, David é mais fraco do que parece e no centro talvez Tiago Ferreira seja opção daqui a uns anos. Falta alguém? Depende de quem sair, se alguém sair.

No meio-campo é que a casa treme toda. Fernando vai batalhando com Defour, Lucho com Kelvin e Moutinho com Defour. Mas Defour já jogou mais vezes na posição de Fernando e Castro, a outra alternativa, também fez o mesmo. Lucho está sozinho e tem-lhe sido exigida uma carga de trabalho bem maior do que esperava que aguentasse. Lembro-me das quebras do argentino a meio da temporada e temo que o mesmo aconteça este ano, o que me deixa receoso que tenhamos de lá colocar um outro milieu-de-terrain com um nível parecido. Quem? Não há mais nenhum no plantel, A ou B, que se equipare. Podem pensar que qualquer um faz o papel dele mas quem vai lá ver os jogos sabe que não é verdade e isso é evidente quando Lucho sai de campo. Kelvin desposiciona-se com demasiada facilidade, James joga à frente demais, Defour atrás demais. Sérgio Oliveira, talvez? Não lhe reconheço consistência nem maturidade competitiva para tal. Pedro Moreira? Parece-me de futebol curto, pouco imaginativo e acima de tudo pouco líder. É preciso uma alternativa a Lucho. E se Moutinho sai? Mete-se lá o Tozé? Coitado do moço, até tem jeito mas precisa de continuar a jogar, a aprender, a crescer. Por isso vamos com calma, um passo de cada vez.

Chegamos ao ataque. Jackson tem raízes no lugar, James é indispensável. E do outro lado? Atsu começou bem a época, Varela é mais consistente, tacticamente mais astuto e mais experiente, mas a boa forma do início da época está a roçar o medíocre nos tempos que correm, e fazem-no mais que Varela. Kelvin, que pode fazer o lugar, não parece ter o sentido prático para decidir jogos. Se no meio Kleber perdeu confiança dos adeptos apesar do treinador o manter por perto, não vejo em Dellatorre uma solução eficiente e acima de tudo suficiente, muito menos o faço em relação a Vion. É preciso uma alternativa a Jackson. E na ala, quando vejo Sebá a jogar penso em tantos extremos que passaram por clubes menores em Portugal ou na estranja e que nem deram má conta de si nesses clubes…mas olho para os que cá chegaram e penso na pressão que recebem. E desconfio que o rapaz ainda não tenha o que é preciso. Estarei a ser pessimista? Não creio, olhem para os exemplos de Marco Ferreira, Alan, Djalma ou Mariano, para não falar nos putos que subiram como Candeias, Vieirinha, Bruno Gama ou Helder Barbosa, entre outros. Temo que Sebá tenha de progredir mais para não ser contestado. É preciso uma alternativa a Varela.

Assim sendo, vejo três posições que podem precisar de remendo. Médio organizador, extremo e ponta-de-lança. Ideas, anyone?

11 comentários

  1. Boas,

    Acho que falta ainda uma opção aos laterais. Só temos 2 (confirmando-se a saída de Miguel Lopes e a “verdura” do Quiñonez)

    Aqui vai o que eu acho que falta e os moços que podiam preencher as lacunas

    laterais – Fucile. Vantagens: Joga pelos dois lados, conhece a casa, já é nosso. Desvantagens: Terá tido problema disciplinar grave com o treinador, deixou má imagem nos últimos jogos pelo clube. Se ninguém pegar nele agora em janeiro era de ficar com o moço

    Meio campo – Ismailov. Vantagens: Pode fazer as posições 8, 10 e mesmo dar uma perninha numa faixa. A 80% era o melhor jogador do Sporting. Desvantagens: por demais conhecidas. Parece já consumado a transferência. Vamos ficar com o moço

    Extremos – Quaresma. Vantagens: pode fazer o lado esquerdo e direito, conhece a casa, em dia sim resolve um jogo, custo zero. Desvantagens: Ordenado elevado, meio ano parado com reflexos na condição física e psicológica. Arriscava no moço desde que baixasse o salário.

    Ponta de lança – Ghilas (Moreirense). Vantagens: ambientado ao futebol português, bom físico, novo (22 anos). Barato. Desvantagens: falta de experiência em equipa grande. Ia buscar o moço.

    Abraços

  2. As primeiras duas respostas são obvias:

    MEDIO OFENSIVO = Ismailov – desde que bem fisicamente e a custo zero (ou troca de jogadores dispensaveis – e nesse capitulo teria preferido que fosse o Fucile ao Miguel Lopes… mas como o Miguel Lopes estava em fim de contrato e de outra forma se calhar ia para o …ica…)

    EXTREMO = Quaresma – desde que bem psicologicamente e a custo zero (para mim nao tenho duvidas em apoiar o regresso de um dos meus “all time favourites”)

    Agora para ponta de lança a coisa fica mais negra… Eu ainda acho que o Kleber foi uma boa aposta mas… algo no psique do miudo ja deu para perceber que ele precisa mudar de ares e ser emprestado… O Lima teria sido uma fantastica aposta custo/beneficio… O Eder agora deve estar carissimo… No campeonato portugues nao vejo mais nenhum que servisse…
    Sera que o Liedson (custo zero apenas) viria dar uma perninha?
    O Jardel ainda anda a oferecer-se para jogar?
    Volta Janko!!! (ao que chegamos…..)

  3. Eu acho que quem precisa de alternativa é o VP. Estamos a jogar o mesmo que jogavamos com o Fernando Santos … ahhh tempos terriveis, que futebol feio Deus meu.

    Não há nenhum miudo a ser potenciado, nem tão cedo haverá.

  4. Recuperar o Fucile, limpar a mona do Izmailov e perguntar ao João Tomás se em vez de Angola não quer fazer uma perninha aqui no FC PORTO…

  5. Só um apontamento relativamente aos extremos/avançados que deixámos fugir, falta aí o Ukra e o Rabiola, por exemplo…

    Alternativas e mercado há muito, dinheiro, como já disseram, desse há muito pouco! Quaresma já assinou pelos reis do petróleo, Izmailov vem (re-criar conflitos com JM?) quase pela certa, o Elias do SPC está a preço de saldo e era uma boa compra para render no meio campo. Mas todos estes são dispensáveis e, na minha opinião, o que o FC Porto precisa é de um desiquilibrador, um tanque mágico como era Quaresma e Hulk, alguém que faça o flanco direito tremer à bomba. Mesmo com todos os jogadores a 100% precisámos de uma figura que meta medo aos defesas contrários na direita.
    Jackson precisa de um subistituto “a la” Ernesto Farias, e enquanto James faz o lugar de Lucho no meio (aos 60 minutos) é preciso um crescido e fresco Atsu na esquerda, por fim, na Direita, depois de Varela fazer o seu trabalho corrosivo nas pernas do adversário, é preciso alguém que traga de volta aquele cheiro a magia que o nosso querido mar azul já sente falta.

    Onde andam os brasileiros que sambavam no relvado? Essa mania de querer inventar um novo Messi está a estragar o futebol. Iturbe, por muita qualidade que tem, começa a parecer um Fábio Paím “wanna be”, e nos bês há muito muido português que merecia um lugar no banco.
    VP, siga o exemplo do catedrático, e meta lá uns miudos de vez em quanto.

  6. O que achas desta análise?Se calhar devíamos fazer o mesmo para perceber se podemos ou não comprar! É preciso não esquecer que pedir dinheiro emprestado não só é muito caro como difícil.
    A análise está aqui:
    http://ontemvi-tenoestadiodaluz.blogspot.pt/2013/01/a-gestao-de-lfv.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+OntemVi-teNoEstdioDaLuz+%28Ontem+vi-te+no+Est%C3%A1dio+da+Luz%29

    Acho que neste tempo de crise é bom não entrar em loucuras.

Deixar uma resposta