O Danilo quer ser um Guarín mas eu preciso de um Sapunaru

Uma sensação estranha apodera-se de mim sempre que olho para Danilo dentro de campo e odeio-me sempre que acontece. Tem sido cada vez mais frequente nos últimos tempos e não sendo dolorosa como uma pisadela num pé descalço ou uma boa dose de azia, está-me a afectar o prazer de apreciar uma exibição do meu clube e a transformar uma boa exibição numa caça às bruxas que não pode trazer nada de bom. E essa sensação prende-se com o facto de olhar para Danilo, para o que faz e como faz, e não me entusiasmar acima do mínimo suficiente para manter um batimento cardíaco de repouso.

E se fosse outro gajo qualquer, não me chatearia tanto. Quer-se dizer, não será a melhor bitola para avaliar a qualidade de um jogador ou a possibilidade de o valorizar com a nossa camisola, mas não sou eu que o vai andar a negociar daqui a uns anos. Mas continuo a olhar para ele e a pensar na quantidade de guito que gastamos nele, e por muito que o rapaz não tenha culpa de absolutamente nada, a verdade é que tinha algumas expectativas para o ver a jogar a um nível elevado. E sempre que o vejo em campo parece que estou a ver um Guarín adaptado a defesa-direito. E não me agrada mesmo nada. Nem é pela ausência de Danilo do meio-campo, mas porque o rendimento não tem sido o que estava à espera de ver num jogador que já foi chamado várias vezes à selecção brasileira (com ou sem empresários ao barulho) e cuja transacção pareceu fazer com que o mundo se virasse todo do avesso com mais uma ridícula guerriúncula contra o Benfica. Não questiono o valor do moço noutra posição, mas até agora, do que vi do rapaz a jogar com o número dois nas costas e na posição habitual desse mesmo símbolo, devo dizer que não vi nada de especial, nada que me fizesse dizer: “Carago, vale o dinheiro que demos por ele!”.

É muito curioso ver que Guarín, talvez um jogador que Danilo preferiria emular no FC Porto, está a decidir jogos em Itália depois de os fazer em Portugal durante dois anos. E também ele, quando cá chegou, era um jovem com margem de progressão que fez uma primeira época…abaixo das expectativas. Se bem se lembram, foi bem pior que Danilo. E atravessou dois anos complicados, com baixa cotação entre os adeptos, para chegar a um 2010/2011 brilhante e acabando por sair em 2012 sem grande glória dentro do clube mas com um mediatismo que provavelmente nunca pensou atingir tão cedo e muito menos no país onde então estava. E Danilo já terá deixado o discurso de inauguração, a ladaínha do “esta não é a minha posição, eu quero é jogar no meio-campo, yadda yadda”, mas a verdade é que poucos lhe darão uma nota particularmente positiva em quase todos os jogos que disputou. E talvez seja aí a sua posição mais adequada às características dele, mas sinceramente não vejo um futuro próximo que inclua o brasileiro numa posição no meio-campo que se assemelhe ao que o próprio jogador prefere, mas no FC Porto, como em todas as grandes equipas, há que suprir as necessidades primárias antes das secundárias e neste momento, a lateral-direita está mais em falta que a zona do médio-volante.

Mantenho esperança que o rapaz cresça, suba de produção, evolua e atinja um nível que estou à espera de ver desde que chegou. Mas o impacto inicial, desde há um ano, não está a ser memorável.

PS: O título parece tirado de um romance do Mário de Carvalho mas asseguro que saiu da minha cabeça.

11 comentários

  1. Sempre engraçado de se ler e gostei da referência ao Mário de Carvalho! :)
    O Danilo precisa de um “Jesualdo” que lhe ensine a ir para a linha… Das poucas vezes que o fez, brilhou… O problema é que ele “dá” sempre o meio…
    Abraço

  2. Bonita foto, de um tempo que parece não se repetirá…

    Sinceramente eu não gosto do Guarín… é muito Emerson para o meu gosto. Assim sendo, espero que o Danilo em tudo, nunca seja um Guarín… a não ser a marcar golos.
    Começa-me a parecer é que os laterais direitos depois do grande João Pinto, sofrem de alguma coisa… – para não falar no Secretário, tipo Armstrong, o Bosingwa começou por dar cabo da cabeça ao Adrianse e continua no QPR a deixá-los todos doidos; o Sapu também não batia lá muito bem…o Fucile, que eu adorava, tinha um parafuso solto… não, não sei muito bem…
    É que considero o Danilo melhor jogador que o Sandro, meu nome é Alex Sandro… mas o Alex tem muito menos peneiras e muito menos convencimento, e resultado, tem evoluído imenso…

  3. O danilo é craque. O tipo o ano passado estava a começar a distribuir magia ate sofrer aquela lesão contra o city. Com o tempo vai lá, e sinceramente, mesmo sendo um ceptico com o nosso VP, acho que ele irá fazer um bom trabalho com o puto. O alex sandro este ano está a evoluir muitissimo!!

    Queria era saber uma opinião aqui do pessoal, Mangala ou Maicon?

  4. Carissimo Jorge,

    O tema, qual é a melhor posição para o Danilo, tem-me deixado curioso, quanto à cientologia aplicada ao mundo da bola. Umas vezes acho que são todos uns nabos, incluindo treinadores, dirigentes e olheiros. Outras vezes acho que o nabo sou eu, por dar tanta atenção a essa mania de querer ser treinador.
    O meu conhecimento sobre o Danilo remonta a 1 ano antes de ele ser cobiçado pelo FC Porto.
    Gosto de ver jogar o Santos desde a época em que estive no Brasil, não por lá ter jogado um tipo de nome Pélé, mas porque na altura jogavam pelos meninos da vila, dois jogadores entre outros que me encantavam: Robinho e…..Diego, sim esse que jogou no Porto. Na altura os dois eram dos jovens mais promissores do Brasil. Infelizmente assim como o Santos tem capacidade de formar jovens excepcionais, da mesma forma misteriosa esses rapazes rápidamente se perdem quando começam a subir na vida.
    Voltando ao Danilo. O Muricy que era o treinador do Santos ( parece que ainda é), tem vindo a descobrir uns rapazes jeitosos, e vai os colocando na equipa. Infelizmente o talento para descobrir jovens não é proporcional ao de treinar uma equipa – meia época a treinar para o mundial de clubes e apanha 4 do Barcelona. E a coisa vai-se safando porque descobriu um tal de Neymar. Quanto ao Danilo todos os jogos que o vi a fazer de defesa direito foram banais para pior. Dando umas “bobeiras que fizeram os Santos tomar alguns golos” para o Estadoal e depois para o Brasileirão. No entanto o rapaz a meia ( médio direito, centro) fez uma libertadores soberba, ao ponto de ser considerado pela critica jornalista, eleito para o onze principal de todas as equipas da Libertadores. E na minha opinião é aí que o rapaz rende.O Muricy só não o punha mais vezes a meia porque também tinha outros que eram muito bons como o Arouca ( volante – meia) e o Ganso,que estava a recuperar de uma lesão. Como esses dois eram mais jogadores que o Danilo, ele tinha o lugar um pouco tapado. no entanto na Libertadores, o Arouca jogava na posição tipo trinco ( em portugal) e com Ganso a recuperar, jogava nessa posição Danilo, e o rapaz deu conta do recado.
    Claro que já foi chamado a selecção para o lugar de Defesa direito pelo Mano Menezes, que percebe um pouco mais de bola que eu de lagares de azeite. Esse dizia que ia fazer do Danilo o novo Maicon do Brasil!!!!!!
    Claro que olha-se para a estrutura física de um e do outro e percebe-se ( já o Alex Sandro, não sei não). Só não sei quando Mano Menezes chamou o “nosso” Kleber à selecção do Brasil, em que jogador estava a pensar transforma-lo?
    Quando há dois verões passados ouvi a possibilidade do Porto contratá-lo, achei uma boa ideia. Na altura falava-se de 7 a 9 milhões. era muito mas tinha-se uma boa promessa ( a meia) e gozava-se com o Benfas e com a Bola e o Record que o davam como adquirido . Mas se foram 17 milhões então deve ter subido algo a cabeça dos “nossos” eximios negociadores.

    Cumprimentos,

    Rui

  5. Eu continuo a achar o Danilo um flop. Quase nunca vai á linha e raramente faz um cruzamento de jeito. Prefiro mil vezes o Fucile, muito mais raçudo muito mais jogador á PORTO. Espero estar enganado senão vamos ter de engolir os 17 milhões de euros.

    Saudaçoes Portistas

    Jota Braga

Deixar uma resposta