Ouve lá ó Mister – Paços de Ferreira


Amigo Vítor,

Este jogo é tão ou mais importante que o da semana passada e tu sabes disso. Não há nada pior que sair de um jogo grande com um resultado positivo para sete dias depois estragar tudo com uma má exibição e desperdício de pontos mais preciosos que o Anel para um qualquer Gollum. Talvez a fome ou a pestilência sejam um bocadinho piores, mas não é por muito. Por isso encaremos este jogo contra o Paços com seriedade e acima de tudo com espírito de sacrifício.

Porque vai ser preciso sacrifício, Vitor, oh se vai. Já todos sabemos o estado em que a equipa está, com poucas opções no ataque e gajos cansados atrás dos poucos que estão prontos para jogar à frente. Temos uma defesa em condições, é verdade, mas as defesas não ganham jogos, ganham campeonatos, não é? E os jogos, como este de hoje, precisam de um ataque decente, com boas combinações e nada de jogar à Roma ou Barça, com setenta gajos no meio-campo e constantes mutações de posição. Não tens gajos com características para isso. Não sei se o Marat está com os joelhos em condições, mas mesmo que esteja pronto para avançar, se fosse a ti continuava a apostar no mesmo onze que jogou na Luz. Podes inventar um bocado, eu sei, não precisas de piscar o olho e fingir que estás surpreendido que sugira tal façanha. Já sei que pensaste em pôr o Maicon ao meio, encostar o Mangala à esquerda e fazer subir o Alex. Passou-te pela cabeça, não foi? Mas não vás por esse caminho, keep it simple.

O relvado vai estar uma valente trampa, ensopado e pronto a tramar o jogo rasteiro que ambos gostamos. Não é jogo para Kelvins, é para Defours. Não é para Sebás, é para Castros. Vai ser uma batalha, é o que é, e temos de estar preparados para isso. O Paços joga bem e vai tentar dar-nos cabo da vida mas vais ter alguns milhares nas bancadas, poucos mas bons, que te apoiam nas escolhas e sabem que não precisamos de fazer um jogo fantástico. Este é um jogo para ganhar, ponto. Os grandes espectáculos ficam para mais tarde.

Sou quem sabes,
Jorge

2 comentários

  1. Bom dia,

    Após o clássico na Luz que culminou com um empate que soube a pouco face à nossa supremacia, hoje temos um duro teste diante de uma equipa que tem sido a revelação neste campeonato.

    O Paços de Ferreira é uma equipa ambiciosa, aguerrida, organizada que conta nas suas fileiras com atletas de valor tais como os ex-portistas Josué e André Leão.

    Vai ser portanto um jogo complicado, mas que é primordial vencer antes da deslocação ao Bonfim para acertar calendário.

    Se vencermos, o Benfica entrará em Braga obrigado a vencer.

    Mais logo a incógnita será de Sebá jogará de início para dar mais profundidade ao nosso jogo atacante.

    Oxalá as condições climatéricas não estraguem o desafio.

    Se jogarmos com a atitude patenteada na última jornada, com maior ou menor dificuldade e com o apoio da massa associativa, iremos vencer.

    Abraço e bom fim de semana

    Paulo

  2. Os grandes espectáculos ficam para quando Jorge?

    De facto as opções de ataque são poucas, não espero muito daquele tridente ataque, apesar de achar que Defour é um jogador de enorme qualidade. Mas sem James a minha esperança em algo fantástico é muito reduzida… e hoje infelizmente, porque quando vejo um jogo do Porto quero sempre um enorme espectáculo, não espero mais do que 3 pontos!

Deixar uma resposta