Baías e Baronis – Sporting 0 vs 0 FC Porto

Hoje de manhã, em futebolada com amigos, levei uma bolada no focinho que me pôs a ver estrelas durante uns segundos e me deixou o lábio superior inchado como se tivesse andado à pancada. Ainda por cima, a bola sobrou para outro adversário e entrou na minha baliza. Levantei-me e continuei a jogar. Passados dez ou vinte minutos, dei um pontapé no poste, sem querer. Uma unha partiu e a pancada fez com que enchesse a ponta da meia de sangue. Levantei-me e continuei a jogar. Antes que digam: “este gajo é mesmo tosco!”, esperem pelo corolário. Hoje à noite, em Alvalade, não houve nenhum lance que se assemelhasse a estes dois eventos matinais. Mas quase nenhum dos nossos jogadores mostrou este tipo de vontade que até eu mostrei numa amigável futebolada com amigos para, depois de aturdido com um ou outro lance que não tivesse corrido bem, se conseguir levantar e perseguir com garra o que estava ali ao seu alcance. Só houve nervosismo, incapacidade de lidar com contrariedades tácticas, incapacidade de ultrapassar um adversário fraquinho mas que correu mais que nós. Metaforicamente, levamos petardos nos dentes, demos chutos em postes. E não nos levantamos para continuar a jogar, mantivemos o jogo passivo, lento, sem rasgo, sem chama. E perdemos dois pontos, sem necessidade. Vamos a notas:

(+) Otamendi Que me lembre teve uma falha no jogo todo, que podia ter dado um golo ao adversário: o fora-de-jogo não existente a Wolfswinkel que o holandês aproveitou para rematar e Helton para defender, e onde o argentino subiu tarde, caindo na desmarcação do Ricky. Para lá disso, um jogo de intercepções consecutivas, cortes perfeitos, bola levada pelo pé até zonas que não lhe são familiares mas que Nico fez com que se transformassem em áreas onde parecia à vontade. Mantenho que é o melhor defesa que temos (“defesa”, como em “um dos gajos que ficam lá atrás, ao contrário dos defesas/médios-ala que povoam as nossas laterais), para lá do brilhantismo de Mangala e da força e técnica de Maicon, e insisto nesta tecla: como é que o Rojo é chamado para a selecção argentina e Otamendi not so much? Comigo era titular em todos os jogos.

(+) Fernando. Jogou muitas vezes em zonas avançadas, mais do que é normal. Com Defour excessivamente recuado, a tentar sem sucesso agir como Moutinho (há muitos que o consigam? duvido muito.), Fernando foi o que mais tentou e dos poucos da linha do meio-campo para a frente que mostrou que queria mesmo ganhar o jogo com a força do campeão que é e que não quer deixar de ser. Foi lutador, sempre lutador, contra os caceteiros que apanhou pela frente, nunca perdendo o tino a não ser com algumas decisões questionáveis de Paulo Baptista. Não chegou.

(+) Jackson, mesmo sem marcar. É um excelente ponta-de-lança e hoje foi o mais perigoso dos jogadores do FC Porto em Alvalade. Mas não consegue fazer tudo sozinho e está a começar a receber bolas em demasia a partir do meio-campo e até da defesa, que começam a ver nele uma espécie de messias em que todos depositam a confiança suficiente para livrar a equipa de situações mais delicadas. Nem sempre consegue e hoje tentou, sempre com inteligência e espírito de equipa. Resultado? Vários remates ao lado, com constante pressão dos defesas do Sporting, sem apoio dos colegas. Não era o dia dele, mas fez para que o fosse.

(-) Passaram onze dias desde o jogo contra o Málaga… e é assim que estamos. Uma equipa que tem tanto de genial como de permissiva, tecnicamente inapta e tacticamente incapaz de levar o jogo para cima do adversário durante um período de tempo que permita a criação de lances que levem de facto perigo à baliza contrária. Patrício teve mais trabalho pelo ar a tentar roubar a bola da cornadura de Jackson do que pela relva, e o facto de termos alguns jogadores em baixo de forma (Varela, Lucho, James, Danilo…) faz com que a boa forma de outros (Fernando, Alex Sandro, Jackson…) não chegue para compensar as falhas dos primeiros. Falta força, falta tanta força, falta choque, impacto, agressividade, falta jogar com um objectivo claro. Falta alma, falta paciência, falta pachorra para aturar a falta de paciência. Juntemos a este caldo a ausência de Moutinho e transforma-se o FC Porto numa equipa banal, incapaz de manter um ritmo de jogo consistente com o que já vimos este ano contra grandes equipas, particularmente na Europa ou na Luz. É um FC Porto de duas caras, Hyde para os amigos e Jekyll para os inimigos, ou ao contrário, porque nunca sei qual é o bom e o mau. Nem eu nem ninguém, porque no início de cada jogo nunca se sabe qual é o FC Porto que vai aparecer. Se alguma vez alguém tentou diagnosticar bipolaridade a uma equipa de futebol, não podia começar por um sítio melhor que pelo FC Porto de Vitor Pereira.

(-) Os piscineiros do Sporting. Uma curta nota porque não quero deixar passar em claro uma das coisas que mais me enervou hoje à noite, para lá da incredulidade de ter visto Rinaudo acabar sem amarelo e Miguel Lopes, que jogou de raiva e a bater em tudo que viu, a levar um amarelo apenas aos 89 minutos. O que mais me chateou no adversário foi a distinta lata da maioria dos jogadores do Sporting de tentarem sacar tudo que era falta após o mínimo dos contactos os fazer voar para o chão como putos com um fato de Super-Homem. Labyad, Capel, Carrillo mas principalmente Wolfswinkel, que já devia perceber que se chega a Inglaterra para fazer este tipo de merdas, vai ser corrido com um gesto do árbitro mais depressa do que conseguir dizer: “Ref, it’s a foul!”. Ah, só para perceberem o quão lixado devemos todos estar: perdemos dois pontos contra este bando de freiras desfloradas.


Nada está perdido e vamos lá deixar-nos de miserabilismos e toalhas ao chão e outros clichés do género. Mas preocupa-me que tenha sido um mau jogo que se seguiu a outro mau jogo, o que me deixa sem convicção para perceber se vamos ou não conseguir a recta final que precisamos. Se o Benfica vencer em Aveiro, continuamos a depender só de nós para sermos campeões. Mas custou perder dois pontos contra uma equipa que perdeu várias vezes os pontos todos contra equipas muito mas muito mais fracas. E não aconteceu por mérito deles, ou pelo menos não exclusivamente por isso. Muita da culpa do empate é nossa, e deixa-me triste. Mais uma noite triste.

17 comentários

  1. Boa noite,

    primeiro deixa-me dizer que fiquei muito decepcionado com o Sporting, eu sei, nem sequer é a minha equipa, porque é que me hei-de chatear com eles.

    Já vejo bola em Portugal há umas dezenas de anos, e o Sporting, apesar de não ganhar muitos títulos era, muitas vezes, a equipa, que melhor futebol jogava, podia não ganhar muitos campeonatos, mas trocavam a bola que era um mimo e em Alvalade davam sempre tudo.

    Hoje, vi, algo que me deixou um pouco triste, um dos “grandes” de Portugal a jogar como se fosse o Feirense ou outra equipa que luta pela sobrevivência, foi triste ver uma equipa a jogar com 10 atrás do meio campo e um meco lá à frente. É muito mau para o campeonato Português que assim seja e se fosse Sportinguista tinha vergonha de jogar em casa contra um adversário nacional desta maneira.

    Passando ao meu clube…. Falta de garra, falta de vontade? Acho que foi mais falta de concentração e falta de Moutinho.

    Não existe insubstituíveis? Sim, é verdade, mas perder o pêndulo da equipa na tarde anterior ao jogo deixou marcas profundas, o Porto não tinha mecanismos para efectuar uma transacção rápida entre a defesa e o ataque passando pelo meio campo; quando precisávamos de puxar o Sporting e abrandar o jogo, não conseguimos e parecia que nos queríamos livrar da bola, quantas vezes no jogo conseguimos levar a bola à linha para passar para a zona do penalty?

    Falando de quem lá estava, acho que as substituições foram tardias e infelizmente, apenas o Atsu trouxe algo de novo ao jogo. Uma falha de pormenor do VP, quando um jogador é assobiado durante o jogo todo, se soubermos que o vamos substituir 10 minutos após os 45, tira-se o homem durante o intervalo, assim evitando a chatice de ter um estádio inteiro a assobia-lo.

    Gostei do Otamendi e do Fernando.
    Detestei as marcações de bola parada (Livre a 3 metros da grande área e tentamos fazer um passe!?!?) e faltou o Mangala nos cantos :(

    De resto, ainda dependemos apenas de nós para ganhar o campeonato, mas custa muito perder pontos para o pior Sporting que eu alguma vez vi.

    Fica bem

  2. Gostei: “perdemos dois pontos contra este bando de freiras desfloradas.” Valham-nos os teus dribles literários, porque no convento faltou-nos… tesão!
    Mas mesmo desinspirados e sem grande banco (como tantas vezes no passado), continuo a achar que somos mais equipa que o nosso rival.

  3. Jorge (perdoe a falta de acentos e alguma pontuacao),

    Uma vez que o FCP luta por um titulo e normal que sinta frustracao pelos pontos perdidos. A luta esta renhida, tanto FCP como SLB perdem pontos raramente, o que faz de cada deslize uma derrocada. Todavia o FCP nao foi a equipa “banal” que o ‘post’ descreve. O FCP teve a vontade e teve o ritmo que menciona. Nao teve foi o engenho capaz de desbloquear o numero de jogadores do Sporting atras da linha da bola. Mas mesmo neste particular nalgumas ocasioes o FCP conseguiu faze-lo e recordo na 2’a parte pelo menos 3 investidas pelo lado esquerdo onde o FCP entrou bom a bola dominada na area do Sporting.

    James nao deu ao jogo aquilo que Vitor Pereira esperava.
    Varela dificilmente ultrapassaria a muralha de jogadores do Sporting.
    Izmaylov esteve bem mas nao chegou.
    Lucho esteve a seu nivel.
    Dafour esteve bem.
    E Fernando tambem.

    Nao podemos tambem comparar os empates caseiros do FCP com este de Alvalade, porque embora a disposicao do Sporting tivesse sido bastante conservadora, o Sporting naturalmente tem jogadores melhores do que muitas das equipas que tiraram pontos ao FCP nesta temporada. Repare que a sua equipa esmagou o Malaga e venceu por 1-0, no Dragao. Por alma de quem jogango em Alvalade, banaliza a prestacao do FCP pelo empate a 0?

    Muita sorte teve o FCP porque com uma arbitragem mais isenta e com um bocadinho de “sorte” (para simplificar) na conclusao de alguns lances, o Porto teria perdido o jogo. Nao porque esteve mal. Ma porque o Sporting esteve bem e acima do nivel a que (infelizmente) nos acostumou.

    1. não acho, sinceramente. o Sporting podia ter marcado um ou dois como o FC Porto também, sem depender de arbitragens. e isso é que me lixa, porque temos mais que futebol para ganhar a este Sporting…

      um abraço,
      Jorge

  4. Não critico o Sporteeng. Acho que darem o máximo não deve ser criticável, e o VW tem todo o direito de ter preferência pelo benfas no campeonato.

    Quanto ao jogo, vi um FCPorto um pouco emocional demais, com desequilíbrios constantes na defesa, o que não deveria ter acontecido contra um Sporteeng hiper-defensivo, e sem grandes opções no ataque.

    Mas enfim, via-se que o FCPorto tinha alguma pressão em obter a vitória o mais cedo possível, e o decorrer dos minutos mexiam muito com a cabeça de alguns jogadores.

    Vi um Izmaylov muito apagado, a não lidar nada bem com os assobios da bancada.
    Um Varela que nada sai bem como tem sido seu apanágio,
    Um Jackson a tentar pisar terrenos que não são seus, e a suster demasiado a bola, até que acaba sempre por a perder no meio campo.
    Um Defour com os seus processos simples, muito suor, pouca clarividência ou visão de jogo, um pouco ao estilo de Castro quando entra,
    Fernando a ter de fazer de organizador muitas vezes, com os desiquilibrios defensivos que isso provoca.
    Lucho, não pode pegar no jogo, porque é um equilibrador,…se a equipa não funciona, não é ele que vai marcar os golos, ou rematar, ou desiquilibrar Sporting, ou cruzar tenso.
    Danilo, começa a irritar-me, só lhe peço um bom cruzamento para a cabeça de um jogador do porto, e ele nem isso faz,…parece-me um jogador que daria mais no meio campo, porque para ir à linha e cruzar “para lá” até o Maicon fazia melhor… por outro lado defensivamente tem melhorado, mas ainda não está um bom defesa.
    Alex Sadro tem decrescido na performance física, parece cansado e menos interventivo… possivelmente porque após golo do olhanense deve ter levado na cabeça a torto e a direito… “não inventes” “cirula mais a bola, jogamos em posse”, “joga com o izmaylov”, “não arranques para cima do adversário”, “circula até outro flanco até encontrar definição” etc etc… o que acho ridículo…
    James…péssimo.
    Maicon, tem paragens cerebrais por falta de visão periférica, se fosse treinador aconselhava-o a “rodar mais a cabeça, para os dois lados, como se faz a atravessar a rua” antes de fazer um passe, e para ver as desmarcações adversárias e linha de fora de jogo… Maicon, roda mais a cabeça…
    Hélton, não esteve mal de todo, sendo um dos melhores em campo…

    Sinceramente, este jogo de posse já me irrita:
    1.º Posse com último terço paupérrimo não serve de nada
    2.º A largura de jogo nunca é conseguida por Varela e Izmaylov, e quando é conseguida por Alex Sandro ou Danilo nunca existe 1, repito 1 cruzamento de jeito, nem uma penetração na área com perigo…
    3.º Péssima marcação de livres, precisamos urgentemente de marcadores de livres: James não marca, Moutinho não marca, Maicon não marca,… não há marcadores de livres
    4.º Cantos têm de ser marcados à maneira curta… Não temos torres, que cabeceiem bem sem Mangala…
    5.º Eu preferia ter Iturbe e Kelvin nas alas do que ter Varela ou atsu…porque de que é que vale o equilibrio defensivo em posse, se nem a uma equipa que aprendeu a defender à dois dias, nós conseguimos provocar desiquilibrios defensivos…?

    Já agora, se perdermos o campeonato só temos de apontar o dedo aos responsáveis… que somos nós…

  5. Boas Jorge,

    Continuo a perguntar de que vale ter o dominio do jogo, qdo nao se cria uma unica oportunidade de golo! Quem podia ter ganho era o Sporting, fosse o cepo do Wolkswinkel do mesmo calibre do Jackson e tinhamos levado na pa.

    Nao gostei nada deste jogo, sem Moutinho perdemos o meio campo e nao temos extremos de nivel decente. E para mim, baroni para o Helton. Tou farto desta merda! Confianca a mais costuma dar merda e foi por pouco que nao deu… enfim.

    Apos uns jogos razoaveis para amostra, voltamos a mesma treta do costume…

    Abraco,
    Joao

  6. A nossa grande exibição com o Málaga deu-nos para ganhar 1-0 com um golo fora-de-jogo.
    A nossa grande exibição da Luz deu para não fazer um remate depois dos golos.
    Com Villas Boas, as nossas grandes exibições acabavam em vitórias contundentes, goleadas (Liga Europa) e futebol espetacular.

    Custa dizer isto, mas a jogar assim, com falta de garra, com falta de classe, corremos o risco de perdermos tudo esta época. Vamos jogar a Málaga, e vamos passar um mau bocado contra uma equipa de reformados porque simplesmente não temos equipa para sofrer! Para meter o pé! Para meter a bola na bancada se for preciso, dar um grito que acorde a equipa. Temos Otamendi Jackson e Fernando, e o resto??? Onde anda o resto da equipa?
    Ontem dei por mim a pensar na qualidade de jogadores que apresentámos, e a fazer contas… Tanto dinheiro mal gasto…
    Demos 8M€ por um Defour?
    18M€ por um lateral direito que tem rapidamente que ir jogar para o centro do terreno ou corremos o risco de ele não valorizar nem um centimo, um gajo que não acrescenta nada ao jogo que o Fucile e Sapunaru faziam, alem de bater livres para fora e pra barreira?
    Izmailov? Um zero. Liedson? Tocou na bola? Não me fodam…

    O fio-de-jogo continua a ser inexistente, e continuamos fortíssimos apenas num dos 4 momentos do jogo: a transição ataque-defesa, quando perdemos a bola.
    Ontem Otamendi não falhou uma vez, falhou duas, quando Wolkswinkel aparece sozinho pelas duas vezes (embora na segunda a defesa suba e o Alex ponha o holandês em jogo uns 2 metros).
    Faltam 9 jogos, e vamos entrar numa série de jogos para o campeonato complicadissimos, e esta vitória era decisiva para dar moral ás tropas, para o que aí vem.
    Temos 2 jogos em casa com duas equipas que saem bem no contra-ataque (Estoril e Braga), e vamos fora a equipas que lutam pela permanência (Académica e Moreirense) e Europa (Maritimo).

    Se queremos que o jogo do titulo seja na penultima jornada estamos proibidos de perder mais pontos…
    Mas a jogar assim… Só desencantando um Hulk na equipa B é que lá vamos.

  7. Só assim rapidinho numa frase: Ao ritmo de Maicon não vamos lá!
    Quando faltam os mangalhões e moutinhões que jogam com os dedos em sangue e os lábios arrebentados, e ficamos com os lordes da bola, a guardarem-se para o jogo de Málaga, a coisa só sem são patrício é que vai lá… enfim. Acho que o balneário está a pedir um raspanete de secador…

  8. Por acaso o empate foi mais demérito deles do que nosso. Tivessem um PL digno e tinham feito golo em duas oportunidades escandalosas…

    Foi vergonhoso e ainda piorou contra 10. Jogar contra uma equipa de juniores e não fazer nadinha…

  9. Caro Jorge,

    Perceber como é que Otamendi acaba o jogo é também um bom exercício…

    Saber que Vítor Pereira, à luz ( salvo seja ) dos critérios usados por Paulo Baptista, também acaba no banco…

    E não se queixem muito… não tem motivos para isso.

    Saudações desportivas
    Marcelo Silva
    Porta10A

  10. Uma Vergonha!! como queremos ser campeoes se nem a esta equipa que acaba o jogo com 3 juniores conseguimos ganhar??? Não é com varelas e maicons que vamos lá, este tipo de futebol de posse precisa de desiquilibradores nas alas, rápidos fortes no um para um, e nós o que temos?? o varela que é uma autentica nulidade, nem lugar no plantel tem quanto mais a titular e o izmaylov que é mais um para mastigar o jogo… só um aparte que parece k ninguém se interessou, nem querem saber, eu como socio acho lamentável saber que o porto vendeu á um ano 35% do passe de james POR 2,55M e agora RECOMPROU POR 8,75M e o mesmo tb aconteceu com o moutinho isto é aceitavel ou compreensivel???

  11. Otamendi e Fernando, um e outro, muito bem. Uma ou outra falha, como as referidas, mas um belíssimo jogo. De resto, podia ter sido tudo diferente se apenas um dos vários lances da primeira meia hora tivesse dado golo. Oportunidades não faltaram. Depois, podia ter dado uma coisa ou outra. A análise do VP parece-me correcta, e aí sim se nota a falta de Moutinho: muita sede ao pote e ninguém que naquele campo metesse na cabeça que não valia a pena jogar com balões para os adversários. Foram demasiadas as vezes que disse «Não chutes!», «Não mandes daí!» ou «Para esse lado não!». E isto, infelizmente, sobrou para quase todos.
    Danilo… efectivamente, como já se disse há uns 3 ou 4 jogos, começa a tornar difícil justificar o investimento.
    Mas apesar de tudo, Baroni, Baroni, era para o homem que estava cinco lugares ao meu lado e que fez com que eu deixasse de ir ver jogos à Casa do Porto em Lisboa: nem o prazer mítico de ver o «preto que não joga nada» a marcar um golaço vale a hora e meia a aturá-lo. Ontem, entre vários mimos, o melhor foi para o «burro do Vítor Pereira que só mete o James quando já só falta meia hora» para passado 3 minutos dizer «filho da puta do James, perde todas as bolas»… De tantos lugares no estádio, por que razão estava mesmo ao meu lado? Não sei se é a paciência que falta ou a falta que me faz ter paciência.
    Os críticos do VP bem podem dizer que a equipa agora não joga nada, que até o Benfica foi ganhar a Alvalade, e que no tempo do Villas-Boas é que era… Tentem lá lembrar-se do jogo em Alvalade para ver o tal domínio avassalador…
    Força, Porto, que temos tudo para ganhar o campeonato!

  12. O principal problema do porto é não rematar.

    Não me lembro de termos feito um unico remate à baliza na segunda-parte ( a baliza, entenda-se aquela merda com uma trave e dois postes). Livres? Para a bancada ou ao lado. Cantos ? Inuteis. Horrivel, recuperávamos uma bola na defesa só passado 10 minutos é que a bola chegava ao meio campo do sporting. Chegando lá, passes “à barcelona” que não deram em nada e ninguem se lembrava do objectivo do jogo.

  13. Nota-se nos comentários um exagero típico de quem perdeu pontos. Está tudo doido…

    Concordo que faltou atitude. Atitude e paciência.

    A falta de Moutinho foi notória. O James anda completamente desaparecido e falta muita criatividade na frente…

    As distracções atrás foram assustadoras. Todas as oportunidades do Sporting nascem de desatenções da defesa.

    http://www.diariodeumdragao.pt/2013/03/sporting-cp-0-0-fc-porto-dois-pontos.html

Deixar uma resposta