Baías e Baronis – Emirates Cup

No final do torneio, que acabámos por quase vencer (bastava que um dos penalties tivesse entrado…), fiquei com a sensação que temos hipótese de ser uma equipa, mas ainda não para já. Já estou habituado a que o FC Porto faça pré-épocas com ritmos mais relaxados, sem excitações em demasia e a trabalhar para atingir o pico numa altura mais avançada da temporada, e esta não foi muito diferente nesse aspecto. E gostei muito de algumas coisas, muito pouco de várias outras, mas resumindo toda a competição, aproveitando para juntar o resto da pré-época num simples balanço de positivos e negativos aqui em baixo. Vamos a isso:

(+) A importância de ter um “Fernando”. Sempre que vejo o “polvo” assusto-me ao pensar que podemos vir a ficar sem ele a qualquer dia. É verdade que o meio-campo formado por Castro e Defour (em alternativa temos Josué e Herrera) em vez de qualquer um dos anteriores) poderia funcionar contra grande parte das equipas que vamos defrontar cá dentro, mas para jogos mais a sério…é uma riqueza ter um jogador do seu nível. Talvez Defour seja a opção mais válida para o substituir, ganhando em passe o que perde em força, mas Fernando prepara-se, ficando, para ser mais uma vez um jogador pivotal no plantel. Contra o Galatasaray fez muita falta na altura em que era necessário tapar o centro do terreno com o seu “sósia” Felipe Melo a fazer o que queria do nosso meio-campo. Regressou contra o Nápoles em grande.

(+) Actualmente, a defesa é o sector mais forte da equipa. Otamendi foi talvez o melhor jogador de toda a pré-época do FC Porto, mas esteve muito bem acompanhado por Alex Sandro e Mangala. Danilo alternou o génio com a indolência do costume e Fucile parece estar a melhorar (o jogo com o Nápoles foi muito bom). As alternativas que jogaram no primeiro encontro, Maicon e Abdoulaye, não fizeram má figura, e mesmo Reyes, que está ainda “encostado”, parece ter já qualidade para fazer alguns jogos. É verdade que estamos a abusar com apenas três laterais de origem, mas já sabemos que Maicon pode fazer a lateral direita (ou até Ricardo, se ficar no plantel) e Mangala a esquerda, por isso é um problema gerível e se o treinador assim optar para poder ter um plantel mais controlado em número e em opções, so be it.

(+) Qualidade técnica do plantel mais alta. Sim, é verdade que saíram James e Moutinho e o nível de qualidade perdeu uns enormes quilos ou litros ou libras ou lá qual é a unidade de “qualidade técnica” que quiserem inventar. Mas entraram Quintero, Herrera, Josué e Carlos Eduardo, todos eles médios com criatividade acima da média e talento que chegue para calçar as mesmas botas dos antigos 8 e 10 para conseguirem, a médio prazo, fazer com que a equipa consiga carburar com o seu talento próprio. Há elementos que entraram também este ano que não serão headliners no concurso mundial de talento e técnica para a bola, casos de Ricardo, Ghilas ou Licá, bem como o regresso de Fucile e Iturbe, mas que podem fazer com que a equipa volte pelo menos aos níveis de controlo e rotação de bola que teve a espaços no ano passado, especialmente fazendo com que não tenhamos problemas em olhar para o banco e possamos escolher alguém de jeito para mudar algo no ataque.

(-) Há qualidade nos reforços…mas há qualidade para jogar já? Gostei de Josué no meio, detestei-o na linha. Gostei de Quintero no meio, mas achei-o muito confiante e a proteger mal a bola. Hesito perante Kelvin e Iturbe, ambos tecnicamente bons mas indecisos nas alturas mais importantes. Ricardo está a ser testado como lateral na eventualidade de Danilo, Alex Sandro e Fucile estiveram lesionados (laterais do FC Porto: Ricardo e Mangala…pensem nisso.), Tiago Rodrigues deve ser cedido, Herrera ainda não tem ritmo e os dois que vieram do Estoril, Licá e Carlos Eduardo, parecem nervosos em demasia para serem opções imediatas. Com a saída de James e Moutinho, apostaria rapidamente em Defour no centro porque é o que tem mais experiência para poder assumir a função com o mínimo de perda para o jogo de equipa. Para o lugar de James, é mais complicado e depende do tipo de jogador que Paulo Fonseca quiser. Pessoalmente, punha as fichas em Juan Iturbe, pelo menos para começar a época. Parece-me o mais dinâmico e interessante de todos no presente momento.

(-) Bolas paradas ofensivas, não só pelos penalties. Acabámos por quase vencer este torneio, bastava que um dos penalties tivesse entrado e tínhamos ganho esta treta. A jogar devagar. Sem grandes parangonas, com o nome que levámos a Inglaterra a ser perenemente ignorado pelos bifes e outros que tais. E um único penalty marcado pelo adversário, que esteve ao nosso alcance por duas vezes, fez com que não conseguíssemos sair do Emirates com a taça na mão. É isto que tem de estar na cabeça dos jogadores quando vão marcar um penalty, seja lá quem for o marcador de serviço nesse dia. É para marcar e mais nada. Visualizar o objectivo, imaginar a bola no fundo das redes, partir para a marcação e enfiar a redondinha lá dentro. Até pode ser o Fernando a marcar, quero lá saber, tem é de ser um gajo com condições técnicas mas acima de tudo mentais. Jackson e Lucho já falharam penalties a mais. E para lá dos penalties, é preciso trabalhar os livres e os cantos, tanto na movimentação ofensiva como na própria marcação. Treino específico exige-se pronto.


Falta uma semana para começar a época…acham que estamos prontos?

7 comentários

  1. Eu gostei mto da pinta do Quintero, grande visao de jogo, bons passes. O Ghilas e reforco e bem racudo.
    Continuo a nao perceber como e que com tanta comprar nao se vai buscar um lateral esquerdo e um trinco de raiz.
    Achei que nao fizemos um mau torneio, mesmo rodando a equipa. Nao e aceitavel de maneira nenhuma, mesmo em jogos a feijoes falharmos dois penalties. Nao da, nao pode e gajo que falhe devia dar umas 10 voltas ao campo no final.
    Achei que defensivamente nao estamos mal mas o Abdulae ou la como se escreve, nao tem nivel para o Porto. O arbitro do jogo com o Napoles foi um bom artista, ahahha.
    Abraco,
    Joao

  2. Vou começar pelos reforços, Licá muito fraquinho só vejo cabelo quando entra recepção de bola muito fraca está a jogar com medo, Carlos Alverto ao ver tantos médios de qualidade também está a bloquear ambos os que referi anteriomente devem ser emprestados na minha opinião, Herrera é um 8 vi contra o Napoles principalmente na 2º parte um lucho quando chegou ao futebol Portugues é certo com menos tatugens mas a rotação para encontrar espaço e passar está lá, em relação a Quintero tem bom pé esquerdo ainda é fraco taticamente mas marca melhor os livres e cantos que o Defour. Aos restantes reforços que vieram do Vitória também nao devem pegar e devem descer para a B.
    Aos que voltaram Fucile voltou o “puto” malandro está la tudo voltou com vontade esperemos que continue, Iturbe volta com mais corpo mais vontade mas taticamente nao ajuda a equipa muito fraco ainda o Kelvin parece me que tem mais cultura tatica e pode ajudar mais defensivamente.
    Em relação ao resto só dois pontos o treinador está a cometer um erro em jogar com um duplo médio defensivo ou seja vamos ter uma equipa de tração a tras o que contra equipas do nosso campeonato vai ser tramado preferia jogar em 442 com Jackson e o Ghilas e no meio campo Fernando, Lucho, Herrera e Varela, o segundo ponto é Defour sinceramente não sei o que se passa com ele porque não consegue cruzar um bola que passe o 1º poste

  3. Que jogaço… do Otamendi!
    Se não fosse um mau passe que fez na 1ª parte em que até resolveu bem juntamente com Mangala, tinha feito um jogo perfeito.
    O Mangala por acaso até jogou bem hoje, pois ele tem estado bastante mal nesta pré-época. Overated que se farta…

    Gostei do Quintero. Não foi brilhante, mas para 1º jogo com número de minutos a sério até esteve bastante bem. Falta-lhe capacidade de pressão, notou-se isso na 1ª parte (Com Lucho eles nem saíam da defesa). Aquele passe foi qualquer coisa (assim como o movimento do Ghilas).

    Continuo a não compreender o porquê de meter os extremos para dentro contra equipas fechadas, e principalmente muito densas no centro do terreno… Precisa-se de largura para abrir a defesa, não é jogando afunilado que lá vamos…

    Tiago Rodrigues será com 99% de certeza dispensado. Ricardo com 80%. Entrar para defesa direito pode ser alguma ideia de Paulo Fonseca, mas mesmo assim é necessário sair alguma gente e ele deverá ser o escolhido. Até para jogar mais e crescer.
    Apenas estão à espera da Supertaça para os mandar para Guimarães.

  4. Ou muito me engano ou vamos estar daqui a 1-2 meses com o seguinte 11 titular:

    GR – Helton

    DE – Alex Sandro
    DD – Danilo
    DC – Mangala e Otamendi
    MDC – Fernando e Herrera
    MAC – Quintero
    EE – Varela
    ED – Lucho
    PL – Jackson

    Claro, que nao estou a espera que o Lucho seja um extremo tipico, apenas acho que renderia mais a jogar como o James jogava no ano passado, um centro-campista descaido para um flanco. O Quintero deveria jogar como um 10 completo, com poucas preocupacoes defensivas e junto ao Jackson. O Varela em constantes trocas de flanco com o Lucho e os laterais em subidas pela linha.
    Ghilas, Iturbe, Kelvin, Defour, Costa definitivamente jogadores para usar em rotacao.
    Abdoulaye, Carlos Eduardo, Ricardo, Lica, Tiago Rodrigues para emprestar para terem minutos.

  5. Estamos mais que prontos e as equipas so aparecem na sua real capacidade e promessa a partir da 4a 5a jornada, mas temos de entrar para ganhar tudo o que e competicao, senao nem vale a pena. So tenho pena que te tenhas esquecido daquele que vai ser a grande revelacao desta epoca no campeonato e na Europa, Quintero, que vai acabar a epoca como 10 titularissimo do nosso clube.

  6. Não estamos nem podíamos estar em ponto de rebuçado e acho que não, não estamos…nós nascemos prontos! :P Sem brincadeiras: Acredito que agora, que é a sério, com o melhor onze em campo ininterruptamente e com respeito por nós próprios, pelo adversário e pela competição não vamos ter tantas quebras nem duas partes de um mesmo jogo tão díspares. Espero um Porto a assumir o jogo desde cedo e já com as devidas correcções nas marcações das bolas paradas!

    P.S. – Toda a bluegosfera insiste no “ímpeto” e da intempestividade das entradas do Mangala! Meus senhores, eu acho que ele e Otamendi deviam poder ter-se apresentado só no dia de jogo, em Aveiro…esses dois não precisam de pré-época! Os outros é que estão lentos…:P nota de humor…:P

Deixar uma resposta