Baías e Baronis – FC Porto 0 vs 1 Zenit

Cheguei a casa destruído. Saí do estádio com a cabeça virada para o pavimento, os olhos firmes no solo à minha frente e uma sensação de quem acabou de receber um remate do Hulk direitinho no estômago depois de comer uma enorme malga de sarrabulho. Foi uma noite tensa, de futebol europeu que por muito que possam dizer que é só mais uma competição, tem qualquer coisa que me transforma, que consegue elevar a alma ou demolir a moral num espaço de cinco minutos. Não merecíamos perder este jogo, esta batalha que travámos com todas as forças que temos e que foi perdida num único lance em que o russo se antecipou à nossa defesa e fez a bola entrar na baliza de Helton. Foi muito duro mas foi também uma prova que neste tipo de competições é preciso conseguir jogar de olhos nos olhos com o adversário. Hoje, fruto das circunstâncias, não foi possível e acabámos por perder numa luta desigual contra uma equipa matreira que nos bateu com algum mérito mas muita, muita sorte. Há jogos assim, passemos a notas:

(+) Espírito de sacrifício. As contrariedades foram muitas e variadas, desde a expulsão quando havia ainda gente a entrar para o estádio, passando por bolas ao ferro (sim, plural) e várias decisões enervantes e inexplicáveis da arbitragem. A equipa manteve a calma, reorganizou-se e retomou a partida sempre com uma capacidade de luta que ainda não tinha visto este ano. As bolas que se perdiam eram rapidamente procuradas para evitar progressões em loucas correrias de Hulk ou no trote canino de Danny. Lucho corria na frente de um lado, Jackson do outro, já atrás deles Josué ia ao chão como Otamendi e Fernando varria o que era necessário, bola ou pernas ou ambos. Mangala tinha cortes perfeitos, Helton saía dos postes sempre que necessário (ah, sim, mais uma “mancha” quando Otamendi teve o habitual soluço mental e deixou Hulk num 1v1 com o compatriota). Danilo e Alex Sandro subiam a medo mas recuavam em sprints doidos e todos pareciam funcionar como um grupo, como um todo, como uma unidade homogénea em vez da amálgama de nomes e camisolas que vimos recentemente. Mais para o fim, quando as pernas fraquejavam e os espíritos se arrastavam pela lama, foram para a frente, Helton inclusive, na tentativa de pelo menos salvar um ponto dos três que estavam em disputa e que passaram oitenta e muitos minutos a procurar. Fizeram-nos acreditar, deixaram tudo em campo e os adeptos, sempre do lado deles, perceberam isso. É verdade que perdemos o jogo…mas podemos ter ganho uma equipa.

(+) Fernando. Escolho Fernando como poderia escolher Lucho ou Mangala, mas o “polvo” esteve em grande hoje à noite e brilhou a um nível cósmico não só pela capacidade táctica de adivinhar o desenrolar das jogadas adversárias mas também pela garra que colocou em cada lance que disputou. Foi uma parede para tantos jogadores do Zenit que aposto que alguns milionários russos que viram o jogo devem ter apostado em comprá-lo só por este único jogo. Enorme, enorme, senhores!

(+) O público do Dragão. Esteve unido hoje o povo portista, e ao contrário do que se passou em jogos recentes, apoiou a equipa de início a fim. Gostei particularmente do enfoque dado a Danny, mais um dos muitos que amamos odiar e que se transforma num elemento agregador de todos os adeptos portistas que o vêem a jogar, o que faz com que o povo se junte em uníssono nos insultos à bestinha e transforma esse coro em apoio para os nossos. É bom e muito útil por vezes ter um gajo em quem todos podem despejar as injúrias, ajuda a unir e a criar massa crítica entre os até aí heterogéneos em fé e confiança, e apesar dos tradicionais imbecis que reclamavam com Paulo Fonseca porque…sim, a vastíssima maioria foi grande no carinho a toda a equipa e prova disso foi o aplauso de pé de um Dragão exausto e com a moral em cacos.

(+) Hulk, no regresso. É uma estrela mundial, o nosso Givanildo. E portou-se como tal, com dignidade, respeito para com os seus eternos fãs e prestou a homenagem que todos esperávamos a um público que tanto o aplaudiu durante vários anos. Ovacionado no início e no fim, nem a assistência para golo lhe tira a marca positiva do regresso a uma casa que o acarinhou e continua a acarinhar. Continuas a ser dos nossos, rapaz.

(-) O cabrão do árbitro. (modo óculos azuis-e-brancos ligado) Este filho de pai incerto parece que vinha com a lição estudada. O primeiro amarelo ao Herrera compreende-se, mas o segundo parece encomendado. Foda-se, meu cabrão violador de ovelhas mancas, tu sabes perfeitamente que se fizesses essa merda num qualquer Sampdoria vs Cagliari saías do estádio a correr e tinhas sorte se não levasses uma pedrada nos cornos, seu engolidor de esperma de boi cobridor! Deves lamber placas de petri com cultura de células de sífilis, deves, até porque estou sempre a ouvir que os árbitros devem ser pedagógicos e outras berlaitadas new-age do género mas não sei qual é a puta da pedagogia que aplicas aos teus filhos ou aos filhos das doze mães que tu perfilhaste, meu pila murcha. Se quando um deles disser que não quer comer os espargos lhe espetas um murro nas têmporas, quero ver se um dia destes, sem as costas quentes pela UEFA que só pune um árbitro quando o caralho do cometa Halley passar pelo drive-in de um McDonald’s, vais fazer uma piadinha destas lá onde tu apitas. Era quem te enfiasse um guarda-sol aberto no rabo, palavra. (modo óculos azuis-e-brancos desligado). Estragou o jogo, mesmo tendo direito e prerrogativa para o fazer. É evidente que se tivesse sido ao contrário provavelmente estaria a sorrir de contente e a aplaudir a assertividade do árbitro e isto quando é para expulsar não há nada a fazer e tenham juízo mazé…só que a verdade é que qualquer estratégia montada para a partida foi destruída nos primeiros três minutos. Grazie mille.


Se é verdade que nada está perdido, os factos apontam para que não consigamos atingir os nossos objectivos de passar à próxima fase a não ser que consigamos um pequeno milagre. Perdidos os dois jogos mais importantes em nossa casa, ainda dependemos apenas de nós para conseguirmos passar a fase de grupos. Basta vencer na Rússia. Basta isso. E depois ganhar os outros dois. Novamente, basta isso.

21 comentários

  1. É exactamente o que penso e sinto sem tirar nem pôr!
    Curiosamente dizia ao meu consócio da cadeira do lado,a meio da segunda parte que me parecia que íamos ganhar uma equipa fosse qual fosse o resultado. Esta derrota fez me recordar o ano de 2003 e uma supertaça europeia perdida em modos similares, até o adversário interno seguinte é o mesmo! O líder de então disse que alguém ia pagar a factura, espero que se consiga potenciar a união que hoje se sentiu entre a equipa e adeptos,e se expurguem os azares, os erros de arbitragem,com uma exibição com a mesma raça e o mesmo querer que hoje vimos, se assim fôr o resultado aparecerá !
    God79

  2. Pessoal, chega de bater no arbitro! Foi um fdp? Foi. Mas o Herrera foi bem expulso. As regras sao claras e se um gajo sem da barreira como ele saiu leva SEMPRE AMARELO. Isto demontra a falta de inteligencia do jogador e do treinador ao lanca-lo num jogo deste calibre. Ah! E nao se esquecam do lance do Fernando na area do Porto, poderia ter marcado penalty pq ha contacto (embora comece fora da area).
    O Nico tb enterrou ontem e so por sorte nao levamos golo do Givanildo. No golo, deu uma de Luisao e ficou a ver jogar, enfim.
    A entrada do Varela nao se justifica e nao consigo entende-la…
    Grande, mas grande jogo do Fernando! Enorme mais uma vez e deve ja ter assinado a sua sentenca.
    Resumindo, este e o Porto mais fraco que me lembro dos ultimos anos. Estou mto pessimista. Alias, isso ate se reflecte nas bancadas. Q triste ver um estadio com tantos lugares vazios em noire europeia…

  3. Não é só o Jorge que se transforma, mas os jogadores… quem vê o Varela contra um Arouca da vida, ou o viu ontem …
    Enfim. Jogamos bem. Falta-nos um Hulk. (Vamos ter que por o Licá um ano inteiro a trabalhar em mudanças e no ginásio!…) E, faltou-nos o Herera o jogo todo…
    De qualquer modo, óculos portistas ou não, começo a achar que isto já não é só azar… estes árbitros estão de mão muito leve para mostrar amarelos aos nossos jogadores. Para maior segurança, eu passava a pôr sempre o Defour; com o êxito da equipe da Bélgica duvido que haja hoje tomates para o expulsar…

    Fiquei muito triste, e eu que já só pedia uma abada ao Zborting, tipo o 5-0 ao benfas, para calar aquele troglodita daquele Carvalho … Espero que se cumpra. Que este modo de jogar tenha sido para ficar… (Claro que isto é trauma recente, depois do VP estamos com medo do que vem a seguir…)

    Ah! Só um apontamento: ontem não houve ninguém que se lembrasse do Quintero…

  4. O melhor jogo do FCP.

    Baroni: licá ( que caralho, o gajo neste momento não é titular no porto e . Preferia ter visto o defour a jogar ali do que ele, como o VP o opos a jogar tantas vezes)
    baia: nandinho. Grande jogo.

  5. Começamos o jogo a perder por mera parvoíce, quer do Herrera, quer do árbitro…

    Mas tenho a ideia que as coisas ainda não estão resolvidas.

    Temos obrigatoriamente de ganhar o próximo jogo com o Zenit.

    Relembro que o Zenit perdeu com o Atletico e empatou com o Austria, portanto se conseguirmos a vitória com o Zenit e depois com o Austria ficaremos em vantagem… E as coisas decidem-se nos jogos com o Atlético de Madrid…

  6. Boas,

    Concordo com o que disseste… Grande equipa com 10, se jogar assim com 11 em qualquer campo dá para ganhar..
    O Herrera acabou por explicar porque é que alguém que custa 8 milhões e é vedeta mexicana (ou lá quantos milhões foram…) não se impõe no Porto… Burrice, inexperiência o que lhe quiserem chamar, para mim voltava a passar mais minutos no banco a ver o Defour a jogar no lugar dele..
    Vamos ver se Domingo a nossa sorte muda!

    Abraço

  7. Concordo com tudo menos com o choradinho do arbitro. Ele apenas cumpriu as regras. E ainda passou a 1a parte a distribuir amarelos “sacados” pelos nossos jogadores.
    O que é triste é que mais um erro infantil de um jogador nosso nos porá novamente fora da Champions, tal como aconteceu com Defour o ano passado com o Malaga.
    Ir fazer 6 pontos fora, contra o Zenit (que equipa banal meu deus, so se safa o Hulk mesmo) e Atletico é possivel. Mas sinceramente nao me parece. Parece que voltámos á altura das vitórias morais.
    Contra equipas que sao candidatas a serem logo eliminadas nos oitavos de final.
    Esrou triste. Muito triste

  8. Pela primeira vez esta época deixaram-me verdadeiramente orgulhoso (claro que um erro como do Herrera não pode acontecer e espero que a lição esteja aprendida), houvesse esta união, esta garra, esta determinação, esta vontade, esta energia e ganhávamos os jogos todos cá no burgo e ainda fazíamos boa figura na champions, espero mesmo que este jogo nos permita ganhar a equipa que ainda não tivemos este ano e que a partir de agora a equipa dê o salto qualitativo que todos esperamos…….

    Abraço.

  9. Na verdade não precisamos de 6 pontos fora. Precisamos apenas de ganhar no gasoduto e ao Austria em casa, nas minhas contas. Isto dava 6 pontos contra 4 do Zenit à 4ª jornada. A seguir teriamos 9 e bastava que o atletico não perdesse na Rússia para o grupo estar fechado e irmos a Madrid dar minutos ao Quintero e ao venezuelano (é bom o miudo hein?)

  10. Eis o retrato do Portugal profundo, triste, troikamente falido e orgulhosamente pobre, num mundo onde tudo é corte nos direitos e inconstitucional nos deveres!!!!
    Eu tou-me cagando para o esforço do Fernando (é pago prinicpescamente para isso), quando vejo um Alex Sandro que é uma nulidade, um Danilo que não joga um corno, um Otamendi que tem falhas cerebrais em jogos capitais, um Licá que não consegue rececionar um passe, e um Jackson que quer aumento de ordenado mas que é engolido por um Neto que só este ano é que se ouviu falar nele – então Jackson não falas agora dos outros potenciais interessados?!!!!
    Tou-me cagando para o exemplo em campo do Lucho que tem mais tatuagens por centimetro quadrado que o mapa das estradas de Portugal -é pago para isso!
    Eu quero é ver o Porto á Villas-Boas que mesmo jogando porcamente mal em alguns jogos, ganhava, idolatrava e impunha respeito!
    Quero ver um Porto á Mourinho, arrogante com os arrogantes e humilde com os humildes.
    Não quero um Porto á Quinito, á Octávio, à Fernandez, ou suicida à Adriansse!
    Prefiro jogar reles e mal e ganhar do que com este aparato todo, de heroísmo macedónio dos 300 contra o mundo e no fim morrer sem proveito algum!!!!
    Ah! O árbitro portuguesmente é um filho da puta de um comprado. Onde é que já se viu amarelar um jogador por 2 vezes só porque rasteirou sem querer o adversário, e saiu a destempo da barreira por sofrer de bichinhos carpinteiros?
    Mas mesmo assim estou certo que não é altura para funerais antecipados.
    Mas que o jogo soou a tragédia grega…

  11. Luta inglória com resultado um tanto injusto, face à raça, espírito de sacrifício, solidariedade e vontade de ganhar, manifestada por todos os atletas portistas, mesmo jogando reduzidos a 10, a partir do 6º minuto.

    A equipa reagiu bem à contrariedade e adoptou a estratégia correcta, que poderia ter-lhe dado a vitória, face às oportunidades criadas, que os ferros e a competência do guardião contrário trataram de resolver.

    Fernando e Varela foram para mim os que mais se destacaram.

    Não me parece que a arbitragem tenha tido influência no desenrolar do jogo. Limitou-se a aplicar a lei, com rigor, no caso da expulsão de Herrera e depois terá cometido um ou outro pequeno lapso, que sempre acontecem.

    Um abraço

  12. “Onde é que já se viu amarelar um jogador por 2 vezes só porque rasteirou sem querer o adversário, e saiu a destempo da barreira por sofrer de bichinhos carpinteiros?” Sem comentários…

  13. “Onde é que já se viu amarelar um jogador por 2 vezes só porque rasteirou sem querer o adversário, e saiu a destempo da barreira por sofrer de bichinhos carpinteiros?” Sem comentários…

  14. eu vejo aqui críticas ao Herrera por ter sido anjinho e tal. e que dizer de Mangala no lance do primeiro amarelo que vê Hulk arrancar e não mata ali logo o Lance?
    Para os que dizem ser o pior Porto que viram, é bom lembrar que do outro lado não estava um Happoel com mais um jogador,apesar de parecer…

  15. concordo com tudo… so gostava de adicionar… eu nao acho que o paulo seja nenhum iluminado, mas quando um treinador nao mete um jogador a jogar é por ter alguma razao, não é porque embirrou com ele, o herrera nunca podia ser o elemento a sair da barreira e ele proprio deveria ter alertado alguem para isso…
    parem com as pressões pois ontem notou-se que a unica explicação para que o herrera ter sido titular foi porque ja toda a gente o estava a dizer, e se o treinador que trabalha com ele todos os dias pensa que ele nao esta preparado (como se notou) é porque tem razao.
    força porto

  16. A EQUIPA jogou bem , defendeu quando tinha de o fazer e atacou quando lhe foi permitido.
    Por azar não vencemos o jogo pois o Zenith foi mesmo fraquinho ou então essa era a táctica.
    Fernando sem dúvida um Baía , muita entrega , muita raça e sobretudo muita inteligência.
    Otamendi continua a jogar muito mal , é pior jogador da nossa defesa (não foi só ontem) , gostava que o Maicon tivesse já uma oportunidade.
    A entrada de Herrera no onze surpreendeu-me , o homem só fez um jogo a titular além de que não tinha experiência em jogos das competições europeias , foi um risco e a equipa saiu prejudicada mas é com os erros que se aprende.
    Varela entrou bem no jogo, quando mais era preciso mas não chegou.
    Licá e Josué pela entrega também estiveram bem.
    Ainda não terminou , faltam 3 jogos ( 9 pontos) ou 50% da fase e admira-me muito que haja portistas a dizer que já não passamos .
    Os nossos adeptos ontem foram incansáveis no apoio á Equipa e terá de ser assim desde inicio a fim.

Deixar uma resposta