Ouve lá ó Mister – Trofense

Mister Paulo,

Os ingleses, pelo menos alguns dos que escrevem nas internetes, chamam a este período “Interlull”. É mais uma daquelas atitudes curiosas e cheia de pequenos duplos-significados que os bifes adoram usar (e fazem-no diariamente nas capas de jornais e nas televisões, tanto que os amaricanos agora fazem o mesmo) e que no fundo quer dizer qualquer coisa como “o intervalo entre jogos a sério que dá sono de tão entediante e não-competitivo”. É assim que me sinto durante estes períodos sem jogos do FC Porto. Seco, frio, infeliz, de ombros caídos, sem alma e sem vida. Mas hoje, felizmente, regressamos à bola, ainda que numa competição que só é grande porque o Benfica ainda não foi eliminado.

Já percebi, pela convocatória, que optas por poupar alguns rapazes que têm jogado mais (perguntou-me um amigo que se diz portista: quem é o Victor Garcia?! Herege, é o que és!). Não te aconselho grandes exageros até porque o FC Porto tem tendência para facilitar a mais nestas tralhas (pergunta ao Jesualdo e ao Fernando Santos o que acontece quando brincam em serviço), mas aprovo que dês minutos a alguns moços que também merecem. Fabiano, Reyes, Ghilas, Carlos Eduardo e talvez Kelvin podiam entrar no onze, mas não mudava mais ninguém. Mantém o meio-campo forte com o Fernando e o Defour, espeta com os laterais do costume e tenta matar o jogo depressa para descansares para terça-feira. Mas não sacrifiques um resultado positivo por uma melhor preparação para um futuro encontro. O que conta é este e não sendo preciso entrar com todos, entra com o suficiente para garantir que não levam todos uma assobiadela no final.

Não vou lá estar em corpo nem devo ver o jogo em directo, mas amanhã voltaremos a falar. O tom da conversa depende de ti.

Sou quem sabes,
Jorge

3 comentários

  1. Se pudesse pedir um jogador no onze ao Paulo Fonseca, esse seria o Victor Garcia.
    Ele tem estado muito bem nos B’s, sendo sempre um dos melhores em campo.
    É por essa sua regularidade e qualidade que gostaria de o ver jogar um pouco na equipa principal, até para o premiar por todo esse empenho.
    Isto também seria uma forma de vermos o Danilo no meio-campo.

    De resto, estou igualmente curioso para ver outros jogadores que habitualmente não têm muitos minutos, como o Fabiano, o Reyes (Que também tem estado bem nos B’s), o Ricardo (Que tenho medo que não jogue, pois merecia!) ou o Ghilas. Também deverá ser mais um jogo para Quintero se mostrar.
    Como referiu, também gostaria de ver um pouco do Carlos Eduardo, que tem mostrado alguns bons pormenores na B.
    Quanto ao Kelvin, eu não sofro de palas nº92. Ele tem estado mal na B e regressou de lesão. A sua convocatória deve ser apenas motivacional.

    Apostaria num trio do meio-campo totalmente ou quase totalmente formado pelos habituais titulares (Fernando, Defour, Lucho, Quintero), de forma a manter uma equipa coesa. Caso contrário, metendo todos os novatos, seria uma equipa desligada.

  2. Caro Jorge
    Será como naqueles velhinhos “interlúdios” da televisão dos anos 60 entremeados com a legenda “o programa segue dentro de momentos”? Olhe que é mesmo isso. Mas a seguir, quando a programação voltava á tona, o filme nunca mais parava. Agora sejamos francos: com 11 gajos metidos dentro de 30 metros x 68 não é possível jogar futebol. Sei que para corrigir esta situação o impulso é gritar: “Manda para o barulho”! Não sei se chega, não vejo o filme avançar.
    Mas quem sabe, se quando menos se espera, (e pode ser já na terça-feira), “aquilo” rebenta a escala! Lembra-se da Lei de Murphy? Tantas vezes sugerem que o homem não presta que qualquer dia até “ele” se convence disso. Ou aquele tipo que durante anos a fio nunca teve um acidente e, de repente, teve dois seguidos. Lá tenho que repetir a minha ladainha para os amigos mais novos: “Vocês estão é mal habituados”!
    Vem aí os Russos e depois os Calimeros. Sinto que a malta do nosso clube está com pouca paciência para esperar. Mas c’os diabos! Mais uma semaninha custa muito?
    “Bamos lá cambada, todos à molhada que isto é futebol total. Deixem-se de tretas, força nas canetas são o maior de Portugal”
    Abraço

    1. tenho pouca paciência para adeptos desses, como já deve saber. as competições ganham-se um jogo de cada vez e este não foi preciso sequer trabalhar muito para o vencer, mesmo com o adversário lá fechado. gostava de ter visto mais alguma vontade de “furar” aa defesa da Trofa, mas não me incomodo muito com isso. na 3a feira e no próximo Domingo, aí sim, já me faz comichão se as coisas correrem mal. hoje nem foi bom nem mau. foi suficiente.

      um abraço,
      Jorge

Deixar uma resposta