Baías e Baronis – FC Porto 1 vs 1 Áustria Viena

Vi os últimos vinte minutos do Zenit-Atlético e enchi-me de excitação porque podíamos depender só de nós. Uma simples vitória contra um adversário que faz o Rio Ave parecer o Real Madrid, e logo estaríamos a pensar na segunda fase da Champions. Cheguei ao Dragão, com o frio a fazer-se sentir na minha face, já que o resto do corpo estava bem isolado contra as forças da natureza…e caiu-me logo a moral. Continuamos a oferecer lances de golo aos adversários e há uma indolência que raramente vi numa equipa do FC Porto que parece invadir os jogadores e possuí-los de uma forma inacreditável, tornando-os lentos, torpes, sem imaginação, sem vontade de jogar e acima de tudo de ganhar. No final, o empate sabe a pouco mas é exactamente o que merecemos. Nada mais, nada menos. Hoje, apenas duas notas:

(+) A segunda parte. Não foi um portento de táctica, nem teve o fulgor de uma avalanche de ataque continuado e agressivo pela força das nossas estocadas. Mas foi…alguma coisa. Entrámos melhor, com (alguma) garra e apesar de termos marcado cedo, não desistimos na procura do segundo, apesar de na grande maioria das vezes o termos feito muito mais com vontade de ganhar que com a consciência do que era preciso para o fazer. Alex Sandro e Danilo subiram bem pelo flanco, Josué rendeu mais no centro e Varela saiu do banco para uma exibição lutadora (fez mais em cinco minutos do que tinha feito em setenta e cinco no sábado). Maicon, talvez o melhor jogador do FC Porto, limpava o que era preciso lá atrás e Fernando, finalmente só no meio-campo que é seu, rodava a bola com critério para as melhores zonas. Não chegou porque insistimos em demasia nos lances de criação individual, em incontáveis passe-e-corta na lateral e em cruzamentos para a área onde Jackson poucas vezes conseguiu espaço. Viu-se um brilho nos olhos dos adeptos, ainda inconsoláveis pela primeira parte miserável que tinham assistido, mas lentamente se foi esfumando a oportunidade de vencer o jogo em remates tortos, cruzamentos sem a força certa e inúmeros passes falhados. Não foi bom, mas foi o suficiente para ter dado mais que um golo. Não que o tivéssemos merecido por aí fora, graças à nota que podem ler abaixo.

(-) A primeira parte. Repetimos os mesmos erros que temos vindo a cometer desde há semanas: oferecemos metade do jogo ao adversário pela lentidão na troca de bola, pela invulgar incapacidade de romper pelos flancos, pela desorganização a meio-campo, pelas impossíveis falhas técnicas, pela ausência de racionalidade na posse de bola e pela inutilidade de vários jogadores. Para lá de mais uma imbecilidade defensiva que deu novamente origem ao golo do adversário (sim, Danilo, a culpa foi tua desta vez), foi deprimente ver o FC Porto, uma equipa que tem capacidade para lutar de olhos nos olhos com tantas equipas por esse mundo fora, a ser incapaz de criar mais do que dois lances de perigo durante quarenta e cinco minutos. Mais, porque a basear quase todos os lances ofensivos através da subida de um dos seus laterais que com o pouco apoio que recebe dos (falsos) extremos, raramente sucede na iniciativa e limita-se a cruzar bolas para a área na fugaz tentativa de buscar o único homem que lá aparece no meio. As trocas de bola são facilmente interceptadas por uma equipa que defenda com um mínimo de estrutura, porque a movimentação é quase nula e quando de facto aparece algum rapaz que se digne a sair de uma zona tapada, rapidamente a roda para trás tal é o medo de pegar nela e prosseguir caminho. E se nos arrastarmos penosamente da área táctica para a técnica, o panorama ainda é pior. Algo se passa de estranho quando jogadores de nível tão alto controlam uma bola como se fosse um ouriço e estivessem de pés descalços. No fundo, a táctica não está a funcionar, os jogadores estão exageradamente nervosos sem a bola e hesitantes com ela e nada parece produtivo quando estamos no ataque. Tudo sai a uma velocidade inexistente, com jogadores tristes, recuados e medrosos. Foi muito, muito mau.


E voltamos a esta triste sina de depender de terceiros. Sim, vencer em Madrid é complicado, especialmente porque o Atlético é jeitoso e nós, francamente, não parecemos mostrar capacidade mental para lá irmos sacar três pontos. E mesmo que o façamos, Hulk e cª estarão em Viena para nos fazer engolir em seco e baixar a cara de vergonha. Ou não. Já não percebo nada disto.

23 comentários

  1. Mais do mesmo.
    Paulo Fonseca está aos papeis.
    Mistura boas decisões (Otamendi no banco, saida de Defour ao intervalo), com más decisões (Licá a titular, Herrera no banco).

    Quintero: Se ele está em condições, e se precisamos de um abanão no nosso jogo, porque não se lança logo o homem a titular??

    PS: Grilo, andas por aí? Eu queria que ele perdesse, para ver se o PdC o mandava logo embora… assim, como conseguimos o apuramento já pra Liga Europa, temos que o aguentar mais um tempo…

    1. Pessoalmente, nao percebi porque saiu o Defour em vez do Nando. O belga joga perfeitamente a 6, imprime mais dinamica e perde menos bolas do que o zuca. Contra equipas do calibre do Viena nao precisamos de um jogador meramente de destruicao como e o Polvo.

      Quanto ao Quim Tero, e claramente “Sindroma Treinadorus Cagonis”. Para um treinador sem tomates, se o jogador e um miudo e nao demostra apetencia para defender (isto apesar de jogar a 10 ou numa ala) e um risco demasiado grande te-lo em campo. Ainda que o mesmo jogador tenha caracteristicas que mais ninguem no plantel possui e mexa com o jogo da equipa cada vez que enta em campo.

  2. mas k injustiça… dois jogos seguidos só com jackson como avançado….

    mas isto é pa brincar… o licá ou seilá, pk nao sei se é jogador só tem feito asneira e continua a jogar.

    o porto nao merece estar entre os 16 melhores….

    o porto passar era uma injustiça.

  3. o gajo está a tentar fazer-nos o que o Artur Jorge fez ao benfica… os maiores estragos possíveis no plantel. mandem o lampião de volta ao Paços!

  4. Baía: Alex, porque cruzou inumeras vezes … quase sempre sem perigo é certo, mas ia a linha e centrava, coisa que o josué nunca fez ( não é extremo) e o nosso defesa licá fez uma vez. Lucho, por aos 33 anos ir a defesa tirar a bola de um gajo e qdo tocava na bola fazia bons passes

    Baronis: tudo o resto. Não percebo, não percebo, não percebo. Metemos 500 pessoas nos cantos e temos 100 cantos e não há um com perigo ?! O Mangala já não sabe saltar ? O ano passado quando era um canto ficavamos todos entusiasmados a pensar que o mangala ou à 2 anos o maicon a mete-se lá dentro, agora temos 18 cantos e só um tem perigo. Não treinam aquela merda ?! Deixaram-se disso ?

    A nossa falta de extremos faz com que não tenhamos jogo de ataque e quando tinhamos era pq o alexssandro em jogada individual fintava um ou dois e centrava mas nem isso para estar esquematizado pois nunca foi ter com o jackson. Não temos construção de jogo. Não sabemos o que fazer com a bola quando a temos, não sabemos como iniciar um ataque. Não sei o que ele faz nos treinos mas parece que não faz nada.

    Deprimente.

    1. A situacao nas bolas paradas da que pensar. Sera que eles treinam este tipo de lances?
      Com excelentes cabeceadores como Mangala, Jackson ou Maicon na equipa…sera que ha desculpa para tamanha incompetencia? So contra o Nacional tivemos mais cantos em 90 min do que o Otamendi tem paragens cerebrais numa semana. Ontem a mesma merda.
      Vejo cantos marcados a altura da coxa ao 1 poste, vejo bolas bombeadas para a area sem qualquer tipo de criterio. Uma miseria.
      Este amontoado de profissionais de futebol nao tem ponta por onde se lhe pegue.

  5. Custa-me entender como a bola está a atrapalhar tanta gente, não havia uma receção decente, um passe caprichado, não havia nada, um deserto, mas o que mais custa é ver muitos jogadores verem as coisas correrem mal e não se esforçarem minimamente.

    Na primeira parte o Fernando deve ter falhado quase todos os passes que fez, mas o gajo nunca desistiu e continuou sempre a tentar ao contrário do Danilo, Defour, Licá, Josué, etc…

    Na segunda parte tal como dizes que não foi nada de especial, eu digo que continuou mau, tudo feito em esforço, sem qualidade mas porra, se jogassem sempre os 90 minutos com aquela cvontade ganhávamos muitos jogos e as coisas começariam a sair bem… A segunda parte não me enche as medidas mas é o mínimo que têm de fazer todos os jogos o jogo inteiro, temos de lutar como se o mundo fosse acabar, assim talvez daqui a uns meses comecemos a jogar bom futebol e estejamos nas decisões, senão arriscamos o deserto no final da época….

    Quando esta equipa vai despertar? Já tenho saudades de ver um jogo com tranquilidade sabendo que vamos jogar bem e ganhar…

    Mas como isto anda tudo doido, eu ainda acredito nesta malta.

    Força.

    Cumprimentos

  6. Boas Jorge,

    So me apetece manda-los todos para o caralho! E inadmissivel esta forma de jogar sem raca, sem atitude, sem rumo… Nunca esperei dizer isto, mas o VP ao pe do PF e um Mourinho!

    Como e que uma equipa nem trocar a bola sabe fazer? Isto trabalha-se nos treinos. Posicionamento tactico, bolas paradas treina-se onde? Pois e, nos treinos.

    PF e fraco e le mal o jogo. Como e q ele ainda n percebeu que o Josue nao e extremo, que o Fernando e jogador para destruir e proteger a defesa, que o LiCU devia estar na equipa B e que o Jackson precisa de aquecer o banco para atinar… Ao menos teve colhoes para meter o Nico no banco.

    Nao gostei, da do ver o Porto jogar.

    Puta que pariu este gajo por uma noite mal dormida!

    Abraco,
    Joao

  7. Caríssimo:

    Deixo-lhe a opinião de um benfiquista, ainda antes do jogo de hoje na Bélgica.

    Assusta-me a vulgaridade a que chegaram as duas maiores equipes portuguesas, ao ponto do campeonato parecer equilibrado (e não por os outros correrem mais – mas porque estes dois correm muito menos) e ao ponto de eu ter a noção – e muito gostaria de estar errado, de que a continuação na champions representaria, para um e outro, a possibilidade de uma humilhação épica, caso fossem emparelhados com Real, Barcelona, Manchester… ou, digamos, quaisquer outros que lhes calhassem.

    Vejo futebol desde 1960, pequenino então, e não me recordo de um ano, em que os maiores clubes estivessem em simultâneo, pelas ruas da amargura. Atrevo-me a dizer que é oresultado óbvio de se fazerem equipas a pensar nas vendas e em ganhar dinheiro, mas estou de certeza enganado.

    Muita da culpa passará pelos treinadores, mas Benfica e F.c.Porto tiveram já péssimos treinadores e salvava-se sempre alguma coisa; agora é a miséria total. Neste momento ver futebol, resume-se para mim à Premier; por cá é um longo bocejo, com jogos miseráveis.

    Saudações desportivas

    Alberto Malheiro

    Saudações desportivas

    1. dê uma vista de olhos pela Bundesliga. joga-se muito e bem, ao contrário do que se faz cá.

      enfim, boa sorte para logo, tragam de lá três pontinhos!

      abraço,
      Jorge

  8. Eu também via a premier league, aquilo dá um prazer imenso de ver. Qualquer jogo, até da segunda divisão é melhor que o nosso fcp-slb. Mas houve uns sacanas que comparar os direitos… não sei se os conhece, e na maioria dos cafés do burgo não dá para ver. :D

    Sobre a bundesliga, para mim é a segunda melhor é um futebol mto identico ao ingles mas falta um spicy ali qualquer. :) Não gosto da espanhola, nem da italiana (ligeiramente melhor que a espanhola) mas … não é mesmo a mesma coisa. Por exemplo sobre o barcelona, tenho a mesma opinião do treinador do Dortmund, se tivesse visto aquilo quando era pequeno tinha-me dedicado ao ténis de mesa. :D

  9. Curioso como os primeiros a comentar foram os pseudo-portistas, os tais que desejam a derrota do próprio clube. Enfim…
    À parte disso, alguém sabe onde posso encontrar a jugular do PF?

    1. Well, quer que diga o quê? Que jogamos bem é ? Curioso é você “querer” a jugular do PF, com os níveis exibicionais do FCP devia era dar-lhe os parabéns! Quando alguém escreve “devia perder todos jogos (…)” o que no fundo quer dizer é “onde é que posso encontrar a jugular do PF para ele ir com os porcos?”.
      Acho que queremos todos o mesmo.

  10. Engraçado foi ontem ver o varela (penso eu que seria o varela) a tirar a bola ao Jackson em plena area adversaria, quando este ia rematar ! loooooooool
    Que palhaçada de equipa ali esta, parecem um circo, jogadores a nao saber o k fazer a bola, nem pra onde correr quando não a têm!

    Se isto não é falta de competência do treinador, então fica provado de que os jogadores também desaprendem e que o vítor pereira também jogava futebol!

  11. Juro que nao percebo quem tanto critica o Jackson. Ele e’ o unico gajo de jeito no ataque, joga com Licas da vida, ou Varelas constantemente a fazer maus jogos, ou Luchos fora de posicao. A sua unica esperanca, fora acidentes, e’ um centro de um lateral vir parar-lhe a tola. O jogo do Porto e’ isto. O Jackson joga sozinho. Falha oportunidades? Sim, falha e ja ano passado falhava. Lembram-se do Dinamo Zagreb-Porto? Ele ontem marcou um e so nao marcou o segundo porque o Mangala meteu-se a frente e acabou por desviar a bola por cima da barra no ressalto. Vivo em Nova Iorque e vejo futebol mexicano (e programas sobre o mesmo) frequentemente. A opiniao sobre o Jackson, antes de ele comecar a facturar no Porto, era que ele e’ um bom jogador, sim, mas que nao marca tantos golos como poderia marcar. Ou seja, problema de eficacia.

    Nao acho que haja problema nenhum de falta de atitute ou descontentamento por pensar em transferencias (falo ainda do Jackson). Ha e’ o grande problema de o Porto nao ter fio de jogo de equipa de primeira divisao e ter como titulares jogadores fracos ou fora de posicao.

    1. concordo. O Jackson e dos poucos que ainda tenta lutar contra a adversidade.
      Se pusessemos o Jardel de 1998 nesta equipa a ser servido primorosamente por Licas e Varelas desconfio que nem aos 15 golos chegava.

  12. mas será que há algum portista que diga k o porto merece passar?

    ah.. pois logo vi k não.

    1- outro jogo que só temos jackson
    2-caso fucile e izmailov que ninguem percebe
    3-contrataçoes de fantochada
    4 jogadores andam desmotivados
    5 treinador nao percebe porque o futebol é injusto
    6- eu quero k o meu clube ganhe sempre, mas as vezes é preciso cair para se levantar, em vez de andar a cambaliar como anda.

    1. Nao sei se isto e mais Octavio ou Couceiro.
      Diria talvez Couceiro. Com Octavio a equipa jogava pessimamente mal (com dois trincos!), mas ao menos tenho a impressao que se esforcavam um bocado.
      Isto e mais Couceiro : um amontoado de futebolistas sem identidade, sem ponta de lideranca, vontade, alegria ou confianca a darem uns chutos mal dados no cautchu.

  13. Problema? tudo quer ir ao ataque e depois passam a bola para trás. O defesa que a recebe olha, olha e não vê ninguém desmarcado, ninguém aparece a dar ajuda. De duas uma , ou o defesa manda pontapé para a frente e seja o que deus quiser (com o Austria foi parar ao adversário) ou tenta ir por ali fora a fintar tudo com o resto da equipa a assistir, parada (como com o Alex Sandro). Triangulações, desmarcações são cada vez mais raras. Ou então vão ao ataque até passar a bola para trás e o Helton que resolva com uma finta.

    1. Os jogadores escondem-se atrás dos adversários para não darem linhas de passe aos colegas. O PF não pode ser o único culpado. Acho-o deslumbrado com o clube e com os jogadores. Coloquem um SD à porta de cada jogador para se perceber o que andam eles a fazer à noite!

      Saudações portistas!

  14. “Atuo em função do dia-a-dia dos jogadores. Sou eu que trabalho com eles todos os dias e sei a resposta que eles dão em função do que exijo. É isso que me leva a tomar as decisões que tenho tomado”

    oh paulo fonseca ta mas é caladinho, o varela e o licá devem se rebentar todos nos treinos, é k eles chegam ao jogos e nem cheiram… fogo… assim nao vamos lá….

    o kelvin e o quintero pelos vistos nao se esforçam tanto mas quando entram a 10 minutos do fim fazem mais k os outros em 80.

    e o izmailov… anda a jogar ao meinho com o kleber!!!!!!!!

Deixar uma resposta