Baías e Baronis – Guimarães 0 vs 2 FC Porto

Há uma mudança grande de filosofia entre as competições a eliminar e as de progressão lenta durante um ano inteiro. Há uma determinação diferente das equipas, um espírito de luta e uma vontade de vencer que parece por vezes ultrapassar todas as lesões, indolências, inércias e más-disposições que possam obstruir o normal decorrer de um jogo. E depois há jogos como este, onde uma equipa vive de bolas para a frente, agressividade de escola visigótica (quantas pernas tem o 2xAndré e quantos braços tem Maazou?!) e a outra optou por um jogo calmo, ponderado e procurou meticulosamente descobrir o melhor caminho para a baliza contrária. Não foi extraordinário (a segunda-parte foi aborrecida e cheia de não-futebol) mas foi suficiente para seguir em frente num campo difícil. Vamos a notas:

(+) Fernando. Ouve lá, ó maluco, se tu me vieres dizer que fizeste de propósito para marcar aquele golo, meu menino, mando-te dar uma volta ao maior bilhar que encontrares! Mas lá que foi bonito e me fez dar um salto que acordou a minha filha que ia dormitando nos meus braços, lá isso não haja qualquer dúvida. E para lá do que fez nesse lance, foi o que fez em todo o resto do jogo que me continua a fazer crer que está a ser “O” jogador do FC Porto versão 2013/2014, pela luta, pelo posicionamento e pela inusitada inteligência a levar a bola para a frente. É curioso notar que tendo Herrera ou Josué ao lado, Fernando raramente se aventura por linhas avançadas, o que já não acontece quando é Defour que joga a seu lado no esquema de Paulo Fonseca que ainda não me convenceu. Mmm.

(+) Defour. Foi a imagem de marca tradicional de um médio de cobertura lutador e esforçado. Andou todo o jogo a tentar combater o grupo de lenhadores que apanhou pela frente e nunca dá a outra face à luta, optando quase sempre por tapar a defesa em vez de apoiar o ataque, mas serve como o melhor complemento para Fernando. Sim, ter dois médios defensivos é estranho e pode fazer com que nos sintamos permanentemente em inferioridade numérica no ataque, mas quando é preciso abafar pressões ofensivas…é ele o homem certo.

(+) Jackson, para lá do golo. Os centrais do Guimarães são compostos por 50% de brutalidade e 50% de elegância. Jackson deu cabo da cabeça e das pernas de ambos durante toda a primeira parte e só foi pena ter conseguido apenas um golo.

(-) Falta de agressividade em zonas perigosas. Ricardo Gomes, Barrientos e Maazou foram os principais responsáveis por este Baroni. O jogo foi rijo, já se sabia que ia ser essa a forma de chegar à vitória e sabendo que o Guimarães é uma equipa que opta por bater primeiro e perguntar se foi falta alguns segundos mais tarde, a forma certa era a de tentar sair com a bola controlada “ma non troppo”, tentar defender a baliza com simplicidade e sentido prático mas acima de tudo nunca desistir de lutar pelas bolas perdidas. Acertámos em duas primeiras mas falhámos na terceira. Houve demasiados lances em que Alex Sandro ou Mangala se deixaram “comer” pelo desespero da malta de branco e várias destas oportunidades podiam ter resultado em lances perigosos para Fabiano. A atitude competitiva, tantas vezes pontapeada por vimaranenses que usavam os braços e o corpo sempre que podiam (e Jorge Sousa deixava), não pode ser tão relaxada. Nunca.

(-) Otamendi fez falta sobre Mangala na nossa área. A sério. Mais uma atrapalhação do argentino (no resto do jogo até nem esteve mal) que Jorge Sousa fez o favor de transformar no ridículo de uma falta a nosso favor mas que podia ter sido mais um lance para o compêndio de hilaridade que têm vindo a ser as exibições defensivas da nossa equipa este ano…


Para a próxima eliminatória, só um pedido: Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero Benfica vs Porto. Não quero.

7 comentários

  1. Boas Jorge,

    Mais um jogo entediante, tirando o golo do Fernando, o resto foi BORING!!!!!!!!! Mais do mesmo, fica o resultado.

    Realmente o Nico anda a pedir o banco, anda…

    Abraco,
    Joao

  2. Sem por em causa a justiça do resultado, acho que a exibição portista foi pouco mais que sofrível, tendo em conta que o segundo tempo foi para esquecer.

    Bem até ao intervalo, com futebol mais fluído e performances muito prometedoras (Fernando e Lucho), na segunda parte a equipa vulgarizou-se, praticou mau futebol, foi displicente e portou-se como uma equipa banal. Futebol desligado, desleixado, fraco índice técnico e recurso a estratagemas de equipas de escalão secundário. Não gostei.

    Um abraço

  3. Caro jorge, apesar de nao ter visto o jogo (pude apenas ver o resumo), concordo em absoluto com a análise que faz…
    Noto com alguma curiosidade, que a análise a este jogo (e porque não lembrar os dois jogos ocm o Zenit) começa a querer dar alguma razao a Paulo Fonseca na questão do duplo pivot… o problema não estará em colocar dois médios mais recuados, mas sim, definir qual dos dois terá a responsabilidade de iniciar jogo. No início da época, quis-me parecer que PF tinha a intenção clara de colocar Defour como “play maker” da equipa… depois, terá experimentado Josué… e numa terceira tentativa Herrera.
    No entanto, as características de Fernando fazem dele o melhor intérprete do que pretende Paulo Fonseca. E não deixa de ser curioso que neste sistema, Fernando sairá hipervalorizado pois as suas excelentes exibições vão seguir-se repetidamente. Será que sou eu o único a achar que, assim sendo, a SAD portista estará a “dormir” na questão do Fernando? Acho que já consigo antecipar nova transferência galática de um jogador do FC Porto… só que desta vez, infelizmente, será a custo zero.

  4. Já agora, digam ao Alex Sandro para tirar aquele bigode-pêra ridículo… eu quero é ver cabeleiras pintadas de azul e branco na última jornada do campeonato…o resto fica para vocês, especialistas do bom futebol…

Deixar uma resposta