Baías e Baronis – FC Porto 4 vs 0 Penafiel

Abençoada box com DVR que tenho ali ao lado da televisão e que juntamente com a app que tenho no telemóvel me permitiu gravar o jogo todo mais alguns programas subsequentes, porque por causa da paragem do jogo estava a ver que não conseguia ver a partida completa. Foi o jogo possível com as condições ridículas do terreno, que no fundo se resume a isto: quatro-zero, alguma eficácia, uma assistência de letra, um golo de cabeça do Quaresma e placards publicitários a voar no meio do campo. Exacto, foi isso. Notas, já já aqui abaixo:

(+) Quaresma. Marcar um golo (de cabeça, senhores, e com intenção!) no primeiro jogo depois de voltar é simpático mas acima de tudo é a forma como Quaresma encara os defesas de uma forma que poucos fazem no nosso passado recente que me faz sorrir um bocadinho. Sim, já não é o mesmo de antigamente, mas o toque de bola está lá e se conseguir meter algum respeito aos adversários que ficam a pensar o que vai sair daqueles pés…já não é mau de todo. Reservo a resposta às minhas dúvidas sobre o regresso do rapaz ao clube para o próximo Domingo.

(+) Fabiano. Pode parecer estranho dar uma boa nota a Fabiano num resultado de 4-0 a nosso favor, mas o rapaz esteve muito bem em quase todas as situações (largou uma bola depois de um livre mas tem a desculpa da bola molhada e da chuvada absurda que caía naquele momento), especialmente nas saídas rápidas a cobrir o posicionamento mais subido dos defesas. E é exactamente isso que se pede a um guarda-redes de uma equipa grande, que esteja sempre atento, rápido a sair dos postes e que não invente quando vai cortar a bola. Fabiano fez tudo isso e começa a dar-me segurança vê-lo na baliza. Helton, amigo, podes ter aí finalmente o teu sucessor.

(+) Ghilas. Trabalha imenso, este estupor, apesar de parecer gostar mais de jogar de costas para a baliza do que de frente, o que pode ser extremamente útil se jogarmos com dois avançados (Ghilas amortece para Jackson, remate, golo!) na área. Corre muito, usa bem o corpo e tem técnica suficiente para jogar mais do que cinco minutos de cada vez…mas se insistir em rematar pouco, ao contrário do que fez na pré-época, acaba por perder para o colombiano que é mais rematador e bem mais eficaz. Ainda assim, gostei de o ver e a “rabona” para o golo de Jackson é…indicador e médio juntos com o polegar a tocar nos lábios, fazer som de beijo…voilá.

(+) Jackson. Dois remates, dois golos. Um com o pé, outro de cabeça. Perfeito.

(-) Adaptar quando há outras soluções. Não gosto de ver Ricardo a lateral-direito. Não tem posicionamento defensivo adequado, tem pouco corpo para o choque directo e entende-se mal com o central que joga a seu lado, o que é compreensível mas perigoso. Apesar das várias mudanças que Paulo Fonseca fez na equipa, especialmente do meio-campo para a frente, questiono-me se não teria valido a pena deixar Ricardo no banco e Varela de fora, para Victor Garcia entrar para o lugar de Danilo. Acontece-me o mesmo quando vejo Mangala a jogar a lateral-esquerdo, por outros motivos, porque o francês sabe defender mas ataca como um urso pardo a correr atrás do último coelho da floresta, mas do lado direito temos um lateral promissor na equipa B que pode e deve ser aproveitado. A questão é: quando?

(-) As chuvadas. Assim não dá, amigos. Aposto que o animal que controla a meteorologia lá de cima olhou para baixo e pensou: “Ah, meus caros, vou-vos punir pelo jogo parvo do passado Domingo! Sorvam as minhas lágrimas, muahahahahha!”. Acho que deve ter sido qualquer coisa como isso.


Meh. Um resultado destes e a sensação de que…who really cares? Sim, é mais uma competição, mas não é nem de perto suficiente para a malta se entusiasmar por aí fora. Ainda assim, foi um jogo minimamente decente com o temporal que caiu no Dragão e a ultrapassagem ao Sporting também acaba por ser interessante para manter o FC Porto no topo do grupo. O jogo contra o Marítimo decide tudo e apesar de não dependermos só de nós, temos boas hipóteses de vencer esse jogo e esperar que o Sporting derrape em Penafiel. Mas…meh.

9 comentários

  1. De acordo com os Baías, principal e substancialmente no ponto que concerne ao excessivo adorno dos lances, ao invés de um obrigatório pragmatismo, por parte do Ghilas .

    “… porque o francês sabe defender mas ataca como um urso pardo a correr atrás do último coelho da floresta…”. :D – eh pá, ri-me…eheheh…tal quando li a citação do de “lá e cima”.

    Ganhámos, mas o Fonseca tem que trabalhar muito.

    Cumprimentos,

  2. Apesar de tanta água, jogos destes não lavam a alma!
    Estava a olha para o jogo, e pensei, porque não usar o Ghilas como extremo, aparecendo como segundo avançado, parecido com o que o Lisandro fazia…assim o Quaresma teria mais opções para colocar a bola na área…
    Quanto ao Fabiano, haja coragem para mudar, mas é dificil face ao estatuto e histórico do Helton, paciência…

  3. Boas Jorge,

    Boa analise de um jogo facil. Que regalo e ter o Harry Potter de volta.

    Concordo contigo, temos um problema grave de laterais. Gostei de ver o Josue finalmente a jogar onde deve e a dar espectaculo. So nao percebo pq o PF mete o Carlos Eduardo em vez do Quintero… enfim…

    Abraco,
    Joao

  4. O Josué também merecia um baíazito pois foi dos que mais mexeu na primeira parte e acabou a partida com mais duas assistências (Para o golo do Quaresma, que foi um belo passe! E para o canto do terceiro golo, o segundo do Jackson.). Gostei bastante de o ver jogar e espero que possa ter uma oportunidade agora que o Lucho parece estar a passar um mau bocado fisicamente.
    Também não percebi porque é que o Victor Garcia não é o Defesa Direito nestes jogos, ele que mostra qualidade na B, assim como Tozé, que podia, no mínimo dos mínimos, ter entrado na segunda parte. Mas também não servia de muito com este tempo, onde só se utilizou o futebol directo.

  5. Vi só a 1ª parte e não me convenceu. Aquela passagem da defesa para o meio campo continua sem funcionar… mesmo contra o penafiel.

    1. em caso de igualdade pontual, se o Sporting tiver uma goal-difference acima da nossa (marcar mais dois golos que nós sem sofrer) fica à nossa frente…creio que é esse o critério de desempate…

    2. claro que dependemos de nos… entao estamos em primeiro…

      o que conta é a diferença de golos… como temos mais um golo so temos que fazer o mesmo resultado que o sporting fizer

  6. Os critérios acho que são:

    Na 1.ª fase e 3.ª fase da Competição caso se venha a verificar um empate de pontuação entre os Clubes, o apuramento para a fase seguinte é efectuado por aplicação dos seguintes critérios:

    1º Maior diferença entre o número de golos marcados e número de golos sofridos na respectiva fase;

    2º Maior número de golos marcados na respectiva fase;

    3º Média etária mais baixa dos jogadores utilizados durante a respectiva fase

    Fonte:http://www.maisfutebol.iol.pt

Deixar uma resposta