Marca lá uma futebolada com o Pavão

Descansa em paz, homem. As glórias do teu passado sobrepuseram-se às glórias que todos enaltecemos e com maior ou menor simpatia que possamos ter tido pelo clube que representaste, tens o mérito de ter sabido passar à frente disso e de te deixares converter num símbolo nacional. Sim, hoje morre o último pilar de um estado antigo, que com Amália fez o que hoje Mourinho e Ronaldo fazem, com a vantagem de o terem sido numa altura em que a internet era uma fantasia orwelliana e a informação andava a ritmo de cavalo (no nosso caso, bem orientada pela pipeline certa).

Descansa em paz. E vê se marcas umas futeboladas aí por cima. Tu, o Best e o Garrincha contra o Puskas, o Matthews e o Pavão do outro lado. Siga!

2 comentários

  1. Caro Jorge
    Esta foto do primeiro confronto entre Cubillas e Eusébio anda aí pelos blogues mas, curiosamente foi tirada por mim, salvo erro em Março de 1974 por alturas de um Porto x Benfica nas Antas que ganhámos por 2-1. O Porto marcou primeiro, depois Eusébio empatou e Cubillas viria a marcar o golo da vitória.
    Foi há 40 anos e pouco depois da morte de Pavão à qual infelizmente também assisti. Recordo-me bem de alguns pormenores. Um amigo meu Mário Vieira diretor das Páginas Amarelas, ali em Júlio Diniz, tinha conseguido a pedido do departamento de futebol, arrendar um andar para o Cubillas no prédio onde morava, e apresentou-mo. Sem querer tornou-se “ cicerone” do jogador, transportava-o para os jogos na sua viatura e, no final, levava-o a casa.
    Eu era amador de fotografia e tinha acesso ao relvado com cartão de fotógrafo conseguido junto de José Chatillon antigo funcionário. Ainda existia o túnel do lado do “tribunal”, eu juntava-me aos fotógrafos “verdadeiros” que estavam todos atrás da baliza para onde iria atacar o nosso Clube. Quando as equipas entraram, corri para o centro do terreno, juntei os 2 jogadores e fiz a foto antes do jogo se iniciar. É só uma curiosidade num dia triste para o Futebol.
    Abraço

    1. caríssimo, não fazia ideia que era o autor desta fotografia! este é um momento tão simples e ao mesmo tempo tão icónico do que deve ser o futebol, da união entre dois grandes talentos e dois grandes clubes. bem haja, meu caro!

      um abraço,
      Jorge

Deixar uma resposta