Baías e Baronis – FC Porto 0 vs 1 Estoril

Ainda a subir a alameda, depois do jogo, ouvia um miúdo que caminhava atrás de mim, rodeado por um casal que estimei serem os progenitores do infante. A dada altura, num discurso excitado, o puto dizia: “Ó pai, ó pai, e quando eles começaram a cantar ‘Fonseca, cabrão, pede a demissão!’ é que foi”, para logo ser interrompido pelo pai, admoestando-o para não dizer palavrões. Talvez pela associação fácil, virei os pensamentos para Fonseca e para a forma como tem vindo a não-gerir a equipa, as expectativas e as exibições. A equipa continua desorganizada, os jogadores cabisbaixos e as exibições absurdamente más, mas palmas a partir do banco tornam tudo pior, transformando-se em imagem de chacota e levam à irascibilidade dos adeptos, incapazes de perceber como é que nada parece correr bem. É difícil ser adepto do FC Porto em 2014. Vamos a notas:

(+) Quaresma. Dos poucos que tentou, ainda que à sua maneira, fazer com que as coisas fossem um pouco diferentes do que até aí tinham vindo a ser. E não foi por culpa dele que perdemos o jogo, ele que rematou, cruzou, tentou fintar os homens do Estoril para colocar a bola em Jackson (quem?) ou Ghilas, quase sempre sem sucesso mas sem desistir. Foi a imagem da frustração transferida dos adeptos, que viam nele um dos que podia dar a volta às coisas. Não conseguiu, mas não foi por falta de tentativas.

(-) Fonseca, os ovos do Fonseca, a forma como o Fonseca pega na sertã e a omelete toda fodida do Fonseca A esperança não morre mas vai definhando ao longo de tantas semanas de mau futebol, perdendo o controlo das funções corporais enquanto se transforma uma equipa que sabia jogar (algum) futebol, por muito que pudesse ser um estilo que não agradasse a todos, mas que hoje é uma imagem parva do que outrora já foi e já mostrou que podia continuar a ser. A bola parece um corpo estranho, que dói ao toque e amedronta em posse, os adversários agigantam-se na mente dos jogadores e a desorientação em campo é tão evidente e tão confrangedora que apetece mandar todos para casa e trazer uma equipa nova, sem medos e temores mil mas com vontade de jogar. O que temos hoje em dia não é mais do que uma carcaça de uma equipa, com um treinador incapaz de se fazer ouvir, de mostrar o que sabe e de convencer um único adepto que é o homem certo no lugar certo. É certo que não temos dois jogadores essenciais que tínhamos no ano passado e que davam estabilidade à equipa (mais Moutinho que James, é certo), mas não engulo essa teoria “per se”. O plantel pode não ser forte, mas são muitos jogos exactamente como este, sem rumo, sem organização a meio-campo e sem um estilo de jogo vincado e consistente, que marcam a diferença entre um qualquer Estoril e uma equipa como tem de ser o FC Porto. Fonseca tem culpas óbvias neste estado a que chegamos. O fio de jogo é inexistente e assenta na bola pelos extremos com os laterais em fraco auxílio, lento, sem ideias, sem organização. O meio-campo é triste, preso, sem elasticidade para a marcação ou para a pressão, alta ou baixa (vi hoje várias vezes dois ou três jogadores a tentar tirar a bola sem sucesso a um adversário, deixando espaços enormes na zona recuada e jogadores livres para receber a bola), que permite que qualquer oponente consiga trocar a bola sem qualquer problema no nosso meio-campo, onde só não criam mais perigo porque a maior parte deles não sabe muito bem o que fazer com tanta facilidade por nós oferecida. O ataque é frouxo, onde Jackson está incapaz de apontar para a baliza, Ghilas parece um elemento fora do seu meio e apenas Quaresma e Varela, a espaços, conseguem algo de produtivo. E Fonseca hoje conseguiu pior que na 5a feira, onde tirou Fernando e destruiu o resto do pseudo-centro do terreno: retirou Josué, sem grande sucesso no jogo mas dos poucos que tentava lutar para a equipa subir e recuperar a bola, para introduzir Carlos Eduardo (que infelizmente nada trouxe de novo), deixando Herrera em campo, que tinha estado quase sempre ausente do jogo. Pior de tudo é a falta de crença. Os jogadores não acreditam neles, nos colegas e no treinador. Os adeptos não acreditam nos jogadores nem na equipa que os dirige. E não sei muito bem quem é que acredita que Fonseca ainda conseguirá fazer alguma coisa de positivo esta época. Eu, aqui para nós que ninguém nos ouve, também não acredito.


Não baixo os braços, nunca o faço, mas começa a ser complicado mantê-los lá no alto sem ser para fazer uma prece a qualquer Deus que me ouça para dizer: “Ajuda-me, Big Barbas!”…

21 comentários

  1. Porto 2013/2014

    Em 20 jogos para o campeonato e 7 para as competições europeias, o saldo é de
    – 14 vitórias,
    – 6 empates
    – 7 derrotas!

    52% Vitórias… nem vale apena dizer mais nada…

  2. Nao deem Baias ao Quaresma, e um insulto associarem os dois nomes.
    O Quaresma nem esforcado e, e apesar de uma tecnica fantastica e possivelmente o jogador menos inteligente em campo.
    Quanto ao Fonseca gostaria de ver muitos portistas a penitenciarem-se por nos ultimos dois anos terem assobiado um dos melhores treinadores que passaram pelo Porto… Pediram todos e mais alguns para o seu lugar e teem agora o que merecem…

    1. subscrevo por inteiro, tanto em relação ao grande Vitor Pereira, como ao Quaresma. se bem que também é evidente que se o colectivo não funciona nunca iria ser o Quaresma a resolver isto, e que não é culpa dele,..

      se houver outro ponto (+), para mim terá sido o momento (pouco notado na confusão geral) quando o público que tinha estado a acenar com lenços, assobiar e insultar o Fonseca, depois por um breve instante bateu palmas para os jogadores do Estoril, que se estavam a despedir dos seus adeptos. e é verdade que não me lembro esta época ter visto o Porto a sair com apoios sucessivos verticais da defesa como o Estoril o fez varias vezes. e eles também são mais competentes a gerir o jogo do que nós depois de estar a ganhar, não precisam de trocar a bola entre os centrais, conseguem levá-la ao meio campo do adversário.

      1. tive mixed-feelings nessa altura, fez-me lembrar a derrota por 0-2 com o Boavista de Timofte, em que os aplaudi de pé…só que aí o FC Porto podia não jogar grande coisa mas via-se muito mais esforço e cabecinha…

  3. Jorge,se me permites aqui neste espaco gostaria de poder opinar sobre uma o outra questao que nao o jogo,nao vi ,portanto nao sei se teve azar,se jogou mal ,foi roubada,o os outros foram melhores.Quanto a isto Fui. Esta quase a fazer 30anos que o Porto espalhou perfume de futebol moderno na europa,pressao alta e estatistica,dadiva de o Porto desse tempo para os tempos atuais,depois de essa equipa na europa,o porto e como os eclipses fugazes,so que os seguidores com assento no estadio,nao ligam porque o regionalismo bairrista,ESTA a frente de tudo e mais alguma coisa,o Porto cidade ,e um conceito de varios bairros unidos por estrada,juntando uma figura que sempre fez de o bairrismo a sua arma,so que o bairrismo nao deixou GLOBALIZAR o FCP,que cresceu ,mas nao deixou as amarras do centralismo do seu presidente.Seja de 20 em 20anos diz a historia que as equipas portuguesas, ganham a liga dos campeoes,o que eu estou tentando opinar,e sobre credibilidade credivel ,nao fugachos o aparicoes e nesta ultima decada,o porto na europa nao passa de uma equipa feita para valorizar ALGO, e nao ser o BALUARTE DE FUTEBOL que ,a sua figura expoente apregoou,mas no plano interno ,o POVO gosta qualquer MERDA serve ,seja jesualdo o vitor pereira,o que quero opinar e que PESSOAS como tu,devem exigir competencia,quando ides o estadio,eu nunca la FUI e provavelmente nunca irei,e ja agora se puder vou deixar as palavras do poeta ,que diz queo futebol e a coisa mais importante na vida ,das coisas que na realidade nao teem importancia para nada

  4. Ontem gostei do PdC… Não gostei dos adeptos. Dos que ali ficaram a pedir justiça popular.
    Parecidos com os de braga que foram colocar-se à porta do Jesualdo.
    Ainda bem que o nosso presidente não se encolhe e sabe que não se comanda um clube de fora para dentro.
    Por muito que eu queira que finalmente o PF apresente uma solução – e neste momento acho que é ir-se embora – não é a minha vontade que me faz saber melhor !
    O campeonato foi-se. Ninguém o vai trazer de volta… (uma vez por outra também não nos faz mal não ser campeão.)
    Mas, é digno deixar o homem e os jogadores provarem que querem inverter a coisa em Frankfurt…

    Outra coisa, é de mim ou aqueles estorilenses parece que têm pilhas duracell ?

  5. Temos de á anos para cá vindo a perder ambição!!! O Porto clube é hoje uma negociata de jogadores vendidos, comprados, de interesses e comissões chorudas que minam o clube!!
    O plantel deste ano é a prova disso, perdeu-se Moutinho e James e foi-se buscar quem???
    O treinador é fraquissimo é verdade mas sejamos honestos, o plantel é mediocre! Só não vê quem não quer… as culpas não são só do treinador, a SAD é a principal responsável por esta situação, tanto por ter feito a escolha de P. Fonseca como pela gestão que tem feito do plantel e atenção esta situação vem de á 3/4 épocas, andamos um ano a jogar sem PL, são as contratações de izmaylov e Liedson enfim, é melhor nem continuar…

  6. O FCP n é gerido de for a para dentro, como li anteriormente…e bem!

    Por mt q ache q o melhor é o treinador sair, ontem mostrou-se mais uma vez quem manda.
    O nosso destino n pode estar nas maos de uns estratósféricos, que agora estao mt desiludidos, mas q no inicio da epoca, pediam a Champions no estádio do rival!
    Descam a Terra

  7. Nao entendo porque para a maioria dos adeptos, deixamos de ser portistas dignos se nos atrevermos a criticar o trabalho do presidente semi-deus Pinto da Costa.

    Sim, eu entendo o que passa pela cabeça deles. Que já em outras ocasioes se levantaram vozes em contestaçao e que, como sempre, o presidente deu a volta partindo para um novo ciclo de grandes vitorias. Mas para mim, nunca estivemos numa posiçao como a de hoje, nao é comparavel e explicarei porquê.

    Pinto da Costa merece uma estatua. Será o melhor presidente de sempre da historia do futebol portugues e um dos maiores do futebol mundial. Mas tantos anos de poder absoluto acabam por afectar ate o mais apaixonado e dedicado homem. Com as devidas distancias, se Salazar abandonasse o poder imediatamente depois da 2ªgrande guerra, seria por unanimidade considerado um dos maiores estadistas portugueses de sempre. Assim, polariza opinioes.

    Nos ultimos anos fomos assistindo ao enfraquecimento do nosso plantel. As quantidades astronomicas de dinheiro com a venda dos nossos melhores jogadores(todo o mundo fala do Porto como o clube com melhores vendas do sec XXI) cairam em saco roto, nao tendo correspondencia em reforços de grande valor. Vemos sim, aquisiçoes por valores no minimo estranhos. Comissoes, compradios, etc, etc, nem o mais inocente e submisso dos adeptos pode pensar que aqui nao há gato.

    Em outras epocas de crise beneficiamos da instabilidade dos nosso rivais, sem uma estrutura à altura da nossa, para recuperarmos em pouco tempo. Infelizmente, nao é hoje o caso. O Benfica está a entrar num ciclo de dominio. Infelizmente é a minha previsao. E nao sou menos portista que os outros, por pressentir isso. Tem estabilidade, tem um plantel recheado de grandes valores, com futuro, tem um bom treinador(independentemente da personalidade odiosa) e um presidente que ja mostrou que nao pretende enfraquecer o plantel. Tem uma grande fornada de jovens talentosos a chegar tendo neste momento na minha opiniao, ultrapassado o Sporting, nas camadas jovens. Tem tambem vindo a crescer a nivel de influencia, no subjogo que sempre existiu e sempre continuará a existir, variando apenas os ciclos de poder.

    Sim, eu odeio o Benfica tanto como qualquer portista, mas nao sou cego!
    Penso que é altura de grandes mudanças no Porto. Infelizmente, acho que nao é apenas a mudança de treinador que irá resolver o problema, embora amenize. Está mais que visto que P.Ferreira nao tem qualidade. Só o ego desmesurado de alguns dirigentes poderá prolongar a agonia esta epoca. Substituiçao de treinador no imediato é o minimo!

    E dirao logo 99% dos portistas. Aposto que eras daqueles que pedia a cabeça de tudo e todos em outras epocas que corriam mal. Nao meus amigos! É a primeira vez que sinto que o tempo desta direcçao no meu clube acabou. A primeira vez que todos os indicadores me levam a pensar isso. Mas la estarei no Dragao, fielmente e independentemente de tudo o que aconteça no futuro.

  8. Meus caros quando temos um administrador da SAD a receber um balúrdio por esse cargo, mas que está a ocupa-lo não por ser um excelente profissional ou administrador mas sim por ser filho do presidente está tudo dito!!!

  9. Por essa ordem de ideias, no próximo jogo deveríamos encher o Dragão e pedir em uníssono a renovação de Paulo Fonseca, psicologia invertida, pode ser que resulte.
    Todos sabemos que o Porto é dirigido de dentro para fora, mas não quer isso dizer que a administração seja um colégio de iluminados e o grosso dos sócio e adeptos, um bando de mentecaptos.
    Pinto da Costa quis ontem mostrar aos jogadores o desagrado da massa associativa aos jogadores, na rábula da saída da garagem? Existe uma maneira mais fácil, e já vista no nosso clube outrora.Após o jogo não deixem os jogadores recolher directamente ao balneário, e agendem uma secção de treino . Um dos capitães exorta os adeptos a não ir ao estádio, um jogador revela desconhecer o adversário que vai defrontar no dia seguinte, o treinador é sobejamente conhecida a miríade de adversários alemães em apenas uma eliminatória.
    Desde a jornada onze até á vigésima somos presenteados com quatro derrotas, em quatro jogos europeus no Dragão, zero vitórias and so on and so on…
    Pelos vistos as altas esferas Portistas optaram por manter o “Status Quo” no que respeita á primeira equipa, quanto a mim, sócio com lugar anual, indefectível e doente vou reflectir se o que já tenho lido acerca de apenas passar a acompanhar a equipa B, porque manter a equipa técnica apenas para mostrar que se manda, para mim não!

  10. O FCP não e gerido de fora para dentro, mas o clube existe para os adeptos, não é nenhuma empresa particular de Pinto da Costa e Antero Henriques, para que estes não queiram saber da insatisfação dos adeptos!
    Estou em querer que o presidente não aceitou a demissão de Paulo Fonseca porque precisa de analisar o que se tem passado e de saber que treinadores estarão disponíveis para vir para o porto nesta altura da época, caso a demissão fosse imediata teria que se recorrer a uma solução provisoria ate ao final da época.
    Depois de 3 épocas a vencer se perdermos este campeonato não vai fazer mal a ninguém, ate pode ser bom para que o presidente e direção percebam que o porto tem que ter um treinador que saiba o que faz e não treinadores que fazem do plantel uma especie de ratos de laboratório, á espera que algo de bom aconteca!
    Vitor Pereira é uma bota da tropa, mas tinha um plantel já rotinado com alguns jogadores formados e rotinados, e por isso foi escapando entre os pingos da chuva agarrado a um plantel do tempo de Jesualdo, não passou a ser bom só porque Paulo Fonseca é pior!
    Saudaçoes

    1. Vitor Pereira tinha um plantel rotinado? Salvo erro foi ficando sem Falcão, Hulk, Guarin, Alvaro Pereira, Cristian Rodrigues, Rolando, Beluschi, etc…

      1. Tinha sim senhor, porque as rotinas não são apenas com os titulares do plantel e a integraçao dos reforços faz-se por rotinas de treino. de jogo, de ideias e ate de vitorias e derrotas!
        E já agora “Falcão, Hulk, Guarin, Alvaro Pereira, Cristian Rodrigues, Rolando, Beluschi, etc…”
        estes jogadores todos saíram ao mesmo tempo? e quem veio para substituir estes mesmos veio para pegar de “estaca” de tal forma que não precisava de conhecer o plantel e adaptar-se?
        Vitor Pereira tinha a pápa feita pelo Jesualdo e pelo Avb e a partir dai deu continuidade mas nada acrescentou, Paulo Fonseca levou com as favas no bucho porque tiraram-lhe Moutinho a pedra basilar do meio campo dos anos anteriores e também James, depois teve que se desmerdar com sul americanos que precisam de tempo e com jogadores que querem ganhar milhoes fora do nosso clube, tudo isso é demais pra um treinador como Paulo Fonseca, assim como para muito bom treinador !
        Como disse atras só porque um é pior do que o outro não invalida que esse outro seja mau ou muito mau!

  11. Das duas uma ou o moutinho e o james eram a equipa do porto e ninguém deu por isso ou então o nando, mangala, tó mendes, jackson, defour, alex sandro, etc etc … deixaram de saber jogar futebol.

    Não sei não… eram jogadores importantes? ….Sim, é verdade mas para o lugar do james temos o quintero, licá ( lol ) , quaresma e ricardo etc… para o moutinho temos defour, quintero, josué, herrera, carlos eduardo … portanto, não me lixem, nenhum deles era o cristiano reinaldo para um destes não fazer minimamente o trabalho deles.

  12. A partir do momento em que o presidente decide não demitir o treinador, o próprio presidente assume toda a responsabilidade sobre o que possa acontecer até o fim da época, simples como isso.

    Já teve 2 chances de o fazer, não o fez, e penso que o próprio Paulo Fonseca já deve estar morto por ser despedido, portanto já não vale a pena bater mais no ceguinho, ou melhor, no “confiança cega”.

    E vendo estes jogadores, “mininos” mimados cheios da pasta, com tatuagens e penteados esquisitos, pagos regiamente unica e exclusivamente para fazer o que mais gostam, alguém devia mostrar-lhes ESTE EXEMPLO que podem ver e ler no link abaixo no meu blog

    http://pelethebest.blogspot.pt/2014/01/o-rei-sylvester-stallone-e-fuga-para.html

    para ver se eles tomam um mínimo de vergonha na cara, e vejam com os próprios olhos que apesar DESTA EQUIPA ter LITERALMENTE TUDO CONTRA, jogou pela HONRA, PELA CAMISOLA, PELO ORGULHO!!!

Deixar uma resposta