Ouve lá ó Mister – Paços de Ferreira

Mister Paulo,

Bons dias, caríssimo. Parece que há jogo no Dragão hoje à tarde e tenho a certeza que vais estar lá, no banco onde tantos outros aspiram a estar, ao lado de jogadores que milhares de equipa por esse mundo fora matariam a avó e os cães para os terem nas suas formações, usando o fato oficial do clube que agora te paga o ordenado. E devo dizer-te que até agora, poucas têm sido as vezes em que olho para ti e vejo um treinador que de facto consegue fazer encher de orgulho o peito de muitos portistas, e incluo-me nesse lote. Começas a ter pouco tempo para te livrares deste que foi dos piores inícios de época que me lembro. Não sou propriamente um gajo de muita idade, mas do alto dos meus trinta e tais já acompanhei dezenas de arranques, muitos deles com treinadores novinhos em folha, e não me estás a dar grandes motivos para te bater palmas de pé. Nem sentado. Nem numa espreguiçadeira com meia-dúzia de mojitos e gajas com saias de palha a abanar gigantes folhas de palmeira enquanto suaves melodias polinésias ecoam no fundo, complementando o som do mar a galgar as delicadas areias de uma qualquer praia num paraíso distante. Nota-se que estou farto da chuva?

E já viste a cabrona da coincidência cósmica do jogo de hoje? É isso mesmo, hoje jogamos contra a tua antiga equipa, com quem terminaste o campeonato num honroso terceiro lugar…e vais defrontá-los ocupando exactamente esse mesmo terceiro lugar! É do caralho, não é, Paulo? E se não estivesses no FC Porto mas sim no Chaves ou no Belenenses, ou até mesmo numa outra equipa com o título oficial de “meh, who cares?”, isso seria um feito digno de telefonar para casa e contar à mãe para ela deixar de te comer a cabecinha por teres escolhido uma profissão tão desgastante. Mas não é. É trampa, Paulo. Estar em terceiro é equivalente a esterco no nosso clube desde há muito tempo e por isso espero que hoje recuperes pelo menos dois pontos em relação aos fulanos da capital que ao que parece vão jogar entre eles quarenta e cinco minutos antes de os teus entrarem em campo. Só espero que não se atrasem, seria uma forma de troçarem das instituições e blá blá blá verdade desportiva yadda yadda yadda os dentes da Thatcher e coisas do género. Entra para ganhar, arruma com os gajos e faz-nos acreditar que ainda podemos lá chegar. A minha esperança, como sabes, não anda nos seus melhores dias.

Dou-te duas opiniões tácticas para terminar: tira o Licá da ala, teve piada durante algum tempo, já todos nos rimos, mas já chega. E já que não tens o Carlos Eduardo, que tal experimentares o Quintero a titular? Nunca se sabe, pode ser uma boa surpresa!

Sou quem sabes,
Jorge

1 comentário

  1. intervalo! mais um jogo de merda. não há uma jogada de jeito e os problemas de sempre. não metemos gente na área e não há maneira dos 2 médios defensivos atinarem! estádio vazio, ninguém quer apanhar frio para ver esta miséria… mas no fim do jogo tudo continuará igual!

Deixar uma resposta