Passaram todos pelo mesmo, mas só alguns se safaram

Desde que comecei a ver futebol ao vivo, no início da última década do século passado, muitos têm sido os motivos de crítica dos diversos treinadores que passaram pelo FC Porto:

  • Carlos Alberto Silva foi criticado pelo estilo taciturno e pelo futebol aborrecido;
  • Tomislav Ivic foi criticado por ser demasiado defensivo;
  • Sir Bobby Robson foi criticado pelas más contratações e pelas substituições tardias;
  • António Oliveira foi criticado pela excessiva rotatividade da equipa-base;
  • Fernando Santos foi criticado por não conseguir manter as estrelas sempre motivadas;
  • Octávio Machado foi criticado pelo estilo de jogo duro e sem beleza;
  • José Mourinho foi criticado (sim, até Ele!) pela arrogância e pelo excessivo pragmatismo;
  • Luigi Del Neri foi criticado pela introdução à força de tácticas revolucionárias para o clube;
  • Victor Fernandez foi criticado pela incapacidade de saber lidar com os egos do plantel;
  • José Couceiro foi criticado pela fraca qualidade do futebol;
  • Co Adriaanse foi criticado pela rigidez das regras internas e pelas tácticas hiper-ofensivas;
  • Jesualdo Ferreira foi criticado por ser benfiquista e por falhar na Europa;
  • André Villas-Boas foi criticado pela inexperiência e pela pouca rotação de um plantel curto;
  • Vitor Pereira foi criticado pelo discurso fraco e pelo futebol enfadonho.

A grande diferença entre a maioria destes nomes e o de Paulo Fonseca é que salvo uma ou outra ocasião, via-se um semblante de uma táctica, de uma estratégia de jogo. Com melhores ou piores jogadores, mais ou menos motivados, havia um fio de jogo planeado, um reconhecimento em campo do trabalho que se faz durante a semana. Hoje em dia, Paulo Fonseca arrisca-se a ficar na história pelo seguinte:

  • Paulo Fonseca foi criticado por fazer com que o FC Porto deixasse de jogar futebol.

12 comentários

  1. Dos que me lembro:

    Sir Bobby Robson: Não me recordo de verdadeiras críticas. Sempre teve grande respeito;

    António Oliveira: Igualmente não teve verdadeiras críticas por parte dos adeptos;

    Fernando Santos: criticado por perder 2 campeonatos com Jardel e jogar mal. Foi enxotado;

    Octávio Machado: Criticado por ser burro, parolo, jogar com 5 trincos e jogar do pior que vi;

    José Mourinho: Só criticado no fim da Champions. De resto eram os adversários que criticavam;

    Luigi Del Neri: criticado por querer encostar jogadores que eventualmente saíram em Janeiro;

    Victor Fernandez: Criticado por tudo numa época de plantel luxuoso em que ninguém conseguiu retirar fosse o que fosse ;

    José Couceiro: Criticado por jogar o pior futebol de sempre com o melhor plantel de sempre, incluído várias goleadas sofridas no Dragão ;

    Co Adriaanse: Criticado inicialmente numa época com problemas vindos do ano anterior. Quando acertou produziu o futebol mais espetacular que alguma vez vi no clube. Saiu por divergências com jogadores que mandavam mais no clube do que ele. Foi o melhor treinador que vi pós Mourinho.

    Jesualdo Ferreira foi criticado por ser benfiquista e por falhar na Europa (concordo totalmente);

    André Villas-Boas: Apenas criticado na fase em que Falcao esteve lesionado e a equipa jogou um mau futebol com Hulk a PL. De resto não houveram reais críticas;

    Vitor Pereira foi criticado pelo discurso fraco e pelo futebol enfadonho, e pelas derrotas vergonhosas contra Hapoel, Malaga e falhanços em todas as competições nacionais que não a Liga (esta entrega de bandeja pelo adversário).

    1. So um dos campeonatos perdidos pelo Fernando Santos foi com o Jardel. O outro foi com o Pena.

      O Counceiro so sofreu uma goleada em casa, com o Nacional. E o plantel ja nao era o do inicio da epoca. Tinham saido Derlei e Carlos Alberto e Nuno Valente passava mais tempo na enfermaria que no relvado. Entraram em janeiro Leandro Lima, Leo Bonfim, Ibson, Pitbull e Leandro. Sem comentarios…

      O Adriaanse saiu por nao ter as contratacoes que desejava, nomeadamente um ponta-de-lanca classico de valor inquestionavel.

  2. Não me lembro de quaisquer criticas ao Bobby Robson, AVB e Mourinho. Adriaanse foi fortementemente criticado pelo seu futebol sem nexo absolutamente nenhum (como se viu na europa onde levamos verdadeiras lições de futebol), em casa, ganhava com uns golitos do Adriano (miserável PL que pontificou com este holandês).

  3. Nunca percebi as críticas futebolísticas à posteriori a Del Neri. Só fez a pré época, com bons resultados. E bem melhores jogos do que na época anterior. Ninguém teve tempo para lhe fazer verdadeiras críticas. Segundo revelou PC saiu porque não passava cartão à Direcção , foi a Itália sem pedir licença faltando a reuniões e dando folgas aos jogadores. Não foi pelo futebol. Isso foi o que se disse depois para não se falar de indisciplina.

  4. PF vai ser lembrado como o Homem nao nao ganhou em casa nas competiçoes europeias…

    acho que estavamos melhor com o Luis Castro na quinta do que com este…

    mas o PC é teimoso

  5. Há um que nunca foi criticado nem entrou na sua lista: RUI BARROS!

    1JOGO – 1 VITÓRIA – 1TÍTULO -100% de eficácia. :D

    Agora a sério, temos que estar mais unidos que nunca e manter a cabeça fria.

    Cumprimentos,

  6. Espectacular o teu resumo de criticas aos nossos treinadores, é que foi mesmo isto (em alguns até foste brando comparado com o rol de criticas que levaram ehehehe). E ainda podias juntar Artur Jorge e até Pedroto! Sim, esse não é do meu tempo mas quem viveu esses anos lembra-se concerteza.

    Enfim, à tua conta deu para fazer uma viagem no tempo :)

    E sim, todos foram criticados. A diferença sempre foi na veemência como o foram, mais ou menos dura, com o pedido de “cabeças” presente ou não.

Deixar uma resposta