Baías e Baronis – Sporting 1 vs 0 FC Porto

Está a ser difícil arrancar esta crónica. Não pelo resultado em si, apesar de ter surgido de um lance irregular, ou pelo penalty que nos foi roubado quando Cedric empurrou Jackson, nem mesmo pela expulsão (outra, injusta, em Alvalade, uma de TANTAS e TANTOS LANCES ONDE FOMOS PREJUDICADOS NAQUELE CAMPO…mas estão a ver-me a lançar uma demanda pela purificação da visão dos árbitros? Juízo, amigos, porque não sei ser intelectualmente desonesto nem sportinguista, que aparentemente são cada vez mais verdadeiras redundâncias), mas pela sensação que podíamos perfeitamente ter ganho o jogo se tivéssemos sido um pouquinho mais eficazes. Só um bocadinho. Bastava um dos lances de Jackson, o remate de Varela, o petardo de Quaresma ou a oportunidade de Ghilas, bastava um desses ter entrado e não estaria aqui a coçar a cabeça para perceber o que é que me está a moer o estômago. Perdemos sem grandes culpas para lá dos inúmeros passes falhados, e apesar do Sporting ter exibido melhor futebol (especialmente na segunda parte), mantenho a ideia que deveríamos ter saído de lá com pontos. Um ou três, já não sei. Vamos a notas:

(+) Quaresma (especialmente na primeira parte). Continua a ser um gajo muito esforçado, diametralmente oposto ao que estaria à espera quando regressou em Janeiro. Mantém o estilo pessoal de “guloso”, passando pouco e tentando muito mas mesmo não tendo a capacidade de outros dias, lá vai insistindo enquanto tem pernas para isso e os vários nós que deu em Cedric foram mais que merecedores de um golo, que a trave tratou de lho negar. Com Varela com a produtividade equivalente a uma garrafa de água vazia em campo, Quaresma é o grande municiador do ataque do FC Porto, já que Quintero continua a sentar-se no banco. Se calhar só pode ser titular um gajo começado por “Q” em cada jogo. Deve ser regra da Liga, é isso.

(+) A expulsão de Fernando. Pode ser um Baía duvidoso, o aplauso a uma expulsão, ainda por cima uma que foi puxada pelo adversário e que resultou perfeitamente como o colombiano quis que funcionasse. Mas o gesto é necessário para mostrar à equipa que tem de ser dura, que nunca pode virar a cara à luta e que tem de combater as atitudes “inteligentes” dos adversários com os dentes cerrados e sem permitir esse tipo de facilidades. Teve azar porque Proença decidiu (exageradamente, na minha opinião) expulsá-lo, mas aprovo a atitude.

(-) Inacreditáveis falhas no passe. Compreendo que os rapazes estivessem nervosos. Até sou capaz de entender a falta de confiança que possa haver sabendo que o Sporting jogava em casa, num estádio cheio e com uma fome de títulos que faz com que um sírio num campo de refugiados pareça um americano suburbano. Mas vamos lá ver uma coisa. Quando o primeiro conjunto de passes começa a falhar, eu compreendo. O segundo, compreendo. Ao terceiro, ainda compreendo. A partir daí deixo de compreender e começo a questionar a sanidade mental da maioria dos jogadores. Hoje foram muito poucos os que se salvaram de uma espécie de milagre do passe falhado, em que cada jogador do FC Porto, especialmente da zona defensiva (excluo Danilo porque não esteve tão mal como os outros) onde Mangala, Abdoulaye, Alex Sandro e Fernando passaram a grande maioria do tempo, foram incapazes de sair de uma zona de pressão alta, com cinco jogadores do Sporting em permanência a procurar impedir passes correctos e transições eficazes para o ataque. E o FC Porto transformou-se numa equipa de bairro com a agravante de não mostrar a agressividade que um qualquer Atlético Raismafodense exibe em campo. A ausência de confiança transformou-se em excesso, onde todos pensam ser Beckenbauers e o alívio para longe parece sinal de derrota antecipada que nenhum quer admitir já ter acontecido há muito tempo. Não há ninguém que lhes ponha a mão no pescoço e diga: “Meu menino, acerta-me ali com a bola naquele poste que está aí a uns quinze metros. Cada bola falhada, siga uma voltinha ao campo. Não, não estou a brincar.”?

(-) A lesão de Helton. A par da lesão de Derlei em Alverca em 2003, onde rodou para receber uma bola e encostou-se sozinho por seis meses, foi talvez a lesão mais ridícula que me lembro de ver. Ao que parece será uma rotura total do tendão de Aquiles, o que não pode trazer boas notícias para o resto da temporada e receio que o possa afastar mesmo do futebol. Seja de que lado sopre o vento, boa sorte, capitão!

(-) Alex Sandro. Sem ritmo, sem cabeça, sem grande vontade para correr a apoiar pelo flanco, está a fazer uma época miserável quando comparada com o que fez no ano passado. Este jogo foi apenas mais um onde o brasileiro nunca conseguiu ser um jogador normal, fraquejando ao mínimo toque na bola, incapaz de a controlar em condições e a exibir-se com uma ausência quase total de velocidade e de empenho na disputa dos lances. Falta uma alternativa decente naquele flanco.


O campeonato estava complicadíssimo e agora parece mesmo inatingível. Nada que surpreenda qualquer adepto do FC Porto, tendo em conta o percurso nesta época, por isso resta-nos apostar nas restantes competições, todas a eliminar. Mas há uma inegável falta de capacidade de concentração e calma em campo que parece não conseguir desaparecer…

15 comentários

  1. Fdx, ainda-me esta a custar digerir.

    Ao contrario de mtos, nao culpo o Proenca pela derrota. Somos uma equipa de meninos, sem saber defender e sem fazer um caralho de um passe em condicoes. Continuamos a criar situacoes de perigo ao fazer passes estupidos na zona proibida, continuamos a nao saber marcar (no lance do golo o posicionamento do abulaye e fantastico… NOT!!!!), os nosso laterais nao sabem cruzar e nao recuperam a defesa (ao contrario de ti Jorge, acho que o Danilo jogou mto pior que o Alex), nao conseguimos sair a jogar sem perder a bola no meio campo, o caralho do Jackson devia era fazer um par de jogos na equipa b para atinar, como e possivel falhar tanto a este nivel!!! Enfim, precisamos de uma remodelacao profunda!

    Como e que saimos de uma primeira em que estamos por cima do jogo para uma segunda mto mais baixa de intensidade e reagirmos tao negativamente a um golo? Mantenho o que disse ha um uns post atras, este anos nao ganhamos nada…

    1. @ João Amorim

      » os nossos laterais são dos jogadores mais utilizados do plantel, a seguir ao Helton. estamos no final de época e acho que é “normal” que eles se sintam extenuados. o que já não é “normal” é ainda não se ter encontrado substitutos à altura para estas situações, depois do castigo aplicado ao Fucile

      » tivemos um jogo na Quinta-feira para Liga Europa. o spórtém, desde a eliminação para a ex-taça da bjeKa, que já só compete para o campeonato. a quebra de rendimento, na segunda parte e a meu ver, foi “normal” – daí que, com a lesão do Helton, Luís Castro tenha feito a referência à questão da alteração da estratégia

      » naquele jogo para a Liga Europa, o mesmo Jackson que tanto criticas marcou um golaço, num lance de difícil execução

      abr@ço
      Miguel | Tomo II

      1. Boas Miguel,

        Ter um jogo a meio da semana ou nao, nao interfere no posicionamento tactico nem na questao tecnica. Se me dissesses que os laterais nao subiam por nao terem pulmao mas que defendessem bem, a conversa era outra. Ter Danilos e Alexes a pensarem que sao Messis da vida, so nao da mais merda por acaso. Mas concordo contigo, a culpa foi da SAD e do PF que nao foram capazes de irem buscar substitutos, nem que fosse para lhes dar luta pelo lugar qdo lhes dao as paragens cerebrais.

        Qto ao Jackson, nao concordo. Marcou um golo de dificil execucao e certo, mas qtos falhou para o marcar? Qtos lances tem abordado com displicencia? Para mim merecia o banco por um par de jogos, ao contrario do Ghilas que pode nao marcar, mas pelo menos tem a raca de um Derlei ou um Lisandro.

        Vi melhorias nao primeira parte, na segunda fomos mto fracos.

  2. Acrescentaria no Baia ao Quaresma a boa intervenção na flash interview… muito bom. Curta, direta, de letra!
    Pelo mesmo daria um Baia ao nosso treinador. Muito bem, disse tudo, chamou burro ao entrevistador, tudo com calma, tranquilidade e boa educação ! O que diga-se de passagem para alguém que ficou sem Helton, tem Maicon lesionado, e o Abdoulatye a jogar,não pode levar o “Sandro, Alex Sandro” a Nápoles deve ter custado muito manter a compostura…
    Um Baia tb para o golo do Zbording… tanta conversa chôcha, tanta merda, mas desta nódoa ninguém se livra…

    Quanto ao resto concordo em tudo. Muitos, demais passes falhados… um Varela ausente demais.
    Só não concordo com a pressão para entrar o Quintero… ontem só falhou passes… achou que os colegas estavam com pilhas para ainda fazer um sprint, e deixava as bolas nos espaços… há vá, não basta ser tecnicamente bom, há que saber ver as contingências do jogo….

  3. Bom dia,

    fiquei chateado com este resultado, mais do que fiquei nos outros jogos que vi o Porto a perder (inclusive contra o Benfica).

    Ao Porto só faltou um bocadinho de sorte (nem que fosse na bola ao poste) e um árbitro que marcasse de maneira igual para os dois lados.

    O papel de virgem ofendida que tivemos que aturar durante a semana toda deu os seus frutos durante o jogo, mas não vim aqui falar disso (apesar de não conseguir deixar falar disso).

    O Porto acusou a forma como batalhou contra o Nápoles e a pressão alta da primeira parte, o Porto acusou a falta de ritmo de ter estado cerca de 6 meses a jogar a passo, sem qualquer estratégia além da de correr atrás da bola. Para mim, o Porto está em modo de pré-temporada e a acertar os mecanismos, está a reaprender a jogar à bola, usando algo completamente estranho este ano, algo chamado “táctica”.

    Acho que o Fernando esteve magistral, o palhacito do Monteiro fez o papel dele, só que, normalmente, aquelas gracinhas dão cartão amarelo para cada um, aqui só havia cartão para o Fernando, acredito que se o Porto estivesse a ganhar o palhacito seria alguém do nosso lado.

    O Quaresma esteve bem, lutou muito e acho que foi o seu melhor jogo contra o Sporting.

    A nossa imagem de marca de sempre (desde de que assisto aos jogos do Porto) é que tarda a aparecer, a defesa de aço que sempre nos caracterizou não existe, temos um bom central que é o “Mangala”, e temos defesas laterais que são demasiado inconstantes.

    Não vejo no Abdoulaye uma aposta, acho que é um central de recurso, parece-me pouco inteligente na abordagem às jogadas e extremamente trapalhão.

    Precisamos urgentemente de uma voz de comando na defesa, falta ali um Broas, um Bicho, alguém que dê o peito às balas e que faça aquela defesa jogar em uníssono.

    O lado positivo deste jogo foi aquela primeira parte, foi um grande jogo, jogado a um ritmo rápido com as duas equipas a dar o que tinham, gostei da garra do Porto, gostei do meio campo do Porto (ao nível da garra e recuperações de bola, não tanto ao nível construtivo).

    Estamos melhor, mas parece uma equipa de inicio de época.

    Viva ao Porto, vamos melhorar!!!!

  4. Falta aí um Baroni a atribuir ao indivíduo que joga com o número 9, começam a ser inqualifificaveis as exibições desse tipo!

  5. Nao vi o jogo (mais uma vez). Curiosamente estava a ver os 11 iniciais quando um amigo aqui no Mexico me perguntou pelos seus “paizanos”. Disse que nem um nem outro. Mostrou-se admirado e eu também. Que Reyes provavelmente ainda estará demasiado verde para o Porto até acredito mas continuar a colocar o Abdolaye a jogar já comeca a ser insanidade. Por tudo o que vou lendo e o que vejo nos resumos aqui reside um dos problemas basilares do Porto. Nao podemos entrar em campo com 1,5 central. A juntar ao facto de que os laterais estao exaustos e desmotivados isso nao está a fazer bem a nossa defesa.

    Por outro lado, o lado positivo das coisas, estamos melhor. Nao há como negar que a exibicao foi bem mais positiva que aquele empate a 0-0 para a Taca.

    Mas também acho que este ano nao ganhamos nada. E, perdoem-me por dizer isto, já estava na altura de batermos com a cabeca no fundo e comecarmos a reconstruir este clube que os anos desde a ultima Liga Europa só tem feito mal ao nosso Porto.

    Se com Vitor Pereira ganhavamos titulos, nao jogavamos bonito e na Europa eramos uns meninos. Com o Fonseca foi o erro de casting. Agora com o Sr.Castro a ver se as coisas se mantem podemos nao ganhar nada mas ao menos a ver se melhoramos a qualidade geral da partida.

    P.S – Gostava francamente de saber o que é que Bruno de Carvalho/Movimento Basta tem a dizer sobre o jogo de ontem.

  6. Uma primeira parte interessante, mas falta velocidade e melhor definiçao no passe. O Quaresma desiquilibra, mas também “trava” o nosso jogo. O Carlos Eduardo “esconde-se” em demasia.
    Os laterais estão cansados, e jogando bem ou mal, jogam sempre.
    O Ba, é fraco. O Reyes não é opção. Estou curioso como vai ser o 11 para Nápoles, onde vamos sofrer e temos que ser bravosnse queremos passar a eliminatória.
    A lesão do Helton é lamentável, mas talvez o Fabiano já merece-se uma oportunidade.
    O título é uma miragem, mas somos Porto por isso os rapazes têm de continuar a dar o melhor em cada jogo.
    Temos razões de queixa da arbitragem, o scp joga uma vez por semana, tivemos desgaste na 5F, mas este grupo de jogadores já devia estar habituado e reagir de outra forma. Depois do golo sofrido demoramos muito a voltar ao jogo…
    Eu estava convicto de que podiamos ganhar o jogo, um feeling, algo que na era PF era dificil, onde o receio era maior que a esperança

  7. Acho incrível a crucificação do Abdoulaye, enquanto o senhor 50 milhões, continua a fazer cagada atrás de cagada e “no pasa nada”.

  8. Antes de mais devo dizer que foi jogo especialmente na 1ª parte , houve entrega de ambas as equipas , lances bonitos e fair play de ambos os lados, até ao lance do Montero.
    A 1ª parte foi da nossa parte bem jogada , existia pressão sobre o adversário e as jogadas tinham principio , meio e fim (só não deram golos) mas gostei. Na segunda parte e antes do golo entrámos mais lentos e o Sporting foi mais pressionante e acabou por chegar ao golo em mais situação em que o lateral não estava lá como por 3 ou 4 vezes aconteceu na 1ª parte com as arrancadas do Capel que subia até á zona de cruzamento quase sem oposição.
    Pessoalmente penso que Carlos Eduardo deveria ter saído logo ao intervalo pois escondeu-se ou foi escondido e Quintero deu logo outra dinâmica assim que “entrou” no jogo.
    Infelizmente falhámos muitas oportunidades e diz-se e com razão que quem não marca sofre e foi difícil voltar a entrar no jogo.
    Gosto da atitude que a equipa demonstra e sei que se ainda houver pernas e jogadores disponíveis o resto virá por acréscimo.
    Como disse da ultima vez que aqui escrevi penso que já se desenha a próxima época a passos largos no Dragão independentemente do que falta desta e do Mundial , pensar á frente sempre foi a nossa vantagem.
    Em relação ao Fernando não posso concordar com a atitude pois quem quer ser Capitão tem de manter o sangue frio e ser inteligente perante o provocador e revelou a outros adversários uma fraqueza.
    Por ultimo Helton e o estado do relvado que achei estar péssimo e creio que terá sido isso um dos factores potenciadores da lesão do nosso Capitão a quem desde já desejo rápidas melhoras.

  9. Para o palhacinho do helton teve de se lesionar pa sair da equipa, agora o jaksem golos sai da equipa quando.????
    o porto perdeu por culpa deste trengo que anda a brincar, falha golos de proposito.
    banco para ele.

    1. não gostas do rapaz, tudo bem. mas dizer que falha golos de propósito já me parece um exagero. agradeço que tenhas mais calma nos comentários.

      um abraço,
      Jorge

  10. O campeonato quase que acabou, penso que seria o momento de apostar tudo na taça e na Europa (se bem que não queria estar na pele do Luís Castro para construir uma defesa para o jogo de Nápoles). Acho que o grande problema do FCP foi, é??? a forma como perdem bolas atrás de bolas na primeira fase de construção, agora é cerrar os dentes e defender a honra no resto da época, dar minutos ao Quintero, Reyes e porque não apostar em alguns jogadores da equipa B, Victor Garcia, Rafa, Tozé e Mikel?
    O Quaresma não merecia o resultado de ontem pelos fantásticos primeiros 45 minutos.
    Gostei das palavras do Castro, não perdemos por sua culpa, sobre os calimeros nem vale a pena falar….
    Espero ter uma alegria contra o SLB na Taça…

    http://basculante433.wordpress.com

  11. Hoje por hoje falar de futebol quando se discute o contexto mediático português em que o FC Porto está é redundante… não serve de nada!!

Deixar uma resposta