Ouve lá ó Mister – Nacional

Estimado Professor,

Uma viagem à Madeira nem sempre corresponde ao esperado. No meu caso seria o reencontro com um não-tão-velho amigo mas que está mais próximo de mim do que tantos outros bem mais velhos, em tempo de amizade e na própria idade do fulano. Equivale a litros de poncha, quilos de carne da boa, centenas de piadas foleiras com muito vernáculo e uma alegria enorme por estarmos juntos de novo. Soa piroso e na fronteira do homo-erótico, mas sei que compreende. No entanto, continuando o raciocínio, nem sempre destas viagens à ilha sai coisa boa. E hoje, quando entramos nas rectas finais das competições em que estamos envolvidos, cada saída de casa parece ganhar um peso ainda maior no culminar dos acontecimentos, pelo que o jogo desta noite é mais um desses calhaus no nosso caminho que queremos evitar a todo o custo.

Na estreia daquela que é a enésima dupla de centrais da temporada (deve ser um recorde, tenho de analisar mais a fundo), a somar à ausência de Varela, que aprovo seja por lesão ou apenas para descansar o rapaz, o meu caro amigo tem um biquinho de obra bem rijo. Já sabe que os fulanos jogam com garra e que em casa deles estão habituados a tentarem lixar-nos a vida a todo o custo. Não sei se o Marçal vai jogar, mas espero que sim, só para podermos ter o prazer de fazer esse estupor perder o jogo. Tenho-o numa daquelas listas de “Gajos para dizer a Satanás que pode espetar a forquilha à vontade”, por isso fico satisfeito quando o vejo pisar trampa ou perder com o FC Porto. O que lhe doer mais na alma.

Quanto a nós, é só jogar como na passada quarta-feira. Não vejo equipa em Portugal que nos aguente se jogarmos com aquela intensidade e coragem. Tenho fé em si e só espero que hoje na Choupana não apanhe nevoeiro. Peço desculpa. Eu sei, é mau demais, mas já é tarde e muda a hora…

Sou quem sabes,
Jorge

1 comentário

  1. Claro que nunca é aceitável atirar a toalha ao chao, nem entrar a jogar na desportiva.Mas a meu ver temos jogos bem mais importantes a nossa frente e, infelizmente, já nao dependemos só de nós para chegar ao 2o lugar.

    É verdade que depois do último jogo a confianca está em alta como há muito nao estava e será também interessante ver como os jogadores vao reagir entrando na Madeira com o ego lá em cima.

    Quanto a dupla de centrais, medo, muito medo! Nao sei até que ponto é que o Reyes conseguirá jogar “sozinho” durante 90 minutos. Desconfio que teriamos mais hipoteses de sucesso ao por o Licá a central do que por o Bah. Nao me interpretem mal, o Bah até poderá algum dia a vir a ser uma carta útil mas, nesta altura, é muito limitado para jogar num jogo de risco médio como este.

    O Varela ficou em casa, e bem, vamos ver quem entrará para o seu lugar. Apesar do mais provável é que seja o Ghilas, acabamos assim por perder o Joker que entra ao intervalo. Dar a oportunidade ao Kelvin seria bom de ver mas, como já disse antes, algo de muito errado se passa com este rapaz quando treinador atrás de treinador nao aposta regularmente nele. Espero ver a mesma linha de meio campo do jogo com o Benfica ou entao oferecer ao Quintero a camisola 10 logo de inicio para comecarmos o “abre-latas” logo de principio.

    Vamos acreditar e especialmente desejar que ninguém se lesione, que ninguém estoure de cansado e que vencemos. Se no acaso sairmos da Madeira com um empate, será mau, mas como já disse antes, ja nao dependemos de nós para chegarmos ao 2o lugar por isso neste momento a Liga nao pode ser a maior prioridade do nosso grande Porto.

    Saudacoes portistas

Deixar uma resposta