Baías e Baronis 2013/2014 – Os guarda-redes

Helton não teve vida fácil este ano. Para lá da lesão em Alvalade que o arrumou da competição a meio de Março, teve uma primeira parte da temporada em bom nível e só pontualmente teve algum tipo de culpa em lances que deram golo ou desestabilizaram a defesa (ainda mais que o normal). Um total de 6 Baías acabam por provar que continua a ser a primeira opção para a baliza, porque com 36 anos não vejo ausência de frescura física nem maceração muscular durante os jogos. Vejo, sim, o habitual excesso de confiança que fez com que sofresse alguns golos que talvez fossem defensáveis…mas contraria isso com um jogo de pés ao nível de poucos no Mundo e uma boa presença na equipa. Este ano foi incapaz de levar o balneário ao seu happy place, infelizmente. Fabiano entrou para o seu lugar em Março depois de já se ter mostrado e de que maneira, com uma estupenda exibição em Alvalade que nos ajudou a manter na Taça da Liga. O jogo em Nápoles foi mais uma mostra da extraordinária elasticidade de Fabiano na baliza, que terá de trabalhar a comunicação com os defesas nas saídas de bola e acima de tudo o jogo de pés. Estamos mal habituados com Helton, meus caros…

HELTON: BAÍA
FABIANO: BAÍA

2 comentários

  1. Também me pareceu que não foi pela baliza que o FC Porto pecou, embora tenha pecado bastante defensivamente.
    O Fabiano chegou mesmo a fazer alguns grandes jogos, o que demonstra os problemas defensivos que esta equipa teve. Resta melhorar o jogo de pés, pois é muito chuto para a frente (Mas também não queremos fintas à Helton…).

  2. Fabiano se melhorar o jogo de pés e aprender a dar uns berros para por a defesa em sentido e comandar aquela nas bolas areas fica um senhor guarda-redes, o resto já ele tem. Quanto ao Helton e o excesso de confiança saiu-nos bem caro nos dois jogos com o Atlético mas adiante… Mas não me parece que quando recuperar da lesão recupere o seu lugar de titular indiscutível na baliza….

    Porto sempre…

Deixar uma resposta