Ouve lá ó Mister – Lusitano Évora

Camarada Sérgio,

Estamos há tempo demais sem falarmos, não é verdade? Estas pausas para jogos da Selecção são porreiras para deixar o Nuno Luz todo contente mas acaba por ser uma quantidade enorme de egos, contra-egos, pseudo-egos e não-egos a passear por baixo dos holofotes que me diz cada vez menos. Continuam a ser as únicas vitórias de vermelho que aprecio, mas se me dão a escolher entre a Selecção e o FC Porto…homem, nem preciso de dizer qual é o botão em que carrego, certo?

E como tal, até um jogo contra o Lusitano de Évora me entusiasma, apesar desta Taça estar diluída em relação ao antigamente, com demasiado enfoque nos grandes e no dinheiro do que no próprio desporto. Põe de lado a tua posição como treinador e líder de uma equipa e concorda comigo: era muito mais mágico e interessante ver os FC Portos a irem jogar aos relvados sintéticos (antigamente eram pelados e acabou) com o público mesmo ao lado dos jogadores, prontinhos a invadirem o campo e a fazer o árbitro parar o desafio várias vezes enquanto se mantém a calma. Isso é que era Taça, mas hoje…tudo meh, não é?

Seja como for, não te deixes travar pelos meus lamentos por outros tempos e bota pé no acelerador. Dá minutos a alguns, recupera o ritmo de outros e acima de tudo não te deixes enfeitiçar pelo facilitismo. É para ganhar como os outros!

Sou quem sabes,
Jorge

2 comentários

  1. ” (…) egos, contra-egos, pseudo-egos e não-egos a passear por baixo dos holofotes que me diz cada vez menos.” — eu há anos que já só vejo jogos da selecção por “obrigação”. Nem consigo explicar o porquê! Além dos egos é a bajulação do X e do Y. Nem o campeonato que ganhamos me entusiasmou.

    Vou ao shrink ou é normal ?

    P.S- Vi este último jogo contra os Milkas e não é que pela primeira vez na minha vida vi o william de carvalho a correr?

Deixar uma resposta