Baías e Baronis – FC Porto 5 vs 0 Rio Ave

foto retirada do zerozero

Quem com cinco morre, com cinco mata. Grão a grão a grão a grão a grão enche o Porto o papo. Quando o Sá está fora, férias na baliza. Não sou adepto de adaptar clichés porque fujo deles mais depressa que o Hernâni quando vê a bola, mas era menino para andar aqui à procura de mais alguns porque hoje foi o dia do contra. Tudo correu bem, as bolas entravam na baliza, os passes até podiam correr mal mas um acabou por dar origem um auto-golo e até o VAR jogou a nosso favor. Espanto, surpresa, explosões de felicidade, amigos! Vamos a notas:

(+) O público, a equipa e o público com a equipa. Cinco dias depois de sofrermos uma das derrotas numericamente mais pesadas da nossa história, o Dragão encheu-se. E não houve assobios, críticas aos jogadores, ao treinador ou a quem quer que fosse. Houve apoio, constante e sonoro (a enorme assobiadela ao período em que Xistra esteve à espera do VAR foi notável) e apesar do primeiro golo ter aparecido bastante cedo, a malta pareceu sempre estar ao lado da equipa, sem apontar dedos nem puxar “galão de adepto” para insinuar que A ou B não estão lá com gosto. E é notável verificar que muitos destes adeptos já passaram por algo semelhante, com Arsenais ou Bayerns, e muitas vezes foram os primeiros a contribuir para a instabilidade em campo. A equipa ajuda pela forma como se bate e se empenha nos jogos, mas os adeptos parecem estar enfeitiçados – e digo isto de uma forma positiva, atenção – pelo futebol da equipa e valorizam o suor em detrimento de alguma excelência técnica e táctica que parece sempre ficar um pouquinho abaixo de outros tempos. Há simbiose, união de vontades e caminhos, que se nota em campo. Que termine bem, é tudo que peço.

(+) Soares. Está todo bem disposto em campo, marca golos e assiste outros e que bom que o está a fazer numa altura em que Aboubakar está todo parido das canetas. Com uma moral inversamente proporcional à capacidade técnica, Tiquinho continua a marcar, continua a jogar e acima de tudo continua a sorrir e a fazer sorrir, descansando os adeptos em relação ao futuro próximo e fazendo a equipa continuar na frente da Liga. Já agora, podes fazer o mesmo na quarta-feira? Agradecido, rapaz.

(+) Alex Telles. Só mais duas assistências. Continua a ser um jogador subvalorizado e se sempre me pareceu limitado tecnicamente, a verdade é que compensa alguma incapacidade para o 1×1 com uma força de vontade, garra e capacidade técnica específica no gesto que um defesa lateral é obrigado a fazer melhor: o cruzamento. E que continue assim, porque só hoje foram mais dois direitinhos para a cornadeira de um avançado. Não lhe posso pedir mais que isto.

(+) Pressão alta. Esta pressão alta surge depois de uma combinação de factores: a necessidade de Sérgio Conceição mostrar aos adeptos que a malta está viva e que o jogo com o Liverpool foi apenas um jogo e que o resto da época é para ser encarado com seriedade e vigor competitivo; a resposta a um estilo de jogo construído desde o guarda-redes como o Rio Ave fez nos outros dois jogos (e hoje também); um treino activo para o que terá de ser a nossa abordagem na quarta-feira, contra o Estoril. Funcionou muito bem, a malta agradeceu e o resultado subiu também à custa disso e só não subiu mais por algumas más decisões na finalização. Good show, chaps.

(-) Brahimi nos exageros. Até nem fez um jogo mau. Tentou sempre furar pela ala e até pelo meio acabou por ser uma peça importante, com aquelas pausas mesmo antes de endossar a bola para Marega ou Hernâni quase marcarem por várias vezes. Ou seja, não esteve mal. Só esteve mal numa coisa: em não saber parar. E é só por causa disso que me chateou, porque o que fez bem equilibra-se com o que fez…demais, porque não parecia conseguir soltar a bola naqueles momentos em que enfia a cabeça no chão e tenta fintar metade do universo conhecido e quando não consegue entra em modo parvo “eh pá eu tentei”. Sim, Yacine, mas não precisas de tentar sempre, homem. Há alturas em que podes passar a bola a outro e fazer com que seja ele a tentar. Só tenho medo que comece a deixar que as pernas ditem o jogo e se esqueça que é tão melhor que isso.

(-) WHAT THE FUCK, DUDE?!. Acho que há uma espécie de taser invisível que entra em acção em determinadas alturas e que afecta um ou outro jogador. Uns são reincidentes (Herrera, Felipe…) e outros parecem começar também a ser escolhidos como alvos (Soares, Telles…) numa ou noutra altura do jogo. Porque há pequenos passes como aquele do Herrera para trás ou do Corona também para trás ou do Felipe para a lateral ou até amortecimentos como o de Soares que me fazem acreditar numa espécie de entidade desconhecida e invisível que entra em campo e segreda uma ou duas palavras aos ouvidos dos rapazes e os deixa em modo imbecil durante uns segundos e os leva a cometer estas infantilidades. Há alturas, como hoje, que nada poderia vir ao mundo que causasse perigo para a nossa baliza, mas noutros jogos…aham…como na passada quarta-feira…em que o mal é bem maior. Vejam lá isso e purguem os tasers ou espíritos ou lá o que anda em campo a roçar-se nos cérebros dos rapazes. O povo agradece.


One down, many more to go. Agora, amigos, é manter a pressão alta na Amoreira e ganhar o jogo. Hoje foram cinco: na quarta-feira só precisamos de metade.

5 comentários

  1. concordo o jogo correu muito bem, o rio ave jogou contra o fcp como o fcp jogou contra o liverpool, nao abdicando do modelo, resultado goleada. Mas… mas temos de ter mais jogo envolvente, marcamos de bola parada o que e bom, e mais tres golos de ressaltos ou meios ressaltos, o problema e que mesmo se tivessemos iniesta, xavi ou assim SC nao os punha a jogar. Marega esta estoirado nao se percebe a insistencia de SC, nao tarda rebenta com uma rotura muscular.

  2. Estou felicissimo pelo resultado, mas podemos ter aqui uma observacao travesti porque nem o Rio Ave e o Liverpool nem a nossa liga e a dos Campeoes Europeus… mas vencemos, seja la com quem tenha sido a baliza. Goste-se pessoalmente, ou nao.

  3. Já não escrevo aqui há muito tempo, mas não posso deixar de dizer umas palavrinhas…

    primeiro, pq é que o link deste jogo refere o maritimo? (http://www.porta19.com/2018/02/baias-e-baronis-fc-porto-3-vs-1-maritimo-2-2-3/).

    Mas isso não é importante, gostei do resultado, mas concordo que o Marega devia ter saído, principalmente depois de estarmos a ganhar por 3, o homem está estourado…

    Tenho medo desta insistência e recordo-mo da história do nosso rival, mais precisamente do Benfica no 2º ano de Jesus, pressão alta, jogos sempre sem levantar o pé, e a poucos jogos do final a equipa começou a dar o berro e no penúltimo jogo, contra o nosso Porto, pumba, o Kelvin aos 92’…

    Uma das análises que fiz nessa altura foi, “Pq é que este camelo do Jesus, não rodava a equipa quando estava a ganhar por 2 ou 3, pq é que jogavam sempre em alta rotação mesmo até ao fim do jogo”, jogavam bem e com muita força, mas na fase final do campeonato, as pernas já não respondiam e depois de um ou outro jogo menos conseguido, a cabeça foi atrás do físico e perderam todas “as finais”, gostei que isso tivesse acontecido aos moços da 2ª circular, mas depois da nossa travessia do deserto, perder assim, seria inglório…

    Gosto que o Porto jogue com esta pressão, gosto da intensidade, gosto da luta por cada lance, mas tenho medo, medo do plantel curto e já termos “perdido” o Aboubakar, o comendador Danilo e o Ricardo, com este ritmo de jogo, arriscamos mandar o Marega e o Alex Telles para o estaleiro.

    Acho que o SC devia por o Corona também a descansar um bocado… 2 mesitos, está a ser dos jogadores mais fracos do plantel…

    Não comentas a alteração de GR? Ou deixas isso para o Cavani?

    Fica bem…

    “Um povo que não conhece a sua história está condenado a repeti-la” (a sua e a dos outros)

  4. Ganhámos! Já só faltam 11.5 jornadas.
    A cartilha dos viscondes e dos sacanas-sem-lei já está a começar a ser transmitida. Enquanto que o treinador do R. Ave elogiou a superior capacidade atlética dos jogadores do FCP, lagartos e lampiões já estão a vender a ideia de que “HH e SO só distribuem fruta”. Esta é a próxima armadilha que nos vão montar. vale que na Amoreira um deles é expulso ou atinje o 5º amarelo (se for caso disso)? Eles sabem muito bem que até meados de Março, se tudo nos correr como justamente esperamos, o campeonato está entrege. Estão em pânico. Num e noutro lado da Circular Lisboeta está muita coisa e muita gente em jogo.
    1 abç e viva o FCPorto, contra tudo e contra todos.
    Luís Oliveira

  5. Capitão-Mor, não temos Messi, Iniesta,Xavi nem ninguém tem.

    Se no nosso plantel só temos 2 jogadores capazes de arriscar no 1 para 1 (Brahimi e Corona) e se os outros até pela sombra são desarmados, quer que joguemos à Lotopegui para trás, para o lado e para o GR?

    Marcamos de bola parada, jogamos na força, persistência, intensidade. Se são essas as nossas maiores qualidades, que se exponenciem as caracteristicas dos nossos jogadores.

Deixar uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.