Lá em casa mandam eles

Em Junho de 2013 tive o prazer de conhecer pessoalmente a C. Sem peneiras, de discurso simpático, assertivo e agradável, foi uma das participantes do II Encontro da Bluegosfera, onde mostrou que o portismo não tem idade, morada ou número de polícia.

Aqui há uns tempos, soube que estava a preparar o lançamento de um livro sobre o blog que gere com o gajo dela (Esposo. Cônjuge. Amantizado. Marido. Mouro. M. É, ficamos por M.), adepto tão ferrenho quanto a C. mas pelo lado do Mal. E como me habituei a ler as aventuras dos mesmos ao longo dos anos, sempre me pareceu intrigante que não houvesse já um livro nas bancas, pelo que só consigo entender a sua aparição pela criação da massa crítica que leva a que um Benfica campeão massifique o interesse no futebol neste país. E a C., que sofre tanto como eu neste tipo de lamentos clubístico-caseiros, porque também tem de chegar a casa com a lágrima a cair pela face depois de um ou outro desaire da nossa equipa (com maquilhagem mais borrada que a minha, presumo), lá terá que aguentar um arranque da sua vida literária de uma forma menos entusiasmante do que seria previsível. Enfim, coisas da vida que nós, que aturamos infiéis no nosso próprio ninho, sabemos bem como doem. E ao mesmo tempo, pelas empatias e alegrias conjuntas, também sabemos ultrapassar.

Assim sendo, fica a sugestão e a oportunidade de vencerem um exemplar do dito, bastando para isso participar neste passatempo, onde a resposta a duas simples perguntas garante a entrada para uma tômbola virtual de onde vou sortear um nome de um(a) felizardo(a) que irá receber em casa um exemplar do livro! É só clicar no link aqui abaixo:

PASSATEMPO “LÁ EM CASA MANDO EU”

O livro é bom, como seria de esperar. A prosa escorrega pelos seus dedos como sempre fez, com natural e reconhecido sentido de humor, uma excelente forma de percebermos que podemos todos ser tão ferrenhos como quisermos. Desde que percebamos que por detrás dessa loucura, há outra ainda maior: o amor. Bate esta, Nicholas Sparks!

Avizinham-se problemas tecnico-clubístico-temporais

Um curtíssimo post para anunciar que aqui o tasco pode sofrer de alguma inconsistência temporal na publicação de posts durante os próximos tempos, algo que raramente se verificou no passado. A razão é esta:

Quem já foi pai, decerto que perceberá. Quem não foi, acredito que também vai entender. Não quero com isto dizer que me vou afastar das lides bloguísticas, nada disso. Mas se demorar mais tempo a escrever uma crónica ou uma análise ou se falhar alguns jogos do FC Porto ao vivo e tiver de os ver em directo ou diferido pela têvê, o motivo é o que está na foto. E desde já prometo que vou tentar fazer da miúda uma portista ferrenha, que para quem já me lê há algum tempo e conhece a minha história, sabe que a tarefa será árdua. Talvez se for cantando o hino do FC Porto enquanto mudo uma fralda ou embalá-la com alguns onzes famosos ou narrações de jogos grandes da nossa história quando a puser a dormir. Estou a pensar em estratégias práticas e aceito sugestões.

Desejem-me sorte. Vou precisar.

1×10^6

Com o épico final de época e os preparativos para a que aí está a caminho, ia-me esquecendo de bufar um pouco a minha própria corneta e anunciar que este blog chegou ao milhão de visitas. Não é muito, entenda-se, se considerarmos que já existe há quatro anos, mas devo dizer que é um número que me agrada. E foram quase 1700 posts totalizando cerca de 615 mil palavras escritas que receberam mais de 9700 comentários, muito vernáculo, alguma arrogância, temperadas com um misto de parvoíce e racionalidade que é, admito, uma espécie de imagem de marca.

Já chega de números. Obrigado, malta, por cá aparecerem e por me motivarem incessantemente a continuar. Mentiria se dissesse que não fico todo contente quando gostam do que escrevo, mas também não posso ser falso ao ponto de acreditar que concordam com tudo. Estive errado muitas vezes e acertado em diversas ocasiões, tantas quantas a hubris me permite afirmar. E os comentários discordantes são aceites e bem vindos, porque é da multiplicidade de ideias e opiniões que um blog vive, mesmo que seja escrito só por uma pessoa.

Continuarei ao meu ritmo. Com vitórias e derrotas, mas acima de tudo com vida e vontade de melhorar sempre o meu clube. Cá vos espero para me dizerem se estou a andar pelo caminho certo.