Ouve lá ó Mister – Vitória Guimarães

André, hombre!

Correu bem aquela cena na Bulgária! Estive a ver o jogo num tasco e entre finos e duas de treta com o pessoal, quase que me distraía tanto como o Maicon a deixar passar a bola por cima dele. O jogo rambém era fácil e os gajos não jogavam grande coisa. o Tiero era titular, carago, acho que isso diz tudo.

O que interessa mesmo depois da mourada ter ganho ao Braga, é nós colocarmos o Minho todo a chorar. Rapaz, sei que não és dessas coisas, mas de vez em quando é preciso jogar feio, e acredita no que te digo, porque já sigo isto há uma batelada de anos e sei do que a casa gasta, hoje à noite é preciso jogar feio. Não é preciso ser violento nem agressivo demais, olha lá que o Xistra quando começa a puxar do cartão aquilo tem mais soltura que um caniche depois de comer três quilos de ameixas! É só jogar rijo, duro, prático e eficaz. Não me interessa se tens de mudar o esquema quando vires que as coisas não correm bem, este jogo não se pode perder!

Não sei se vou conseguir ver o jogo no estádio mas estou tentado a isso. Palavra que estou. E se ouvires um gajo a gritar “Ouve lá, ó mister! Põe-me o Souza em campo e tira o Varela que isto já só lá vai com pancada!”, já estás a ver quem é. Vamos lá equipa!!!!

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó Mister – CSKA Sófia

André, mister!

Cá estamos de novo. Hoje cheguei ao trabalho e anda tudo de pito aos saltos por causa do Benfica ter perdido e o Braga ter levado no lombo e parece que estão todos convencidos que vamos ganhar aos búlgaros por sete a zero ou qualquer coisa do género. Se me perguntares a opinião, nem nós somos o Celta de Vigo nem eles são o Benfica do Iúpe Ainques. Desconfio sempre de equipinhas “paradas no tempo” ou que depois de perder o apoio do regime acabam por ficar naquele marasmo de quero-e-não-posso. Num me enganam!

Para além disso, o problema está nos nomes. A quantidade de ovs e evs que eles têm confundem qualquer um. Valha haver um Marquinhos para ver se conseguimos chamar os bois pelos nomes, senão imagina o Álvaro a dizer ao Cebola para ajudar a defender o “Vergalhev” ou o “Xiripitov”! Assim é mais fácil: “me ayuda a difiendier el cabrito!”. E já está.

Preferia que pusesses o Castro em vez do Souza. Palavra que preferia. Não estou a ver o Souza a ficar no sítio dele, parece-me bem mais tolo que o Fernando, assim um Guarín com mais sinapses, mas espero para ver. Confio em ti, rapaz!

Sou quem sabes,
Jorge

Ouve lá ó mister! – Olhanense

André, mister!

Pá, ao fim de cinco semanas desta treta e já vamos à frente? Porra, é melhor do que pensava, tou-te a dizer, ainda outro dia estava no café a falar com o Zé Tó, aquele das tatuagens de Angola’71 e Aleixo’09, e o gajo me dizia: “É, estaindes todos com a puta da mania que bamos ganhar outra vez mas num sei se bamos”, e antes de lhe corrigir a gramática tive de lhe corrigir a semântica. Pois, eu sei que percebes.

Não sei se este é o melhor jogo para descansar a malta. Achas que o CSKA vale alguma coisa? Se fôr parecido com o Rapid não vamos ter grande problema mas se calhar encostavas o Álvaro, o Varela e o Falcao para não andarem todos rotos até ao fim dos jogos. Que tal o Emídio, o Ukra e o Walter? Isso é que era olha que a malta começa a ficar chateada com o Rolando e se o gajo não se põe fino…mas tu é que sabes!

De qualquer forma tem cuidado com o Olhanense. Quantos mais jogos ganhares maiores são os talentos nos adversários que a imprensa vai descobrir. Agora é a melhor defesa do campeonato. Se ganharmos a estes os próximos vão ser “a revelação da temporada” e por aí fora. Há sempre alguma coisa para te tolher a vida, rapaz, tem cuidado!.

E anda praí o Moretto armado em campeão. Um golos sofrido? Agora tem a mania que é guarda-redes e só sofreu um golinho para a amostra. Em 5 jogos? Porra, nem parece o mesmo anormal que aqui há uns anos fugia da bola como um haitiano de um boneco de búdú. A lapada que levou no aeroporto deve-lhe ter feito bem.

Vamos lá mas é ganhar isso. A malta quer continuar com a moral toda para chegar ao trabalho na segunda-feira e ganir: “Já só faltam 24, carago!”

Sou quem sabes,
Jorge