Tarik, o Bom Mouro

Nesta última semana houve várias menções nos muy nobres blogs do meu clube à saída de Tarik do FCP. O marroquino, chegado surpreendentemente na época de 2006/07 pela mão de Co Adriaanse, que foi substituído antes sequer da época ter começado por Jesualdo, deixando o rapaz sem saber muito bem no que se tinha vindo meter. A primeira época foi abaixo das expectativas, lá o mandamos de volta para a Holanda, de onde regressou na temporada seguinte para fazer um excelente ano de dragão ao peito, tendo marcado um dos melhores golos que vi na minha vida, frente ao Marselha, num genial slalom por entre defesas franceses (guarda-redes incluído) terminando na baliza no topo Norte do Dragão.

Não fui dos maiores fãs de Tarik, admito. Parecia-me mais um jogador banal que tinha sempre a mesma finta (a velhinha do Figo, o passar uma perna por cima da bola e adiantá-la com a outra) e que nunca seria um ídolo de massas. Ainda assim, conseguiu uma boa carreira, com Ramadões à mistura, e foi sempre acarinhado pelos sócios, particularmente no Dragão.
Por tudo isto, deixo também a minha homenagem e os votos que tudo corra bem no resto da carreira deste proto-veterano. Força Tarik!


Campeões!


Já não sou um seguidor das modalidades do meu clube como já fui no passado. Ia ver jogos de Basquetebol ao Rosa Mota e Andebol ao Pavilhão Américo de Sá quanto era mais novo e até gostava, mas o futebol sempre foi o preferido. Ontem, no entanto, dei comigo a vibrar com a vitória do FC Porto no Andebol. Parabéns, Resende!

Álvaro Pereira? Qual, o do SLB?


Isto de acordar com estas notícias é dose. Está um gajo ainda cheio de sono e ouve logo na SIC Notícias: “O FC Porto contrata Álvaro Pereira, defesa esquerdo uruguaio que vinha a ser negociado para o Benfica” (cito de cabeça). Saio de casa, chego ao trabalho e confirmo a notícia no site d’O Jogo, apesar de o site oficial não fazer qualquer menção. Pelos valores que vejo (2 milhões por metade do passe), não me parece extraordinariamente caro, mas isto pode significar uma de três coisas: Benítez sai (aleluia, PdC seja louvado); Cissokho sai; O Uruguai é a nossa nova Argentina. Se a primeira não me tira o sono, aliás diria que me atira mais descansado para as terras de Morfeu, a segunda já me chateia um bocadinho, mas talvez a terceira seja a melhor hipótese.

Se a posição de defesa-esquerdo não abunda com grande qualidade em qualquer lado neste planeta da bola, a contratação de um novo quando o que cá está dá algumas garantias pode significar uma boa aposta para o futuro. Como sempre faço quando contratamos um moço novo, dou-lhe tempo…

Uma questão central


Acabada de confirmar a contratação de Maicon, o FC Porto tem actualmente no seu plantel a bonita soma de sete defesas centrais:

  • Bruno Alves, talvez o melhor central português do momento e um dos melhores centrais do mundo em termos físicos e em jogo aéreo;
  • Rolando, titularíssimo ao lado de Bruno Alves, em crescendo e maturação;
  • Pedro Emanuel, capitão de equipa e jogador mais antigo do plantel;
  • Milan Stepanov, a (pouco credível) alternativa de leste;
  • Nuno André Coelho, o jovem que regressa à base vindo de uma excelente temporada no Estrela da Amadora;
  • Bernardo Tengarrinha, mais um jovem que esteve no Estrela, fazendo uma temporada não muito vistosa;
  • Maicon, com 20 anos, com uma boa época no Nacional da Madeira e que chega por 1,1 milhões de Euros que compram metade do seu passe.
A estes poder-se-iam juntar mais alguns que temos emprestados, casos de Steven Vitória no Olhanense ou Bura ou João Paulo mas creio que não terão hipóteses de fazer parte do plantel 2009/10, por isso não faz muito sentido analisar esses casos remotos.
O que acontece neste momento? É preciso fazer algum dinheiro. Bruno Alves está na rampa para ser vendido, desejo admitido pelo próprio e que não censuro. Stepanov quer jogar e aqui não vai ter chances, Pedro Emanuel está a ficar com anos a mais para jogar a sério, e por isso a questão prende-se: teremos uma pequena revolução no sector? Saindo Bruno Alves e Stepanov, previsivelmente, ficaremos com cinco homens para 4 posições. Quem sai, quem fica? As próximas semanas o dirão…
PS: Ah, e as comparações de Maicon com Pepe já enjoam. OK, o rapaz é novo. Veio da Madeira, sim. É brasileiro, tá bem. Rapa o cabelo, pronto. É defesa central, concordo. Mas para além disso, vêem mais alguma parecença? Bem me parecia.

Baías e Baronis – FCP vs Paços

Ora vamos lá olhar para o jogo de ontem com olhos de astigmático…

BAÍAS
(+) A festa foi divertida, colorida e não houve confusões. É o que dá ter um clube grande e outro menos grande a disputar um troféu num dia de calor.
(+) O domínio do jogo pelo FC Porto foi evidente e não merece contestação. O golo chegou na altura certa e quase fazia lembrar o Barcelona vs Man Utd de semana passada.
(+) Ver Lisandro a jogar cansa. Foi o melhor em campo não só pelo golo marcado mas também pelo esforço habitual. Um dos melhores dragões de sempre em termos de espírito lutador e competitividade.
(+) Nuno mereceu o prémio e o troféu. Já faz quase parte da mobília e não me importo nada de o ver a terminar a carreira de azul e branco.
BARONIS
(-) Algum cansaço patente num ou noutro jogador (Fernando e Meireles, por exemplo), que é natural e expectável nesta altura da época
(-) Fucile não pode continuar a jogar como um louco a subir no terreno deixando espaço a mais na rectaguarda. O extremo (ou interior) direito terão de cobrir a zona. É triste quando é Lucho que a tal é obrigado mas infelizmente o talento por vezes tem de dar lugar a alguma rigidez táctica.
(-) Vem aí as férias e só temos bola daqui a um mês. Não é bonito, quero futebol. Do bom, não é o que o Queiroz vai pôr em campo no sábado.