Baías e Baronis – Época 2008/09 – Ernesto Farías


ERNESTO FARÍAS

Apesar de ter bastantes detractores nas bancadas, que dizem que o tipo é lento, fraco e mau finalizador, os números mostram que tal não é verdade. 10 golos marcados em 20 jogos na Liga Sagres é um bom valor, especialmente na parte final da época, onde apareceu a marcar sempre que era colocado no onze inicial. Continuo a achar que precisamos de mais na zona ofensiva, mas a sua rentabilidade em frente à baliza convenceu-me que pode ficar pelo menos mais um ano no plantel. Afinal já tem 29 anos e se não é este ano que ele faz a diferença…não será nunca mais!!!
VEREDICTO: BAÍA

Baías e Baronis – Época 2008/09 – Tarik Sektioui


TARIK SEKTIOUI

Chamei-lhe o “bom mouro”, e nem era dos meus jogadores preferidos. É verdade que tinha só uma finta, que parecia desaparecer em campo durante grande parte do jogo, que estava sempre para lá do meio-campo e defendia pouco. Tudo isso é verdade, mas também é verdade que é um jogador com empenho, com garra, com boa técnica e que infelizmente teve lesões e Ramadões a mais para ser mais competitivo e para conseguir afirmar-se como titular depois de uma boa época 2007/08. Com a chegada do Cebola e o crescendo de forma de Mariano (ainda me custa dizer isto sem me rir), Tarik foi baixando na tabela de escolhas do treinador e raramente era seleccionado para os jogos. Escolhe sair do clube em fim de contrato, depois de mudar a ideia que os sócios tinham dele, um infeliz marroquino mono-finta para um viçoso muçulmano com música própria. Tarik Sektioui, lá lá lá lá lá de facto!
VEREDICTO: BAÍA

Baías e Baronis – Época 2008/09 – Hulk


HULK

Admito que quando o vi chegar pensei “ora bem, este vem da segunda divisão japonesa, parece-me bem, este é grande vedeta para ser despachado para o Setúbal a meio da época”. Enganei-me tanto como me enganei quando comprei EDP Renováveis na entrada em bolsa. O rapaz impressiona pela força, velocidade, o primeiro nome, potência de remate e a alcunha ridícula. Fez uma época em crescendo até os jogadores das outras equipas terem começado a ceifar o tipo com a complacência dos árbitros (o jogo em Guimarães é ridículo), chegando ao cúmulo da meia-final da Taça de Portugal, onde Nei desfez o fulano com mais uma sarrafada e o encostou até ao fim do ano. Marcou, também para a Taça, um dos melhores golos que tenho memória, correndo 60 metros à frente do Rochemback e fuzilando Rui Patrício em pleno Alvalade XXI. Todos os adeptos esperam ver mais dele, e especialmente mais inteligência em campo. Pode ser um dos melhores jogadores do mundo se continuar a evoluir. Espero que o confirme no Porto!
VEREDICTO: BAÍA

Baías e Baronis – Época 2008/09 – Mariano González


MARIANO GONZÁLEZ

Ah, o nosso ódio de estimação convertido em ídolo manufacturado para as massas! Mais uma época atípica, só que desta vez pelos melhores motivos. Depois de um início fraco (mais um), acaba por crescer em moral e produtividade, depois de conseguir alguns jogos seguidos a marcar e a assistir para golo. É de facto estranho que com a sua inegável capacidade de luta e empenho durante os jogos não se traduzam em contributo para o encontro, já que a maior parte das vezes que tem a bola acaba por adiantar demais o esférico, ou chuta para as bancadas, ou lembra-se e passa a bola para um espaço vazio onde ninguém conseguiria chegar. Este rapaz devia ser um caso de estudo, sinceramente. Com todos os problemas de confiança que supostamente tem, se os conseguir ultrapassar até pode ser um jogador decente. Até lá será sempre um mal-amado por culpa própria. Já teve uma segunda oportunidade que poucos tem e tentou não a desperdiçar. Conseguiu. Um dos maiores críticos cá em casa (eu) apoia Mariano para a próxima época. E espero não me arrepender do que digo. Quanto mais não seja dá para um gajo se rir.
VEREDICTO: BAÍA

Boa sorte, Lucho!

É oficial, o melhor jogador do FC Porto e meu preferido desde que chegou vai sair do clube, a troco de pouco menos de 20 milhões de Euros, potencialmente chegando a 24 milhões.

Apesar de ser bom para a tesouraria, é um momento triste para os adeptos, que já viam em Lucho um líder capaz de suprir a falta de Pedro Emanuel no balneário e a provável venda de Bruno Alves, e com a sua saída acabamos por ficar uma equipa acéfala, sem um organizador brilhante que ainda tinha muito a dar à equipa e ao clube. Compreendo que queira sair e experimentar outras paragens, só creio que o Marselha não é um clube à altura do que Lucho merece e do que o futebol mundial precisava para que El Comandante pudesse exibir todo o seu nível, classe, talento e confiança.
É lógico que não há jogadores insubstituíveis, até o meu barbeiro me disse isso enquanto ontem tentava desesperadamente encontrar mais algum cabelo na minha nuca. Agora há uns mais substituíveis que outros, e Lucho fazia parte deste lote. Não há jogadores no plantel que possam fazer a sua posição, por isso espero para ver quem virá.
Por tudo que fez pelo FCP, é um grande homem e um grande jogador. Quero ver o Marselha a crescer com Lucho na equipa, quem sabe, pode ser que até calhe contra o FCP na Champions…