Baías e Baronis – Época 2008/09 – Cissokho


CISSOKHO

Ora cá estamos. O homem que faz salivar o Lyon, o Bayern, o Tottenham, o Bunyodkor e o FC QuintosDoCarago, chegou humilde ao clube em Janeiro como uma solução interna para um problema perene na defesa do Porto: o lateral-esquerdo. Desde Nuno Valente que não tínhamos alguém decente para o lugar, adaptando jogador atrás de jogador para a posição. Depois de meia-época jeitosa no Setúbal foi contratado por 300 mil euros e chegou, viu e ainda está a perceber como é que venceu. É novo, inexperiente e tacticamente pouco astuto. No entanto, revela capacidades físicas imponentes, faz a linha toda e é, acima de tudo, um puto simpático. Não o vejo neste momento como um indiscutível nas 34 equipas que se dizem interessadas, mas no Porto é de certeza. Especialmente porque o mais directo competidor ano passado se chamava Benítez e…bem, vocês viram-no a jogar. De qualquer forma, com a contratação de Álvaro Pereira para o mesmo lugar por um valor 15 vezes superior, será expectável que o uruguaio seja 15 vezes melhor? Duvido. Ainda assim, o francês tem uma margem de progressão imensa e deve ser mantido pelo menos mais um ano.
VEREDICTO: BAÍA

Baías e Baronis – Época 2008/09 – Sapunaru


SAPUNARU

Todos os anos chega um lateral direito novo ao FCP. Seja Seitaridis, Butorovic, Ibarra, Paulo Ferreira, Sonkaya, Fucile, ou este ano Sapunaru, todos eles atravessam fases más, exceptuando Paulo Ferreira, que conseguimos vender sabe Deus como por 20 milhões de Euros. Sapunaru não foi excepção, e quando chegou notei nele um síndroma de Giourkas (em alusão ao nosso grego de curta estadia), em que parece central, mas é lateral; parece que ataca mal, mas quase nem chega a atacar; parece que se coloca mal, mas afinal dá muito espaço aos extremos e tem medo de tocar na bola. A meio da época, depois de vários jogos infelizes e hesitantes, lá começou a assentar um bocadinho e parecia ter alguma estaleca para jogar no FCP, especialmente quando Fucile se lesionou e permitiu ao romeno algum espaço para ser titular. Não fiquei muito convencido mas apostaria em dar-lhe mais algum tempo para se adaptar. No entanto, com a contratação de Miguel Lopes, resta saber se vai sair (em ano de Mundial deverá querer ganhar espaço na Selecção) em vez de continuar a luta por um lugar agora com dois concorrentes directos.
VEREDICTO: BAÍA (quando estava no Barça)

Baías e Baronis – Época 2008/09 – Fucile

FUCILE

Ah, o nosso primeiro uruguaio desta nova leva. Como de costume é tão esforçado como displicente, mas nota-se algo de diferente em relação a muitos outros laterais que já tivemos. Este não pára, faz o corredor todo (tanto o esquerdo como o direito) e dá o litro em todas as jogadas. Pequenino e franzino, nunca se encolhe quando salta com adversários como o dobro da altura e vai a todas as bolas, mesmo às que deveria ter mais cuidado antes de tentar reclamar. Teve provavelmente o prémio para golo mais estúpido do ano quando na Reboleira chutou a bola contra um jogador do Estrela e o ressalto foi direitinho por cima do Helton. Continuo a achar que se sai melhor do lado direito que do esquerdo, espero para ver se fica agora que tem dois competidores directos (Sapunaru e Miguel Lopes)…

VEREDICTO: BAÍA

93 milhões?!?!?!


Está tudo louco. Já pensava que o Káká tinha sido caríssimo, agora aparece-me este por 93 milhões de euros. NOVENTA E TRÊS MILHÕES!?!?!? E andamos nós a recusar propostas de 38 milhões pelo Hulk, pois está claro, se há clubes a dar 93 pode haver outros que dêem 50…

Baías e Baronis – Época 2008/09 – Ventura


VENTURA

É muito novo para tirar conclusões correctas. Mais um jovem guarda-redes que sai dos escalões de formação e de quem se fala muito bem, mas não joga (nem pode) o suficiente para se ver se de facto vale a pena manter ou não. Foi chamado no jogo da Trofa e foi titular na Intercalar, onde saiu vencedor. Na minha opinião deverá sair uma época para rodar e para se ver se não será outro Bruno Vale.
VEREDICTO: BAÍA (até ver, só por ser campeão)